Geninho aprova loteamento da Ferrasa ao lado do Thermas

Na manhã desta quarta-feira (8), em reunião com o prefeito de Olímpia, Geninho Zuliani, o advogado Celso Maziteli Junior e o sócio-proprietário do Grupo Ferrasa, Newton Ferrato (foto), receberam o Ato de Aprovação do Loteamento Di Vitória Condominium, localizado entre o Thermas dos Laranjais e o Complexo Hot Beach.

  
O documento culmina com a aprovação junto ao Grapohab (Grupo de Análise e Aprovação de Projetos Habitacionais do Estado de São Paulo). “Estamos recebendo de Geninho um dos documentos mais importantes do processo todo. Com este ato de aprovação agora é encaminhar ao Registro de Imóveis, onde em um prazo de no máximo 40 dias teremos o registro que é o último documento, ou seja, a certidão de nascimento do empreendimento imobiliário”, explica Newton.

O loteamento, que terá 276 lotes, está orçado em aproximadamente R$ 15 milhões, excluindo o valor da propriedade, que é de Celso Maziteli Junior e atua como parceiro no empreendimento com o Grupo Ferrasa.

O “Di Vitória Condominium” compreenderá áreas residencial e comercial. O sócio proprietário do Grupo Ferrasa salienta que “será um loteamento planejado no qual uma parte se destinará a residências em forma de condomínio fechado e outra parte de uso misto, podendo haver construções residenciais, mas o importante são as comerciais que alavancarão ainda mais o desenvolvimento daquela região”.

O Grupo planeja iniciar as vendas após a emissão do registro e ressalta que o empreendimento vai atender a população de Olímpia e de outras regiões.

Bulle Arruda: "Pontos do loteamento apresentados pelo prefeito Nil são extremamente sem fundamentos"

“É risível a alegação de que um moderno loteamento, bem estruturado, com elevadíssimo investimento, poderia causar riscos para os usuários, para a cidade, como alegou o prefeito”.

O prefeito de Severínia, Edwanil de Oliveira, popular ‘Nil’, afirmou que o “Loteamento Bulle Arruda está barrado por colocar a população em risco, afirma prefeito Nil”, segundo manchete do Jornal Comarca, daquela cidade. Daí, o representante da empresa Bulle Arruda,Carlos Vollet Monteiro da Silva, a pedido do Diário de Olímpia, esclarece pontos daquela entrevista. Segundo Carlos, “são pontos extremamente sem fundamentos”.

carlos

“Temos de ressaltar a verdade sobre algumas questões apontadas”, disse Carlos Vollet, assinalando que “a primeira delas é que o projeto teria ignorado a rua, e não vicinal, como foi abordado pelo prefeito, tanto assim que criamos outra rua de acesso ao loteamento que não aquela”.

Leia mais

A Bulle Arruda S/A Agropastoril entra no mercado imobiliário, em parceria com uma grande incorporadora, para lançamento de um loteamento distante apenas três quadras do centro de Severínia, como já revelado pelo Diário.

‘O projeto alegado pelo prefeito não corresponde ao real, e sim este, divulgado pelo Diário de Olímpia e já de conhecimento da Prefeitura de Severínia, onde inclusive consta a outra rua e o cinturão verde. Em hipótese alguma o projeto vai deixar a vicinal no meio da cidade, porque mais uma vez ressalto que não se trata de vicinal, mas sim de rua, a qual somente caberia a prefeitura mudar, ninguém pode fazer isso e sim somente o poder executivo”, ressalta Carlos Vollet.

Naquela matéria do jornal de Severínia, o prefeito Nil disse que a Bulle Arruda Agropastoril tem de sentar com a Usina Guarani para resolver ‘algumas questões’. Carlos Vollet confirma que ‘já nos reunimos com representantes da Guarani, e eles são absolutamente favoráveis ao projeto. Em nenhum momento veem prejuízo ou ‘risco para a população’, como foi colocado pelo prefeito e alguns vereadores, muito pelo contrário, eles já se manifestaram com total apoio ao projeto que, na visão deles, só irá desenvolver ainda mais Severínia”.

Ainda naquela entrevista, consta que seria necessário transformar a vicinal em avenida, mas o representante da empresa responde: “Jamais. E, volto a repetir: não se trata de vicinal, é apenas uma rua”.

A Guarani, em nenhum momento, é contrária ao loteamento. Nem teria cabimento. Já nos deixaram claro que são favoráveis e, muito pelo contrário, irá gerar mais emprego e renda para Severínia”.

