Sítio Arqueológico Maranata pode se tornar o novo ponto turístico de Olímpia

Publicado em 14 de janeiro de 2015 às 18h50
Atualizado em 16 de janeiro de 2015 às 13h09

Na tarde de hoje, quarta-feira (14), a equipe do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional visitou Olímpia, especificamente o local onde foi encontrado o Sítio Arqueológico no Maranata, nas proximidades da COHAB III, para vistoria e nova analise para envio de respostas ao Ministério Público.

DSC_0660

Posteriormente a equipe, formada pelas arqueólogas Marina Teixeira Figueiredo, Fabiana Rodrigues Belém e Leila Maria França, foi recepcionada pelo Prefeito Geninho Zuliani para discutirem-se ideias e possibilidades de normatização da aérea.

Durante a visita ao local do sítio arqueológico a equipe do IPHAN foi acompanhada pelo Diretor de Cultura, Caio Longhi e pelo Coordenador do Museu de História e Folclore, Cristian Assis, da Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer, e pelo arquiteto Tiliâno Martim de Siqueira e o advogado Anderson Braga da Secretaria de Obras: “Precisamos determinar inicialmente os limites do sítio, a partir desta conclusão podemos iniciar ações quanto à musealização e exploração turística, ou liberação da área”, disse o Diretor Caio. A pista de motocross que havia no local foi desativada há alguns meses por solicitação e indicação do MP através do IPHAN.

Na reunião no gabinete, além do prefeito e das equipes do IPHAN e da Cultura também estavam presentes os Secretários de Governo, Pitta Polisello e Planejamento, Fernando Velho.

DSC_0078

Segundo a arqueóloga Leila, o sítio de Olímpia se difere dos demais do Estado de São Paulo, pois foi detectada uma situação de populações multiétnicas: “Vemos um encontro de populações diferentes que é uma coisa única no Estado e está muito em voga nos estudos acadêmicos, com maior relevância do que outras áreas, não só no Brasil, mas no mundo. Sendo verificadas as interações sociais, as redes de contatos entre povos”.

“Foi uma reunião muito produtiva, pois de um possível problema encontramos a solução, com sugestões e ideias de musealizar o espaço, preservando a história do nosso município, oferecendo mais um atrativo para o turista de Olímpia e inserindo o conteúdo no Plano de Desenvolvimento Turístico”, ressaltou Geninho.

Por tratar-se de uma civilização datada inicialmente de antes do descobrimento do Brasil, foi considerada a ideia de unir ao local o Museu da Água, interligando a maneira com que os antepassados lidavam com este bem natural, construindo suas colonizações às margens dos rios, com a conscientização da utilização da água na atualidade, ressaltando sua importância para humanidade desde os tempos primórdios até a atualidade.

DSC_0657

“A condição turística da cidade permite a somatória dos dois temas, tanto integrando alunos com projetos educacionais, como criando possibilidades maiores de entretenimento no município de Olímpia”, disse o prefeito.

Alinhando os trabalhos do IPHAN com a intenção da administração municipal as ações terão prosseguimento, tanto para o desenvolvimento do tema e implantação das ideias, como para o amparo legal de retorno às solicitações do Ministério Público.

Assunto(s):

Leia também:

4 comentários

  1. Rogerio Breschi disse:

    Estão querendo transformar o Maranata em ponto Turistico, enquanto isso as pessoas que forma enganadas, e pagaram as prestações para ter uma casa ainda estão esperando, quase trinta anos, dizem que ainda esta na Justiça,
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!
    Esse País é uma Piada!!!!

  2. Flavia disse:

    Um lugar turístico,isso me soa como uma piada pois,meus pais e quantas outras pessoas perderão dinheiro nestes terrenos, já se vão quantos anos e dizem estar na justiça,espero que não só meus pais recebam seus dinheiro mas sim todos aqueles que tiraram seu minguado dinheirinho do banco pra comprar um terreno pra fazerem isso com eles,o que eu sinto é vergonha.

  3. SILVIO MIGUEL GOMES disse:

    Senhor Rogério o grande culpado é o Poder Judiciário que não socorreu os mutuários e foram abandonados pelo Advogado(s), tal como aconteceu na COHAB 3.
    O que aconteceu foi de uma leviandade a toda prova. E somente pensam em “fazer alguma coisa” como esse tal Ponto Turístico quando a Prefeitura ou empresa resolve tocar algum projeto, como construção de casas ou Escola/creche. E ficam aí atravancando o progresso do bairro e de Oímpia.

    • Rogerio Breschi disse:

      Sr. Silvio, concordo plenamente com o Sr. infelizmente ninguém tem o interesse em ajudar essas pessoas, pois não trazem beneficio algum, pois todos são pessoas Humildes e sem força para buscar ajuda.
      Mas o que eu posso fazer, é discutir o assunto quando vejo algum projeto novo no Local.
      Sou a favor do progresso da cidade de Olímpia, apesar de não morar mais em Olímpia, sou Olimpiense de coração, e os meus familiares e Grandes amigos que ai tenho.
      Sou a favor de antes de ter novos projetos no local, que resolva antes essas pendencias, sei que a administração no momento não tem nada a ver com isso, mas poderia dar preferencia em um novo projeto de Moradia, antes de fazer um ponto turístico!

Faça um comentário