Secretaria de Turismo realiza pesquisa durante o Fefol

Festival de Folclore precisa ser melhor divulgado, comprova pesquisa

Durante o Festival do Folclore, foi aplicada uma pesquisa em que os turistas avaliaram alguns tópicos com relação ao turismo em Olímpia, com 148 visitantes, que se disponibilizaram a respondê-la. Apenas três perguntas, das 11 questões, foram respondidas por todos os entrevistados, o que representa 27%. Foram elas a primeira, a segunda e a quinta perguntas.

Com relação à cidade, todos os entrevistados responderam a questão. No entanto, alguns só informaram o Estado e não a cidade onde moram. Sendo assim, foi possível contabilizar 42 cidades diferentes e São Paulo – SP a cidade com maior número de turistas frequentando o Folclore (54 pessoas – 36,5%). Outras cidades que tiveram destaque foram: Campinas – SP (13 pessoas), São José do Rio Preto – SP (8 pessoas), Limeira e Santos (6 pessoas), etc.

centro

Já no que diz respeito ao meio pelo qual o turista teve conhecimento sobre Olímpia, o item “Amigos” foi o mais apontado pelos entrevistados, representando 42,5%, ou seja, 63 pessoas escolheram tal opção. Depois aparecem no ranking “Internet” (40 pessoas), “Outros” (30 pessoas), “Agência de Viagem” (10 pessoas). Isso significa que a indicação de amigos e familiares tem sido a principal responsável pela escolha de Olímpia como destino turístico.

A terceira pergunta referia-se ao tempo que o turista permanece em Olímpia quando visita a cidade. Essa questão foi respondida por 145 pessoas, sendo que a grande maioria se hospeda no município por três dias, ou seja, 42,06% dos entrevistados (61 pessoas). O segundo período mais escolhido foi quatro dias (31 pessoas) e o terceiro, dois dias (17 pessoas). Além disso, 14 pessoas disseram ter vindo apenas para ficar um dia, a maioria delas, moradoras de cidades da região de Olímpia.

A quarta questão falou sobre a visitação a Olímpia. Cento e quarenta e quatro pessoas responderam e 97 delas informaram que visitaram Olímpia pela primeira vez (67,36%) e 47 (32,63%) já tinham vindo por pelo menos duas vezes.

A quinta pergunta tratou sobre o meio de hospedagem utilizado pelo visitante. Todos os entrevistados responderam esta pergunta e 47 pessoas disseram ficar em resorts (31,75%), 41 pessoas ficaram em pousadas (27,70%), 26 pessoas ficaram em hotéis (17, 56%). Os demais meios de hospedagem tiveram menos de 20 indicações e o item “hotel-fazenda” não teve nenhum apontamento de hospedagem entre os entrevistados.

A sexta questão continha uma avaliação de serviços oferecidos como hospedagem, alimentação, opções de lazer, comércio e atendimento e suporte ao turista. A maioria dos itens teve avaliação ‘ótimo’ ou ‘bom’, com destaque para a Hospedagem que teve 95 indicações de serviço ‘ÓTIMO’ dentre 143 respostas, ou seja, 66,43% de aprovação. Além disso, Alimentação e Atendimento e suporte ao turista também tiveram mais indicativos de ‘ótimo’. O que chama a atenção é que os itens “Opções de Lazer” e “Comércio” tiveram grandes indicativos de serviço “regular”, mostrando a necessidade de melhorias desses setores.

A sétima questão tratou sobre o conhecimento do Festival do Folclore. Das 145 pessoas que responderam esta pergunta, 80% disse que não conhecia o Festival, o que são 116 pessoas contra 29 que disseram conhecer. Levando em consideração que, todos os entrevistados eram turistas, isso significa que os visitantes não conhecem Olímpia pelo Festival. Interessante que, na pergunta 11 “Observações”, 10 entrevistados consideraram o Festival do Folclore pouco divulgado como será analisado adiante.

A pergunta de número 8 questionava os entrevistados sobre o que eles achavam do Festival. Tal pergunta foi respondida por 135 pessoas e teve respostas variadas, no entanto, a maioria delas de caráter positivo. Sendo que 59 pessoas (43,7%) acharam ótimo/excelente; 32 pessoas (23,7%) acharam legal/bom; 13 pessoas (9,62%) disseram que é muito bonito/lindo; 8 pessoas (5,92%) disseram que vieram para conhecer e gostaram; entre outras opiniões. Dentre as observações de caráter negativo sobre o Fefol estão 5 pessoas (3,7%) que acharam regular e 3 (2,22%) que acharam fraco.

A nona pergunta não estava em todas as avaliações. Foram aplicadas apenas 50 avaliações com esta pergunta sobre a visitação do Thermas dos Laranjais. Todas as pessoas responderam e 47 delas (94%) disseram ter visitado o Thermas e apenas 3 (6%) disseram não.

A décima pergunta questionou se o visitante voltaria à cidade ou indicaria para outras pessoas. Das 141 respostas, 134 pessoas (95%) disseram que SIM e apenas 7 (5%) disseram NÃO. Questionados sobre os motivos que não justificariam a volta estava a falta de opções de outras atrações além do Parque Thermas dos Laranjais.

Por fim, a última pergunta recomendava que os entrevistados deixassem um comentário, reclamação ou sugestão sobre o Turismo ou o Festival. Apenas 34 das 148 pessoas entrevistadas responderam tal questão, o que representa 22,9%. Sendo que, 10 pessoas indicaram a falta de divulgação do festival; seis reclamaram sobre a falta de outras opções além do Thermas; três sentiram falta de ter disponível a programação do Festival e três disseram que gostaram e pretendem voltar nos próximos anos. As demais sugestões tiveram duas ou uma indicação como é possível observar no relatório de respostas.

