Briga generalizada em forró termina com um morto e dois feridos na madrugada

Um jovem de 29 anos morreu com golpes de faca por volta das 3 horas deste domingo (7) em briga generalizada em um forró que estava ocorrendo na rua Washington Luís, 422, centro de Olímpia. Até o momento, não se tem conhecimento do motivo da briga, que envolveu mais duas vítimas, ambas com ferimentos que foram tratados na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), e também não se sabe quem foi o agressor que portava uma faca.

vitima-fatal

O jovem que faleceu é Thiago Benevides de Souza F. Ricardo, morador no bairro São José. As outras duas vítimas são Ivanildo da Silva Barbosa, 42 anos, e Diego Barbosa de Lucena, 20 anos, ambos residentes no Jardim Boa Esperança.

local

A Polícia Militar foi acionada às 3h24 via 190 e a guarnição como 1º sargento Daniel e soldado Rubens foi até ao local, onde acabara de ocorrer uma briga generalizada, tendo Thiago recebido perfurações de faca, imediatamente socorrido à UPA pelo Resgate dos Bombeiros, porém chegou sem vida.

Ainda pelo local, populares indicaram aos policiais militares as outras duas vítimas, sendo acionado o SAMU para a condução dessas até à UPA. Todos foram medicados, permanecendo para procedimento cirúrgico.

As vítimas não souberam informar o motivo da briga e nem o agressor.

Churrasqueiro de Baguaçu briga por ciúmes e é morto com golpe de faca

Um vendedor de churrasquinho foi vítima de um golpe de faca, certeiro em seu coração, após ter tomado satisfações com um homem, por ciúmes, que estaria conversando com a sua mulher, que o acompanhava no trabalho, à rua Raul Garcia da Silva, defronte o 290, em Baguaçu.

homicidio

Segundo o boletim de ocorrência, atendido por cabo Nairton e soldado Henrique, Elias Alexandre Ribeiro, 33, que possui parentes em Baguaçu, feriu com golpe de faca, de dentro de seu veículo, um Ford Fiesta, cor preta, placas de São Paulo (SP), no peito de Walmir Porfírio da Silva, 38 anos, às 14h40.

A versão corrente é que Elias tinha ido conversar com a mulher e o churrasqueiro, enciumado, foi tomar satisfações. Ambos brigaram. Elias foi embora e retornou, de carro, chamando o vendedor para perto de si, foi quando desferiu o golpe mortal.

Socorrido por familiares à UPA (Unidade de Pronto Atendimento), não resistiu, falecendo. O corpo, até o momento (19h30) ainda estava no IML (Instituto Médico Legal) de Barretos.

barbatira

O agressor fugiu e não foi encontrado, mesmo com cerco da Polícia Rodoviária.

Açougueiro que matou a mulher com facadas é condenado a 14 anos de prisão

O açougueiro Genilson Fernandes Souza, 36, vulgo ‘Terrinha’, foi julgado ontem no Tribunal do Júri, do Fórum da Comarca de Olímpia, e condenado a 14 anos de reclusão.

assassinoevitima

Por quatro a três, o corpo de sentença decidiu pela condenação, derrubando apenas a qualificadora de motivo fútil, mas mantendo a qualificadora de que a vítima não teve como se defender.

O crime aconteceu no dia 26 de março do ano passado.  A vítima é Leonice Fernandes, 34 anos, mulher do autor. Em discussão do casal, a mulher recebeu vários golpes de facas. O crime foi testemunhado pelo filho adolescente, M.F.S., então com 15 anos. Ele chegou a impedir que o pai continuasse com as agressões, por cima da mãe dele, desferindo facadas sobre a cama do casal.

A mulher foi socorrida pelo Resgate dos Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos a caminho da Santa Casa local.

Queima de arquivo? Corpo carbonizado é de ‘Bidiu’, 26 anos, morto com dois tiros

Como a Polícia Civil já suspeitava, o homem carbonizado encontrado em um canavial de uma fazenda, em Guaraci, na tarde de ontem, foi mesmo vítima de homicídio. E ele já foi identificado, inclusive pela própria família.

O IML (Instituto Médico Legal) de Barretos identificou no corpo dois tiros – um na cabeça, que atravessou o cérebro, e outro no coração. Provavelmente, o calibre da arma teria sido 38, mas esse detalhe ainda está em estudo pelo Instituto de Criminalística da Polícia Civil.

