Diretora de Saúde de Guaraci recebe prêmio nacional

A diretora de Saúde de Guaraci, Fátima Regina De Boni, foi agraciada com o prêmio “Prêmio “Dr. Carlos Chagas 2015”, que é conferido aos Secretários de Saúde “que auxiliam diretamente nas ações realizadas através de sua equipe e que elevam a qualidade da saúde pública de seus municípios”.

diretora-saude-guaraci

A diretora foi comunicada do recebimento do prêmio na última semana e recebeu a honraria com muita alegria. “É muito bom quando nosso trabalho é reconhecido. Melhor ainda quando esse reconhecimento vem acrescido de adjetivos tão carinhosos quanto os que recebi da empresa promotora e não posso nunca esquecer que esse trabalho não é feito só por mim. Minha equipe também merece todos os créditos por esse sucesso”, disse Fatinha de Boni.

O “Prêmio “Dr. Carlos Chagas” existe há 12 anos e é conferido pela empresa Premium Brasil Group, sendo destinado aos líderes municipais que frente as suas equipes realizam um trabalho de qualidade.

”Sabemos que o trabalho e os esforços são muitos, mas o resultado muitas vezes é moroso, não atingindo as expectativas da população mais necessitada de atenção fazendo com que não seja reconhecido de imediato. “Mas a determinação que não deixa esses gestores desistirem ou desanimarem é que faz a diferença em administrar uma pasta tão importante com a da saúde municipal”, disse a empresa em seu comunicado.

A homenagem aos gestores municipais de saúde escolhidos pela empresa será feita durante o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Pública Municipal de 24 a 27 de Setembro na Bahia.

“Seus serviços frente a Saúde do Município de Guaraci, sua gestão comprometida em qualificar suas equipes e participar avidamente das ações realizadas, são o que efetivamente, estão melhorando os serviços da saúde municipal” finalizou a  Premium Brasil Group.

A Diretora Regional de Saúde, Rosimeire Felca, e a representante regional do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde, Tânia Perinazzo, parabenizaram a diretora municipal pela honraria.

Vigilância Sanitária de Severínia comprova denúncia de vereadores: produtos da merenda estavam vencidos

A Vigilância Sanitária da Secretaria da Saúde de Severínia informou, na manhã desta terça-feira (18), aos vereadores Denis Correia Moreira, presidente da Câmara, e Carlos Alberto (Cacá) Secchieri Júnior, que, de fato, a denúncia feita por telefone, por eles, no último dia 11, estava correta, ou seja, produtos da merenda escolar com data de validade vencidos e, assim, oferecendo risco de saúde aos alunos da rede pública.

No total, já descartados (enterrados) pela Vigilância Sanitária: 713 unidades de manteiga, 14 unidades de leite e cinco unidades de farinha de trigo.

A autuação foi endereçada à Primeira Dama Neusa Oliveira.

Nota da Redação: Enquanto isso, o prefeito Edwanil de Oliveira, o Nil, cava buraco diante do Posto de Combustíveis de seu vice Guilherme Secchieri, por ‘vingança’ política, segundo denuncia o próprio vice (veja matéria nesta edição).

IMG_9302

IMG_9305

IMG_9306

Monsenhor Antonio sai da UTI e já pode receber visitas

Segundo informações do padre José Antonio Quissoto, o Monsenhor Antonio Santcliments Torras, pároco da Paróquia São João Batista de Olímpia, deixou anteontem (11), a UTI do Hospital do IMC (Instituto de Moléstias Cardiovasculares) de São José do Rio Preto (SP).

No dia 18 de abril, o monsenhor foi internado com dengue. Devido ao seu histórico cardíaco e o risco da dengue, permaneceu internado até o dia 28 de abril, quando recebeu alta. Porém, em casa, com a dengue já controlada, surgiram problemas recorrentes da doença (pressão alta, falta de apetite, diabetes alterada etc.). Por isso, foi necessária nova internação no mesmo hospital. Mas, desta vez, teve que ficar na UTI para um atendimento mais intenso e especial. Neste período, o que mais exigiu atenção foi o funcionamento dos rins, que estavam comprometidos, além de uma leve infecção pulmonar. 

“Graças a Deus e às orações do povo, ontem ele saiu da UTI e foi para o quarto 204 do Hospital do IMC, logo atrás da Beneficência Portuguesa (entre a Beneficência e a Marginal da Rodovia Washington Luís), sendo as visitas liberadas das 9 às 21 horas”, disse padre José Antonio, vigário paroquial.

Saúde executará orçamento 2015 de forma ‘minuciosa e criteriosa’, afirma Silvia Forti

De tão complexo e abrangente que é o setor, foram necessárias três etapas para que se pudesse completar a apresentação dos Planos e Metas da Saúde para o ano de 2015. Os responsáveis pelos diferentes setores de atividades naquela área detalharam o que já vem sendo feito e o que se tratará de fazer ao logo deste ano, visando aprimorar ainda mais o atendimento ao público, facilitando e tornando cada vez mais informal o acesso dos cidadãos aos equipamentos disponíveis.

DSC_0243-(1)

Como resumo do que foi apresentado, basta dizer que a Secretaria Municipal de Saúde possui uma estrutura básica excelente, e um serviço de prevenção e atenção básica dos mais minuciosos, embora os recursos financeiros careçam de um incremento. “Hoje temos um orçamento que parece ser muito alto, mas os investimentos necessários são ainda maiores para o atendimento de todas as necessidades”, diz a secretária Silvia Forti Storti.