A Bulle Arruda, através de seu representante, deixa claro que sempre estará disposta a se reunir com o prefeito Nil, o presidente da Câmara e vereadores, inclusive com demais partes interessadas, para que Severínia, tenha, finalmente, um loteamento de primeiro mundo, diferentemente do que já existe e do que já aprovado em recente passado.

“É o que mais queremos, já que a população precisa de um loteamento realmente completo, legal, inclusive com tratamento de esgoto próprio. A Guarani não é contra e jamais seria, porque o loteamento não afeta o desenvolvimento econômico da cidade, não tira emprego de ninguém, muito pelo contrário, geraremos mais empregos. Fica a pergunta: se o projeto traz tantos benefícios para a cidade, se tem pessoas absolutamente sérias e éticas por trás dele, por que o prefeito Nil não toma a iniciativa de marcar uma reunião, a reunião que tanto deseja? Estamos dispostos a acordar no que for, evidentemente, pertinente e justo”.

Carlos Vollet conclui: “Por fim, verificamos que nenhum dos projetos de lei de expansão que tramitaram pela Câmara de Severínia apresenta qualquer projeto, não estão instruídos com nenhum documento que garanta o atendimento ao interesse público, demonstrando a obediência aos princípios da legalidade e impessoalidade aos quais o município tem de obedecer. Aproveito a oportunidade para solicitar um direito de resposta no mesmo veículo de comunicação que o prefeito utilizou, com a única intenção de informar com a verdade aos cidadãos de Severínia e região, principalmente aos que necessitam de um projeto desse potencial”.

materia

Loteamento Bulle Arruda: o ‘embrotion’ político que não interessa para Severínia

O interesse da população parece não estar acima do interesse dos políticos de plantão. Mas, a população de Severínia está atenta e quer que o loteamento da Bulle Arruda seja, enfim, votado e aprovado. Sem embromações.

O Diário de Olímpia revelou, em primeira mão, no último dia 7, que Severínia poderá ter um mega loteamento urbano, com infra-estrutura inclusive de tratamento de esgoto próprio, e definitivamente em dia, ao contrário de outros da cidade, diminuindo o déficit habitacional e, principalmente, reclamações de loteamentos entregues com vários problemas de infra-estrutura, com questionamentos até legais. Pelo menos, quatro vereadores já se declararam a favor do projeto. Mas, e os demais? E o prefeito?

Leia mais

Trata-se do projeto da Bulle Arruda Agropastoril, um loteamento anunciado como ‘de primeiro mundo e preços acessíveis’ (veja o link acima). Mas, essa realidade está sendo ‘empurrada’ pelo poder público municipal desde a gestão passada e, na atual, o ‘embrotion’ não disfarça que, além de possíveis problemas técnicos ou legais, que poderia ser facilmente vencidos devido ao folgado lastro de credibilidade das empresas e pessoas envolvidas no projeto, interesses pessoais ou politiqueiros podem estar emperrando-o.

aerea_2

Em recente sessão da Câmara Municipal de Severínia (1º), o projeto entrou em pauta para ser votado, mas ‘divergências de opiniões’ entre os 11 vereadores fez com que, mais uma vez, o interesse real da população fosse passado para trás, causando estranheza nos populares que acompanharam a sessão, e outros que ficaram sabendo da morosidade do projeto em sair do papel, nos gabinetes dos vereadores e do prefeito. “Tem algo de muito podre nisso tudo, e não é difícil saber de onde vem o cheiro ruim”, disse um popular.

olga-paro

De fato. A vereadora Olga Silvia Paro (PSB) fez um relato da situação: “Eu tive a oportunidade, e o interesse, de conhecer melhor o projeto. Os proprietários nos procuraram na Câmara, apresentaram a planta baixa, mostrando toda a infra-estrutura e o interesse em construir, na cidade, um loteamento de verdade, para beneficiar a população. Um loteamento que, de fato, cumpra a promessa de levar creche, hospital, supermercado e, principalmente, asfalto e esgoto. E mais: os proprietários se comprometem a construir uma estação própria de tratamento de esgoto, que, aliás, é uma triste deficiência atual para a nossa cidade, por tudo isso, considero ser este um projeto de primeiro mundo para nós, em Severínia”.

EspacoVerde

O Diário pergunta: “A senhora vai votar a favor, então?” Olga, responde: “Por tudo o que vi, ouvi, e sei da família Bulle e dos incorporadores, me sinto na obrigação de votar a favor sim, a favor do povo, daquelas pessoas que trabalham, pessoas honestas que juntam o dinheiro para pagar as suas contas no final do mês e que merecem ter uma casa com dignidade, isso é ter o sonho da casa própria. Jamais eu seria contra isso”.

