Prefeitos se unem em consórcio para reforçar ações políticas e Geninho é o presidente

Foi fundado na manhã desta quinta-feira (24), o Consórcio de Desenvolvimento do Vale do Rio Grande (Codevar), integrado por prefeitos de Guaíra, Embaúba, Colômbia, Olímpia, Barretos, Severínia, Taquaral, Bebedouro e Cajobi, e que tem o objetivo de unir lideranças políticas para o desenvolvimento das cidades. Na oportunidade foram eleitos, por unanimidade, o prefeito Geninho Zuliani, de Olímpia, como presidente do Codevar, e de Barretos, Guilherme Ávila, como vice-presidente.

codevar 2

Para Zuliani, o Consórcio terá autonomia para poder tocar as demandas. Vários temas serão defendidos pelo Codevar, como, por exemplo, a questão do lixo, da iluminação pública, da Saúde, do desenvolvimento regional e dos roteiros turísticos integrados.

“É preciso que haja vontade, predisposição visando o desenvolvimento regional, o que seria o nosso maior motivo. A grande saída para nossos problemas comuns é este Consórcio, que é muito bem-vindo”, disse ele.

OS PREFEITOS

Para o prefeito de Bebedouro, Fernando Galvão Moura, o consórcio é uma união de municípios em busca de uma colaboração na gestão. “Hoje os municípios estão numa dificuldade muito grande até por conta de recursos. O pacto federativo no Brasil é muito injusto, os recursos ficam todos concentrados no Governo Federal e os municípios acabam recebendo uma parcela muito pequena”, afirmou.

“O consórcio é uma união política dos municípios, inclusive para que a gente mostre a força política perante o Governo do Estado e Governo Federal, mas principalmente para a troca de experiências em gestão. Juntos, nós somos muito mais fortes para buscar recursos. Juntos, nós também vamos nos ajudar na gestão internamente”, completou o Moura.

codevar

Denir Ferreira dos Santos, vice-prefeito de Guaíra, disse que a fundação do consórcio é um marco importante: “Nós sabemos que numa cidade de 40 mil habitantes é impossível que se faça gestões no sentido de captar recursos, tanto na área federal como também na área estadual. Então, quando várias cidades se reúnem, a somatória dos eleitores é muito grande e consequentemente os governadores, presidente e deputados olham com mais carinho para essa densidade eleitoral”.

Já Laércio Vicente Scaramal, prefeito de Taquaral, espera conseguir mais recursos e oportunidades para o município: “Por intermédio do consórcio teremos a oportunidade de buscar diminuir as nossas despesas. Essa união vai facilitar muito. Hoje nós temos muitas dificuldades, município pequeno não tem uma estrutura adequada para atender todas as necessidades, então, com o consórcio, vai facilitar muito”, disse.

“Nós estamos empenhados na criação deste consórcio. Essa ideia surgiu devido às grandes dificuldades que os municípios vêm passando. E nós acreditamos que com a união de todos esses municípios vamos ter mais força para buscar recursos e um desenvolvimento melhor para cada cidade”, avaliou o prefeito Endrigo Lucas Gambarato Bertin, de Colômbia.

Paulo Rogério Bruneli, Prefeito de Embaúba, acredita que o consórcio irá ajudar, principalmente, os municípios menores. “Como município pequeno, temos sempre a esperança de procurar melhorar. O consórcio vem realmente ajudar, não só os grandes municípios, mas também os pequenos, a conquistarem recursos e buscarem sempre o desenvolvimento das cidades”.

Para o Prefeito Guilherme Ávila, de Barretos, o consórcio é fundamental para todos os municípios: “Quando queremos pensar em um crescimento sustentável temos que pensar grande. Quando eu vou pedir uma verba, seja no Governo do Estado ou em Brasília, eu vou num pedido de 115 mil pessoas. Quando nos unimos nesse consórcio vamos num pedido de 300 mil pessoas e esse número aumenta cada vez mais. Então, a força é muito maior, a região é muito maior. A possibilidade de conseguirmos esse desenvolvimento em todas as áreas, seja econômica, social, saúde e no turismo é muito maior, a chance de obter êxito é muito grande. O consórcio vem para poder facilitar e auxiliar os municípios na elaboração de projetos”.

Também estiveram presentes na reunião os prefeitos Edwanil Oliveira, de Severínia; Márcio Donizeti Barbarelli, de Cajobi; e Marina Hizeko Nozaki Sano, vice-prefeita de Colômbia.

Na ocasião, foi formado também o Conselho Fiscal do Codevar e decidido que a sede do Consórcio será em Olímpia.

O Conselho Fiscal é formado pelos seguintes prefeitos: Paulo Rogério Bruneli, presidente; Laércio Vicente Scaramal, vice-presidente; Endrigo Lucas Gambarato Bertin, secretário; Edwanil de Oliveira, suplente, e Sérgio de Melo, suplente.

Prefeitos fazem lobby para prorrogar mandatos. Geninho é contra

Blog do Josias — Sem alarde, a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) faz lobby no Congresso a favor da prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos por mais dois anos. Num instante em que os congressistas deliberam sobre a reforma política, a entidade envia mensagens para os deputados.