Hoje o município destina 22% do Orçamento anual para a Saúde que, embora considerado pequeno, com o direcionamento eficaz aos programas destinados ao atendimento público que é feito, acaba por gerar bons resultados, conforme se viu nas explanações. “Tem prefeitura que chega a gastar até 33% de seu Orçamento e não tem qualidade de saúde como a nossa”, atestou o prefeito Geninho Zuliani, que acompanhou as propostas feitas nas reuniões.

“Hoje temos uma estrutura básica muito boa. Lembrando que muitas prefeituras não conseguiram sequer inaugurar suas UPAs. E muitos prefeitos têm vindo até Olímpia buscar subsídios técnicos em Saúde para incrementar o serviço em suas cidades”, complementou o prefeito. “A questão é que só se dá valor à Saúde local quando o cidadão vai buscar atendimento em outras localidades”, completa Geninho.

A secretária Silvia Forti reconhece que este será um ano difícil em todos os aspectos, dentro e fora da Administração Municipal, o que fará com que se execute o Orçamento mês a mês, ou seja, de forma minuciosa e criteriosamente. Considerando que os repasses orçamentários e arrecadação também serão menores.

Silvia

Uma boa medida já adotada que vem trazendo considerável economia aos cofres da Saúde foi a implantação do Programa Saúde da Família, por ora em quatro unidades básicas, com outras duas a serem instaladas. Os gastos mensais foram reduzidos em cerca de R$ 40 mil, segundo informou Silvia Forti.

Outro detalhe citado pela secretária dá conta do atendimento feito a pacientes emergenciais fora da rede municipal, ou seja, de convênios ou que estejam de passagem pela cidade. Não há recursos repassados ao município por conta disso. Só despesas. “Os exames médicos e os remédios saem da UPA”, observa Silvia Forti. Sem que haja a contrapartida. “Por exemplo, por meio de convênios não há plantão de pediatra na cidade. Mas na UPA tem”, observa a secretária.

Outro indicador de que Olímpia tem melhorado ao longo dos anos seu sistema de atendimento em saúde pública é o fato de ter diminuído consideravelmente a dificuldade para se contratar profissionais médicos, que antes se negavam a vir para cá. “Hoje os médicos estão vindo, demonstram interesse em vir. O setor está se renovando. Além do que, estamos chamando também os filhos da cidade para desenvolverem aqui, no setor público, as suas especialidades médicas. E tem dado certo”, comemora o prefeito.

No âmbito da abrangência e complexidade, as ações na área da Saúde vão desde o gerenciamento de obras em Unidades Básicas, as UBS’s, com o fim de adequação ao Programa Saúda Família ou mesmo para proporcionar atendimento mais seguro e confortável aos pacientes.

Passa por ações visando manter em níveis baixos a mortalidade infantil, garantir a qualidade dos serviços às necessidades da Saúde Bucal, dos usuários do Programa Bolsa Família, na prevenção e tratamento do câncer do colo de útero, mama e próstata, bem como ampliação das ações de prevenção, detecção e tratamento das doenças preveníveis de internação.

Controle da Dengue por meio da manutenção em níveis abaixo de 1 do índice Breteau (que mede a incidência dos criadouros do mosquito da dengue), readequação do canil municipal e definição de responsabilidades, adequação do teor de flúor e cloro da água do município, cadastrar e monitorar os estabelecimentos de interesse à saúde pública, investigar acidentes de trabalho em parceria com o Cerest, cumprir metas de cobertura vacinal e garantir porcentagem de cura de tuberculose e hanseníase no município, entre diversas outras atividades-meio, fazem parte das ações em Saúde no município. Além do que, cada um destes itens se desdobra em várias outras ações.

Saúde e Hospital do Olho fazem exames gratuitos em crianças da Vovó Nazareth

A Escola Vovó Maria Nazareth recebeu o Projeto de Saúde Visual promovido em parceria pela Secretaria de Saúde de Olímpia e pelo Hospital do Olho, através do oftalmologista Guilherme Kiill Júnior.

exame-visao-vovo-nazareth-(2)

O objetivo foi consultar cerca de 60 crianças da escola, entre 4 e 5 anos, além dos funcionários e identificar problemas de visão que possam acarretar problemas a saúde e aprendizado.

O líder do prefeito Geninho na Câmara, vereador Luiz Antônio Moreira Salata recebeu o pedido do empresário João Carlos Nazareth que lidera a ONG que mantém a escola, e fez o intercâmbio com a secretária de Saúde Silvia Forti.

exame-visao-vovo-nazareth-(1)

“Os exames de acuidade visual vai detectar qualquer problema eventual que a criança tenha posteriormente o Guilherme irá analisar”, disse Salata que cadastrou emenda de R$ 150 mil reais junto ao ECR – Escritório de Captação de Recursos para compra de equipamentos para as unidades de saúde e fez pedido ao prefeito Geninho para priorizar as ações dentro do Hospital do Olho. Ele também é responsável pelo convênio da escola com a Rede Municipal de Ensino.

exame-visao-vovo-nazareth-(4)

“Estes exames são importantíssimos e totalmente gratuitos, só temos a agradecer em nome de nossas crianças”, disse a patrona Maria Célia Nazareth esposa do empresário José Carlos.

Fotos: Julião Pitbull / Assessoria de Imprensa PMO

Olímpia e cidades da comarca, preocupadas com crise da Santa Casa de Barretos, querem mudar referência

A saúde pública de Olímpia, assim como as cidades da comarca, que integram o Colegiado de Gestão Regional (CGR), estão preocupadas com a crise que atinge a Santa Casa de Misericórdia de Barretos, que está sob intervenção da prefeitura daquela cidade.

silvia-forti

“Esta situação atinge em cheio a assistência de Saúde pública de Olímpia e das cidades de nosso Colegiado”, afirma a secretária Sílvia Forti ao Diário de Olímpia.