A vereadora vai além: “Faz mais de 20 anos que Severínia não tem um loteamento digno. Não há casas populares nessa cidade, só existem promessas, entra o prefeito A-B-C e as promessas vão indo e um vai empurrando para a outra gestão. As pessoas que moram no Camacho III e no Jardim Luiza sabem do que eu estou falando, é falta de asfalto, é poeira quando não chove, e quando chove carros e pessoas atolam nas portas de suas casas, tudo muito indigno e difícil. As crianças não conseguem sair de suas casas para a escola; fui diretora de escola por mais de 12 anos e presenciei por inúmeras vezes alunos faltando por causa disso”.

Olga assinala, ainda, que “agora que surge um empreendimento mais verdadeiro, mais digno e mais completo, surgem dificuldades que, à primeira vista, nos causam estranhamento. Não sou contra o atual prefeito e nem vejo interesses pessoais nesse loteamento, mas sempre vou estar ao lado do povo, a favor dele, sem questões escusas. Aqui, todos nos conhecem, sabem do que somos capazes de fazer, ou não, pelo povo”.

A respeito da segurança envolvendo o novo loteamento proposto pela Bulle Arruda, a vereador Olga Paro esclarece: “Ali é uma rua normal, transita alguns poucos carros, por que é habitada só de um lado e do outro lado é o projeto para o futuro empreendimento e os caminhões das usinas. Mas, esse projeto apresentado a nós vereadores para ser votado, mostra uma infraestrutura completa voltada para a segurança dos futuros moradores, conta com áreas verdes em forma de cinturão, e vias planejadas para um trânsito controlado para evitar acidentes, tudo foi pensado para dar maior qualidade de vida a cidade e propiciar o desenvolvimento urbano de Severínia, com toda a infra estrutura necessária”.

praca

MAIS EMPREGOS

Os vereadores Natal Antônio Reginaldo (PSD), Nestor Almeida Sobreiro (PSDB) e José Antônio Alves Pereira (Pelezinho-PSDB), também entrevistados, se declararam a favor e levantaram pontos de grande importância e benefícios para a cidade. Eles enxergam esse novo loteamento como “um grande crescimento para a cidade além de poder gerar inúmeros empregos para os moradores, movimentando o setor econômico”, conforme lembra Natal.

Os proprietários do loteamento garantiram que toda a mão de obra dos trabalhadores que esteja disponível será contratada na própria cidade.

O vereador Natal faz um ‘apelo’ para os vereadores e principalmente ao prefeito: “Espero que os companheiros de Câmara e o próprio prefeito repensem nessa oportunidade de sonho e desenvolvimento da cidade e coloquem rapidamente esse projeto em votação”.

CADÊ O PREFEITO?

Nil

Por duas vezes, a reportagem tentou agendar um horário de entrevista com o prefeito Edwanil de Oliveira (PSDC), mas sem sucesso: ambas foram desmarcadas. A secretária afirmou que Nil, como é conhecido, estaria ausente da cidade nos horários que previamente foram marcados com antecedência pelo mesmo.

CACÁ, PRESIDENTE DA CÂMARA

Por sua vez, o presidente da Câmara Carlos Alberto Secchieri Júnior (PDT), Cacá, declarou no início sessão que “todos os projetos que são mandados para essa Casa são votados. Como presidente, somente os coloco em votação”. Mas, deixou claro que “o  inicio do processo parte de iniciativa do prefeito, determinando a expansão de área urbana para Câmara”.

caca

Cacá, no entanto, repassou os pontos relatados pelo prefeito Nil acerca do projeto da Bulle Arruda: “Para esse loteamento ser aprovado existem algumas modificações e acertos a serem feitos, penso que esse loteamento será muito bom para nossa população, tendo em vista que já tivemos alguns problemas  em gestões passadas como o Camacho III e Jardim Luiza que até hoje causam transtornos, tanto para o prefeito quanto para nós vereadores, e com a população nos cobrando”.

“SENTAR E CONVERSAR”

Questionado se ele, como presidente da Câmara, teve a oportunidade de ver o projeto em mãos, afirmou que sim: “A infraestrutura desse projeto tenho que assumir que é fora de série, credencia para ser um dos melhores de Severínia e até da região. Hoje tive a oportunidade de conversar com o proprietário do empreendimento, Plácido Heitor Castro da Bulle Arruda, e pedi para ele procurar novamente o prefeito, sentar conversar”.

O QUE DIZ A EMPRESA

Carlos Vollet Monteiro da Silva, representante da empresa, garante: “O loteamento terá preços acessíveis para todas as classes, contará com infra estrutura básica de primeiro mundo, asfalto, iluminação, tratamento de esgoto próprio, esperamos poder trazer tudo isso para a população de Severínia, aguardamos ansiosamente uma definição do poder público”.

