Celebration, o primeiro meio de hospedagem sustentável de Olímpia

Por Ieda Rodrigues / Lettera — Em Olímpia, o sol brilha praticamente o ano todo. A temperatura média anual é de 23,3 graus, mas mesmo no inverno é fácil a máxima passar dos 30 graus. Aproveitando as excelentes condições climáticas, o Celebration Resort Olímpia, empreendimento do Grupo Ferrasa que está operando em soft opening, é o primeiro meio de hospedagem sustentável da estância turística. A água de todos os 264 apartamentos do empreendimento, assim como a usada no restaurante, é aquecida com o calor do sol. A iluminação de todo o resort é 100% de lâmpada de LED, que consome menos energia que as convencionais.

Vista-coletores-solares-(1)

Para aquecer a água, a cobertura do Celebration Resort Olímpia, um prédio de 13 andares, foi projetada para funcionar como uma miniusina. Lá estão instalados 180 coletores de radiação solar, bombas solares de recirculação e nove reservatórios de água quente tipo Boiler, totalizando 30 mil litros de armazenagem. A água do reservatório do subsolo, em temperatura ambiente, é bombeada para a cobertura. Ao circular pelos coletores, é aquecida e, então, é armazenada em reservatórios especiais que ajudam a manter a temperatura. “Quando o hóspede abre o chuveiro no seu apartamento, ele mistura a água fria do reservatório inferior com água quente do superior para obter a temperatura que deseja”, explica o engenheiro Gilberto Tonelli, gerente de Obras e Manutenção do Grupo Ferrasa.

Como suporte, o Celebration Resort Olímpia também tem um sistema de oito aquecedores a gás, igualmente instalados na cobertura, para aquecer a água em dias de baixa insolação. É uma garantia para dias chuvosos e eventualmente nublados. “Mas, por enquanto – o resort começou a operar em junho – praticamente não foi utilizado”, comenta o engenheiro. No verão, a expectativa é que o aquecimento a gás não precise ser acionado. Como chuveiro é um dos itens que mais consome energia, a economia é muito significativa. “É energia limpa, renovável. Ao usarmos esta tecnologia, eliminamos a caldeira central e a queima de combustível fóssil, o que é um ganho ambiental”, completa Tonelli.

Celebration-Resort-11Visando tornar o resort sustentável, o Grupo Ferrasa fez uma modificação no projeto elétrico inicial do empreendimento, que era de iluminação com lâmpadas convencionais. A iluminação instalada é 100% com tecnologia LED. “Como de 2012 para cá tivemos um avanço na tecnologia, com maior oferta de lâmpadas de LED no mercado, mudamos o projeto. Todos os 264 apartamentos, assim como as áreas de uso comum e as administrativas, têm iluminação de LED, cujas lâmpadas são muito mais eficientes do que as comuns”, considera o engenheiro.

Enquanto uma lâmpada convencional gasta 40W para produzir uma determinada quantia de luz, a de LED instalada em vários pontos do hotel precisa de apenas 4,8W. O segredo é que a energia consumida pelo LED é revertida em iluminação e não em calor, consequentemente não desperdiça energia. “A adoção da tecnologia proporcionou uma economia de 60% no sistema luminotécnico”, ressalta Tonelli. Outra grande vantagem é a durabilidade. A vida útil da lâmpada de LED chega a passar de 50 mil horas contra aproximadamente 7 mil horas da fluorescente tubular.

Como o LED não possui em sua composição metais pesados, como chumbo e mercúrio, não é necessário descarte especial, o que é exigido para as lâmpadas fluorescentes. Há, ainda, mais um motivo para a adoção da tecnologia: o LED não emite radiação IV/UV, o que evita danos à pele, plantas e também objetos ou produtos expostos como roupas, calçados, móveis, decorações e obras de arte. “Apesar da iluminação com tecnologia LED, hoje em dia, custar 30% mais que a convencional, esta diferença de valor do investimento compensa e é recuperada em pouco tempo”, completa Tonelli.

A adoção das duas tecnologias, do aquecimento da água com o calor do sol e da iluminação com lâmpadas de LED, propicia aos clientes do Celebration Resort Olímpia todo conforto e modernidade que esperam com o menor impacto possível ao meio ambiente. “Receber bem, propiciar conforto, está no DNA do Grupo Ferrasa. Fazer isso consumindo menos energia e emitindo menos gás carbônico, portanto da forma mais sustentável possível, é motivo de orgulho, mais um motivo para celebrar. O nome Celebration não é por acaso: o resort é lugar para celebrar a família, o lazer, encontros, acontecimentos, trabalho… enfim, celebrar a vida, a natureza”, ressalta Manoel Carlos Cardoso, diretor de Operações, Entretenimento e Hospitalidade do Grupo Ferrasa.

