Daemo Ambiental continua recebendo lixo eletrônico no EcoPonto

A autarquia Daemo Ambiental, de Olímpia, continua recebendo lixo eletrônico somente no EcoPonto – Unidade I, localizado à Rua Elzon Furlan, 151, Distrito Industrial “Álvaro Marreta Cassiano Ayusso”, e que agora é o ponto permanente de descarte da cidade.

No dia 9 passado, encerrou-se a campanha desenvolvida em parceria com a Secretaria de Educação, que consistia em conscientizar crianças da Rede Municipal de Ensino sobre a importância do descarte correto deste material em desuso, que causa danos ao meio ambiente. Durante a campanha, as crianças recolheram uma tonelada deste material.

DSC07449

A campanha desenvolvida pelo período de 14 dias (de 24 de agosto a 9 de setembro) foi uma ação coletiva que envolveu cinco municípios, além de Olímpia.

A assessora de Meio Ambiente do Daemo Ambiental, Ana Lúcia Lopes Volfe, explicou que esse tipo de material inservível deve ser recolhido de maneira correta: “Esse lixo não pode ser misturado com o lixo comum. Esse resíduo deve ser diferenciado, porque muitos deles possuem contaminantes para solo e para o meio ambiente e, por isso, precisa ser descartado de maneira correta”.

Segundo ela, durante a campanha optou-se “por ponto de entrega voluntária, em parceria com a Secretaria da Educação. Colocamos um recipiente para que os munícipes de cada bairro pudessem levar o resíduo eletrônico que tinham em casa, e que não tinha mais utilidade”.

Para a coleta do lixo eletrônico de forma permanente foi formado um consórcio entre os municípios de Olímpia, Cajobi, Monte Azul Paulista, Palmares Paulista, Paraíso e Severínia. O consórcio fará uso dos serviços da LED, empresa especializada na coleta deste tipo de lixo, da cidade de Mococa.

DSC07448

Todo o material eletrônico em desuso que foi recolhido nas escolas, na última sexta-feira, dia 11, foi levado para Monte Azul Paulista, onde ficará depositado junto ao lixo dos demais municípios consorciados, até atingir quatro toneladas, para que a LED possa vir recolhê-lo e destinar corretamente cada componente eletrônico.

Do lixo eletrônico não faz parte a lâmpada fluorescente queimada. Ela precisa ser descontaminada antes de ser depositada e transportada. Esse material não entrou na classificação de lixo eletrônico, mas já existe uma discussão visando solucionar a questão sobre a melhor forma de seu descarte.

Cooperativa de Catadores está sendo formada para atender programa de coleta seletiva

Por meio de uma parceria entre a autarquia Daemo Ambiental e Secretaria de Assistência Social, Desenvolvimento e Direitos Humanos, de Olímpia, está sendo criada uma Cooperativa de Catadores, já que a sua constituição está em fase final.

Na quarta-feira (9), foi realizada reunião no auditório do Daemo com representantes da Assistência Social acerca das ações que ainda precisam ser desenvolvidas para a conclusão do Programa de Coleta Seletiva.

reuniao-coleta-seletiva

Basicamente, as ações são: a constituição da Cooperativa, a construção da Central de Triagem, que está sendo gerenciada pela Secretaria de Obras e Engenharia; contratação de empresa de coleta, que está sob a responsabilidade da Secretaria de Planejamento e Habitação; conscientização da população por meio da educação ambiental; determinação de roteiros de coleta e operacionalização da Central de Triagem pelos cooperados.

Desde abril do ano passado, o Programa de Coleta Seletiva vem sendo desenvolvido por meio de várias reuniões com os catadores, capacitação tanto dos cooperados quanto da equipe técnica gestora do programa, contratação de empresa de consultoria especializada para formalização da cooperativa e envolvimento das escolas municipais por intermédio de concurso para a escolha do mascote, nome e paródia.

reciclagem

A realidade do Programa de Coleta Seletiva é um processo complexo e burocrático e envolve a participação de várias secretarias municipais e, principalmente, depende da adesão da população.

A Prefeitura pretende iniciar as atividades do Programa ainda no ano de 2015 e, assim, atender o  Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos.

Geninho regulamenta gerenciamento de resíduos de construção e demolições

O prefeito Geninho Zuliani (DEM), de Olímpia, regulamentou o Sistema Municipal de Gerenciamento dos Resíduos de Construção, Demolição e Resíduos Volumosos. O Decreto foi publicado na Imprensa Oficial do Município-IOM, recentemente.

O decreto segue, também os termos da Resolução CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente) nº 307, de 5 de julho de 2002.

A regulamentação da Lei trata dos seguintes aspectos relacionados ao Sistema: Programa Municipal de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil relativo à implantação e à operação da rede de Eco Pontos para Pequenos Volumes; da rede de Áreas para Recepção de Grandes Volumes; dos Projetos de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil; do uso de estacionamento de caçambas estacionárias e o transporte de resíduos de construção civil e resíduos volumosos; do uso de agregados reciclados em obras e serviços públicos; do Núcleo de Gestão Integrada e do Parque Ambiental.

gestao-de-residuos-solidos-na-construcao-civil

Já buscando cumprir as determinações da Lei, no dia 17 de agosto passado, com início às 8h30, na autarquia Daemo Ambiental foi realizada uma reunião para informar as empresas responsáveis pelo transporte de resíduos da construção civil (entulhos).