Conforme foi noticiado pelo Diário, em primeira mão, com o corpo foram encontrados pneus, um par de luvas cirúrgicas e um galão vazio de cinco litros cheirando gasolina, assim como dois metros de corda. Por parte da Polícia Civil, estiveram no local o escrivão Diogo, com o investigador Aldemir, assim como o perito Wilson Donizete e o fotógrafo Paulo Roberto. Da PM, os soldados Valter e Borges.

A Polícia Civil de Guaraci recebeu o comunicado de sumiço de um jovem de 26 anos, casado, coincidindo com a data do encontro do cadáver carbonizado.

A família reconheceu o corpo como sendo de Edivaldo Gomes de Freitas, conhecido como ‘Bidiu’. Familiares notaram que parte da bota que o homem trajava coincidia com a mesma que havia sido comprada, inclusive levaram a caixa para a constatação na Polícia Civil de Guaraci. Também foi reconhecida parte da camiseta, de cor vermelha, e da calça jeans.

O corpo está sendo velado pela família, nesta segunda-feira (1º), mas será, por ora, enterrado como indigente, até que a a morte seja cientificamente comprovada através do recolhimento do DNA da mãe, coincidindo com o do jovem carbonizado, para que seja, finalmente, emitida a certidão de óbito.

Com a identificação de Bidiu, a delegada Débora Cristina trabalha na hipótese de queima de arquivo relacionada ao tráfico de drogas na região.

Homem de 62 anos mata esposa do sobrinho em Severínia. Dívida ou ciúmes?

Um homicídio foi praticado na noite desta quinta-feira (27), em Severínia, por um homem de 62 anos. Ele matou a esposa do sobrinho, uma mulher de 32 anos, na rua Salomão Galib Tanuri, 140, Vila Dr. João. O assassino quase foi linchado por populares. Em seu Facebook, a vítima se dizia ‘com medo’.

autor-homicidio

O caso foi atendido pelos soldados Bitencourt e Amarante, da Polícia Militar daquela cidade, que encontrou o autor do homicídio, João de Souza Leite, 62 anos, caído ao solo com várias escoriações provocadas por populares. Ele é morador na mesma rua, porém no número 71.

vitima

arma-homicidio-lado

A arma utilizada no crime estava ao lado de seu corpo jogado ao chão – uma garrucha, marca Rossi, calibre 32, dois canos, municiado com um cartucho intacto e outro deflagrado. Nesse momento, a vítima, Roseli Aparecida Pires da Silva, já havia sido socorrida ao Pronto-Socorro Municipal, porém não resistiu ao ferimento, debaixo de seu queixo, que chegou a sufocá-la, e faleceu.

arma-do-homicidio-frente

O autor também foi socorrido ao PSM, onde foi medicado e, em seguida, apresentado ao delegado de Polícia Civil Marcelo Pupo de Paula, que elaborou o auto de prisão em flagrante delito, artigo 121 do Código Penal, sendo recolhido à cadeia da cidade.

Segundo o autor, o motivo foi de dívida entre ambos. Mas, o marido, em depoimento, alega que, além da dívida, há a suspeita de ciúmes, já que o seu tio, o assassino de sua mulher, sempre se intrometia na vida do casal. Segundo ele, ontem o tio bateu à sua casa, por volta das 21h, foi atendido por ele, o marido, mas o tio queria conversar com Roseli. Ela saiu e o tiro foi disparado de baixo para cima, me seu queixo, sem dar explicações.

O MEDO DA VÍTIMA

Em seu Facebook, Roseli postou no último dia 21 o seu ‘medo’: “Sabe qual é o meu maior medo? É acabar vivendo uma vida que não é minha. É acabar falando demais por não ter nada a dizer. Meu maior medo é perder a confiança de quem eu amo. Meu maior medo está em minhas atitudes, nas coisas que eu falo e depois acabo me arrependendo. Meu medo é ter que sorrir quando estou me acabando por dentro. Queria dizer: "Não! Eu não tenho nenhum medo." Mas não é tão fácil assim, como num simples passe de mágica. O meu medo só vai evaporar, quando eu ter a certeza de quem eu sou”.