Sobre o Celebration Resort Olímpia

O Celebration Resort Olímpia é um empreendimento do Grupo Ferrasa com 264 amplos e confortáveis apartamentos e completo em lazer para a família que entrou em operação soft opening em junho passado. O complexo de três piscinas inclui uma de borda infinita, que é o charme do resort, uma para adultos com hidromassagem e outra, rasinha, só para as crianças, além de dois aconchegantes ofurôs. Dispõe de área de recreação para as crianças e para os adolescentes, bar estrategicamente localizado, um belo e charmoso restaurante, academia com aparelhos de última geração e centro de convenções. “Nossa equipe foi treinada por consultores renomados e durante o período de soft opening refinamos o atendimento. Agora, estamos prontos para a inauguração, em setembro”, afirma Sérgio Ney Padilha Garcia, diretor Executivo do Grupo Ferrasa.

Sobre o Grupo Ferrasa

Com mais de 35 anos no mercado, o Grupo Ferrasa, também proprietário do Thermas Park Resort & Spa, programa inaugurar mais dois empreendimentos do setor de turismo em 2016: o moderno parque aquático Hot Beach, que terá praia artificial, piscinas com ondas, rio lento artificial, bar molhado, toboáguas kamikazes, restaurantes, e o Hot Beach Resort Olímpia, um complexo com 484 apartamentos, restaurante, lounge bar e centro comercial projetado com padrões internacionais. E em 2020, entregará um outro empreendimento, o Hot Beach Suítes. Com mais estes três empreendimentos em Olímpia, o Grupo Ferrasa passará a ter 1.238 apartamentos e um parque aquático, ingressando no top dez do setor no Brasil.

Ações ambientais elevam Olímpia na categoria Verde Azul do Governo Paulista

A Estância Turística de Olímpia, que recebeu 68.79 pontos no Programa Município “Verde Azul” da Secretaria Estadual do Meio Ambiente que avalia as ações e condições ambientais dos municípios, teve sua pontuação aumentada depois de uma revisão nos critérios avaliados, passando para 71.49 pontos. Com este aumento, a cidade ocupa a posição 173ª, num total de 610 municípios participantes.

tela-selo

Pollyana Rodero Fernandes, Diretora de Divisão de Políticas Ambientais explica que a cidade questionou algumas diretivas analisadas, das quais três foram retificadas e acrescidos pontos na avaliação. “Nós questionamos a diretiva esgoto tratado, porque enviamos os laudos de monitoramento e a estação de tratamento de esgoto está sendo construída e isso não havia sido acatado pelo programa, mas depois eles retificaram, então houve uma mudança na pontuação. A diretiva Bio 2 também foi alterada, haja visto que o município criou a lei de pagamento por serviços ambientais, então eles retificaram também. E a diretiva Bio 3 que o município fez um convênio com um local no município de Monte Azul Paulista para soltura de animais silvestres que o programa também não havia computado. Assim analisaram novamente e retificaram”.

O programa foi criado no ano de 2007, e tem adesão de Olímpia desde 2009. Todos os anos são lançados desafios a serem cumpridos em 10 diretivas que englobam o contexto ambiental: Esgoto Tratado, Resíduos Sólidos, Biodiversidade, Arborização Urbana, Educação Ambiental, Gestão das Águas, Qualidade do Ar, Cidade Sustentável, Estrutura Ambiental e Conselho Ambiental.

Cada diretiva vale entre oito e dez pontos, e são distribuídos entre os vários itens a serem cumpridos totalizando 100 pontos. Para ser certificado (receber o selo Município Verde Azul) nesse programa o município precisa ter uma pontuação de no mínimo de 80 pontos, sendo que não tenha atingido menos de cinco pontos em nenhuma diretiva.

“Em minha opinião falta pouco para Olímpia conquistar o selo “município Verde Azul”, o que nós precisamos, essencialmente, é que a Estação de Tratamento de Esgoto, ETE, fique pronta. A ETE funcionando tenho certeza que nós conseguiremos atingir estes 80 pontos, e até mais porque é a diretiva que está faltando mais pontuação, juntamente com a Arborização Urbana”, elenca a Diretora.

Em contrapartida, a maior nota do município é na Diretiva Educação Ambiental. “Essa nota é muito importante, pois demonstra que o município desenvolve inúmeras atividades voltadas para a educação ambiental que é a base para a mudança na percepção ambiental da comunidade” ressalta Pollyana Fernandes.