Estiveram presentes na reunião as empresas, MA Caçambas, Biro-Biro Caçambas, JDS Caçambas, Fiorotto Caçambas, Gimiro Caçambas e Teixeira Caçambas. Representando o Daemo esteve o advogado Renato Camargo Rosa, a engenheira Ambiental Pollyana Rodero Fernandes, o gestor do Parque Ambiental Breno Bassi Bitencourt, e representando a autarquia Prodem, o encarregado de Engenharia, Bruno Freu.

Foram tratadas as especificações quanto a coleta, transporte e disposição final dos resíduos da construção civil, como as seguintes:

  • na caçamba de entulho só deverá conter resíduos de construção civil, ou seja, a caçamba deve estar sem resíduos orgânicos, resíduos de poda, recicláveis, entre outros;
  • a caçamba deve estar estacionada de forma adequada, não deverá estar em cima da calçada dificultando a passagem de pedestres ou na rua de forma que dificulte a passagem dos carros, ou até possa causar um acidente;
  • não devem ser colocados resíduos acima da capacidade da caçamba;
  • o prazo máximo de permanência das caçambas nas vias públicas será de 5 dias e no caso da região central da cidade, como a caçamba ocupará o lugar de um carro estacionado, estará a critério da Prodem fazer uma cobrança diferenciada para a permanência da caçamba no local;
  • na hora do transporte a caçamba deve estar coberta, para impedir que tais resíduos sujem as vias públicas ou atinjam pessoas e veículos e se, caso, algum resíduo caia sobre a via o responsável pela limpeza será o transportador;
  • o transportador deverá apresentar 3 vias da CTR (Controle de Transporte de Resíduos) no ato da disposição, uma via ficará no local de descarte, outra com o transportador e outra com o gerador;
  • O CTR será disponibilizado às empresas através do site da Daemo Ambiental;
  • o transportador deverá conscientizar o gerador sobre o correto descarte dos resíduos na caçamba;
  • foi estabelecida uma normatização para as caçambas, que deverão ter 3 m³, serem amarelas, apresentarem pintura zebrada na borda e faixas refletivas na cor vermelha, além do nome da empresa, número de cadastro Prodem e Ambiental.

O Decreto também estabelece o conteúdo mínimo dos projetos de gerenciamento de resíduos da construção civil que os grandes geradores, ou seja, grandes obras da construção civil, devem apresentar a Secretaria Municipal de Obras e Engenharia.

O Decreto Municipal 6.101/15 entrará em vigor após 90 dias de sua publicação, para que as empresas tenham tempo hábil de se regularizarem, além disso a autarquia se comprometeu a realizar mais reuniões com os representantes da empresas para mais esclarecimentos.

A Daemo Ambiental também realizará campanhas de conscientização para que a população colabore fazendo o descarte dos resíduos de forma correta, pois tanto os geradores, como os transportadores e o destino final são corresponsáveis quanto ao manuseio correto dos resíduos da construção civil.

Daemo destina pneus e madeiras do lixo para reaproveitamento

A autarquia Daemo Ambiental, de Olímpia, busca estratégias para atingir as metas do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, se adequando à Política Nacional de Resíduos Sólidos. Por isso, até agora, mais de mil pneus foram coletados e foram encaminhados à uma empresa de reciclagem de Jundiaí (SP), por meio de convênio.

DSC07078

A autarquia mantém, desde abril de 2015, um ponto de entrega voluntária de pneus na Avenida João Rimoli Neto, 634, Jardim Menina Moça II, que atende terças e quintas-feiras, das 8h às 10h30 e das 12h30 às 16h30.

20150812074012(1)

Na última segunda-feira (10), o Daemo Ambiental, que é responsável pela gestão do Parque Ambiental do município, em parceria com uma olaria, destinou aproximadamente 50 metros cúbicos de madeira para o reaproveitamento do seu poder calorífico na confecção de tijolos.

A ação visa diminuir o volume de madeira proveniente da construção civil, evitar riscos de incêndio e destinar adequadamente o resíduo.

Mutirão da Limpeza entra nos últimos dias de coleta

Iniciado no dia 16 de março, o Mutirão da Limpeza segue atingindo as expectativas dos organizadores, com grande adesão dos moradores e faz um recolhimento diário de aproximadamente 16 caminhões de materiais inservíveis.

DSC_0030

O mutirão já atendeu oito regiões, totalizando 57 bairros e continua com quatro caminhões e 15 profissionais atuando na retirada dos lixos.

Durante o feriado da Semana Santa a equipe não irá recolher o material, voltando à ativa no dia 6 de abril, nos bairros da Região Nove.