“Desta forma, pode inferir que, de maneira geral, a Estância Turística de Olímpia atrai visitantes de diversas cidades, sendo a maioria do Estado de São Paulo e presta serviços de caráter satisfatório, salvo algumas exceções como o comércio e opções de lazer que, segundo revelou a pesquisa, ainda são limitados e precisam de mais investimento e alternativas. Com relação à divulgação da cidade, nota-se que a mídia espontânea entre as pessoas é o meio mais forte de tornar a cidade conhecida, ficando a Internet em segundo lugar, o que pode e deve ser fortalecido. Percebe-se também que a procura ou oferta por Olímpia como destino turístico tem sido fraca nas agências de viagens”, esclarece o secretário de Turismo Beto Puttini.

Já o tempo médio de estadia na cidade é razoável, uma vez que a maioria dos visitantes fica pelo menos três dias hospedados e grande parte prefere os resorts. Interessante destacar também que 67,36% dos entrevistados visitaram Olímpia pela primeira vez, na época do Festival do Folclore, mas sem conhecê-lo, mas a maioria gostou e informou que voltaria ou indicaria para outras pessoas. “Isso demonstra que o Festival precisa ser mais bem divulgado além da região de Olímpia”, conclui o secretario de Turismo.

Criatividade e hospitalidade conquistam visitantes do 51º Fefol

Texto e Fotos da Assessoria de Imprensa — O Festival do Folclore de Olímpia é realizado há 51 anos, conservando a tradição das danças e crenças folclóricas. No entanto, para manter seu público e atrair novos visitantes é preciso incorporar novos atrativos. Uma aposta certa para 2015 que resultou em muito sucesso foi a Barraca das Lendas Folclóricas. Pelo primeiro ano no Festival Nacional do Folclore, o local foi exemplo de criatividade e responsável pela venda de pelo menos 2 mil pratos por noite.

No cardápio do restaurante estavam massas e porções, mas a procura maior foi pelos pratos do Saci-Pererê, do Lobisomem e da Mula-sem-cabeça. Ricos em originalidade e sabor, os pratos das lendas resultaram em uma barraca lotada todos os dias do festival.

“Tivemos uma experiência com o prato da Mula-sem-cabeça no Festival Internacional do Folclore e foi um sucesso. Depois disso, surgiu o convite da Comissão do Fefol para montarmos a barraca”, explica Luiz André de Souza Lima, empresário e responsável pelo restaurante.

Conhecido como Deco, Luiz André pesquisou as lendas folclóricas e planejou os pratos pensando em seus detalhes, tudo para atrair e surpreender o público. Para ele, essa seria a melhor forma de resgatar a tradição das lendas, incentivar as pessoas a conhecerem as estórias e agregar uma característica nova e criativa.

DSC_0107

Olimpienses e visitantes dividiram o público presente na barraca durante os dias de festival. Aguçados pela curiosidade dos pratos, demonstraram 100% de aceitação com relação à novidade. Tanto que, para 2016, outros personagens folclóricos terão pratos dedicados, conforme adiantou Deco.

Além disso, o empresário, que trabalhou com 20 funcionários, contratou cinco garçons da ABECAO (Associação Beneficente Cultural e Assistencial de Olímpia) para ajudar durante o evento por considerar o bom treinamento oferecido pela entidade. Uma dessas funcionárias é Carmen Aparecida Carvalho Braga. Com menos de uma semana de conclusão do curso de garçonete, ela já foi contratada para ajudar na barraca. “Eu gostei muito do curso. É tudo de graça e a gente atuava em restaurantes para treinar. É um serviço bom, converso e conheço pessoas, estou feliz”, conta a garçonete.

DSC_0117

Outro local que foi sinônimo de sucesso no Fefol foi a Vila Brasil. Composto pela Casa do Caipira, Casa de Taipa, Galpão Crioulo com o Engenho Táparo, o Orquidário Aguapey e o Curral Caipira, o ambiente ofereceu música ao vivo, comidas típicas e variedades. De responsabilidade do Fundo Social de Solidariedade e coordenado pela Secretaria Municipal de Assistência, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, sob a responsabilidade da Presidente, Aparecida Zamperlini Zuliani, o espaço foi ampliado para este ano, contou com o trabalho de 70 funcionários voluntários e contabilizou a presença de pelo menos mil pessoas por noite.

Palco---Priscila-Minani--(5)

Segundo Talita Carvalho, diretora de Direitos Humanos, a barraca notou a presença de olimpienses, mas também de muitos turistas, que se encantaram. “Ficou tudo bonito e oferecemos comida barata e fresquinha. O ambiente, cultural e aconchegante, traz recordações para as pessoas”, conta Talita.

Além de divertido, o ambiente é solidário. Isso porque toda a verba arrecadada será revertida para os projetos do Fundo Social, que atende cerca de 300 pessoas por mês. Para 2016, o objetivo é aprimorar e oferecer produtos ainda melhores para garantir o público e a renda da Vila Brasil.

DSC_0081

E não foi só a culinária que encantou os visitantes do Festival do Folclore. O artesanato ganhou tanto destaque que até um grupo de São Pedro-SP, Estância Turística a 290 km de Olímpia, trouxe sua cultura para cá. Presente pela primeira vez no Festival, a Art’s Trama (Associação de Artesãos de São Pedro e Região) trouxe o bordado em ponto cruz, característico da região, lembranças, tapetes de tecido reaproveitado, toalhas, entre outros produtos que chamaram a atenção de quem passou pelo local. O retorno foi tão bom que a associação recebeu encomendas e fez uma parceria com uma loja de Olímpia para produzir lembranças da cidade e vender aqui.

DSC_0138

Leonor Sanches e João Vaine Dante são artesãos associados que cuidaram do estande. Além de se surpreenderem com a receptividade do trabalho deles, ficaram surpresos também com a hospitalidade dos olimpienses.