Dos 610 municípios analisados, 130 conseguiram o selo Município Verde Azul, sendo Cajobi a cidade mais próxima de Olímpia a estar bem ranqueada, na 9ª posição, com 94.90 pontos. A primeira cidade do ranking é Botucatu, com 98.02 pontos e a última posição é do município de Aguai com uma pontuação negativa de 4.03.

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos tem apoio da Guarani

A Guarani vai apoiar o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos que será implantado na Estância Turística de Olímpia. O projeto foi apresentado no dia 27 de fevereiro, na Câmara de Olímpia, pela Secretaria de Planejamento, Habitação e Gestão Ambiental e Daemo Ambiental durante Audiência Pública.

lixo

De acordo com Roberto Perosa, gerente de Relações Institucionais da Guarani, a iniciativa será firmada por meio de convênio entre a companhia e a UFSCAR para o desenvolvimento do Projeto. “A parceria é focada na sustentabilidade e isso significa pensar no futuro”, salienta.

O Plano aborda o diagnóstico da gestão de resíduos e define as estratégias para que o município faça uma melhor gestão de seus resíduos domiciliares, da construção civil, de serviços da saúde, de limpeza urbana, de serviços públicos e saneamento básico, de serviços de transporte, de significativo impacto ambiental, industriais, agrossilvipastoris de mineração e cemiteriais.

O Prefeito da Estância Turística de Olímpia, Eugenio José Zuliani, ressalta que a base deste projeto é a sustentabilidade e que a cidade será elevada a outro patamar se tratando de resíduos. “Além da nossa população, recebemos um grande fluxo de turistas, por isso ter uma gestão eficaz de resíduos, para destinação correta e reaproveitamento de materiais, é fundamental para evitar prejuízos ao meio ambiente”, acrescenta.

Entre outras iniciativas, o projeto apoiado pela Guarani, contempla a criação de um Parque Ambiental e de um programa municipal de coleta seletiva, incluindo áreas públicas; implantação de pontos para entrega voluntária de resíduos; desenvolvimento de programas de educação ambiental para conscientização sobre a redução e reaproveitamento de resíduos; criação de cooperativa de catadores de material reciclável e implantação de diretrizes para fiscalização, garantindo a eficiência da coleta seletiva.

Segundo José da Costa Marques Neto, Prof. Dr. do Departamento de Engenharia Civil da UFSCAR e coordenador do projeto, o Plano engloba diferentes ações que vão ser implementadas ao longo de 20 anos, cujo objetivo é reduzir o índice de geração de resíduos e tratar os materiais de forma adequada.

Pesquisa realizada durante o desenvolvimento do projeto aponta que, entre outubro de 2013 e março de 2014, Olímpia coletou 8.847,78 toneladas de resíduos domiciliares, o que representa uma média diária de aproximadamente 49,15 toneladas/dia.

“Estamos propondo um sistema pioneiro, que é a concepção de armazenagem de coleta e transporte de resíduos domiciliares. Nosso objetivo é implantar um modelo, que já é realidade em Portugal e que comportará uma área para tratar resíduos. Este local será chamado de Parque Ambiental, onde os diferentes resíduos gerados na cidade serão tratados, tanto para comercialização quanto reutilização pelo próprio poder público, como o caso dos detritos da construção civil, gerando maior economia e, assim, livrando a natureza essa carga de degradação que hoje existe”, acrescenta José Neto.

Parque Ambiental pioneiro no País será criado em Olímpia

O município da Estância Turística de Olímpia será pioneiro em seu porte no Brasil a instalar um Parque Ambiental, sistema para descarte de resíduos sólidos diferente do Aterro Sanitário, para onde vai todo tipo de lixo, de forma indiscriminada. O sistema do Parque Ambiental é diferenciado porque ali se processarão os resíduos em três etapas, visando o objetivo final que é reduzir ao máximo os rejeitos e tirar do meio ambiente urbano tudo o que for nocivo a ele. Este projeto também contempla a coleta seletiva de lixo, além de muitas outras ações.

ambiental

O assunto foi tratado na tarde de anteontem, quarta-feira (25), pelos professores-doutores José da Costa Marques Neto, da Universidade Federal de São Carlos-Ufiscar, e Rodrigo Eduardo Córdoba, da Universidade Paulista-Unip, em reunião com os membros do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente-COMDEMA.