Segundo Sílvia, houve a interrupção dos serviços de Neurocirurgia, Ortopedia, Psiquiatria e Gestação de Alto Risco, estamos extremamente preocupados, pois é nossa referência. Já solicitamos ao DRS-Barretos outra referência para os pacientes de Olímpia”, que pode ser São José do Rio Preto.

A secretária da Saúde disse, ao Diário: “Estamos fazendo levantamento, pois pactuamos recursos financeiros na Santa Casa de Barretos e o município de Olímpia nunca ultrapassou os limites pactuados, dessa forma é necessário que os mesmos sejam realocados onde se dará a assistência”.

A CRISE

A Prefeitura de Barretos está cortando gradativamente 30 dos 250 leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) da Santa Casa para tentar reverter uma crise financeira e uma dívida acumulada de R$ 63 milhões. A administração municipal, que assumiu o controle do hospital há três meses por solicitação do Ministério Público, atribui à alta demanda de serviços – com pacientes de mais 19 cidades da região, além de outros estados – um déficit mensal de R$ 800 mil.

santa_casa

Os cortes serão feitos por dois meses, período em que a Prefeitura espera receber repasses dos governos estadual e federal para reequilibrar as contas da unidade. Caso isso não aconteça, além das vagas não serem restabelecidas, outros procedimentos começarão a ser cortados. O Departamento Regional de Saúde (DRS V) não falou sobre o assunto até a publicação desta matéria. O Ministério da Saúde comunicou que está analisando um processo sobre a Santa Casa de Barretos.

Os leitos serão fechados gradativamente, à medida que pacientes de diferentes especialidades receberem alta, disse o prefeito de Barretos Guilherme Ávila (PSDB). Os cortes não afetam casos mais graves, da unidade de terapia intensiva (UTI), garantiu o chefe do Executivo. Visando uma economia de, no mínimo, R$ 50 mil por mês, a contenção de gastos também inclui a concessão de férias para dez funcionários – nenhum deles é médico.

Ávila justifica que a administração municipal não dispõe de orçamento suficiente para atender a atual demanda de pacientes, bem como prover recursos para melhorar a estrutura sucateada em alguns departamentos do hospital. “Infelizmente não tem como o município bancar. A Prefeitura já repassava R$ 500 mil antes de assumir o hospital. Após a intervenção, a administração passou a repassar mais R$ 500 mil. É inviável continuar mantendo R$ 1 milhão por mês. O município não tem esse recurso”, disse.

A Prefeitura informou ter comunicado o DRS sobre as mudanças, assim como o Ministério da Saúde, sobre a necessidade de verbas. Em dois meses, Ávila espera receber um repasse de R$ 800 mil do Estado ou da União. Caso contrário, novos serviços, como cirurgias, começarão a ser suspensos gradativamente – com exceção do pronto-socorro, que, por lei, deve permanecer em funcionamento. “Fizemos tudo o que o governo federal pediu. Enviamos todos os protocolos, estudos, documentos, para receber recurso. Até agora, nenhuma novidade.”

Crise financeira

A Prefeitura assumiu o controle da Santa Casa de Barretos em 5 de agosto, por solicitação do Ministério Público no final de julho, devido a uma crise financeira que levou a direção da unidade a suspender serviços como ortopedia, ginecologia, psiquiatria e UTI neonatal.

Após a intervenção, o funcionamento desses setores foi normalizado, porém ao custo de um déficit mensal de R$ 800 mil, mesmo com uma otimização de gastos, afirma o prefeito. “Estamos gastando R$ 100 mil a menos com folha de pagamento, otimizamos os custos, melhoramos as contas do hospital, colocamos pagamentos em dia”, afirmou.

Siga o Diário de Olímpia no Twitter, Facebook e Flickr

Ministério da Saúde

A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde informou que está em fase de conclusão a análise de um ofício encaminhado pela Prefeitura de Barretos sobre a Santa Casa. (Com G1)

Workshop da Saúde com muita informação, humanização e até humor

Texto e Fotos Cristiane Gracindo — Foi realizado nesta nesta terça-feira (17) o 2º Workshop da Saúde de Olímpia, na Casa de Cultura. O evento contou com a presença do psicólogo Pedro Ivo Carvalho Yahn, que, com exclusividade falou tudo sobre a humanização da Saúde ao Diário de Olímpia em entrevista concedida no Thermas Olímpia Resort, onde ficou hospedado e que também foi parceiro na projeção do workshop.

capa-saude

Mestre em Psicologia e Sociedade da UNESP, de Assis (SP), Pedro Ivo (34) é atualmente consultor da Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde. Grande defensor do Sistema Único de Saúde (SUS) o psicólogo reconhece a necessidade do trabalho em rede de humanização das Instituições Hospitalares a partir da política de 2003. Devido à globalização de informações que acontecem de forma rápida e inevitável.

DSC_6071

Em outras palavras, o sistema “idealizado” pelo SUS possui instrumentos para funcionar com perfeição. A partir da criação de Unidades básicas de Saúde, Postos de Atendimento, houve uma descentralização no atendimento, mas a estrutura física só poderá funcionar quando a resposta for positiva com relação a todas as queixas dos usuários da saúde no SUS, ou seja, quando houver a fórmula que trata da realidade do paciente. A exemplo da mortalidade infantil que no Brasil ainda corresponde a 15% , sendo o índice ideal correspondente a 5%.

DSC_6011

Nas palavras de Pedro Ivo: “O SUS é perfeito no que deve ser, mas não traz em sua fórmula original o como fazer”. E é isto que a política de humanização busca encontrar. O princípio da humanização busca a Democratização Institucional contra as práticas autoritárias ainda tão encontradas no Sistema de Saúde.