Severínia poderá ter loteamento de ‘primeiro mundo e preços acessíveis’

Sempre inovando com tecnologia de ponta na agropecuária, a Bulle Arruda S/A Agropastoril entra no mercado imobiliário, apresentando projeto de ponta em parceria com uma importante incorporadora, para lançamento de um loteamento a três quadras do centro de Severínia.

aerea_2

Segundo revela ao Diário o representante da empresa, Carlos Vollet Monteiro da Silva, “o loteamento terá preços acessíveis a todas as classes, contará com infra estrutura básica de primeiro mundo, asfalto, iluminação, tratamento de esgoto próprio”.

rua

Áreas verdes em forma de cinturão, e vias pensadas para um trânsito controlado para evitar acidentes. “Tudo foi pensado para dar maior qualidade de vida a cidade e propiciar o desenvolvimento urbano de Severínia, com toda a infra estrutura necessária”, garante Carlos Monteiro.

EspacoVerde

Segundo verificou o Diário de Olímpia, o projeto de ampliação do perímetro urbano que possibilitará o loteamento tramita na Câmara Municipal e conta com o apoio de parte da bancada.

praca

O representante da empresa disse ainda, “que toda a mão de obra  utilizada será de Severínia mesmo, gerando empregos e divisas pra cidade”.

Loteamento Viva Olímpia foi sucesso de vendas e plantão para contratos continua

Foi um sucesso de vendas o lançamento do Viva Olímpia Residencial, um novo loteamento que atraiu o interesse de mais de duas mil pessoas, sábado e domingo passado (7 e 8), no próprio local. Fotos Marcos Madi

DSC_4512

Um loteamento com realização da Setpar Incorporações, Emais Urbanismo e vendas pela Imobiliária Evendas. O Atendimento foi realizado no sábado das 07h15 às 21h30, e no domingo das 8h às 20h.

DSC_4193

O evento foi marcado pela presença de mais de 2 mil pessoas só no sábado, com pipoca para a criançada, Buffet para os clientes durante o atendimento, além da presença do trio elétrico.

DSC_4292

O Plantão de Vendas continuará aberto durante este mês de dezembro, todos os dias, das 8h às 18h30, para assinaturas de contrato, dúvidas dos clientes e atendimento aos que comparecerem ao local.

Para contato: 0800 942 9090

www.vivaolimpia.com.br

Siga o Diário de Olímpia no Twitter, Facebook e Flickr

Secretário de Habitação de Rio Peto traz exemplo de como regularizar loteamentos de Olímpia

O prefeito Geninho Zuliani (DEM) recebeu o secretário de Habitação de São José do Rio Preto, Renato Góes, para discutir a Regularização Fundiária de Rio Preto, ação que tem demonstrado ser um exemplo nacional.

IMG_7445

O objetivo foi conhecer e esclarecer como Rio Preto faz para regularizar um loteamento clandestino. Segundo o secretário, ele irá auxiliar Olímpia nesta empreitada: “Acredito que a cidade, que tem cerca de 14 loteamentos, não enfrente algum problema que eu já não tenha resolvido antes em outra cidade”.

IMG_7465

Do ponto de vista jurídico, o loteamento pode ser considerado irregular se não tiver sido inscrito antes de 1976 ou registrado depois de 1976 no Registro de Imóveis e houver venda a prazo ou com oferta pública; e não tiver sido registrado, para qualquer tipo de venda, a partir da vigência da lei 6.766/79. Até o advento da lei 6.766/79, as prefeituras não dispunham de instrumental que lhes permitissem a regularização de loteamentos irregulares, salvo a movimentação de ação para compelir o loteador a efetuar o registro de acordo com o decreto-lei 58/37 ou executar as obras.

A reunião contou com a presença dos secretários de Planejamento Fernando Velho; de Obras e Engenharia Rene Galette; do advogado André Nakamura e do presidente da empresa pública PRODEM, Amaury Hernandes, além da equipe do secretário de Rio Preto.

Prefeitura oferece mais 104 lotes, desta vez residenciais, no Jardim Centenário

Chegou a vez dos lotes residenciais do Jardim Centenário (antigo aeródromo) serem colocados à venda, através de licitação, pela prefeitura de Olímpia. Em agosto do ano passado, foram apenas 35 lotes comerciais. Agora, são 104 residenciais, todos em áreas nobres do loteamento.

pic21

Na última edição da Imprensa Oficial do Município (IOM), foram publicados dois editais de licitação desses lotes: um com prazo em 12 de maio, de 48 lotes, e outro, com 56 lotes, para o dia 16, ambos com vencimento ao meio-dia. Leia mais…