MP denuncia por latrocínio um dos acusados de matar diretor de marketing do PR

O Ministério Público denunciou por latrocínio um dos envolvidos na morte do diretor de marketing de Curitiba (PR) Antônio Sérgio Ribeiro Villa, assassinado no mês de agosto em Olímpia (SP). Além de ser denunciado por latrocínio, o jovem de 20 anos, também irá responder por ocultação de cadáver e estelionato.

vitima

Ele é suspeito de participar do assassinato de um diretor de marketing de 41 anos que estava a trabalho em Olímpia. O laudo da perícia concluiu que a vítima foi morta depois de ser espancada. Além do jovem, outros três menores são suspeitos de participação no crime e estão detidos na Fundação Casa da cidade.

O corpo da vítima foi encontrado pela Polícia Civil, depois de uma denúncia anônima, amarrado em uma pedra dentro do rio Cachoeirinha, nas proximidades da periferia da cidade. A polícia chegou até um menor de idade, que confessou ter matado a vítima com a ajuda de outros dois homens. A vítima apresentava vários ferimentos e segundo uma perícia inicial, o empresário teria sido espancado a pauladas.

Foram encontrados computador e outros objetos pessoais na casa de um dos suspeitos, o que configuraria latrocínio.

Entenda o caso

O empresário estava na cidade com um grupo de 10 pessoas a trabalho. Em depoimento à polícia, o grupo contou que o empresário saiu do local onde estão hospedados por volta das 3h30 do dia 19, teria dito que estava com fome e que iria comprar apenas um lanche, mas não retornou mais.

O carro alugado pela empresa de eventos foi encontrado no bairro Morado Verde com as portas abertas e com a chave no contato. Os PMS encontraram no interior do veículo o documento de Antônio, um sapato e uma jaqueta. O carro também estava com manchas de sangue numa área rural do município. (G1)

Homem que teria matado outro com duas facadas em Guapiaçu se apresenta à polícia

Se apresentou à polícia na tarde desta quarta-feira (12) o homem que teria matado a facadas um homem de 24 anos, dentro do recinto de exposições de Guapiaçu, no início do mês. O rapaz confessou o crime.

recinto

Além dele, outros dois homens também teriam confessado ter participado da briga. Eles são de Nova Granada (SP), mas se apresentaram na delegacia de Cedral (SP) acompanhados por advogados. Eles foram ouvidos e liberados.

O crime aconteceu no início de setembro. O homem morreu depois de levar duas facadas durante o rodeio que aconteceu na cidade. De acordo com testemunhas, o recinto de exposições estava lotado. A entrada não foi cobrada.

O rapaz teria ficado ferido após uma discussão no local. Ele foi atingido por golpes de faca. O homem chegou a ser socorrido, foi levado para o posto de saúde de Guapiaçu e só depois encaminhado para o Hospital de Base em São José do Rio Preto (SP), onde passaria por uma cirurgia. Mas ele não resistiu aos ferimentos.

Diretor assassinado teria convidado os seus algozes para rodada de drogas

A morte do diretor de marketing Antonio Sérgio Ribeiro Villa, de Curitiba (PR), 41, por pauladas, socos e pontapés, e posteriormente amarrado em concreto e atirado ao Rio Cachoeirinha, no último sábado (18), por dois adolescentes e um adulto, não foi apenas um caso de latrocínio e ocultação de cadáver.

assassinato

Segundo diligências das Políciais Civil e Militar, e pelos depoimentos de seus algozes, a vítima saiu, na madrugada, em busca de entretenimento noturno e drogas. “Ele queria a droga para ele, sozinho, e se dizia justiceiro”, disseram os assassinos.

O empresário estava na cidade com um grupo de 10 pessoas a trabalho. Em depoimento à polícia, o grupo contou que o empresário saiu do local onde estão hospedados por volta das 3h30 no sábado (19), teria dito que estava com fome e que iria comprar apenas um lanche, mas não retornou mais.

NÃO ERA LANCHE

No patrulhamento, os policiais militares se encontraram com policiais civis que também estavam em diligências, com vistas a solucionar o sumiço de Antonio Sérgio, que foi divulgado que ele tinha saído na madrugada para comer um lanche e estava desaparecido, quando souberam que a vítima havia parado o carro nas proximidades do “Bar dos Amigos” e conversado com um indivíduo cujo apelido era ‘N.”, que estava com o cabelo descolorido e que, logo em seguida, este e mais outros dois entraram no veículo da vítima e saíram do local.