O prefeito Geninho Zuliani (DEM), ouvido pelo Diário no início da tarde de hoje (18), disse que é contra, e que não trabalhará em favor desse ‘lobby’ da CNM.

Paulo-Ziulkoski

No texto, lê-se o seguinte: “Deputado(a), apoie os prefeitos aprovando a coincidência de mandatos e a prorrogação do mandato dos prefeitos até 2018.” Subscreve a mensagem Paulo Ziulkoski, presidente da CNM.

Pela fórmula proposta, as eleições de 2016, convocadas para preencher os cargos de prefeito e vereador, seriam postergadas para coincidir com o pleito de 2018, quando o eleitor irá às urnas para escolher o presidente da República, os governadores, os deputados federais e estaduais, além de parte dos senadores.

Supremo paradoxo: a confederação dos municípios leva a Brasília marchas anuais de prefeitos. Enrolados na bandeira da reforma tributária, esses gestores municipais queixam-se da falência dos municípios. Ainda assim, pedem mais dois anos de mandato. De duas, uma: ou são masoquistas irrecuperáveis ou patriotas incorrigíveis.(Uol Notícias)

Ministro pede para prefeitos ‘facilitarem’ a instalação de torres de celular

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, pediu a ajuda dos prefeitos para facilitar a instalação de antenas de telefonia móvel no país. Ao participar do Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas, em Brasília, o ministro disse que é importante ampliar a infraestrutura nas cidades para aumentar o acesso da população aos serviços de telecomunicação.

celular

Em Olímpia, a gestão do PMDB deixou uma triste herança: uma lei obsoleta que, praticamente, impede a instalação das torres, gerando hoje uma insatisfação generalizada da telefonia na cidade por falta de avanços e sinal deficiente.

O líder do prefeito na Câmara, vereador Luiz Salata (PP) disse ao Diário que já está em estudo ‘uma lei mais coerente e que otimize a utilização das antenas por todas as operadores, evitando o efeito paliteiro’.

O prefeito Geninho Zuliani (DEM), inclusive como representante da AMA (Associação Municipalista da Alta Araraquarense) esteve presente nesse encontro, em Brasília.

“Queria que os prefeitos e prefeitas se atentassem a isso, para ver como podem ajudar. Claro que não vai se permitir que se faça uma antena de celular em lugar que a comunidade não vai aceitar ou que não é razoável, mas achamos que é importante ter infraestrutura”, disse o ministro.

Bernardo lembrou que, em muitos municípios, as legislações para instalação de antenas e torres de celulares são muito restritivas. Uma lei federal para unificar as regras já foi aprovada no Senado, e a expectativa do governo, segundo o ministro, é que a matéria seja analisada pela Câmara dos Deputados ainda no primeiro semestre deste ano.

“Precisamos ter qualidade, precisamos ter cobertura, as pessoas estão reclamando. Precisamos ter serviço de melhor qualidade, mas se os municípios não deixarem instalar antenas, não vai ter o serviço”. Bernardo disse que já conversou com o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, para que mudanças na legislação municipal sejam debatidas com os vereadores da cidade.

barbatira

O ministro também explicou para os prefeitos como funciona o Projeto Cidades Digitais, que neste ano deve selecionar cerca de 200 municípios que irão receber infraestrutura de rede para ligar todos os pontos da administração municipal. Os 80 municípios selecionados em 2012 assinaram hoje (29) acordo de cooperação técnica para implantação do programa.

QUER COMENTAR? FIQUE À VONTADE, MAS LEIA ESSE RECADO ANTES, POR FAVOR:

comentarios

Prefeitos alegam dificuldades em pagar o novo piso da Educação: R$ 950 a partir de janeiro

Representantes da Confederação Nacional de Municípios (CNM) estiveram na Câmara dos Deputados para participarem da audiência pública na Comissão de Educação e Cultura. Para falar sobre as dificuldades dos Municípios em cumprir com novo piso salarial do Magistério Público – R$ 950 -, válido a partir de janeiro de 2010, a CNM apresentou um estudo com números preocupantes: apenas 26 Municípios, em nove Estados, atendem os requisitos para receber a complementação da União ao piso.

O motivo para este número reduzido, destacou a CNM, é a portaria 484/2009 do Ministério da Educação. Ela determina cinco critérios para que os Municípios possam receber verbas complementares da União ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para pagar o piso.

Continue lendo…

AMA debaterá políticas públicas com 100 prefeitos, além de Serra, Kassab, Rodrigo…

Vai ser realizado a partir de amanhã (29) até sábado (31) um mega congresso que debaterá políticas públicas para os municípios. A Associação dos Municípios da Araraquarense (AMA) espera mais de 100 prefeitos para o evento, além do governador José Serra (PSDB), prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (DEM), secretário municipal de São Paulo Rodrigo Garcia, vice-governador Alberto Goldman, entre outros convidados.

O Congresso da AMA será realizado no Ipê Park Hotel, na rodovia Washington Luiz, entre os municípios de Rio Preto e Cedral. O prefeito de Olímpia, Geninho Zuliani (DEM), disse que participará do evento.

Continue lendo…