Após a entrevista, o workshop preparado na Casa de Cultura prosseguiu em ritmo animado. Vários profissionais da Saúde que, além de suas funções desenvolvem outras atividades, tiveram a chance de exporem os seus trabalhos na entrada do evento.

DSC_6002

Dentre as autoridades estiveram presentes Guto Zanette, secretário de Cultura; vereadora Cristina Realle, secretária da Saúde Silvia Forti Storti, além de médicos e profissionais de Saúde de quase todas as áreas.

DSC_6010

A ‘surpresa’ da noite ficou por conta de uma apresentação de teatro com destaque absoluto para a personagem interpretada pelo inigualável Daniel Balbo, que arrancou gargalhadas da plateia. A seriedade do tema Saúde Pública e seu dia a dia foram discutidos na peça com muito humor e irreverência, fazendo com que cada profissional pudesse se ver na situação apresentada.

DSC_6034

A discussão foi aberta para todos os presentes, com a coordenação de Cristina Kiill, que, a cada tema abordado, abria espaço para a palavra do público em geral. Premiações foram realizadas durante todo o evento, inclusive na escolha do novo ‘logo’ da Saúde, que garantiu à vencedora do concurso uma viagem à Porto Seguro com direito a acompanhante.

DSC_6048

A palestra de Pedro Ivo fechou a noite e garantiu aos médicos, funcionários e convidados em geral uma explanação da Saúde Pública como um todo, chamando cada qual a sua responsabilidade e valorização enquanto profissional de saúde.

GALERIA DE FOTOS By Flickr – clique na imagem abaixo:

flickr-saude

Advogada Iscilla Piton fala sobre Ética na Saúde na FAER-Uniesp

A advogada e gestora do Tuti Resort, Iscilla Piton, conferiu palestra dentro da Semana de Saúde Bucal no Setor Público, abordando questões de Ética Profissional, para alunos da FAER-Uniesp, na tarde de sexta-feira (17). O evento teve o apoio da secretária Silvia Forti, da Saúde.

saude-capa

O marido, também advogado e gestor, Caia Piton, acompanhou. Com audiovisual e com técnicas interativas, Iscilla conseguiu passar importantes conceitos sobre o tema, inclusive sobre a Bioética, ou seja, o limite entre as ciências biológicas, da Saúde, Filosofia (Ética) e Direito (no caso, o Biodireito).

We cannot display this gallery

Saúde divulga estatísticas de atendimento de exames, remédios e UBS

A Divisão de Atenção Básica de Saúde do município de Olímpia divulga estatísticas de atendimento, demonstrando que, apesar dos entraves sempre presentes na delicada área da Saúde pública, as dificuldades são, aos poucos, resolvidas com eficiência.

ubs03

Atualmente, a rede municipal de Saúde conta com quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS), também quatro Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) e o Centro Referencial do Idoso (CRI), para priorizar o atendimento aos idosos evitando a espera.

Assim, nos primeiros três meses de 2013 foram contabilizadas 12.384 consultas nas UBS, 10.042 nas UBSF, 1.069 no ARE (Postão) e 3.669 idosos atendidos no CRI. Dessa forma, o total de 27.164 atendimentos dá uma média de 9 mil atendimentos mensais. Apenas uma média, porque há meses em que o atendimento se diferencia de acordo com as sazonalidades das doenças ou viroses.

consultas

Em 2.008, foram 82.560 atendimentos, e nos anos seguintes essa estatística foi crescente. Foram 93.354 em 2009, 101.404 em 2010, 120.240 em 2011 e, no ano passado, os números foram fechados com 160.948 atendimentos. Segundo a Secretária de Saúde Sílvia Forti Storti,  “a meta é continuar a oferecer um serviço humanizado para suprir a demanda, visualizando melhorias e novos projetos a serem desenvolvidos”.

Assistência Farmacêutica

Atua com o propósito de apoiar as ações de Saúde no acesso aos medicamentos essenciais e na promoção de uso racional. Disponibiliza os medicamentos integrantes da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME), além de outros medicamentos padronizados pelo município e solicitados em tratamentos específicos, oferecendo diversas apresentações farmacêuticas. Basta uma receita médica dentro do prazo de validade (30 dias) para que seja feito um cadastro para a retirada.

Em medicamentos a quantidade dispensada na Farmácia Central e no Ambulatório Referencial de Especialidades paciente/ano foi de 100.603 em 2011 e 107.289 em 2012.

Exames laboratoriais

Dentre os exames de média e alta complexidade foram feitos somente no primeiro trimestre de 2013, 26.785 atendimentos para pessoas que moram na cidade, o número aumenta para 27.788 se contarmos os usuários das cidades vizinhas.

exames

Dentre estes exames estão tomografias, cateterismos, ressonâncias, endoscopias, cirurgias eletivas entre outros. Já na parte de exames laboratoriais o número de procedimentos chega a 29.939, são exames bioquímicos, hematológicos, sorológicos, hormonais, imunológicos, uroanálise, e imunohematológicos.

SAMU e transporte

Quantos aos números de ocorrências atendidas pelo SAMU foram 452. Sendo que 55 destas foram transferências da UPA para a Santa Casa ou hospitais da região. E 6.577 atendimentos das ambulâncias municipais para emergências e viagens de internação, tratamento etc.