A informação, ainda, era a de que “N.” residia no bairro Santa Fé e que, provavelmente, não estava de cabelo descolorido. Daí, os policiais foram até à residência dele, identificado como B.H.S.E., de 15 anos, e foram recebidos pela avó, que franqueou a entrada e disse que o seu neto não havia dormido em casa de sexta para sábado, e sim chegado no sábado à tarde.

Interrogado pelos fatos, “N.” negou qualquer envolvimento com o desaparecimento do diretor de marketing de Curitiba. Naquele momento, os policiais receberam a informação, via CAD da PM, de que outro adolescente, R.F.V., 17 anos, vulgo ‘B.’, e outro indíviduo, este sim de cabelo descolorido, que havia vindo da capital paulista, teriam matado uma pessoa.

Daí, os policiais prosseguiram nas diligências e conseguiram localizar os dois indivíduos na casa de um tal de “Toninho Jiló”. Na ocorrência, porém, ao ser encontrado à frente de um CD Player e um cabo de um notebook, o adulto Jeferson Wesley Marcelino de Jesus Lima, 20 anos, confessou que ele, e mais “N.” e “B”. haviam matado. A princípio, ambos negaram qualquer envolvimento no desaparecimento do motorista do veículo Fiat Uno, mas acabaram dizendo que o corpo estava em um canavial, mas não sabiam precisar o local exato porque Jeferson estava há pouco tempo na cidade, vindo de São Paulo.

SOCOS, PAULADAS, CHUTES, CONCRETO…

Todos saíram à procura do corpo, cada um dos envolvidos em viaturas diferentes das Polícias Civil e Militar. Os policiais receberam, então, a informação, via fone, que “B.” teria confessado que eles teriam matado um rapaz e jogado o corpo no Rio Cachoeirinha, fundos do Rancho Lambari, Fazenda São Pedro.

Jeferson, então, disse que teria dado uma rasteira em Antonio Sérgio. Em seguida, “B”. desferiu pauladas na cabeça de Antonio. Na sequência, os três desferiram chutes e socos na vítima até ela ficar sem movimentos.

Daí, amarraram um pedaço de concreto em seu corpo e o jogaram no Rio Cachoeirinha. Nos fundos do Rancho Lambari, depois da posse do veículo da vítima, se dirigiram até à Estrada do Picadão, próximo ao Residencial Morada Verde, onde abandonaram o carro.

Quando os policiais chegaram ao local do crime, encontraram o corpo de Antonio Sérgio submerso no Rio Lambari, e dava para ver que suas pernas estavam amarradas, juntamente com um pedaço de concreto, com as mãos amarradas.

O carro alugado pela empresa de eventos foi encontrado no bairro Morada Verde com as portas abertas e com a chave no contato. Os PMS encontraram no interior do veículo o documento de Antônio, um pé sapato e uma jaqueta. O carro também estava com manchas de sangue numa área rural do município.

Jeferson alegou que jogaram o notebook e o GPS que estava instalado no veículo no meio do mato, pois pensaram que estava rastreado. Todavia, “B.” alegou que teria vendido par uma pessoa desconhecida. Alegaram, ainda, que foram até àquele local para consumirem drogas e daí mataram Antonio Sérgio pois ele queria consumir a droga sozinho e que estava dizendo que era justiceiro.

Os acusados foram apresentados ao plantão policial, através do delegado César Aparecido Martins, onde foram definidas as participações de cada um no referido crime, sendo autuados por infração no artigo 121, do Código Penal Brasileiro, homícidio e ocultação de cadáver.

Os adolescentes foram acompanhados por familiares na Delegacia de Polícia Civil. Posteriormente, Jeferson foi encarcerado na Cadeia Pública de Severínia, enquanto que os adolescentes aguardam internação na Fundação Casa.

O corpo do diretor de marketing foi levado para o Paraná na manhã desta segunda-feira (20). O velório e sepultamento foram realizados no mesmo dia, ou seja, ontem (20), na cidade de Fartura-SP, pois as raízes de toda a família são do local.