Confira as datas e regiões que ainda serão atendidas pelo mutirão:

  • Região 9: 6 de abril: Jardim Glória, Jardim Álvaro Brito, Tropical II, Jardim Cote Gil e Alto Cote Gil.
  • Região 10: 8 de Abril: Ribeiro dos Santos.
  • Região 11: 9 de Abril: Baguaçu.

Em caso de dúvida, deve-se em contato com a Secretaria de Saúde no telefone (17) 3279-2344 e falar com José Roberto ou Ednei Queiroz.

 

Casos de Dengue

A Secretaria de Saúde da Estância Turística de Olímpia informa que o número de casos positivos de dengue aumentou de 66 para 105 em relação aos dados divulgados no dia 19 de março. Dentre os casos confirmados, 90 são autóctones e 15 importados. Os casos negativos também se elevaram de 37 para 49. E ainda 81 pessoas aguardam resultados de exames, totalizando 235 notificações.

Maria Carolina Mirandola, Diretora de Divisão em Saúde aponta que quando é notificado um caso suspeito de dengue, os agentes do controle de endemia vão para a região do morador notificado como suspeito e fazem o bloqueio de nove quadras.

“O bloqueio é a eliminação de criadouros e nestes bloqueios eles têm identificados muitos recipientes contendo água, ou seja, muitos criadouros. Com a positividade do caso é feito a nebulização em 25 quadras ao redor daquele”, explica a Diretora.

Mais homens e máquinas no mutirão de limpeza. Confira o calendário de seu bairro

O Mutirão da Limpeza 2015, em Olímpia, encerra a primeira semana com um saldo positivo no cronograma apresentado como metas de coletas, finalizadas as duas primeiras regiões e já iniciando a terceira. E para suprir a alta demanda de lixos nas regiões, a Secretaria de Obras disponibilizou mais caminhão basculante (parte móvel no veículo que se inclina para despejar carga) o que aumentou de 12 para 16 caminhões lixos recolhidos por dia, conforme já noticiado pelo Diário.

DSC_0027

O mutirão agora é composto por quatro caminhões, duas pás carregadeiras e nove coletores, totalizando 15 pessoas. “Iniciamos uma corrida em favor de uma cidade mais limpa e em benefício do bem-estar de toda população com a realização do mutirão da limpeza”, aponta Maria Carolina Mirândola, enfermeira-diretora da Divisão de Vigilância em Saúde.

O chefe do controle de endemias, José Roberto Fígaro, avalia que a campanha está atingindo o objetivo. “A população tem colaborado com o intuito da campanha, que é retirar e eliminar possíveis criadouros de dengue nas casas e ruas do município”. Ele reitera que os lixos encontrados em terrenos baldios desprovidos de cercas também estão sendo retirados pelos funcionários do mutirão.

Esta semana, o jardim Quinta das Aroeiras foi adicionado à região quatro e receberá o mutirão da limpeza no dia 23 de março.

DSC_0030

“Gostaria muito de agradecer o empenho da população que está colaborando muito para o sucesso deste mutirão. O fruto dessa ação, além de mudar o aspecto da cidade, proporcionará mais saúde e melhor qualidade de vida para as pessoas”, acrescenta Maria Carolina.

Confira as datas e regiões que ainda serão atendidas pelo mutirão:

  • Região 3: 20 de março: Harmonia, Morada Verde, Jardim Menina Moça 1 e 2 (lado da rádio), Viva Olímpia e Jardim Leonor.
  • Região 4: 23 de março: Residencial Donabela, COHAB I E II, CDHU II, Jardim Menina Moça I e II, Jardim Leonor, Vila Hípica, Jardim Universitário, Jardim Blanco, Vitório Parolim e Quinta das Aroeiras.
  • Região 5: 25 de março: Centro I e II (região entre as Avenidas Andrade Silva e Mário Vieira Marcondes, e ruas Benjamim Constante Síria);
  • Região 6: 27 de março: Vila Mouco, Vila Raia, Vila Santa Terezinha, Jardim Garcez, CDHU I, São José, Vila Nova, Cohab IV, Jardim Centenário e Jardim Laranjais.
  • Região 7: 30 de março: Jardim Toledo, Vila Rodrigues, Vila Ferreira, Vila Maria, Vila Santa Júlia, Vila Dimarco, Santa Rita, Jardim Silva Melo, Vila Borges, Jardim Nova Eliza, Nova Santa Rita, Parque das Américas, Jardim Genoveva, Vila Gameiro, Vila Rizzati, Vila Gonçalves, Jardim Tropical I e Jardim Santa Eliza.
  • Região 8: 1º de abril: Residencial Termas Park, Residencial Jardim Tênis Clube e Residencial Veridiana.
  • Região 9: 06 de abril: Jardim Glória, Jardim Álvaro Brito, Tropical II, Jardim Cote Gil e Alto Cote Gil.
  • Região 10: 08 de Abril: Ribeiro dos Santos.
  • Região 11: 09 de Abril: Baguaçu.

Em caso de dúvidas entrar em contato com a Secretaria de Saúde no telefone 3279-2344, com José Roberto ou Ednei Queiroz.