Vigilância

Pouco se sabe dos trabalhos desenvolvidos pela Vigilância Epidemiológica, Endemias e Sanitária do município, porém estes são valiosos para a população e ajudam a dar um parâmetro para a Secretaria dos trabalhos que devem ser conduzidos.

endemais

O número que mais chama atenção é o de casos de dengue, com 299 casos positivos englobando autóctones e importados, porém devemos nos atentar e comparar com os números de nossas cidades vizinhas que registraram quantidades maiores, algumas com a população bem inferior à Olímpia. Isso se deve aos trabalhos desenvolvidos pela Secretaria da Saúde que foram intensificados.

No primeiro trimestre, foram 26.667 ações que englobam arrastões casa a casa, nebulizações e bloqueios. Visando o controle da proliferação do mosquito transmissor da dengue. Porém temos que ressaltar a importância da população participar e contribuir para evitar a proliferação.

epidemiologica

Outro destaque é o monitoramento do vírus da raiva realizado pela Equipe de Vigilância em Saúde com o envio de amostras de cabeça de cães e gatos e morcegos para o Instituto Pasteur.

No trimestre de 2013 foram encaminhadas 2 cabeça de cão e 9 morcegos. Neste trimestre foram intensificadas as inspeções em estabelecimentos comerciais, foram 288 visitas, sendo 151 que tiraram licenciamento de funcionamento. A intenção é regularizar para que se evitem acidentes e que se mantenha a qualidade do serviço prestado a população.

UPA 24h é inaugurada neste sábado e funciona a partir de segunda

A UPA – Unidade de Pronto Atendimento 24h de Olímpia será inaugurada neste sábado (30), às10h, e começa a funcionar, de fato, na segunda-feira (2). Os novos equipamentos foram testados e serviram para o treinamento das equipes e para testes.

DSC01122-(1)

A UPA, ação do governo federal conquistada pela atual gestão, é uma estrutura de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde (UBS e UBSF) e a porta de urgência Hospitalar, onde em conjunto com estas, compõem uma rede organizada de atenção as urgências ou emergências.

DSC01079

A UPA é integrante do componente pré-hospitalar fixo e foi implantada em local estratégico de fácil acesso a população local e bem servida pela malha rodoviária nas proximidades do município. A unidade se destina aos usuários que procuram as portas dos serviços de urgência ou de emergência do sistema de saúde da rede SUS no município de Olímpia, no momento definido pelo mesmo como de necessidade aguda ou de urgência.

A estratégia de atendimento está diretamente relacionada ao trabalho do SAMU – Serviço Móvel de Urgência, que organiza o fluxo de atendimento e encaminha o cliente ao serviço de saúde adequado à situação.

DSC01069

Ao chegar ao serviço de urgência demandando necessidade aguda ou de urgência, o paciente é acolhido pelos funcionários da portaria/recepção e encaminhado para confecção da ficha de atendimento. Após sua identificação, o usuário é encaminhado ao espaço destinado à Classificação de Risco, onde é acolhido pelo enfermeiro e utilizando informações da escuta qualificada e da tomada de dados vitais, se baseia no protocolo e classifica o usuário em:

* Vermelho, ou seja, emergência e será atendido imediatamente como Prioridade I;

* Amarelo, ou seja, urgência e será atendido como Prioridade II no consultório ou leito da sala de observação;

* Verde, ou seja, sem risco de morte imediato. O paciente será atendido após todos os pacientes classificados como vermelho e amarelo serem atendidos.

* Azul, ou seja, quadro crônico sem sofrimento agudo ou caso social. O paciente deverá ser avaliado por enfermeiro e médico, encaminhado para atendimento em Unidade Básica de Saúde ou atendido pelo Serviço Social. Poderá ser atendido após todos os pacientes classificados como vermelho, amarelo e verde.

DSC01042

Nenhum paciente poderá ser dispensado sem ser atendido, ou seja, sem ser acolhido, classificado e encaminhado de forma responsável a uma Unidade de Saúde de referência. O paciente poderá permanecer em observação na UPA por até oito horas. Após este período, poderá ser encaminhado para a internação, transferido, conforme a necessidade de cada caso, para as UBS/UBSF ou terá alta para o domicílio e ou município de origem.

Na UPA de Rio Preto, a espera de até 7 horas para ser atendido

Simone Machado e Victor AugustoPacientes que procuraram atendimento médico ontem na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região norte de Rio Preto tiveram de esperar por até sete horas. No período da tarde, cerca de 80 pessoas aguardavam pelo atendimento, que demorava em média cinco horas e meia. A reportagem é de capa do Diário da Região desta quinta-feira.

espera

Depois de esperar quase sete horas para ser atendida – das 12h até perto das 19h de ontem, Tatiane Machado, 20 anos, conseguiu passar pelo médico e entregar um exame feito anteontem. “Ela sente muita dor na bexiga e mesmo depois de passarmos pelo médico as dores continuam. Hoje (ontem) viemos apenas trazer os exames e estamos aguardando”, conta a mãe da jovem, Maria Machado, 50 anos.

Segundo Maria, elas chegaram à Unidade por volta do meio dia pegaram uma senha e aguardaram na recepção. Apenas às 17h15, Tatiane e mais nove pacientes foram chamados, mas ainda não para serem atendidos. É que antes de passar pelo médico, eles ainda ficaram aguardando em uma fila formada no corredor da unidade.

Somente às 19 horas Tatiane saiu da ala médica após passar por atendimento que segundo ela durou cerca de 5 minutos. Na consulta, o médico olhou o exame e informou que a jovem esta com infecção de urina e orientou a continuar a medicação com buscopam, dipirona e cloridrato de cipofloxacino.

Sofrimento também passou a operadora de caixa Mariangela Pereira da Cunha, 20 anos. “Cheguei ao meio dia com crise de enxaqueca e febre, mal consigo ficar em pé e tenho que esperar horas para ser atendida. Já são 17 horas e ainda tem mais dez pessoas na minha frente. Possivelmente só vou ser atendida à noite”, dizia.