Dois menores e um maior mataram a pauladas empresário de Curitiba num rancho

As Polícias Civil e Militar de Olímpia encontraram na manhã deste domingo (19) o corpo do diretor de marketing Antônio Sérgio Ribeiro Villa, de 41 anos. Depois de receber uma denúncia anônima via 190, às 8h, recebida pelo cabo Avelino, as duas corporações, juntas, chegou até um menor de idade, que confessou ter matado a vítima com a ajuda de outros dois, outro menor e um maior. São eles: o adulto Jeferson Wesley Marcelino de Jesus Lima, 20, e os adolescentes R.F.V., vulgo ‘B.’, 17 anos, e B.H.S.E, 15 anos.

assassinos-do-empresario

O corpo foi encontrado amarrado em uma pedra dentro do rio Cachoeirinha próximo a periferia da cidade e apresentava vários ferimentos. Segundo a perícia inicial, o empresário teria sido espancado a pauladas.

Os três suspeitos estão presos na delegacia da cidade. Ainda não se sabe o que teria motivado o crime.

rrrr44

Entenda o caso

O empresário é de Curitiba (PR) e estava na cidade com um grupo de 10 pessoas a trabalho. Em depoimento à polícia, o grupo contou que o empresário saiu do local onde estão hospedados por volta das 3h30 no sábado (19), teria dito que estava com fome e que iria comprar apenas um lanche, mas não retornou mais.

RANCHO-DO-HOMICIDIO

O carro alugado pela empresa de eventos foi encontrado no bairro Morado Verde com as portas abertas e com a chave no contato. Os PMS encontraram no interior do veículo o documento de Antônio, um pé sapato e uma jaqueta. O carro também estava com manchas de sangue numa área rural do município.

Da parte da PM, participaram da ocorrência o 3º sargento Otoniel, cabo Kleber Lima, e soldados Fábio e Adaor; e da Civil, os agentes Dirceu, Zeca, Denis, Amin, sob o comando do delegado César Aparecido Martins.

Briga de faca termina em morte de jovem de 25 anos no bairro São José

ATUALIZADO COM FOTOS — Um homicídio foi registrado por volta das 21h deste domingo (1º), na rua Jesus Pedroso, no bairro São José. O autor, Edivaldo Lopes, 38, esfaqueou a vítima diretamente ao coração, matando Antonio dos Reis Oliveira, 25 anos, também morador no São José.

DSC_0608

A faca, até o momento – 21h36 – não foi encontrada. Policiais militares, com apoio da Força Tática, de Barretos (que já estava na cidade reforçando o policiamento na Operação Visibilidade), estão tentando encontrar a arma branca, enquanto a equipe do sargento PM Queiróz, guarda o Pronto-Socorro de onde o homicida, que teve ferimentos leves, foi socorrido e deverá ser liberado para a Delegacia de Polícia Civil.

DSC_0601

Segundo o primeiro depoimento do autor, no Pronto-Socorro, que foi o primeiro a ser socorrido por populares, levado por um Fiat Uno cor cinza ao PS, foi a vítima que, durante uma discussão, teria sacado a faca e tentou atingi-lo, mas Edivaldo acabou tomando-a do agressor e, na discussão, houve o golpe certeiro no coração, resultando em morte fulminante uma quadra e meia após a vítima arrastar-se.

DSC_0602

Na versão do acusado, o jovem que morreu o teria provocado com assuntos relativos à sua amásia, daí a discussão. O jovem teria sacado um podão (veja foto), acertando o pulso direito de Edivaldo, mas este reverteu a situação, desferindo o golpe mortal em Antonio dos Reis Oliveira. A amásia de Edivaldo acompanhou-o desde o atendimento no PS, até, dentro da viatura, em direção à Delpol.

GALERIA DE FOTOS – DO PS À DELEGACIA

We cannot display this gallery

Morador de rua de Severínia mata com pauladas colega por causa de 50 reais

Uma discussão entre dois homens, por causa de R$ 50, resultou na morte de um deles, nesta quinta-feira Santa (7), às 21h, em Severínia, dentro de um galpão abandonado.

P6080378

A vítima Everaldo de Oliveira Souza, 29 anos, natural de Iguatemi (BA), e morador no bairro Nova Cidade, em Severínia, morreu com golpes de pauladas.

O autor é o cearense Daniel Lopes Diniz, 28 anos, natural de Mauriti (CE), morador de rua em Severínia. Segundo consta, ambos estavam embriagados e, embora com residência fixa, a vítima ficava mais nas ruas do que em casa.

