Prefeito de Guaraci se reúne com famílias do MST que serão assentadas em duas fazendas

O prefeito Renato Azeda, de Guaraci, e o seu diretor Administração, Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Carlos Henrique de Almeida, receberam os coordenadores do Movimento dos Sem-Terra (MST), no gabinete, anteontem, terça (22).

Em breve, eles estarão assentados nas fazendas São José e Santo Antonio da Bela Vista. Essas duas áreas são reivindicadas desde 2009, quando foram declaradas improdutivas.

guaraci-sem-terra

Os Sem-Terra instalaram-se nas margens da fazenda, na vicinal Farid Nicolau Mauad, que dá acesso Altair e a Usina Vertente, primeiramente em 2010, acampamento que foi desmontado por ordem judicial, já que oferecia riscos para os acampados e usuários da rodovia.

Desde então, grupos se revezam na vigília à área, e recentemente foram comunicados da decisão da justiça de dar posse da fazenda às famílias.

No local devem ser assentadas pelo menos cem famílias, e como 75% da área ficam no município de Guaraci, os sem-terra foram reivindicar melhorias no transporte escolar, com reparos na estrada que entra para o assentamento, e a visita dos agentes da Saúde da Família, para o acompanhamento da saúde de alguns assentados que tem doenças crônicas.

O prefeito Renato Azeda disse que vai tomar todas as providencias possíveis para facilitar o deslocamento dos estudantes e que vai acionar a Saúde, pra incluir a área das fazendas dentro do programa de visita dos Agentes Comunitários de Saúde, para cadastramento das famílias.

“Os assentados são os novos munícipes de Guaraci, que aqui vão viver e tem todos os direitos que tem os nossos moradores. Esta é mais uma área habitada e o bem estar dessas famílias também é nossa responsabilidade e apesar das dificuldades financeiras que passamos nesse momento, faremos o possível para atender essa nova comunidade”, disse o prefeito Renato Azeda.

As fazendas São José e Santo Antonio da Bela Vista somam mais de 1.300 hectares e cada uma das famílias assentadas deve ficar com aproximadamente 10 hectares, já descontada a área de preservação permanente do local.

Prefeito Azeda dá prazo para MST se retirar de área invadida em Guaraci

Cerca de 60 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que estão instalados nas proximidades da rodovia vicinal Farid Nicolau Mauad, em Guaraci, realizaram uma marcha pacífica ontem até a praça central da cidade.

renato-azeda-prefeito-guaraci

A manifestação tentava reverter a decisão da Justiça, favorável à Prefeitura, que concedeu o pedido de reintegração de posse do terreno ocupado pelos sem-terra há cerca de quatro meses.

Os manifestantes chegaram na praça central na parte da manhã e retornaram para o acampamento por volta das 15h30. Entre os manifestantes estavam crianças, mulheres e idosos.

A manifestação foi pacífica. A área invadida, que está ocupada por 70 famílias do Movimento, faz divisa com uma fazenda que é objeto de reforma agrária, cujo processo corre na Justiça.

O prefeito da cidade, Renato Azeda, que participou de uma reunião com cinco acampados, dois representantes da sociedade e uma diretora do MST regional, afirmou que não vai reconsiderar a decisão judicial. Ele explica que a medida foi tomada baseada na segurança das pessoas que estão morando naqueles terras e das pessoas que transitam pela vicinal.

Azeda se reunirá com representantes do Incra e do MST, em São Paulo, para tentar solucionar o caso. O chefe do executivo deu o prazo de até depois do Carnaval para que os sem-terra desocupem a área.

De acordo com informações da Polícia Militar, policiais da região foram acionados para garantir a ordem no local. A Força Tática de Barretos também acompanhou a manifestação, porém não houve ocorrências. A reportagem do Diário tentou localizar representantes do MST e do Incra, porém até o fechamento desta edição os mesmos não foram encontrados. (Diarioweb)