O marceneiro Miguel Bernardo Peres Romeiro, 67 anos, mal conseguia andar. Com dores na coluna e na nuca, ele conta que já está acostumado com a demora no atendimento. “Sempre que preciso passar pelo médico é a mesma coisa. Sempre espero cerca de três horas para ser atendido, mas hoje essa espera está demais”, diz.

Deu polícia

Além da demora no atendimento, um tumulto foi registrado na UPA enquanto a reportagem estava no local. Por volta das 18 horas, a mãe de um adolescente que era medicado com soro pediu para entrar na sala onde o filho estava para acompanhá-lo. Diante da negativa do segurança, a mulher se exaltou e entrou na sala sem autorização.

A Polícia Militar foi acionada pelo segurança da Unidade. Dois policiais estiveram no local, e após conversar com o segurança e a mãe do menor, foram embora sem registrar ocorrência. “A mãe disse que estava alterada e pediu desculpas por ter se descontrolado”, disse o soldado.

Deu cachorro

Perambulando entre os paciente que aguardavam atendimento, um cachorro entrava e saia da unidade de saúde sem ser incomodado pelos funcionários. O pequeno animal até ameaçava rosnar contra algumas pessoas que passavam por perto, mas permaneceu a maior parte do tempo deitado ou sentado na recepção. Do lado de fora da UPA, outros dois cachorros também andavam em meio aos pacientes.

Mais queixa

O motorista Andre Luiz Florêncio, 35 anos, reclama do atendimento que teve até ser diagnosticado com pneumonia e suspeita de H1N1. Para isso ele precisou passar duas vezes pela Unidade de Pronto Atendimento da Vila Toninho, uma vez no Pronto-Socorro Central e por último na UPA da Zona Norte para então ser encaminhado para a Santa Casa, onde permanece internado desde domingo. Essa peregrinação do motorista durou nove dias.

De acordo com a médica pneumologista que está acompanhando o caso, Clélia Trindade Borralho, o paciente chegou ao hospital com sintomas de pneumonia grave, com os dois pulmões comprometidos, falta de ar grave, febre e cansaço. “O caso dele era grave e logo suspeitamos de H1N1, hoje ele está bem melhor e estabilizado”, afirma.

Florêncio conta que iniciou a peregrinação nas unidades de saúde no dia 28 de abril, sábado. Segundo ele, neste dia ele apresentava febre, dor no copo, nariz congestionado e cansaço e então procurou atendimento na UPA da Vila Toninho, o médico suspeitou de dengue e fez o teste do laço, o qual foi positivo. “Aí eles me medicaram, me deram soro e fizeram um hemograma para confirmar a suspeita de dengue e fui para casa”, afirma Florêncio.

No dia seguinte, os sintomas não haviam melhorado e mais uma vez o motorista foi até a Unidade de Saúde da Vila Toninho passar por uma nova consulta e buscar o resultado do hemograma que foi negativo para dengue. “O médico então pediu para que eu continuasse a tomar os remédios que já haviam sido receitados e me liberou”, conta o paciente.

Na segunda-feira, não satisfeito com o atendimento e diagnóstico, Florêncio procurou o Pronto Socorro Central, com febre e dor no corpo ele conta que levou uma ‘bronca’ da médica. “Ela disse que eu não deveria estar ali, que eu deveria ser atendido na Vila Toninho, aí fiquei nervoso e disse que ela teria que me atender e se não fizesse eu ia chamar a polícia”, explica.

Mais uma vez ele passou pela prova do laço que deu negativo para dengue. O rapaz então foi medicado e liberado. “Ela não me deu atestado, mesmo com febre, dor no corpo e passando mal tive que ir trabalhar”. No domingo, com muita falta de ar, febre alta, tosse e dor no corpo o motorista foi até a UPA da Região Norte. “Lá graças a Deus fui bem atendido e o médico pediu um exame de raio x e viu que eu estava com os dois pulmões comprometidos e me encaminhou para a Santa Casa”, diz.

Saúde investiga morte de rapaz

A Secretaria de Saúde de Rio Preto investiga a conduta de todos os envolvidos no atendimento do soldador Danilo Romero Oliveira, 23 anos, morto na segunda-feira depois de passar seis vezes por atendimento médico em unidades da rede pública municipal.

A causa da morte ainda não foi concluída. Há suspeitas de dengue, gripe suína, leptospirose, pneumonia ou hantavirose. A família de Oliveira quer saber se houve falha nos atendimentos nas três unidades básicas por onde ele passou – UPA Vila Toninho, Pronto-Socorro Central, na Vila Ercília, e Engenheiro Schmitt.

Só na última vez que esteve no PS Central o soldador foi encaminhado ao Hospital de Base, onde chegou às 14h de sábado. Ele morreu na segunda-feira, vítima de choque séptico e uma parada cardiorrespiratória.
Amostras de vísceras do paciente foram retiradas pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO) e enviadas para análise no instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

Edvaldo Santos

André Luiz Florêncio criticou o atendimento na Vila Toninho

Secretaria culpa demanda e fala em contratar

Segundo a Secretaria de Saúde de Rio Preto, o aumento mensal no movimento da UPA Norte, que saltou de 10,5 mil por mês para 15 mil, é um dos motivos da superlotação da unidade.

A secretaria explica que ontem, durante o dia, nos períodos da manhã e tarde, a unidade tinha três clínicos gerais de plantão e dois pediatras de plantão. E à noite, a partir das 19 horas, trabalharam no plantão quatro clínicos gerais e dois pediatras.

