Olímpia completa 112 anos entre os grandes destinos turísticos do País

Publicado em 27 de fevereiro de 2015 às 15h23
Atualizado em 27 de fevereiro de 2015 às 15h23

Por Sérgio Ney Padilha Garcia – Parte de um seleto grupo de 70 cidades consideradas estâncias, Olímpia cresce e se desenvolve no noroeste paulista. Localizada a apenas 403 quilômetros da capital do Estado e prestes a completar 112 anos de história, o município terá seu primeiro aniversário oficialmente como Estância Turística. O título ajuda a colocar o destino em evidência nacionalmente, e a chegada de novos empreendimentos, como o complexo Hot Beach, do Grupo Ferrasa, chegam a impulsionar o número de visitantes e a ampliar a oferta em hotelaria e demais atrativos turísticos.

artigo-padilha

Para o Grupo Ferrasa está muito claro que o destino turístico Olímpia está a caminho de sua consolidação efetiva. Muito embora, embasado em um produto único, 2 milhões de visitantes impõem respeito a destinos mais antigos do Brasil. É preciso levantar a questão se tanto a cidade quanto a comunidade estão dispostas a pensar, operar e acolher ao turismo sua real importância.

Para aqueles que vivem em Olímpia há tantos anos está claro que o turismo resgatou a vida econômica do município. Há poucos anos uma pesquisa foi realizada para responder algumas questões, entre elas: Qual o número de profissionais que deixam Olímpia diariamente por questões de trabalho? E por que tantos profissionais trabalham fora de Olímpia? Hoje, a cidade é importadora de mão de obra. Precisa mais?

A verdade é que a conquista do título de Estância Turística foi uma vitória da persistência da administração Geninho Zuliani.  Em complemento, trata-se de um importantíssimo título, obtido por méritos dos atributos locais e força do potencial turístico. Muita coisa ainda pode mudar para melhor sob o manto deste título. Visibilidade no turismo nacional, obrigações e responsabilidades do destino com a manutenção do título, ‘ranking’ dos vários destinos e seus diferenciais, entre outros. Além disso, a obtenção de verbas para projetos especiais voltados à atividade turística é outro fator muito interessante.

O Hot Beach, novo parque aquático em construção em Olímpia, está dimensionado a receber, em sua primeira fase, 800 mil turistas por ano. Será posicionado como parque das famílias hóspedes da rede hoteleira local, além dos portadores de passaportes especiais, considerados sócios usuários. O empreendimento do Grupo Ferrasa obteve após longo e competente processo do DNPM e Ministério da Minas e Energia, a Licença de Operação definitiva dos poços profundos que irão abastecer seus hotéis e o Parque Hot Beach, assegurando a qualidade da água utilizada.

Sendo assim, quando em funcionamento, o complexo terá a responsabilidade de consolidar o destino turístico Olímpia. Mesmo porque, irá em busca de novos segmentos do turismo nacional, que por vários motivos não sentem atualmente atração por Olímpia. Vale acrescentar, como forte destaque dos últimos dias, o interesse demonstrado pelo Playcenter em se instalar em Olímpia. Se efetivado, este empreendimento será o complemento dos sonhos para o município, que teria então alcançado um patamar superior no cenário nacional, com justas pretensões internacionais.

* Sérgio Ney Padilha Garcia é diretor do Hot Beach Olímpia

Assunto(s):

Leia também:

Faça um comentário