“Estávamos alojados em uma escola, mas conhecemos um senhor que mora aqui e ele nos acolheu na casa dele. Conheceu nossa história e nosso trabalho e nos ofereceu a casa. Nunca imaginamos uma situação assim”, conta Leonor. Os artesãos conheceram um pouco da cidade e do Thermas e destacaram a preocupação das pessoas em ajudar com informações e no bom atendimento que receberam nos locais onde foram. A primeira experiência foi tão especial que eles já têm intenção de voltar para visitar a cidade.

“Ficamos satisfeitos em saber que a nossa Estância Turística tem sido uma boa anfitriã. São histórias assim que nos incentivam a sempre buscar mudanças e melhorias, valorizando os produtos e as ideias daqui para proporcionar uma boa demanda de serviços para quem nos visita”, avaliou o Secretário de Turismo, Beto Puttini.

Fefol bate recorde com 34 mil acessos na transmissão pela internet

Como já é tradição, a transmissão ao vivo pela internet do 51º Festival do Folclore de Olímpia foi um sucesso. Pela décima vez na história o Fefol teve suas imagens do “Palco Principal” geradas em tempo real através do seu portal oficial (www.folcloreolimpia.com.br) e também do Diário de Olímpia e Estância Turística de Olímpia, que se uniram para levar o nosso festival pelo mundo afora. Foram quatro câmeras que mostraram o festival por todos os ângulos.

IMG_4214

Durante os nove dias de festival mais de 33 mil internautas assistiram às apresentações ao vivo pela internet, quebrando o recorde de 2014 quando 26 mil internautas acompanharam o evento. Neste ano, outros 17 mil acessaram o site fora do horário da transmissão, que somados aos 33 mil que assistiram ao vídeo ao vivo, gerou a marca de 50 mil visitantes únicos para o site durante o 51º Fefol.

Durante a transmissão os internautas interagiram com as apresentações e enviaram mais de mil mensagens instantâneas através de um espaço reservado no site. O software que registra as visitas do Portal apontou acessos de várias partes do país e até do exterior, como, por exemplo, Portugal, Espanha, Estados Unidos, Canadá, Argentina, México, Chile, Guatemala e Japão. No Brasil, as regiões Norte e Nordeste foram novamente as que maior registraram índices de audiência, seguidos pelo Sudeste e Sul do país.

Algumas cidades brasileiras, como Major Sales, no estado do Rio Grande do Norte, que mandou para Olímpia dois grupos folclóricos (Grupo Mestre Bebé e o Grupo Major Sales) chegaram a instalar telões em praças públicas , onde segundo informações dos integrantes dos grupos, mais de 300 pessoas de uma mesma cidade se reuniram na praça para acompanhar o festival ao vivo, isso sem contar os internautas que preferiram assistir no conforto de suas casas.

historico-acessos

Todo o trabalho de transmissão foi realizado através da parceria de duas empresas olimpienses, a Top Vídeo Produções, de Edson Magro, o “Magali” e da OlímpiaWeb Serviços de Internet, de Jonas Olmos, que pelo décimo ano trabalham de forma incansável para a melhoria da transmissão.

No Portal Oficial do Festival do Folclore o internauta pode conferir ainda tudo sobre a história do festival, sua criação, saber mais sobre o Museu, a Capital e a Praça de Atividades Folclóricas Professor José Sant’anna.

O portal ainda disponibiliza informações para pesquisas, como mitos, lendas, danças, contos folclóricos, culinária, medicina popular, além da definição do que é folclore.

Espírito Santo será homenageado no 52° Fefol, através do Grupo Andora

DA REDAÇÃO – O Estado homenageado no 52° Festival de Folclore de Olímpia, em agosto de 2016, será o do Espírito Santo, pela primeira vez desde quando a Comissão Organizadora decidiu, anualmente, escolher um Estado para dar uma determinada característica ao Fefol.

E o grupo que representará o Estado é o Grupo Andora, que participa pelo quinto ano consecutivo do Festival olimpiense.

O anúncio foi feito na noite deste sábado (15), no palco do Recinto do Folclore, pela coordenadora dos Festivais, Maria Aparecida de Araújo Manzolli; diretor de Cultura Caio Longhi, e secretário de Cultura, Esportes e Lazer, Guto Zanetti.

Cecília, representante do Andora, agradeceu a escolha do grupo que representará o seu Estado: “É uma grande honra ser o Grupo que abrirá as portas para o Espírito Santo no próximo Festival. O nosso Estado é o menor do Sudeste é território, mas grande em cultura, tradições, culinária e muito mais. Voltar à Olímpia é o mesmo que voltar para casa, rever amigos e, mais uma vez, agradecemos pela honra de representamos o Espírito Santo no ano que vem. Vamos realizar um grande Festival”.

O Andora, como é tradição, fará parte do cartaz, capa do Anuário e Programação, e Convite, além de comandar a culminância do Festival, dando uma identidade de seu Estado no contexto do Fefol.

O ANDORA

O Projeto Grupo Andora é uma ação de Extensão da UFES executada por estudantes universitários e professores da rede básica de educação para estudar a Cultura Popular em forma de todo tipo de Arte, sobretudo pela Dança, a Música e os folguedos populares. Desde a sua criação o projeto é frequentado por uma maioria de mulheres em processo de formação para o magistério da Educação Básica, que também é constituído por uma maioria de mulheres.

Por ser um grupo universitário e parafolclórico, seu repertório é bastante diversificado e se estende por diversas regiões do Brasil. Para os eventos em território brasileiro, o grupo privilegia peças relativas ao Folclore do Estado do Espírito Santo. Apresenta, ainda, o Congo Capixaba, o som dos pandeiros e dos tambores do Ticumbi, O Jongo de São Benedito, O Bate-Flexa, além das figuras lendárias do estado como Boi Pintadinho, João Bananeira, Palhaço da Folia, Mulher do Jongo, O Pássaro de Fogo etc.