DENGUE

A Secretaria de Saúde de Olímpia atualizou os dados com os números de casos de dengue e em comparação do dia 19, com o dia 17 de março, a cidade registrou um aumento de 58 para 66 casos positivos. Dentre os casos positivos, 55 são autóctones e 11 são importados. O número de casos negativos também aumentou, de 23 para 37. E ainda 75 pessoas aguardam resultados, totalizando 178 notificações.

A COHAB I é o bairro com a maior concentração de casos positivos, com 11 pessoas infectadas, seguida da região Centro I, que já totaliza nove casos positivos.

Para conter a proliferação do mosquito, José Roberto Fígaro informa que o Controle de Endemias efetua nebulização das casas em bairros com casos confirmados.

As recentes chuvas da semana obriga a população a aumentar a atenção com os recipientes possíveis criadouros para evitar o a proliferação do Aedes aegypti.

Mutirão da Limpeza recolhe uma média de 12 caminhões de lixo por dia

A primeira região do Mutirão da Limpeza 2015 organizado pela Prefeitura da Estância Turística de Olímpia, por meio das Secretarias de Saúde, Obras e Engenharia e Educação terminou nesta terça-feira (17) com uma média de 12 caminhões de lixos retirados por dia.

mutirão-da-dengue

Conforme aponta José Roberto Fígaro, chefe do controle de endemias, a população aderiu à campanha, e depositou o lixo e possíveis criadores para serem recolhidos. “Todo o material que for colocado na rua será coletado pela equipe. Nessa primeira região coletamos até veículos abandonados”, ressalta José Roberto.

mutirão-da-dengue-2

A equipe e os caminhões estiveram nos bairros CECAP, Jardim Luiza, Parque Industrial, Jardim Alvorada, Campo Belo, Santa Fé, Jardim Paulista, Jardim Cizoto e Jardim São Domingos.

 

Casos de dengue

Em Olímpia, segundo dados da Secretaria de Saúde, o número de casos positivos de dengue aumentou, passando de 48 casos registrados no dia 13 de março, para 58 no dia 17. Agora a cidade apresenta 41 casos autóctones e 17 importados; 23 casos negativos e 81 pessoas aguardam resultado. No total, a cidade registra 162 notificações.

nebulização

Para combater a dengue e evitar a proliferação do mosquito, além do Mutirão da Limpeza, a Vigilância Epidemiológica realiza a nebulização nas ruas, terrenos baldios e casas dos bairros que apresentam casos de dengue confirmados.

A secretária de Saúde, Silva Forti Storti, aponta que “mesmo realizando diversas campanhas é necessário que a população se conscientize, não deixe recipientes que possam acumular água nos quintais e nem jogue lixo em terrenos baldios”. A cidade está em uma região com municípios que apresentam elevados índices de pessoas contaminadas e medidas de segurança são necessárias.

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos tem apoio da Guarani

A Guarani vai apoiar o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos que será implantado na Estância Turística de Olímpia. O projeto foi apresentado no dia 27 de fevereiro, na Câmara de Olímpia, pela Secretaria de Planejamento, Habitação e Gestão Ambiental e Daemo Ambiental durante Audiência Pública.

lixo

De acordo com Roberto Perosa, gerente de Relações Institucionais da Guarani, a iniciativa será firmada por meio de convênio entre a companhia e a UFSCAR para o desenvolvimento do Projeto. “A parceria é focada na sustentabilidade e isso significa pensar no futuro”, salienta.

O Plano aborda o diagnóstico da gestão de resíduos e define as estratégias para que o município faça uma melhor gestão de seus resíduos domiciliares, da construção civil, de serviços da saúde, de limpeza urbana, de serviços públicos e saneamento básico, de serviços de transporte, de significativo impacto ambiental, industriais, agrossilvipastoris de mineração e cemiteriais.

O Prefeito da Estância Turística de Olímpia, Eugenio José Zuliani, ressalta que a base deste projeto é a sustentabilidade e que a cidade será elevada a outro patamar se tratando de resíduos. “Além da nossa população, recebemos um grande fluxo de turistas, por isso ter uma gestão eficaz de resíduos, para destinação correta e reaproveitamento de materiais, é fundamental para evitar prejuízos ao meio ambiente”, acrescenta.

Entre outras iniciativas, o projeto apoiado pela Guarani, contempla a criação de um Parque Ambiental e de um programa municipal de coleta seletiva, incluindo áreas públicas; implantação de pontos para entrega voluntária de resíduos; desenvolvimento de programas de educação ambiental para conscientização sobre a redução e reaproveitamento de resíduos; criação de cooperativa de catadores de material reciclável e implantação de diretrizes para fiscalização, garantindo a eficiência da coleta seletiva.

Segundo José da Costa Marques Neto, Prof. Dr. do Departamento de Engenharia Civil da UFSCAR e coordenador do projeto, o Plano engloba diferentes ações que vão ser implementadas ao longo de 20 anos, cujo objetivo é reduzir o índice de geração de resíduos e tratar os materiais de forma adequada.

Pesquisa realizada durante o desenvolvimento do projeto aponta que, entre outubro de 2013 e março de 2014, Olímpia coletou 8.847,78 toneladas de resíduos domiciliares, o que representa uma média diária de aproximadamente 49,15 toneladas/dia.