Foi uma pré-audiência com os responsáveis por conduzir a audiência pública desta sexta-feira, 27. O evento está marcado para às 19 horas, na Câmara de Vereadores. A implantação do Parque faz parte do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de Olímpia, que por sua vez é exigência de Lei Federal, a que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

O Plano foi elaborado em parceria com a Universidade Federal de São Carlos-Ufscar, no tocante à implantação das etapas de diagnósticos e de prognósticos, linhas de ações, para um período estimado de 20 anos. Trata-se de um planejamento composto de uma série de ações visando a melhoria da qualidade de vida da população em relação aos resíduos que são gerados.

“Nos diferentes resíduos que foram estudados, existe um gerenciamento específico. A equipe planejou e instituiu uma série de metodologias e uma série de ações para serem implantadas a longo prazo. E nem é interessante que seja a curto prazo, por causa das diferentes ações. Mas ao mesmo tempo existe a necessidade de a cidade cumprir a legislação federal”, explica o professor José da Costa Neto.

“O Parque Ambiental é uma infraestrutura de tratamento de deposição ambientalmente adequada, em consonância com a Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Foi idealizado com base em modelos de infraestrutura europeia e americana. Assim Olímpia dá um passo à frente de municípios de seu porte, de forma pioneira”, complementa Neto. O Parque Ambiental tem um prazo de 20 anos para ser implantado de forma completa. “Vão ser implementadas diferentes ações, em conjunto com diferentes atores”, observa Neto.

“Infelizmente a visão que predomina no Brasil em relação aos resíduos sólidos é a implantação de aterro sanitário. Mas nós entendemos, após estudos, que o Parque Ambiental, a segregação de resíduos, a separação em diferentes tipos, e o seu tratamento e destinação adequados, é o mais importante por provocar diminuição de volume, diminuição de massa, e até para a comercialização de diferentes resíduos que têm valor agregado, o que hoje não é feito. Vai trazer benefícios para a cidade e para o Poder Público. De fato, entendemos ser o melhor caminho.”

Mas, para que tudo saia a contento, o professor diz ser mais que importante a parte da educação e informação, principalmente para o munícipe, em relação a como será o funcionamento do sistema. “Isso é fundamental”, enfatiza. “Como proceder, a destinação ambientalmente adequada dos resíduos, que tipos de resíduos, até porque às vezes a população desconhece as tipologias, qual a maneira mais adequada de dispor destes resíduos”, observa.

Ele defende, inclusive, o ensino nas escolas sobre o tema. “Seriam planos de educação, nas escolas, desde o Fundamental, passando pelo Ensino Médio. A informação transversal em todos os níveis pode contribuir para que a cidade vá culturalmente se informando e crescendo ao longo do tempo”, opina.

De acordo com Neto, “uma cidade com o porte de Olímpia e com as características que ela tem, ser pioneira neste tipo de projeto, é motivo de orgulho, por isso, parabenizo a equipe gestora e o prefeito Geninho, por trazer para cá esta proposta, e de nos procurar enquanto Academia, já que por esta parceria importante traremos o que existe de mais avançado tecnologicamente para o campo da sociedade civil”.

 

 

 

Com Parque Ambiental Olímpia inverte lógica dos aterros sanitários

 

Além de dar um passo importantíssimo rumo ao futuro na relação com o seu Meio Ambiente, o município da Estância Turística de Olímpia inverte uma lógica nefasta que impera no Brasil, que é a da implantação de aterros sanitários para dar fim aos resíduos sólidos que produz. A observação é do professor-doutor da Universidade Paulista-Unip, Rodrigo Eduardo Córdoba. “Vai ser um grande avanço para o município pela inversão desta lógica”, enfatiza o mestre.

“Devemos esquecer isso de que o aterro sanitário é a melhor coisa para se resolver a questão dos resíduos sólidos. Por isso, o melhor é trazer a ideia do tratamento, prioridade de não gerar o resíduo e criar este polo de destinação ambientalmente adequada do resíduo”, explica.

“Isso vai possibilitar ao munícipe conhecer, saber onde destinar cada resíduo que ele gera, ao longo de um prazo de 20 anos. Mas a iniciativa inicial já foi dada, que é esse Plano (Municipal de Resíduos Sólidos). Agora vai ser criado o tratamento adequado e destinado a esse polo integrador que é o Parque Ambiental de Resíduos Sólidos”, complementa.

Para implantar o Parque Ambiental em Olímpia ainda falta uma boa estrutura, que segundo Córdoba será alcançada ao longo deste prazo de 20 anos. O projeto começará pela coleta seletiva e formação de equipe de triagem para destinar o material somente reciclado. “O que falta é isso, coleta e destinação ao Parque Ambiental. Esse é o primeiro passo que o município vai dar”, diz.