SOS Animais espera a sua visita na barraca do 51º Fefol

Por Cristiane Gracindo — A Organização Não Governamental (ONG) SOS Animais, de Olímpia, que atua na defesa dos animais, principalmente os cães que são abandonados nas ruas, se faz presente dentre as ações sociais expostas no Festival do Folclore, edição 2015.

DSC_8858

Por se tratar de uma instituição sem fins lucrativos, a entidade consegue sua sustentação através de doações de rações, além das ofertas em dinheiro e ações que se espalham nas atividades socioculturais que acontecem em Olímpia.

Chegando no recinto, quase em frente à Barraca do Vinho, do Rotary Club, encontra-se um espaço que vende salgados, refrigerantes e outros, com a indicação da S.O.S animais. Toda renda será destinada às necessidades da ONG.

DSC_8860

Para quem gosta ou defende animais, principalmente os abandonados, sabe da importância de qualquer que seja a contribuição para este fim.

O Chica Bakana.net entra definitivamente nesta campanha, fazendo um apelo aos seus leitores que prestigiem o trabalho efetuado pelo empresário José Elias Moraes, o Zé das Pedras, que incessantemente luta em favor da causa.

DSC_8862

Nós podemos somar forças para que os maus tratos e o abandono dos animais, sejam definitivamente erradicados em nossa cidade, dando a eles uma condição digna de respeito e amor, que só quem cria e zela por eles é que conhece a razão deste apelo.

By Chica Bakana

Festival do Folclore é acompanhado ‘ao vivo’ pela Internet por 24 mil pessoas

A transmissão ‘ao vivo’ do 51º Festival de Folclore de Olímpia acumulou, de sábado (8), abertura, até ontem, quinta-feira (13), um público de cerca de 24 mil pessoas, em todo o Brasil, segundo dados da OlimpiaWeb, de Jonas Olmos.

transmissao-fefol

A transmissão pela Internet está a cargo, mais uma vez, da TopVídeo Produtora, de Edson ‘Magali’ Magro. São dez anos de transmissões desses Festivais.

IMG_3700

Os portais Diário de Olímpia e Estância de Olímpia estão, também, no ‘pool’ de transmissão, registrando milhares de acessos, já que temos servidores dedicados, de elevada tecnologia, que não caem como os iniciantes. O Diário retransmite pelo 6º ano consecutivo, agora com o novíssimo portal Estância Turística.

Jonas-Olmos

Continuem prestigiando, e comentando na própria página, as próximas transmissões, de hoje, sexta (14), a domingo (16, quando serão encerradas as atividades do 51º Fefol.

Fefol na reta final. Confira o que vai rolar no Recinto do Folclore

O 51º Festival de Folclore de Olímpia entra em seu ápice com maior presença do público e mais atividades no Recinto do Folclore. Nesta sexta-feira (14), penúltimo dia de apresentações de palco, 12 grupos se revezam com danças e muita cultura. No sábado (15), último dia de palco, serão 18 grupos. Fotos Cristiane Gracindo / Chica Bakana

11870804_420372614821682_6806470638798440404_n

O MINI-FESTIVAL

Logo mais às 14h, inicia-se mais uma apresentação do 31º Mini Festival do Folclore, que se destina às crianças e adolescentes, no intuito de lhes despertar o apreço e o interesse pelo folclore brasileiro. A 31.ª etapa do Mini Festival do Folclore será realizada das 14h às 16h no Pavilhão Cultural, no Recinto de Exposições e Praça das Atividades Folclóricas, coordenado pela Secretaria Municipal de Educação. Estarão presentes hoje:

  • Mapinguari – PA
  • Boi de Palha – MA
  • Terras Potiguares – RN

11831795_420373071488303_3106638692071636433_n

VILA BRASIL

Já na Vila Brasil, além da culinária típica, uma programação de música tradicional e caipira será realizada no local, com rodas de violas, café caipira feito no fogão à lenha e muitos causos. Além do tradicional café, o Fundo Social de Solidariedade também comercializa churrasco, canjica, arroz doce, hambúrguer, chocolate quente, quentão, pão, e bebidas. Com bolos de milho, cenoura e mandioca. Caldos de feijão, canja e mandioca. Tortas de frango, linguiça e outros quitutes típicos.

Amantes da música caipira, do sertanejo de raiz e da viola caipira, confiram a programação abaixo:

Sexta-Feira – 14

  • Preto e Pretinha – Olímpia
  • Marcos Paulo e Cassiano – Olímpia
  • Dico e Guimarães – Olímpia
  • Grupo Cheiro do Mato – Monte Azul Paulista
  • Márcio e Marcílio – Olímpia
  • Goiano e Goianinho – Olímpia

Sábado -15

  • João Sem Carro e Zé Carona – Embaúba
  • Preto e Pretinha – Olímpia
  • Marcos Paulo Cassiano – Olímpia
  • Dico e Guimarães – Olímpia
  • Natal e Vladimir – Olímpia
  • Márcio e Marcílio – Olímpia
  • Tati e Marinho – Olímpia
  • Sr Geraldo e Paulinha – Olímpia
  • Goiano e Goianinho – Olímpia
  • Bazan Viola e Ferreira

Domingo – 16

  • Encontro e Rodas de Violas com todos os participantes, a partir das 16:00 horas.

11904656_146542949015672_3657297662067262863_n

11.° RALLY DO FOLCLORE

No domingo (16), realiza-se mais a 11ª edição do Rally do Folclore.