“Estamos propondo um sistema pioneiro, que é a concepção de armazenagem de coleta e transporte de resíduos domiciliares. Nosso objetivo é implantar um modelo, que já é realidade em Portugal e que comportará uma área para tratar resíduos. Este local será chamado de Parque Ambiental, onde os diferentes resíduos gerados na cidade serão tratados, tanto para comercialização quanto reutilização pelo próprio poder público, como o caso dos detritos da construção civil, gerando maior economia e, assim, livrando a natureza essa carga de degradação que hoje existe”, acrescenta José Neto.

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos tramitará na Câmara

Foi aprovado em Audiência Pública realizada na Câmara Municipal da Estância Turística de Olímpia, no último dia 27, o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos.

DSCN2880

Este visa atender as exigências do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, presente na Lei 12.305 de 2010 e “tem o papel de nortear o planejamento municipal quanto à coleta, tratamento e disposição final, por meio do diagnóstico, estabelecimento de metas e de estratégias viáveis para o cumprimento das metas estabelecidas para o melhoramento da gestão dos resíduos sólidos no município”, aponta Pollyana Rodero Fernandes, diretora da Divisão de Políticas Ambientais.

Estiveram presentes na audiência os secretários Fernando Velho (Planejamento), Luis Carlos Biagi (Obras e Engenharia) e Antônio Jorge Motta (Daemo) e os vereadores Luiz Antônio Moreira Salata, presidente e Cristina Reale.

Com a aprovação, um Projeto de Lei baseado no Plano Municipal será apresentado à Câmara, e “assim que for aprovado necessitará de um decreto regulamentador”, ressalta a diretora. Paralelamente a elaboração desta Lei, a cidade já desenvolve algumas atividades relacionadas ao Plano, como a desativação do lixão, depositando seus resíduos no Aterro Sanitário da Constroeste em Onda Verde.

DSCN2934

A implantação de um Parque Ambiental que objetiva reduzir ao máximo os rejeitos e retirar do ambiente urbano tudo o que é nocivo a ele. O município também já organizou a construção de uma Cooperativa de Trabalho de Catadores para triagem e comercialização de resíduos recicláveis. Em 2014, a Prefeitura, em parceria com a Daemo Ambiental lançou uma cartilha sobre resíduos sólidos que é trabalhada nas escolas e visa conscientizar os alunos.

Pollyana ressalta que “a lei irá amparar o município na fiscalização, sobretudo dos grandes geradores (empresas, indústrias, setor hoteleiro) e também influenciará na educação e conscientização ambiental”.

Audiência Pública sobre Resíduos Sólidos na Câmara Municipal, dia 27

Na última sexta-feira do mês (27), a Secretaria de Planejamento, Habitação e Gestão Ambiental, e a autarquia Daemo Ambiental, de Olímpia, realizarão na Câmara Municipal uma audiência pública para apresentação e apreciação do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, que chega em sua fase conclusiva.

residuos

Na ocasião, serão abordadas questões sobre os resíduos de Construção Civil, Serviços de Saúde, Saneamento, Mineração, Transportes, Cemiteriais e de Limpeza Urbana (poda e capina).

A audiência atende às disposições constantes na Lei 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. O evento será realizado no Plenário da Câmara Municipal da Estância Turística de Olímpia, a partir das 19 horas, e é aberto ao público interessado, cuja presença é considerada indispensável pelos organizadores.

SERVIÇO

Audiência Pública sobre Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos

Câmara Municipal de Olímpia, Praça João Fossalussa, 867, Centro

Mais informações: (17) 3279-2250 – Ramal 210

Cooperativa de Trabalho de Materiais Recicláveis em processo de formalização

Foi realizada reunião no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social, do bairro Santa Ifigênia, envolvendo a Equipe da Divisão de Meio Ambiente da DAEMO Ambiental, da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, os futuros cooperados e a Instituição Ecocultural. A Instituição Ecocultural ganhou o processo licitatório para desenvolver e executar a formalização da Cooperativa.

Nessa reunião foi feita a leitura e aprovação do Estatuto da Cooperativa, onde os futuros cooperados puderam tirar suas dúvidas e dar opiniões.

IMG_35687536512464

Representando a Ecocultural estavam presentes Jair do Amaral e Jetro Menezes, os quais trocaram várias experiências com os futuros cooperados, apresentando como será o trabalho e o dinamismo envolvido no Centro de Triagem.

A Cooperativa de Trabalho de Materiais Recicláveis – Amigos da Natureza será responsável pela triagem e venda de Materiais Recicláveis produzidos nas residências, pousadas, comércio em geral da Estância Turística de Olímpia, podendo ainda receber alguns resíduos de outros municípios.

A Cooperativa contará com a participação de toda a população e geradores para que esses materiais recicláveis previamente separados sejam destinados à mesma.

Essa atitude indica que as empresas desenvolvem ações socioambientais agregando valor e qualidade ao produto final, ajudando na questão social e também na preservação ambiental.