“São três etapas, sendo a posterior a que atenderá o resíduo da construção civil e depois pode ser feito um acordo com fabricantes, por exemplo de lâmpadas, o que demandará um pouco mais de trabalho, para que ele se responsabilize pelo material após depositado no Parque Ambiental. Esta etapa dará mais trabalho porque tem que se sentar com cada produtor, para acordos setoriais. Pneu o município já faz (o repasse para o fabricante). Lâmpadas, pilhas e baterias serão etapas subsequentes”, relata.

Rodrigo Córdoba disse não haver um prazo definido para cada etapa. “Há um prazo global de 20 anos. Em prazo curto serão implantadas as ações emergenciais, digo em dois a três anos. Depois as outras duas, a médio e longo prazos. Quando se chegar à etapa final, o projeto tem que ser revisto, vê-se o que funciona, mantem o que está bom, e depois se faz uma reestruturação, se necessário”, finalizou.

Educação e Daemo entregam prêmios aos vencedores do concurso “Água e Energia”

Ontem, terça (15), a Secretaria de Educação de Olímpia, em parceria com a empresa pública Daemo Ambiental, premiou alunos da Rede Municipal de Ensino, vencedores do Concurso da Água com o tema “Água e Energia”.

concurso-agua-(2)

No concurso, foram desenvolvidas atividades em salas de aulas direcionadas ao tema de acordo com a faixa etária dos alunos. Na cerimônia de premiação estiveram presentes, além da Secretária da Educação Eliana Bertoncello Monteiro, professores e pais dos alunos. Os alunos do 4º ano da escola EMEB Prof. Reinaldo Zanin apresentaram a música ‘Água’.

As atividades desenvolvidas para que os alunos concorressem aos prêmios foram: 1º, 2º e 3º anos concorreram com a confecção de desenhos; 4º anos concorreram com a escrita de frases e 5º anos concorreram com a escrita de redações.

concurso-agua-(1)

Os vencedores foram: 1º lugar na categoria desenho, Erik Richard Duarte, do 1º ano C da EMEB Profa. Zenaide Rugai Fonseca, que ganhou uma bicicleta; 2º lugar na categoria desenho, Raissa Viscovino Lopes, do 3º ano B, da EMEB Santo Seno, que também levou uma bicicleta; 1º lugar na categoria frase, Pablo Henrique Pires, do 4º ano B, da EMEB Joaquim Miguel dos Santos, que ganhou um tablet e o 1º lugar na categoria redação, Ana Beatriz Rodrigues, do 5º ano B, da EMEB Theodomiro da Silva Melo, que também faturou um tablet.

DSC_0017

A secretária Eliana Bertoncello Monteiro agradeceu a participação de todos e destacou a importância da participação da família. “Agradecemos a todos que estão aqui. Nós queremos agradecer aos familiares dos alunos, porque é graças ao apoio que esses familiares dão que nós podemos realizar nossa atividade de uma forma mais satisfatória”.

Fica também o agradecimento aos professores da Rede Municipal de Ensino que desempenham suas atividades e nelas apresentam um trabalho de construção com seus alunos das noções de respeito à natureza e em especial, a água. Agradeço a equipe da Secretaria da Educação, em especial a professora Leila pela dedicação e pelo trabalho na educação ambiental. Agradeço a Daemo Ambiental pelo trabalho em conjunto e sempre esse trabalho tem se tornado mais firme. Parabéns a todos os alunos pelos trabalhos desenvolvidos”, concluiu.

Supermercados insistem em cobrar sacolinhas, apesar da discórdia do MP

A Associação Paulista de Supermercados (Apas) voltou a reforçar que as sacolas descartáveis gratuitas não serão distribuídas nos supermercados do Estado de São Paulo, inclusive em Olímpia, e que não haverá uma opção para o consumidor levar suas compras sem custo extra. O varejo vai voltar a vender opções descartáveis por R$ 0,19, além de retornáveis, inclusive pelo preço de R$ 0,59.

sacolas

O assunto das sacolinhas plásticas voltou à tona depois que o Conselho Superior do Ministério Público de São Paulo decidiu não homologar o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre Apas, MP e Fundação Procon, em vigor desde abril. A decisão, anunciada na quarta-feira (20), deixa a critério dos supermercados a distribuição de sacolas plásticas descartáveis e determina a apresentação de nova proposta que não onere os consumidores.