  • Largada às 10h, no Recinto de Exposições e Praça de Atividades Folclóricas “Prof.º José Sant’anna”, chegada a partir das 13h. A premiação é feita com troféus até o 5.º colocado em todas as categorias.

 

PROGRAMAÇÃO DE PALCO

 

PALCO – Dia 14/08/2015 – Sexta-feira

 

  • 1. Samba Lenço de Mauá – SP
  • 2. Cia de Santos Reis Lapinha de Belém – Olímpia – SP
  • 3. Associação Cultural Anástasis – Olímpia – SP
  • 4. Cia de Santos Reis Estrela da Paz – Olímpia – SP
  • 5. Grupo Andora – ES
  • 6. Grupo Parafolclórico Frutos da Terra – Olímpia – SP
  • 7. CTG Estância da Serra – Osório – RS
  • 8. Grupo Mapinguari – PA
  • 9. Associação Cultural Maria Bonita – CE
  • 10. Grupo Terras Potiguaras – RN
  • 11. Grupo Papanguarte – Balé Popular de Bezerros – Bezerros – PE
  • 12. Grupo Vitória Régia – MT

 

PALCO – Dia 15/08/2015 – Sábado

 

  • 1. Batalhão de Bacamarteiros – Carmópolis – SE
  • 2. Grupo Caiapó – SP
  • 3. Grupo Caboclos de Mestre Bebé – RN
  • 4. Samba Lenço de Mauá – SP
  • 5. Congada Chapéu de Fitas – Olímpia – SP
  • 6. Fandango de Tamanco de Cuitelo – SP
  • 7. Grupo Reis de Congo de Major Sales – RN
  • 8. Grupo Papanguarte – Balé Popular de Bezerros – Bezerros – PE
  • 9. Grupo Fogança – PR
  • 10. Grupo Andora – ES
  • 11. Grêmio Arraiá de São Mateus – MG
  • 12. Grupo Mapinguari – PA
  • 13. Grupo Pastoril Dona Joaquina – RN
  • 14. CTG Estância da Serra – RS
  • 15. Grupo Terras Potiguaras – RN
  • 16. Grupo Vitória Régia – MT
  • 17. Associação Cultural Maria Bonita – CE
  • 18. Grupo Boi de Palha – MA

 

DIA 16/08/2015 – Domingo

 

DESFILE – 9h: Ponto Máximo do Festival – Desfile Folclórico pelas ruas de Olímpia. Trata-se de confraternização dos grupos que do evento participam, num tráfego de danças e ritmos pelas ruas olimpienses. Participam os grupos presentes no evento e de dezena de ouros.

 

Concentração: Câmara Municipal de Olímpia. Desfile pela Av. Aurora Forti Neves até a Rua Bernardino de Campos.

 

PALCO – 20h: Discursos de Encerramento; Arriamento das Bandeiras e Espetáculo Pirotécnico.

  • Apresentação dos Grupos no Palco.

PROGRAMA SUJEITO A ALTERAÇÃO

 

11174766_738781226233724_4941631011443789780_n

Nem só de cultura e diversão vivem o Fefol, mas também empreendedorismo

O Festival Nacional do Folclore é mais uma vez sinônimo de fidelidade. A cada ano que passa, o evento se torna mais conhecido, respeitado e com um público leal. No ano passado, quando o festival completou 50 anos, 130 mil pessoas prestigiaram a festa, segundo os organizadores. Neste ano, só no primeiro fim de semana, 11 mil pessoas marcaram presença no Recinto do Folclore, segundo divulga a assessoria.

Com 51 edições, o festival continua conquistando admiradores e cultivando os que já são fiéis. Cláudia Gomes Sanna e Juliano Nunes Sanna, por exemplo, têm uma história de vida ligada ao folclore. Ela frequenta o Festival do Folclore de Olímpia desde 1994 e ele desde 2009.

O casal gaúcho é de Xangri-lá – RS, eles se conheceram através do Grupo de Tradição e Cultura Gaúchas 20 de Setembro e, coincidentemente, se casaram no dia 22 de agosto, data em que é celebrado o Dia do Folclore. Todos os anos, programam suas férias para agosto, só para conseguirem visitar Olímpia. “O que nos motiva a vir é a amizade que criamos com os grupos, a integração e a cultura. Tanto é que, este ano, nosso filho Otávio está dançando com o Papanguarte, de Pernambuco”, conta Cláudia.

20150808_214158

Eles passam a semana do Festival em Olímpia e aproveitam para visitar os atrativos turísticos da cidade, acompanhar as apresentações dos grupos e matar a saudade das amizades que fizeram aqui. “Nós gostamos de tudo e se pudéssemos escolher um lugar para morar, seria Olímpia”, ressalta Juliano.

Além de movimentar a cidade e valorizar a tradição folclórica, o Festival do Folclore é também importante para a geração de renda. Claudomiro Moreira e a esposa Maria são visitantes assíduos da festa. Apaixonado por cultura, Claudomiro veio a Olímpia a convite da professora e coordenadora do festival, Cidinha Manzolli. Ele é responsável pela barraca ‘Costeleiro’, que traz a legítima costela no fogo de chão, típica do Sul do país.

Claudomiro é do Paraná e lá aprendeu a fazer a costela. Atualmente, mora em Matão-SP e tem um Buffet na cidade. Além de fazer confraternizações e festas, ele percorre festivais em todo o país, levando a costela gaúcha. Há seis anos, frequenta o Festival do Folclore e prepara mais de uma tonelada de carne durante a festa. Somente durante o festival, ele trabalha com 15 funcionários. Para ele, é uma oportunidade de divulgar a tradição do sul, garantir a renda extra e ainda aproveitar a cultura que Olímpia tem a oferecer. “Todos os anos, nós montamos um ônibus de Matão para Olímpia só para assistir a abertura e conhecer a cidade”, conta o costeleiro.