Para a população essa atitude de cidadania proporciona uma melhor qualidade de vida, além da preservação do ambiente para as futuras gerações.

Iguegami e Poty realizam ação ecológica em prol do Abrigo São José e AVCC de Severínia

foi realizado na manhã desta quarta-feira (10) um evento de entrega de Coletores de PET e Lata nos Supermercados Iquegami de Olímpia e Severínia.

DSCN7288

DSCN7258

Toda a renda da venda dos recicláveis será revertida para as instituições “Abrigo de Idosos São José” de Olímpia e AVCC (Associação de Voluntário de Combate ao Câncer) de Severínia.

DSCN7287

DSCN7241

O Supermercado Iquegami e a Bebidas Poty juntaram-se no Projeto “Sustentabilidade gerando Solidariedade”.

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos é apresentado em audiência

A Audiência Pública sobre a primeira etapa do PMGIRS – Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – Resíduos Sólidos Domiciliares, que ocorreu no dia 25 de setembro, às 19h, na Câmara Municipal de Olímpia, contou com a presença de representantes da sociedade civil, vereadores, secretários, além do Superintendente Antônio Jorge Motta e funcionários do DAEMO Ambiental. A Audiência Pública teve o objetivo de fomentar a discussão e aceitar sugestões de toda a população, pois o que o Plano propõe faz parte do dia-a-dia, por isso a presença dos olimpienses é indispensável.

Nessa primeira etapa, o professor-doutor José da Costa Neto, Coordenador do corpo técnico da UFSCAR (Universidade Federal de São Carlos), que está elaborando o PMGIRS, apresentou o diagnóstico e o prognóstico sobre os Resíduos Sólidos Domiciliares, que são os resíduos que produzimos em nossas casas. Foram apresentados dados quantitativos da caracterização realizada na Estância Turística de Olímpia, como pode ser observado no quadro a seguir:

DSC_3872

A partir desses dados foi gerado o seguinte gráfico (clique para ampliar):

1-(6)

A partir desse estudo, concluiu-se que Olímpia tem um grande potencial para a compostagem e reciclagem, devido a grande geração de matéria orgânica e materiais recicláveis.

3-(7)

Assim, foram definidos alguns prognósticos quanto ao acondicionamento, coleta, tratamento e destinação final dos resíduos domiciliares. A equipe técnica da UFSCAR sugeriu que o acondicionamento dos resíduos domiciliares fosse feito de forma diferenciada, utilizando sacos azuis para recicláveis, verdes para os resíduos orgânicos e preto para os rejeitos. A coleta para esses resíduos também será diferenciada utilizando o que os técnicos chamam de “ilhas”, com contêineres diferenciados para cada tipo de resíduos, como na imagem abaixo:

2-(8)

O tratamento desses resíduos será realizado no Parque Ambiental, através da compostagem para resíduos orgânicos, e a triagem e comercialização de resíduos recicláveis será realizada pela Cooperativa de Trabalho, que está sendo formada no município.

Assim, todo o planejamento, desde o acondicionamento, coleta e tratamento, possibilitará que de um total de 100% de todo o resíduo gerado nas casas, apenas 16%, que são os rejeitos, irão para o Aterro Sanitário.

4-(2)

O PMGIRS ainda não está finalizado e em breve será convocada mais uma Audiência Pública.

Ainda há ‘olimpienses sujismundos’ que emporcalham a cidade. COMDEMA orienta

Atualmente ao andarmos pelas cidades vemos que o lixo é um problema geral, e que, em grande parte, não existe um culpado além de todos nós. Ele se acumula em sarjetas e praças pelo descarte inconsciente da população, em terrenos baldios e mal dispostos para o recolhimento pela coleta de lixo em diversos pontos da cidade.

DSC_0140

“As pessoas precisam se conscientizar que o descarte correto traz facilidades não apenas para os órgãos responsáveis pela coleta, mas também benefícios para o município como um todo, evitando acumulo nos bueiros e à margem do rio o que causa transtornos em época de muita chuva, além de afetar a beleza de nossa cidade turística em pontos de grande fluxo de pessoas”, disse Cássio Roberto Vieira dos Santos, presidente do COMDEMA – Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente.

Ele destacou os lixos disponibilizados ao longo da Avenida Aurora Forti Neves por restaurantes, bares e lanchonetes, que se acumulam em grande quantidade e acabam deixando mau cheiro, além de poluir visualmente uma das principais vias de Olímpia, não estão enquadrados nos parâmetros da Lei nº 3707 de 26 de junho de 2013 que regulamenta estes descartes.

DSC_0138

“É necessário que os empreendimentos irregulares busquem uma adequação e instalação de modelos corretos de lixeiras conforme discorre a lei municipal no artigo 1º: “Ficam terminantemente proibidos o armazenamento de lixo em calçadas, ruas e espaços públicos ou privados, devendo o comerciante na impossibilidade de instalação de lixeiras defronte ao seu estabelecimento colocar seu lixo em tambores ou latões que deverão ser retirados imediatamente após coleta”.

