Folclore de Olímpia de luto: morre Deda, o Mestre Bacamarteiro

A cultura e o Folclore de Olímpia estão de luto nesta quinta-feira (27), devido à morte de Mestre Deda, do Batalhão de Bacamarteiros, do Povoado de Aguada, Carmópolis (SE). Amigo do criador de nosso Festival Nacional, falecido professor José Sant’anna, o mestre deixa saudade para todos, inclusive para o seu amado Batalhão. Fotos Leonardo Concon

IMG_6370.JPG

Além dos tiros, que chamam muita atenção durante todo o cortejo, também fez parte do ritual um repertório baseado no cancioneiro popular. O grupo dispara os tiros de bacarmartes ao som das rimas: “quero ver carvão queimar”, e “menina bonita, faceira, dengosa, quer ir mais eu ‘vamo’, quer ir mais eu ‘vamo’ embora”.

Por volta de 1780, surgiu um grupo no qual os negros dos Engenhos de cana-de-açúcar do Vale do Cotinguiba brincavam samba-de-roda e atiravam com uma arma artesanal conhecida como Bacamarte. Atualmente o Batalhão de Bacamarteiros possui 80 integrantes, entre homens, mulheres e crianças. Os instrumentos musicais são fabricados com a madeira do jenipapo, couro de animais e sementes.

IMG_6371.JPG

Para fabricar a pólvora, é utilizado o carvão produzido à partir da umbaúba, cachaça e enxofre. Durante os festejos juninos acontece o ritual do Pisa Pólvora, para comemorar os Santos do mês. A musicalidade e a o ritmo contagiante encantam todos que assistem as apresentações do grupo pelo país.

Nesta tradição, o tiro do bacamarte é a sua expressão. No passado os tiros de bacamartes, serviam como fogos de artifício, pois estes ainda não existiam na região. Os tiros têm ainda um significado mágico: afastar os maus espíritos.

IMG_6372.JPG

Para atirar, cada membro, toma posições desafiadoras numa forma de competição, onde não há vencedores e sim brincantes. Executam uma coreografia marcada pelo ressoar dos tiros. O Recinto do Folclore ecoava para toda a cidade os tiros desse pessoal alegre e que mantinha o verdadeiro folclore por gerações.

Todos os utensílios do grupo são fabricados de modo rústico e artesanal, com matéria prima da região, pelos próprios integrantes. Os instrumentos musicais como pandeiros, ganzás, reco-recos e onças, também chamadas de ronqueiras, são produzidos a partir de couro de gato e madeira das matas nativas. A indumentária é simples. Os brincantes, usam roupas típicas do período junino: vestidos e camisas estampadas e chapéus de palha.

Não foi divulgada a idade de Mestre Deda

 

Olímpia está em luto oficial por três dias por causa da tragédia de Santa Maria (RS)

O prefeito  Geninho Zuliani (DEM) decretou nesta segunda-feira, dia 28 de janeiro, luto oficial por três dias em homenagem póstuma às famílias enlutadas pela tragédia de Santa Maria (RS), onde registrou-se o falecimento de mais de 230 jovens em um incêndio em uma boate.

incendio

O decreto solidariza-se à dor das famílias e amigos das vítimas. Nesta segunda-feira, contudo, o prefeito encontra-se em Brasília, onde, com demais prefeitos do País, reivindicará com a presidenta Dilma maior repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Assim, com data do dia 28 de janeiro, o decreto entrará em vigor na data da sua publicação, retroagindo seus efeitos a partir desta data.

O Brasil está de luto. Oremos!

Mais de 200 morreram após incêndio em boate na madrugada deste domingo (27).

A polícia e o Corpo de Bombeiros ainda trabalham no local em busca de mais informações sobre as circunstâncias da tragédia e para retirar corpos da área.

O número de pessoas que estavam na boate no momento do incêndio ainda não foi confirmado pelas autoridades. A festa reunia estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, dos cursos de Pedagogia, Agronomia, Medicina Veterinária, Zootecnia e dois cursos técnicos.

Segundo informações preliminares, o fogo teria começado por volta das 2h30, depois que o vocalista da banda que se apresentava fez uma espécie de show pirotécnico, usando um sinalizador. As faíscas teriam atingido a espuma que faz o isolamento acústico no teto do estabelecimento e as chamas se espalharam.

O incêndio provocou pânico e muitas pessoas não conseguiram acessar a saída de emergência. Segundo o Corpo de Bombeiros, a boate estava com o alvará vencido.

tragedia_santa_maria-2