A Apas vai apresentar hoje (22) ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, algumas propostas para incluir na campanha Vamos Tirar o Planeta do Sufoco, que extinguiu a distribuição gratuita de sacolas recicláveis nos supermercados do Estado. Uma das propostas, adiantada pelo diretor regional da entidade em Rio Preto, Renato Martins, prevê a venda de uma sacola retornável “vai e vem”. O assunto também será discutido com o Ministério Público (MP) paulista e Fundação Procon-SP.

Segundo Martins, a ideia é oferecer a sacola vai e vem como opção ao consumidor que for ao supermercado sem levar sua própria embalagem. Numa outra ocasião que for às compras novamente e quiser devolver essa sacola, terá um reembolso no valor da compra. “De repente, o consumidor já tem várias sacolas e resolve que não precisa de tantas. Ele pode devolver ao local e ter crédito em sua compra”, disse. A sacola poderá ser devolvida apenas no mesmo estabelecimento em que foi comprada.

O diretor do Procon Rio Preto, Jean Dornellas, disse ontem que o entendimento jurídico, de a acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), é de que de os supermercados não podem cobrar pelas sacolas, já que são um acessório do principal produto fornecido. Ao ocorrer a prática, afirma trata-se de venda casada. Entretanto, como ainda não houve uma orientação oficial da Fundação Procon-SP, a quem o órgão é subordinado, não estão sendo feitas autuações ou abertas reclamações. “Teoricamente, a sacola não pode ser cobrada.”

Em nota, a Fundação Procon-SP esclarece que irá analisar com o Ministério Público o documento, que deve ser apresentado hoje, segundo a entidade. Caso a proposta não seja considerada adequada, os supermercados deverão oferecer uma alternativa não onerosa ao consumidor para o acondicionamento das compras, diz a Fundação. (Diarioweb)

TJ desobriga supermercado a dar sacolinha de graça

O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo negou o recurso da Câmara de Rio Preto que tentava restabelecer a lei municipal obrigando os supermercados a distribuir gratuitamente sacolas recicláveis a consumidores de Rio Preto.

Apesar da decisão, a batalha judicial com a Associação Paulista de Supermercados (Apas) vai continuar até o julgamento do mérito. Ontem, o TJ julgou o agravo regimentar que pedia a anulação de liminar concedida pelo próprio órgão em abril.

A Prefeitura de Rio Preto também entrou com agravo regimentar solicitando a anulação da liminar, mas, de acordo com a assessoria do TJ, a ação não chegou a ser analisada. O diretor jurídico da Câmara, Cláudio Antônio Lopes Ferraz, disse que a lei continua suspensa até que haja o julgamento definitivo da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) impetrada pela Apas. “Esperamos que no julgamento do mérito a decisão seja revertida e a Adin julgada improcedente”, disse.

Ferraz acredita que, se o recurso da Prefeitura for julgamento pelo TJ, a decisão deve ser a igual, ou seja, negativa, já que o objeto é o mesmo. A batalha começou em abril, pouco depois de um acordo entre supermercados, que suspendeu a distribuição gratuita das sacolas em todo o Estado de São Paulo. A distribuição foi suspensa no dia 4 de abril nos municípios paulistas, mas continuou em Rio Preto até o dia 13 daquele mês, período em que vigorou a lei municipal. Desde então, a lei foi suspensa porque o TJ concedeu liminar em favor da Apas.

Com isso, os consumidores passaram a ter de levar suas próprias embalagens para transportar as compras. Pelo menos até agosto os supermercados devem vender uma opção de sacola retornável pelo custo máximo de R$ 0,59. Alguns também se prontificam a disponibilizar caixas de papelão aos clientes.

Em Mirassol, o TJ também concedeu liminar à Apas suspendendo lei municipal que tinha o mesmo objetivo: a manutenção da distribuição das embalagens aos consumidores. A Prefeitura iria prestar as informações necessárias ao TJ na tentativa de demonstrar a importância da lei para a comunidade.

Alunos do ‘Joaquim Miguel’ plantam árvore e fazem passeata pelo Meio Ambiente

A defesa e preservação do meio ambiente foi tema de atividade externa da EMEB “Joaquim Miguel dos Santos” na manhã desta quinta-feira (31). O Tiro de Guerra 02-025 também participou, com banda, marcha e proteção às crianças. O evento faz parte do início da semana do meio ambiente.

DSC_9250

A atividade começou na Praça Rui Barbosa, no centro, onde os alunos plantaram uma árvore. De lá, desfilaram em passeata, passando por ruas centrais em direção à escola, tendo à frente o TG em marcha, levando cartazes e faixas com frases e questionamentos sobre o meio em que vivemos, entre eles a informação de que o lixo coletado em Olímpia é levado para o município de Onda Verde (SP), no aterro sanitário, e que são coletadas, em média, 42 toneladas de lixo por dia na cidade.