Devido ao aumento da demanda, a Secretaria de Saúde diz que ampliará o número de médicos que atuam na rede, tanto na área ambulatorial quanto no setor de urgência e emergência, com a contratação de mais profissionais.

Somente no últimos mês foram contratados 12 novos médicos plantonistas para atuarem nas unidades de pronto atendimento. Inclusive, todo o quadro de funcionários da Secretaria de Saúde está sendo ampliado com a convocação dos aprovados no último concurso público. Com relação aos cachorros encontrados na unidade, a pasta observa que os funcionários são orientados a retirar os animais do local.

Apuração

Sobre o atendimento prestado ao paciente André Luiz Florêncio, a secretaria diz que será aberto um procedimento apuratório, por ordem do secretário Valter Negrelli Júnior, para verificar se as condutas médicas e os atendimentos prestados nos dias 28, 29 e 30 de abril foram adequados.

Ainda de acordo com a nota da secretaria, como houve suspeita de dengue, os médicos seguiram o protocolo de atendimento orientado pelo Ministério da Saúde.

Telefone

Em caso de reclamação ou sugestão, o usuário da rede pública ele pode entrar em contato com a Ouvidoria da Secretaria de Saúde de Rio Preto por meio do telefone 0800-7705870, de segunda a sexta-feira, em horário comercial. (Diarioweb)

Na abertura da Campanha da Fraternidade, Sílvia Forti diz que o SUS evoluiu nos últimos três anos, mas cobra ‘deveres’ dos cidadãos

A secretária da Saúde de Olímpia, Sílvia Forti Storti, acompanhada dos agentes da Saúde da Família, médicos, enfermeiros e funcionários, estiveram na abertura da Campanha da Fraternidade 2012 que tem como tema “Fraternidade e Saúde Pública”.

100_0034

O vereador José Elias Morais (Zé das Pedras, PMDB) esteve representando a Câmara Municipal. A CF começa com a Quaresma e, por isso, é realizada simultaneamente a Missa de Cinzas, celebrada por padre Ivanaldo Mendonça, da Paróquia de São José, com início às 20h e término às 22h15.

A Igreja-Matriz do bairro estava lotada por integrantes de pastorais, grupos de evangelização, catequese familiar, ministros extraordinários da distribuição da sagrada comunhão e colaboradores do Projeto ‘Mão Amiga’ (em parceria com rotarianos), e da futura Pastoral da Saúde que já conta com mais de 40 voluntários inscritos.

100_0024

Como explicou o padre Ivanaldo, em reportagem anterior ao Diário de Olímpia, este é o período de quarenta dias “que os católicos do mundo inteiro dedicam à preparação para a festa mais importe da fé cristã: a Páscoa. Dentre outras referências, a quaresma remonta ao período em que o povo de Israel caminhou no deserto, por quarenta anos, em direção à terra prometida; alude também, aos quarenta dias nos quais Jesus, antes de iniciar Sua vida pública, viveu as chamadas “tentações” no deserto”.

A VIDA É SUA?

100_0026De fato, em seu longo sermão, o pároco discorreu sobre as Cinzas, a nova Campanha da Fraternidade, e enfatizou que “devemos, sim, se preocupar com a vida do próximo, porque quem diz que não se preocupa ou que a vida é sua e ninguém tem a ver com ela, cede à tentação e peca, isso sim é coisa do Demônio, porque quando podemos ajudar o próximo, e nos omitimos, também erramos perante Deus”.

O padre criticou duramente os pais ou responsáveis por menores que “incentivam ao primeiro copo de bebida alcóolica, que dão as chaves de casa e os deixam viajar para ranchos, ou permitem que façam de tudo, porque agindo assim estão induzindo-os ainda mais ao erro, cabe aos mais velhos, aos mais experientes, principalmente aos gestores, a educação, a palavra de sabedoria e à condução desses filhos à espiritualidade”.

“Que ao longo desse tempo especial de preparação para a Páscoa sejamos, todos, instrumentos de aproximação entre nossas Comunidades e todos aqueles que tem sede da Palavra salvadora e vivificadora do Evangelho”, abençoou o padre a todos que, com espírito missionário, se entregam à Igreja e ao trabalho de ajudar o próximo através da Paróquia, das Pastorais e do Projeto ‘Mão Amiga’, que, com apoio dos rotarianos, empresta equipamentos hospitalares, ortopédicos, cadeiras de rodas, entre outros, a quem necessita.

100_0025

Após a imposição de cinzas aos ‘samaritanos’ da Igreja, entre eles funcionários da Saúde, e, na sequência, para todos os fiéis, e da celebração eucarística, a secretária Sílvia Forti, convidada por padre Ivanaldo, enalteceu a Campanha da Fraternidade que tem como lema a Saúde Pública.

120 MIL CONSULTAS EM 2011

Sílvia começando discorrendo sobre o quadro do SUS no Brasil e focou no município. Segundo ela, “O SUS (Sistema Único no Município) teve avanços inegáveis nos últimos três anos”, e revelou alguns índices estatísticos considerados ‘recordes’ no município: “Entre 2010 e 2011 obtivemos as menores taxas de mortalidade infantil se compararmos aos últimos 18 anos, com redução de 10 para quatro óbitos a cada mil nascidos vivos; também tivemos a maior cobertura de Papanicolau e mamografia da história de Olímpia”.

Ela pediu desculpas pela ausência do prefeito Geninho Zuliani (DEM), que “estava em reunião de trabalho”, mas fez um breve relato de como anda a saúde pública em Olímpia.