Outro ponto citado é o lixo pessoal, aquele que o individuo consome algo e descarta embalagem nas vias públicas. “Devemos dar o primeiro passo para reduzir a poluição ambiental e, para isso, as pessoas devem ser conscientizadas de que poluindo as ruas estão poluindo seus lares e prejudicando a própria saúde”, finalizou Cássio.

Olímpia busca a reciclagem do lixo e quer a conscientização dos cidadãos

No ano passado, o Brasil aprovou, após duas décadas de discussões, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Essa política procura organizar a forma como o país trata o lixo, incentivando a reciclagem e a sustentabilidade. Com a aprovação da política, foi elaborado o Plano Nacional de Resíduos Sólidos, cujo texto passou por um processo de consulta pública. E Olímpia já trabalha para cumprir essa política e, para tanto, elabora o seu Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, em convênio com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Usina Guarani.

lixo-1

São três os principais pontos da política:

– fechamento de lixões até 2014: até 2014 não devem mais existir lixões a céu aberto no Brasil. No lugar deles, devem ser criados aterros controlados ou aterros sanitários. Os aterros têm preparo no solo para evitar a contaminação de lençol freático, captam o chorume que resulta da degradação do lixo e contam com a queima do metano para gerar energia;

– só rejeitos poderão ser encaminhados aos aterros sanitários: Os rejeitos são parte do lixo que não tem como ser reciclado. Apenas 10% dos resíduos sólidos são rejeitos. A maioria é orgânica e pode ser reaproveitada através da compostagem e transformada em adubo. A parte reciclável deve ser devidamente separada para a coleta seletiva;

– elaboração de planos de resíduos sólidos nos municípios: os planos municipais serão elaborados para ajudar prefeitos e cidadãos a descartar de forma correta o lixo.

lixo-0

Os aspectos principais a serem abordados no Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, de Olímpia, incluem o diagnóstico da situação dos resíduos sólidos gerados no respectivo território, com sua caracterização e dos agentes envolvidos, desenvolvido em um processo participativo, e está em fase de caracterização de resíduos sólidos domiciliares. Para que esse trabalho fosse executado a Prefeitura contou com a participação efetiva das Secretarias Municipais de Obras e Engenharia, Cultura (Esportes, Turismo e Lazer), Planejamento, Habitação e Gestão Ambiental, e do DAEMO Ambiental.

lixo-2

A caracterização dos resíduos domiciliares é baseada na Norma Brasileira ABNT NBR 10007 – Amostragem de Resíduos Sólidos e tem o respaldo da CETESB (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) que foi comunicada dos dias, horários e local onde está sendo realizado o trabalho.

lixo-3

A atividade de caracterização é importante para quantificar os resíduos recicláveis, como, papel, papelão, vidro, plástico duro, plástico fino, caixinha tetra park, alumínio, metal, resíduos orgânicos e rejeitos. Ela será realizada por setores de coleta da cidade, para que possa ser delimitado qual produz mais recicláveis, rejeitos e matéria orgânica. A partir dessa caracterização serão indicados os melhores instrumentos para a Gestão Municipal gerenciar esses resíduos.

O Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos também será importante para o município buscar recursos nas esferas estadual e federal quanto à estruturação do gerenciamento dos resíduos municipais.

lixo-4

Quando os técnicos terminarem essa primeira fase de caracterização será realizada uma Audiência Pública onde serão convidados sociedade civil, autoridades e equipe técnica envolvida para demonstração ao público dos resultados apurados através do levantamento quantitativo dos resíduos domésticos.

O procedimento de caracterização foi realizado no dia 11 de junho de 2014 e será realizado mais algumas vezes para que os resultados sejam o mais próximos da realidade municipal.

lixo-5

A população de Olímpia deve começar a se acostumar a tratar seu lixo com mais atenção e esta é a oportunidade que o poder público está proporcionando aos cidadãos olimpienses. Oportunidade essa, da percepção de que o lixo passou a ser resíduo, e o resíduo, muitas vezes, pode ser a matéria-prima para outros produtos, ou então ser reutilizado e até ser reaproveitado energeticamente.

Olímpia está (quase) pronta para a lei de Resíduos Sólidos, a partir de agosto próximo

​A partir de agosto de 2014 os municípios brasileiros deverão estar adequados a Lei nº 12.305 de 02 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. De acordo com a lei, a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos deverá ser implantada em até quatro anos após a data de publicação desta Lei, que se encerra em agosto deste ano.

A partir de agosto deste ano, os municípios brasileiros deverão estar adequados à Lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. De acordo com ela, a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos deverá ser implantada em até quatro anos após a data de publicação desta Lei, que se encerra em agosto deste ano.

De acordo com Pollyana Rodero Fernandes, Diretora da Divisão de Políticas Ambientais da Secretaria de Planejamento, Habitação e Gestão Ambiental, o município de Olímpia já se enquadrou em alguns quesitos desta nova legislação.

148961622

“Olímpia já dispõe de forma adequada seus resíduos sólidos, que é depositado no aterro de Onda Verde, que é um aterro sanitário ambientalmente adequado para receber esses resíduos. A lei não especifica que precisa ser no município esse depósito, ela apenas exige que exista uma disposição adequada, porque muitos municípios ainda têm lixões, então ela exige que tenham aterro sanitário para receber esses resíduos, mas Olímpia já dispõe de forma adequada”, esclarece a diretora.