P6070376-(1)

A informação do crime chegou através da denúncia do irmão do acusado, Miguel Lopes Diniz, 31. Os policiais militares, soldados Amarante, Sobrinho e Adriano, foram ao local e, próximo à residência da testemunha-irmão, no Jardim Cidade de Deus, onde estaria o acusado, ao avistar a viatura tentou fugir, mas foi alcançado pela equipe e detido.

Logo, o morador de rua, acusado do crime, confessou e recebeu voz de prisão. Ao lado do corpo da vítima, os PMs encontraram o objeto do crime: um sarrafo de madeira que foi usado para desferir vários golpes na cabeça da vítima. O local do crime foi preservado.

P6080380

O caso foi apresentado ao delegado Marcelo Puppo de Paula que ratificou a voz de prisão em flagrante delito de homicídio, artigo 121 do Código Penal, ficando o acusado encarcerado em uma das celas da Cadeia local, à disposição da Justiça.

E Bruna foi solta, conforme previu o delegado ao Diário hoje cedo

O que o Diário havia anunciado na manhã desta quarta-feira (6) acabou se concretizando: a Justiça considerou que a jovem Bruna Carolina Postiglione Leal, 18, poderá responder em liberdade o homicídio que cometeu ontem à tarde, terça (5), no bairro Santa Ifigênia, com um golpe de faca no tórax esquerdo do namorado Lucas de Souza Cardoso, 17.

bruna4

É que, conforme havia previsto o delegado que atua no caso, Marcelo Puppo de Paula, não houve testemunhas oculares, a vítima, evidentemente, está morta, e apenas a palavra da garota, por enquanto, é o relato do que ocorreu. Segundo ela, durante os cinco meses de namoro ele a agredia fisicamente. Se fosse detida, iria para a Cadeia Feminina de Colina.

O fato está incurso no artigo 121 do Código Penal, ou seja, ‘matar alguém’. Ainda não há agravantes e nem atenuantes. Veja matéria completa da manhã de hoje aqui.

A PM encontrou, no local do crime, quatro papelotes de crack, pesando quatro gramas, constantes do boletim de ocorrência. Segundo a PM, Lucas estava envolvido em drogas.

Bruna pode ser solta hoje porque ‘matou alguém’. E ponto, segundo a lei

A jovem que matou o namorado na tarde de ontem, no bairro Santa Ifigênia, Bruna Carolina Postiglione Leal, 18, poderá responder em liberdade a partir de hoje, quarta-feira (6), dependendo da interpretação do juiz quanto ao caso, já que o homicídio praticado está fundamentado, por ora, no artigo 121, ou seja, ‘matar alguém’ e ponto final, sem agravantes e sem atenuantes, por enquanto.

facas

A explicação foi dada hoje ao Diário pelo delegado de polícia Civil Marcelo Puppo de Paula. Segundo ele, por enquanto, é um ‘crime simples’, sem testemunhas oculares, sem a declaração da vítima, que obviamente foi morta com apenas uma facada no tórax esquerdo, e com apenas o seu depoimento de que, com o namorado Lucas de Souza Cardoso, 17 anos, conviveu de cinco meses de “relacionamento violento e destemperado em virtude de seu envolvimento (do Lucas) com drogas”.

O artigo em que incorreu Bruna é o artigo 121 do Código Penal, ou seja: Homicídio SimplesArt. 121 – Matar alguém: Pena – reclusão, de 6 (seis) a 20 (vinte) anos.

Até por volta das 15h ou 16h de hoje, o delegado aguardará a manifestação judiciária quanto ao caso. Se não houver pedido de liberdade condicional, para que a acusada responda em liberdade, Marcelo Puppo a encaminhará para a Cadeia Feminina de Colina (SP). A sua mãe e irmã fazem plantão na Delpol acompanhando o caso.