DSC_0166

Fidelidade essa que Olímpia quer confirmar não só para os próximos festivais, mas também para todo o ano, tendo em vista os atrativos da cidade como o parque aquático e o Museu de História e Folclore. “O Festival do Folclore tem sido cada vez mais importante para consolidar a tradição e a cultura de Olímpia. Além disso, aqui se encontram diversos costumes de todos os cantos do país e as pessoas compartilham esses momentos. É gratificante saber que as pessoas não só estão se divertindo como também empreendendo. A Estância de Olímpia, mais uma vez, mostra a diversidade cultural e turística que oferece”, completa Beto Puttini, Secretário de Turismo.

Concurso de Trava-línguas incentiva a cultura folclórica

A Secretaria de Educação de Olímpia desenvolveu nas Escolas Municipais um concurso de Trava-Línguas, com intuito de incentivar as tradições folclóricas e promover o encontro dos pequenos estudantes com a cultura popular brasileira.

DSC_0046

O melhor colocado de cada escola participou de uma apresentação na última sexta-feira (7), do trava-língua escolhido por uma banca avaliadora. A aluna vencedora foi Maria Luiza Oliveira do Vale, da EMEB Santo Seno, com o trava-língua “O Desenladrilhador”.

Também participaram os alunos Rui Barbosa da Silva Filho, da EMEB Professor José Sant’anna; João Vitor Aparecido de Souza, da EMEB Joaquim Miguel dos Santos; Jhenyfer V.R.S. Teixeira, da EMEB Dona Luiza Seno de Oliveira; Letícia Micaely Ferreira de Sousa, da EMEB Washington Junqueira Franco; Ian Falopa Rodrigues Braga, da EMEB Professor Reinaldo Zanin; Bianca da Silva do Nascimento, da EMEB Professora Zenaide Rugai Fonseca; Rafael Giovanni Lupi, da EMEB Theodomiro da Silva Melo; Henrique Garcia Gonçalves, da EMEB Jardim Hélio Cazarini e Isabela Cristina do Prado, da EMEB Professor Maurício Cesar Alves Pereira.

A aluna vencedora apresentou o trava-língua ontem, 10 de agosto, no 31º Mini Festival do Folclore e recebeu como prêmio uma coleção de livros. Os alunos participantes receberão gratificações por participarem do concurso, assim que retomarem as aulas.

Hoje tem Bacamarteiros, Folia de Reis, Boi de Palha, Pastoril, Caboclos e Gaúchos no 51º Fefol

Prossegue nesta segunda-feira (10), o 51º Festival de Folclore de Olímpia, com atividades o dia todo, e à noite apresentações de palco, na Praça de Atividades Folclóricas ‘Professor José Sant’anna’, o Recinto do Folclore, com Pernambuco sendo o Estado homenageado desta edição.

IMG_3648

Desde a abertura, no sábado (8) – confira as fotos exclusivas do Diário, link no final desta matéria – o público tem prestigiado o Festival. O prefeito de Bezerros, Severino Otávio, popular ‘Branquinho’, acompanhou o seu grupo – Papanguarte – representante oficial, e único, de Pernambuco neste Festival, nos últimos dias, inclusive na solenidade de abertura, ao lado do prefeito Geninho Zuliani (DEM) e coordenadora dos Festivais, professora Maria Aparecida (Cidinha) de Araújo Manzolli.

IMG_3681

O Balé Popular Papanguarte, da cidade de Bezerros-PE, representa Pernambuco pela terceira vez. Alguns bailarinos se apresentam pela primeira vez de um evento a nível nacional, sendo que das outras duas vezes foi sucesso absoluto e, no desfile de encerramento arrastou um bom número de admiradores, pelas ruas da cidade de Olímpia, com muito frevo e coreografia.

IMG_3765

O coreógrafo e coordenador do Grupo, Carlos Marques, se diz muito feliz em voltar onde  o Papanguarte foi bastante aplaudido, divulgando essa cultura popular, o espetáculo Folia dos Papangus, em três apresentações.

Hoje à noite, no palco

Grupo Batalhão de Bacamarteiros – Carmópolis – SE, Cia de Santos Reis Caminho de Belém – Olímpia – SP, Cia de Santos Reis Mensageiros da Paz – Olímpia – SP, Grupo Boi de Palha – MA, Grupo Pastoril Dona Joaquina – RN, Grupo Caboclos de Mestre Bebé – RN e Grupo Cala – RS.

GALERIA DE FOTOS

Clique na imagem abaixo e confira as fotos da abertura do Fefol:

fefol-abertura

Turismo no Folclore: diversão, informação e segurança

Pensando em receber bem os visitantes, a Secretaria de Turismo de Olímpia leva para o Recinto do Folclore, pelo quinto ano consecutivo, o trailer do Centro de Informações ao Turista – CIT.

O veículo é uma base itinerante do Centro de Atendimento do Turista, que tem por objetivo tirar dúvidas, dar explicações e direcionar o turista quanto às opções de lazer, de hospedagem, de alimentação da cidade, bem como contribuir com explicações sobre curiosidades com relação à cultura da cidade e ao Festival do Folclore.

DSC_0102

Estão disponíveis no trailer, durante todo o festival, guias, mapas e folhetos das atrações turísticas de Olímpia. Os atendentes do CIT também estão aptos a indicar aos interessados os locais de alimentação, banheiros, diversão, compras e apresentações do Festival do Folclore. O trailer do CIT está posicionado ao lado da entrada principal do Recinto do Folclore, em todos os dias do evento.

Além disso, existem placas indicativas espalhadas pelo recinto, mostrando a direção dos locais. As placas são personalizadas com figuras do folclore brasileiro como Boto Cor-de-rosa, Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Curupira entre outros personagens, ressaltando a identificação folclórica.