DSC_9249

Segundo as professoras, atividades de Educação Ambiental na EMEB Joaquim Miguel são desenvolvidas o ano todo. “Não é preciso ter uma data certa, todos os dias são ideais para se refletir sobre questões que afetam o meio ambiente”, disse a coordenadora Eliane.

DSC_9247

DSC_9252DSC_9253DSC_9251DSC_9248

Não adianta Olímpia insistir: TJ vai indeferir sacolinhas de graça

O título faz sentido: é que a partir de hoje os supermercados de Rio Preto não estão mais obrigados a fornecer gratuitamente sacolas recicláveis aos consumidores. O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo concedeu liminar requerida pela Associação Paulista de Supermercados (Apas) para suspender os efeitos da lei que obrigava os estabelecimentos a distribuírem as embalagens aos consumidores.

Sacolas-Plasticas

A Apas ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no último dia 4, arguindo a inconstitucionalidade da lei municipal que determinou a volta das sacolas plásticas recicláveis aos supermercados, hipermercados e assemelhados.

Em Olímpia, o vereador petista Hilário Ruiz apresentou projeto de lei que, na última segunda-feira (9), foi apenas deliberada. Se prosseguir, sendo aprovada e, posteriormente, sancionada pelo prefeito Geninho Zuliani (DEM), terá o mesmo destino, ou seja, a ineficácia.

A entidade, agora, pretende retomar o acordo firmado o Ministério Público e a Fundação Procon em fevereiro deste ano. “Vamos aguardar que a decisão seja publicada e, a partir daí, cumprir o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC)”, disse o diretor regional da Apas, Renato Martins.

O TAC assinado entre as partes prevê a suspensão da distribuição de sacolas plásticas em todo o Estado. A partir de agora, os consumidores rio-pretenses, assim como todos os outros paulistas, terão de levar suas sacolas retornáveis, caixas plásticas, carrinhos de feira ou outro tipo de embalagem. “Os supermercados vão vender sacolas retornáveis por R$ 0,59, outras por R$ 1,99 e disponibilizar, na medida do possível, caixas de papelão, embora essa não seja uma medida prevista pelo acordo.”

A assessoria de imprensa do TJ confirmou o deferimento da liminar, mas ainda não teve acesso ao teor da decisão. A publicação deve ocorrer hoje. A Prefeitura de Rio Preto informou ontem que não ainda não havia sido notificada oficialmente. Mas, em caso de deferimento da liminar, como ocorrido, a Procuradoria Geral do Município vai interpor recurso cabível para sustentar a constitucionalidade da lei.

O diretor jurídico da Câmara de Vereadores de Rio Preto, Cláudio Antônio Lopes Ferraz, também informou que não havia sido comunicado oficialmente sobre a liminar. Entretanto, disse que a Câmara vai atuar no sentido de defender a legalidade da lei, respeitando os prazos para prestação de informações ao TJ. Com a concessão da liminar, a aplicação da lei é suspensa e o processo segue até julgamento. A liminar, no entanto, pode ser revogada antes do julgamento, caso a Prefeitura ou a Câmara recorra e obtenha parecer favorável no próprio TJ.

A Lei Municipal 11.166, sancionada pelo prefeito Valdomiro Lopes, teve vigência de apenas uma semana. Ela entrou em vigor no último dia 4. Nesse período, os supermercados tiveram de continuar distribuindo as embalagens plásticas e o Procon atuou na fiscalização dos estabelecimentos. Houve poucos registros de problemas, já que os supermercados cumpriram as determinações da legislação. Nos demais municípios do Estado onde não houve lei que obrigava a distribuição das sacolinhas ou outras formas de embalagens gratuitas, os supermercados não mais fornecem sacolas, sequer as biodegradáveis.

Guarujá

O TJ também deferiu ontem uma liminar requerida pela Apas em relação a uma lei do Guarujá. Naquele município, a lei determinava que os supermercados distribuíssem sacolas de papel aos consumidores. (Diarioweb)

Empresa de Olímpia, a B2 Transporte e Logística, investe pesado em fornecimento de biomassa para produzir combustível renovável

irmaosEm tempos de preocupação com o meio ambiente sem perder de vista o desenvolvimento, por isso mesmo chamado de ‘desenvolvimento sustentado’, uma empresa de logística de transportes de Olímpia está agregando mais um diferencial: o fornecimento de cavaco de madeira para a co-geração de energia.