Segundo declarou Bruna, na presença de advogado, “na tarde de hoje (ontem, 5), a seu pedido (de Lucas) fui até à sua casa e o encontrei tomando batida de coco e, após jogar a bebida em seu corpo, advertindo-o sobre o horário inoportuno para esse consumo, iniciou-se um desentendimento, ocasião em que Lucas correu em minha direção e já na rua agrediu-me com chutes, socos e ‘ferradas’, provocando ferimentos em meus braços, pernas e cabeça, convencendo-me a retornar para a sua casa”.

delegado-marcelo-puppo-de-paula

A jovem declara, ainda, que “no interior da residência, achei prudente esconder todas as facas da cozinha, ocasião em que Lucas me surpreendeu e, novamente, veio em minha direção com evidente ânimo agressivo, inclusive arremessando uma faca contra mim, não me acertando”. E, prossegue: “Quando Lucas investiu, eu segurava uma das facas nas mãos e, num ato reflexo e impensado, acabei desferindo um golpe contra o seu corpo”.

No momento, Bruna afirma que não soube em que local a faca desferiu o golpe no namorado e afirma que saiu “desesperada em busca de socorro”. Minutos depois, continua a declaração de Bruna, “já em minha residência decidi ligar para a Polícia e dizer que apenas me defendi, estando disposta a comparecer na Delegacia e prestar minha versão sobre os fatos” e, de fato, uma viatura da PM foi buscá-la em sua casa.

Ela deixou “claro que fui agredida anteriormente por Lucas, tendo sido medicada no Pronto-Socorro local e, na ocasião do registro da ocorrência, influenciada  pelo sentimento afetivo, acabei desistindo da intenção. Naquela oportunidade, lembro que fui atendida pelos PMs sargento Otoniel e soldado Fábio”.

Cabo Mauro, suspeito de matar técnico em enfermagem, está preso

O policial rodoviário Mauro José Ribeiro, 49, foi preso por volta das 14h30 desta terça-feira (29), no Posto da Polícia Rodoviária, no município de Araraquara – SP. Ele foi detido em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido na manhã de terça-feira (29), pela 1ª Vara Criminal de Barretos.

Cabo Mauro José Ribeiro é suspeito de matar com um tiro de pistola o técnico em enfermagem Murilo Aparecido de Almeida de 26 anos. O crime ocorreu na madrugada de sábado (26), no cruzamento da rua 30 com a avenida 43.

Segundo o delegado Mário Renato, do 1º Distrito Policial de Barretos, que preside o inquérito policial de homicídio, o policial rodoviário acompanhado do seu advogado João Bosco Alves, se apresentou na tarde de segunda-feira (28), e prestou depoimento, onde deu uma versão diferente das testemunhas a respeito do caso.

Ainda de acordo com o delegado, o cabo Mauro durante seu depoimento alegou que na data do crime discutiu com o técnico de enfermagem num bar, onde estava ocorrendo um pagode, e depois disso quando trafegava com sua moto teria sido fechado pelo carro da vítima, por isso teria atirado.

O policial rodoviário foi liberado após prestar depoimento, uma vez que ainda não havia saído o mandado de prisão, e diante disso na manhã de terça-feira (29), ele se apresentou na base da Polícia Rodoviária em Araraquara para trabalhar.

Consta que assim que saiu o mandado de prisão, ele foi apresentado pela Polícia Rodoviária no 4º Distrito Policial de Araraquara, e em seguida encaminhado para o presídio Romão Gomes em São Paulo, onde permaneceu à disposição da Justiça.

O delegado Mário Renato confirmou que irá aguardar os laudos periciais, as imagens do momento do crime gravadas pelas câmeras de segurança de um estabelecimento comercial e as oitivas de testemunhas, para definir se o suspeito será indiciado por homicídio simples ou qualificado. (O Diário de Barretos)

Policial rodoviário mata técnico de enfermagem em Barretos

O técnico em enfermagem Murilo Aparecido de Almeida, 26, foi morto ao ser atingido por um tiro de pistola, às 2h48 de sábado (26), no cruzamento da avenida 43 com a rua 30 no bairro Melo, em Barretos.

cena-do-crime

O principal suspeito do crime, é o policial rodoviário Mauro José Ribeiro, 49, que teria fugido não sendo encontrado.

A Polícia apurou que o técnico em enfermagem estava na companhia de testemunhas, num pagode na rua 28 com avenida 53, onde também se encontrava o policial.