DSC_0077

Para garantir a segurança dos frequentadores da festa, o Recinto possui alvará de funcionamento do Corpo de Bombeiros e ainda conta com todo o equipamento de segurança necessário como saídas e iluminação de emergência, extintores de incêndio e sinalização.

“Queremos receber a população e os visitantes da maneira mais segura possível e dar suporte de serviço e informação para quem não conhece a cidade e o festival. Nossa intenção é fazer uma boa acolhida para que as pessoas voltem outras vezes”, ressalta Beto Puttini, secretário de Turismo.

Fefol traz pela primeira vez Simpósio sobre contexto da música folclórica

O 51º Festival do Folclore traz uma grande novidade para este ano. Será realizado nos dias 11, 12 e 13 de agosto, no Pavilhão Cultural do Recinto de Exposições e Praça de Atividades Folclóricas “Professor José Sant´anna”, o I Simpósio de Estudos Etnomusicológicos de Olímpia. Ou seja, a etnomusicologia dá ênfase ao contexto no qual a música está inserida, como forma de compreender o porquê daquela música ser da forma que é, daí esses estudos dentro do Fefol.

 

O evento será realizado pela Coordenadoria dos Festivais do Folclore de Olímpia, em parceria com o Instituto de Artes da Unicamp e da Universidade Estadual de Goiás, com o apoio da Prefeitura da Estância Turística de Olímpia, por meio da Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer. O simpósio tem a coordenação de Estêvão Amaro dos Reis, Gilson Scharnik e Emerson Adriano Sill.

No primeiro dia, terça-feira, 11 de agosto, o simpósio terá início às 8h30, com recepção e credenciamento na coordenadoria dos Festivais do Folclore. Em seguida será servido um café na Casa do Caipira. As 10h será realizada a sessão de abertura. A primeira conferência será com a Dra. Suzel Ana Reily, da UNICAMP/Queen’s University Belfast.

Na parte da tarde, das 16h às 18h30, será realizada a mesa temática 1, com o tema Folclorização: festivais de folclore e novos espaços de performance, com Dr. Edilberto Fonseca (UFF), Dr. Wagner Chaves (UFRJ) e Me. Estêvão Amaro dos Reis (UNICAMP).

Já na quarta-feira, 12, o simpósio terá início às 9h, com a apresentação artística. Das 9h30 às 12h, será a mesa temática 2, com o tema Abordagens sobre o Folclore: Educação, Música e Turismo. A mesa será composta por Maria Idelma Vieira D´Abadia, João Guilherme Curado, Aline Santana Lobo, Ronypeterson Miranda, da UEG.

Na parte da tarde, das 16h às 18h30, será a mesa temática 3, com o tema Territórios: educação, turismo cultural e desenvolvimento sustentável, que será discutido pela mestra Alessandra Ribeiro (PUC-Campinas/Jongo Dito Ribeiro), e professores Maria Aparecida de Araújo Manzolli, Edward Marques e Eliana Bertoncello Monteiro.

No último dia do simpósio, 13, das 9h às 11h, será realizada a mesa temática 4, com o relato de experiência e roda de conversa com os mestres dos grupos folclóricos, seguida de oficina e apresentação artística.

Para encerrar, das 16h às 17h, será realizada uma oficina, em seguida a conferência e sessão de encerramento.

ACOMPANHE AQUI O FEFOL AO VIVO. CLIQUE AQUI

Já é tradição e pelo décimo ano consecutivo o Festival Nacional do Folclore de Olímpia será transmitido ao vivo para todo o planeta através da internet, inclusive pelos portais Diário de Olímpia e Estância Turística de Olímpia, do mesmo Grupo, além dos sites oficiais, a partir deste sábado (8), às 20h.

As transmissões, que se iniciam hoje na abertura serão geradas no horário das apresentações de palco, proporcionando assim a oportunidade ao internauta acompanhar as danças exibidas no 51º Festival do Folclore em tempo real. As transmissões serão realizadas pela OlímpiaWeb Internet e Top Vídeo Produções.

Além de poder assistir através do computador, os internautas poderão acompanhar o festival através de dispositivos móveis, incluindo Smartphones, Iphone, Ipad, Black Berry, e aparelhos com Sistema Android, utilizado na maioria dos celulares e tablets do planeta. Para isso, basta seu aparelho ter uma conexão com a internet de pelo menos 700 kbps.

Durante a transmissão, o internauta pode ainda interagir com as apresentações e enviar mensagens através de um espaço reservado dentro do site. Uma equipe de técnicos está preparando todo o sistema para que não haja interrupções durante as danças.

Na última edição, durante os nove dias de festival mais de 26 mil internautas assistiram às apresentações ao vivo pela internet. Além disso, outros milhares de internautas acessaram o site fora do horário da transmissão, totalizando 40 mil visitantes únicos durante o 50º Fefol.

Além do festival ao vivo, o internauta pode conferir no site oficial, a programação, notícias, informações e fotos da nossa festa maior.

Confira a programação completa do 51º Fefol com 12 Estados confirmados a partir de hoje 

Doze Estados brasileiros até o momento estão confirmados para o 51º Festival Nacional de Folclore, que se realiza em Olímpia de 8 a16 deste mês. Na abertura, deste sábado (8), sete deles estarão no palco a partir das 22h, após a cerimônia de abertura e espetáculo pirotécnico, inclusive Pernambuco, o Estado homenageado desta edição, através do Balé Popular de Bezerros, o único que veio daquele Estado até agora.

papanguarte

O programa oficial do 51º Fefol – Jubileu de Uva – foi divulgado na tarde de hoje (3), e encontra-se logo abaixo. Confira item por item e, ao final, a programação de palco de toda a semana.