Para Olímpia, já existe o projeto para um aterro sanitário. “Já está em fase de Licenciamento de Instalação o aterro de Olímpia. Ainda estamos contratando uma empresa de consultoria para cumprir as exigências da Cetesb para essa licença de instalação. Já existe a área, o município já detém posse dessa área com matrícula e a gente já tem a Licença Prévia, já passou pela Cetesb, já foi aprovada essa primeira fase e ela fez uma série de exigências para a Licença de Instalação e a gente está buscando se adequar quanto a essas exigências. Esse ano acredito que a gente conclua essa parte de licença

​De acordo com Pollyana Rodero Fernandes, Diretora da Divisão de Políticas Ambientais da Secretaria de Planejamento, Habitação e Gestão Ambiental, o município de Olímpia já está adequado em alguns quesitos. “Olímpia já dispõe de forma adequada seus resíduos sólidos, que são depositados no Aterro de Onda Verde, que é um Aterro Sanitário ambientalmente adequado para receber esses resíduos. A lei não especifica que precisa ser no município esse depósito, ela apenas exige que exista uma disposição adequada, porque muitos municípios ainda têm lixões, então a lei exige que exista um aterro sanitário para receber esses resíduos, mas Olímpia já dispõe de forma adequada”.

​Olímpia já possui um projeto para Aterro Sanitário. “Já está em fase de Licenciamento de Instalação o aterro de Olímpia. Ainda estamos contratando uma empresa de consultoria para cumprir as exigências da CETESB para essa Licença de Instalação. Já existe a área, o município já detém posse dessa área e já temos a Licença Prévia, ou seja, já passou pela CETESB, já foi aprovada essa primeira fase e o órgão ambiental fez uma série de exigências para a Licença de Instalação e estamos buscando nos adequar quanto a essas exigências. Acredito que esse ano possamos concluir essa fase de Licença de Instalação e depois tem a fase de licitação, para contratação da empresa para construir o Aterro Sanitário, esta fase já um processo mais demorado, mas acredito que esse ano saia a licença de instalação para depois seguirmos os próximos passos”, afirmou Pollyana.

​O município também se prepara para a adequação de outros instrumentos. “A Política Nacional de Resíduos Sólidos nos apresenta vários instrumentos para o município gerenciar seus resíduos de forma mais adequada e o município de Olímpia está se adequando quanto a isso. Então temos em fase de estudo o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, que é um convênio entre a Usina Guarani e a Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR, que está sendo gerenciado pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Planejamento, o Daemo Ambiental e outras secretarias. Nós estamos na fase de caracterização dos resíduos domiciliares e até o final do ano teremos o plano concluído para que Olímpia possa gerenciar seus resíduos de forma mais adequada. Outro ponto é a cooperativa de catadores, que a Prefeitura também está fomentando, através de uma parceria com o Fundo Social, que está fazendo toda parte da captação de pessoas. E a parte da educação ambiental, que é um outro instrumento da política, nós vamos lançar a Cartilha de Resíduos Sólidos na primeira semana de junho, que é a semana de meio ambiente, e essa cartilha vai ser trabalhada nas escolas”, disse a diretora.

Olímpia, segundo Pollyana, já está se adequando há algum tempo. “O município está buscando se adequar já faz algum tempo, porque nosso município não tem mais lixão, procuramos nos adequar com relação à disposição desses resíduos, e a educação ambiental já vem sendo trabalhada nas escolas, mas agora vai ser mais focada na parte de resíduos. E já houve algumas tentativas de formar uma cooperativa de catadores, então agora, com a participação do Fundo Social nesse projeto, acreditamos que essa questão será melhor trabalhada.”

Árvores

Pollyana também falou sobre a questão das árvores no município. “Estamos fazendo o inventário arbóreo do município. Nós já temos dois setores concluídos e agora estamos partindo para outros dois setores. A partir desse inventário vamos concluir qual setor precisa de mais arborização e então vamos elaborar o Plano de Arborização Municipal, colocando algumas exigências, determinando qual setor precisa de mais arborização, e então vamos começar essa campanha mais intensa para a arborização do município. Até o final do ano conseguimos concluir o inventário e a partir daí começamos a elaborar o plano”.

Já sobre o corte das árvores, Pollyana explicou que na DAEMO Ambiental a demanda que aparece é para pessoas que querem suprimir alguma árvore. “Nós vamos até o local, fazemos a vistoria e vemos se realmente é necessário suprimir aquela árvore e a partir disso nós damos a autorização ou não para o corte. Agora quanto à Prefeitura, a supressão de árvores às vezes é relativa a alguma obra e para aquela árvore ser retirada é necessário uma autorização da CETESB e, se aprovada, a Prefeitura tem que plantar algumas árvores como forma de mitigar o impacto causado pelo corte, assim a Prefeitura assina um TCRA, que é um Termo de Compromisso de Recuperação Ambiental”, concluiu Pollyana.