Segundo informações, assim que terminou o evento, Murilo acompanhado de seu irmão e mais outras três pessoas saíram. Eles entraram em um veículo Volkswagen Voyage, branco, ano 1983, placas BLX 7914 de Barretos, de propriedade do técnico em enfermagem.
Murilo era quem dirigia o carro, sendo que seu irmão estava no banco do passageiro ao seu lado, enquanto que as outras testemunhas estavam no banco traseiro. Eles  estavam trafegando pela rua 30 sendo que logo que passaram pela avenida 45, ouviram barulho de  um disparo de arma de fogo.

A vítima parou o carro no cruzamento da rua 30 com avenida 43, uma vez que  o sinal do semáforo estava fechado, momento que ao lado parou uma moto grande, vermelha, sem placa, conduzida por um homem negro e forte, que supostamente seria o suspeito.
O indivíduo teria apontado a arma para o técnico em enfermagem e dito “lembra de mim”  e na sequência efetuou o disparo e  fugiu.

Murilo foi atingido por debaixo do braço esquerdo e o projétil ficou alojado no tórax.

Uma equipe do SAMU comandada pelo médico Fernando Felipe foi ao local e tentou a reanimação, porém, sem êxito. “Bem grave, foi um tiro só, com projétil provavelmente alojado, mas que realmente não deu para gente conseguir reverter a situação”, disse o médico Fernando.

A Polícia Militar foi acionada após o crime e iniciou patrulhamento com vista a encontrar o suspeito.

Segundo informações, durante o registro da ocorrência teria chegado uma informação não confirmada, que o policial teria ligado na base informando que iria se apresentar, somente posteriormente com um advogado.

O Tenente Ricardo Alves comandante do 2º Pelotão de Polícia Rodoviária,  acompanhou o registro do caso e explicou que apenas foi informado que um policial rodoviário teria se envolvido em um homicídio.

Ele confirmou que tomou das providências cabíveis, indo inclusive até a casa do policial, porém, Mauro não foi encontrado.

O Oficial relatou que pelo fato do suspeito estar em horário de folga, não é crime militar. O Tenente Ricardo declarou ainda que caso, tenha a culpa comprovada  o policial, também responderá  processo administrativo pela Polícia Militar.

Segundo informações, no dia 28 do mês passado, o cabo Mauro José Ribeiro teria se envolvido em um acidente de trânsito na avenida Messias Gonçalves no bairro Sumaré.

Ele estava conduzindo uma moto e teria atropelado um pedreiro de 44 anos.

O policial após o acidente teria sido agredido por algumas pessoas, e possivelmente a vítima teria se envolvido na agressão. “ Alguns dias atrás ele se envolveu num acidente de trânsito e as pessoas agrediram ele, mas cabe agora a investigação comprovar qual foi o motivo desse homicídio”, disse o Tenente Ricardo Alves.

O delegado Edison Winning registrou o caso no Plantão Policial como homicídio simples.

O técnico em enfermagem Murilo Aparecido de Almeida,  trabalhava na Santa Casa de Barretos. Ele  era solteiro e residia no bairro Santa Isabel, o sepultamento estava previsto para ocorrer na tarde de sábado, (26), no Cemitério Municipal. (O Diário de Barretos)

HOMEM MATA MULHER COM GOLPES DE FACA NA FRENTE DO FILHO

Um assassinato ocorreu no início da madrugada desta segunda-feira no Jardim Santa Fé.

assassino-e-vitima

O homem matou a sua mulher com facadas no peito. O açougueiro Genilson Fernandes Souza, 36, foi preso pela Polícia Militar, após diligências desde à hora do crime, 1h35, quando tentava fugir pela rodovia Armando Salles de Oliveira, nas proximidades do bairro rural Campo Alegre.

A vítima é Leonice Fernandes, 34 anos. O crime foi testemunhado pelo filho adolescente, M.F.S., de 15 anos. Ele chegou a impedir que o pai continuasse com as agressões, por cima da mãe dele desferindo facadas sobre a cama do casal.

A mulher foi socorrida pelo Resgate dos Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos a caminho da Santa Casa local.

A ocorrência foi atendida pelos PMs 3′ sargento Otoniel e cabo Nairton, e contaram com o apoio da guarnição de cabo Kleber Lima e soldado Adaor.

cena-forte

Após a prisão do assassino pelos PMs, o delegado César Aparecido Martins encarcerou-o numa das celas da cadeia de Severínia.

O casal que vivia junto há pelo menos 19 anos e deixou três filhos.