100_0033

Sílvia revelou, também, que “a cobertura de pré-natal foi aumentada em mais de 75%, ou seja, hoje as gestantes fazem sete ou mais consultas conforme a meta do Ministério da Saúde; as doenças como tuberculose, hanseníase, também estão dentro dessas metas”.

Um dado importante citado pela secretária da Saúde foi que, em 2008, foram realizadas 82.560 consultas médicas e, hoje, esse número foi ampliado em mais de 40%, ou seja, em 2011 foram 120.245 consultas. “Não que o povo está mais doente, mas sim que há mais oferta, menos filas, mais eficiência, mais médicos, equipamentos e exames”, ressaltou Sílvia.

100_0022Dirigindo-se ao padre Ivanaldo, confessou: “Sabemos que ainda falta muito a alcançar e é por isso que a participação da Igreja é fundamental par a consolidação do SUS em Olímpia. Precisamos do envolvimento de todos: gestão e comunidade, sendo necessários a conscientização e compromisso dos usuários em relação à sua própria fraternidade e saúde, porque, infelizmente, nos deparamos com situações como a falta a consultas agendadas sem comunicação prévia, resultados de exames que não são retirados, medicamentos estocados nas casas que vencem, lembrando que, quem paga tudo isso, somos todos nós”.

“Estamos procurando cada vez mais melhorar o SUS em Olímpia, realizamos concurso público para contratação de mais profissionais de Saúde, assim como a ampliação do atendimento através das equipes de Saúde da Família, onde, por exemplo, esta comunidade do bairro São José já tem uma equipe em atividade, aqui presente, e em breve mais duas estão cobrindo toda a comunidade, fazendo o acompanhamento domiciliar, desenvolvendo ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, se aproximando cada vez mais de seus problemas e necessidades visando a humanização da Saúde”, destacou Sílvia Forti Storti.

100_0023

A secretária aproveitou para convidar a população para a participação em audiências públicas trimestrais, na Câmara Municipal, de prestação de contas, e nas tomadas de decisões do Conselho Municipal de Saúde, que se reúne sempre na última terça-feira de cada mês, às 17h, na sede da Secretaria (antiga Beneficência Portuguesa). “Se todos participassem mais, poderemos integrar mais propostas para a melhoria do SUS municipal, como foi o caso da Saúde da Família”, concluiu Sílvia.

100_0031

Por fim, o padre Ivanaldo abençoou aos participantes da Paróquia, voluntários, integrantes de projetos sociais, pastorais, e da futura pastoral da Saúde, que já cadastrou mais de 40 pessoas interessadas em participar.

100_0037

Cansado, o padre ainda cumprimentou a todos e até posou para as fotos do Diário de Olímpia.

100_0032

Geninho dá o grito da independência e recebe apoio da comarca para se apartar do colegiado de Saúde de Barretos e criar o seu próprio

100_0026Uma importante mudança deverá ocorrer nos próximos dias, beneficiando Olímpia e os cinco municípios (Altair, Cajobi, Embaúba, Guaraci e Severínia) que fazem parte da comarca: o prefeito Geninho Zuliani (DEM), de Olímpia, convenceu a comarca a criar o seu próprio Colegiado de Gestão Regional (CGR) dentro da Divisão Regional de Saúde de Barretos (DRS-5), sendo aqui a sua sede.

100_0044

“O governo passado já perdeu essa oportunidade em 2.007, preferindo ficar unido aos 18 municípios restantes da DRS em Barretos, ao invés de ter autonomia sobre recursos e investimentos. Agora, é a nossa vez de, com coragem política e dentro da técnica perfeita, distribuir melhor os recursos, decidindo por nós mesmos”, disse no final da tarde desta sexta (12), Geninho em reunião com secretários da Saúde da comarca, que contou, ainda, com o prefeito José Brás, de Altair, que também concordou com a empreitada do prefeito olimpiense. Leia mais…

Olímpia tem menor taxa de mortalidade infantil dos últimos dezessete anos

Olímpia registrou no ano passado o menor índice de mortalidade infantil dos últimos 17 anos: 6,37, segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde.

clip_image004

É a melhor colocação da cidade no ranking desde 1993. O índice é calculado com base no número de óbitos, multiplicado por mil e depois dividido pelo número de crianças vivas. O município já chegou a registrar índice de 32,08%. Leia mais…

FAER inicia a 2ª Semana de Enfermagem divulgando cuidados básicos de Prevenção

Teve início ontem, segunda-feira (9), a II Semana de Enfermagem promovida pela Faculdade Ernesto Riscali (FAER). Os alunos das turmas 2010 e 2011, juntamente com professores, diretora Cristina Torres e responsável técnica Silvana Aparecida de Castro Gonçalves, estiveram à frente de várias atividades.

Os temas divulgados em folhetos da Secretaria da Saúde (e Ministério) para todos os alunos da FAER dos cursos de graduação e técnico foram vacinação contra gripe para gestantes, idosos e crianças de seis meses a dois anos de idade, além de informações sobre DST-Aids, testes anti-HIV e dicas de prevenção contra Aids. Leia mais…

PM Hial salva criança de nove anos que estava engasgada com pirulito através do telefone 190

hialUma criança de 9 anos, G.H.G., foi salva na tarde desta sexta (6), graças ao atendimento eficiente do 190 da Polícia Militar de Olímpia.

Por volta das 17h30, ligou uma mulher desesperada no telefone de emergência da PM local afirmando manobra de heimlichque um menino de nove anos estava engasgado com um pirulito, faltando o ar, e ela não sabia o que fazer, pois a situação estava ficando pior e ela temia pela vida do garoto. O soldado PM Hial, do outro lado do 190, passou as instruções de como agir e, imediatamente, o pirulito desobstruiu as vias aéreas da vítima. Leia mais…