Os irmãos empresários Bello, Ronei e Roque, da B2 Transporte e Logística, decidiram investir – e pesado – na aquisição de um picador de madeira preparado para receber troncos, galhos, destopos, costaneiras, cascas e outros tipos de resíduos, inclusive de construção robusta.

025

Nesta semana, foram conferir o equipamento trabalhando no campo, na Nicoletti Máquinas, em Itapetininga (SP), e fecharam o negócio em torno de R$ 260 mil. Leia mais…

Educação trabalha a conscientização ambiental nas escolas municipais

As escolas municipais de Olímpia promovem várias atividades na Semana do Meio Ambiente – cujo Dia Mundial é oficialmente comemorado em 5 de junho.

desfile-ma-(133)

A programação foi aberta no dia 1º, quarta-feira, e termina hoje, sexta, dia 3, nas unidades de Ensino Infantil, Básico e Fundamental. Leia mais…

Semana do Meio Ambiente mobiliza escolas

convite-meio-ambienteAs escolas municipais de Olímpia prepararam uma série de atividades para a Semana do Meio Ambiente, de 1 a 4 de junho.

Os protagonistas de toda a programação – que inclui dança, teatro e música – serão as crianças do ensino básico. Caberá a eles a missão de conscientizar os adultos da preservação da natureza.

O trabalho com os alunos será apresentado durante toda a semana na Praça da Matriz de São João Batista (veja programação). O evento é uma realização da Prefeitura de Olímpia, através da Secretaria Municipal da Educação, Grupo Escoteiros Olhos d’Água, Rotaract Clube Integração e Divisão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Leia mais…

Juiz nega demolição de rancho no Turvo

O juiz da 4ª Vara Cível, Paulo Sérgio Romero Vicente Rodrigues, julgou improcedente ação civil do Ministério Público que cobrava a demolição de um ranho de pesca construído nas margens do rio Turvo, no município de Guapiaçu.

O promotor Carlos Romani, autor da ação, alegou que o proprietário do rancho, Tácito Roberto de Jesus, desrespeitou leis ambientais e promoveu desmatamento na área. Leia mais…

Guarani revela em audiência pública como investirá R$ 24,5 milhões em Severínia mantendo controle sobre o meio ambiente

IMGP2784 Texto e Fotos Wellington Cudinhoto para o Blog – A Guarani S/A apresentou em audiência pública na tarde de hoje, na Câmara de Vereadores daquela cidade, promovida pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente, o seu Relatório de Impacto Ambiental (RIMA), com vistas à ampliação de seu parque produtivo – agrícola e industrial – na Unidade Industrial de Severínia onde, nos próximos dois anos, o investimento total seria de R$ 24,5 milhões.

Estiveram presentes na audiência o secretário executivo do Conselho Estadual do Meio Ambiente (CONSEMA), Germano Seara FIlho, acompanhado da gerente da Cetesb (Companhia Estadual de Tecnologia e Saneamento Básico), Érica Myho Matsumura, além do diretor industrial da Guarani S/A Giam Paolo Di Donato, além de convidados e autoridades, como os prefeitos Raphael Cazarine Filho, de Severínia, e Geninho Zuliani, de Olímpia. Leia mais…

PM apreende pássaros maltratados, alguns mortos, filhotes sob forte calor, droga e dinheiro, em casa da Rua Folia de Reis

DSC06914Mais de vinte pássaros foram apreendidos hoje à tarde, por volta das 15h, em uma casa da rua Folia DSC06915de Reis, no bairro Santa Ifigênia, pela Polícia Militar de Olímpia. A denúncia anônima ao 190 informava que ali era ‘boca de fumo’, com venda de drogas, mas a PM encontrou muito mais pássaros em estado de abandono do que droga – e cinco pedras de crack –, além de mais de R$ 1.157 em dinheiro.

DSC06916

Pai e filho foram conduzidos ao plantão policial: Benedito Socorro Picoli e Danilo Donizeti Picoli. Eles responderão por tráfico de drogas e crime ambiental. Os PMs tentaram reanimar alguns pássaros debilitados dando-lhes água. Leia mais…

Guarani apoia capacitação de professores de Barretos na educação arqueológica

* Barretos fará parte do programa de educação arqueológica, numa iniciativa da usina Guarani que irá capacitar 125 professores da rede municipal, envolvendo mais de 3 mil alunos.

040810_02

O objetivo é conscientizar os estudantes sobre a importância do patrimônio arqueológico em cinco sítios encontrados na região. Leia mais…