ANUÁRIO DE FOLCLORE Nº 45

Prestigiosa publicação sobre o objeto da nossa festa maior, o Anuário de Folclore n.º 45 estará disponível a partir de 08 de agosto de 2015, no site oficial da festa (www.folcloreolimpia.com.br) para download em pdf. e comercialização durante a festa. O Anuário é editado pela Coordenadoria dos Festivais do Folclore, e pelo folclorista André Luiz Nakamura contendo abordagens de variados temas concernentes à arte e à ciência do povo.

42.º CAMPEONATO DE MALHA

Realizado no Centro de Esportes e Recreação “Olynto Zambon”, na Avenida Harry Giannecchini, durante o Festival.

O esporte, ainda cultivado em Olímpia, consiste no lançamento de discos de ferro (“malhas”) contra pequenos tocos de madeira, que, colocados a certa distância dos jogadores, devem ser por estes derrubados, para a obtenção de pontos.

44.º CAMPEONATO DO TRUCO

Outro esperado e acirrado certame, que atrai “truqueiros” de diversos pontos da região e até do país, o Campeonato do Truco deste 51.º FEFOL acontece no Recinto de Exposições e Praça das Atividades Folclóricas “Prof. José Sant’anna”.

11.º CAMPEONATO DE BOCHA

Também realizado no Recinto de Exposições e Praça das Atividades Folclóricas “Prof. José Sant’anna” a 11.ª edição do Campeonato de Bocha.

Trata-se de modalidade esportiva popular muito praticada em Olímpia. Pertencente à lúdica adulta, tal jogo, a exemplo da “malha”, é esporte prevalentemente masculino e consiste no lançamento de bolas de madeira visando a aproximá-las, o mais possível, de uma outra bola, de menor tamanho. Um esporte “chato de ver, mas gostoso de jogar”, como diz o povo. Sobre sua origem há muita divergência, mas há relativo consenso no sentido de que foi trazido ao Brasil pelos italianos, grandes entusiastas da “bocha”.

50.ª GINCANA DE BRINQUEDOS TRADICIONAIS INFANTIS

Evento destinado ao resgate da tradição de jogos e brincadeiras infantis, constituindo-se em elementos integrantes da cultura folclórica, é a manifestação da riqueza natural da criança no seu contexto de vida. Como manifestação livre e espontânea da cultura popular, os jogos e as brincadeiras tradicionais têm a função de perpetuar a cultura infantil, de desenvolver formas de convivência social e de permitir o prazer de brincar.

Por isso a importância para a criança estar em contato, na sua infância, com todos os brinquedos tradicionais vivenciados pelos seus avós e seus pais, mantendo assim, toda tradição que é de suma importância para a cultura de uma sociedade. Fazem parte deste resgate os seguintes brinquedos: bétia, pular corda, corrida no saco, amarelinha, perna de pau, bola na lata, rodar pião, bito, bolinha de gude, cabo de guerra, entre outros.

As brincadeiras acontecem no espaço da arena principal do Recinto de Exposições e Praça de Atividades Folclóricas “Professor José Sant’anna”, de 10 a 13 de agosto, das 08h às 12h.

27.ª PEREGRINAÇÃO FOLCLÓRICA – FOLCLORE NA RUA

De 10 a 14 de agosto, a Praça da Matriz de São João Batista e as ruas centrais de Olímpia serão o itinerário de um festivo e colorido passeio de grupos folclóricos e parafolclóricos, durante o qual estes visitarão órgãos públicos, estabelecimentos comerciais e bancários que colaboram no patrocínio da nossa festa maior, fazendo breves, porém vibrantes apresentações, de modo a transcender a festa vivida no Recinto de Exposições e Praça das Atividades Folclóricas para as ruas olimpienses.

Programação

Segunda-feira 10/08/2015

CTG Estância da Serra – RS

Cia Encantar – MA

Terça-feira 11/08/2015

Boi de Palha – MA

Bacamarteiros – SE

Quarta-feira 12/08/2015

Terras Potiguares – RN

Papanguarte – PE

Quinta-feira 13/08/2015

Maria Bonita – CE

Major Sales – RN

Sexta-feira 14/08/2015

Vitória Régia – MT

Mapinguari – PA

31.º MINI FESTIVAL DO FOLCLORE

Evento que se destina a crianças e adolescentes, no intuito de lhes despertar o apreço e o interesse pelo folclore brasileiro. A 31.ª etapa do Mini Festival do Folclore será realizada de 10 a 13 de agosto, das 14h às 16h no Pavilhão Cultural, no Recinto de Exposições e Praça das Atividades Folclóricas, coordenado pela Secretaria Municipal de Educação.

Constam da programação apresentações diárias de alunos das unidades escolares municipais, mostrando o trabalho de pesquisa e aproveitamento do Folclore na Educação. O mini festival também recebe grupos folclóricos e parafolclóricos que visitam a cidade e um representante do grupo profere breves preleções explicando o significado dos trajes e instrumentos de seu grupo, bem como usos e costumes de sua região.

Programação:

Dia 10/08 – 14 horas

EMEB Santo Seno – Bumba-meu-boi/Xaxado

EMEB Professor Reinaldo Zanin – Frevo

Grupo CALA – RS

Dia 11/08 – 14 horas

EMEB Washington Junqueira Franco – Catira

EMEB Theodomiro da Silva Melo – Café

Cia Encantar – Maranhão

Dia 12/08 – 14 horas

EMEB Professor José Sant’Anna – Xaxado

EMEB Jardim Hélio Cazarini – Bambu

EMEB Dona Luiza Seno de Oliveira – Quadrilha

Vitória Régia – MT

Dia 13/08 – 14 horas

EMEB Professora Zenaide Rugai Fonseca – Carimbó/Frevo

EMEB Professor Maurício César Alves Pereira – Caboclinhos

EMEB Joaquim Miguel dos Santos – Frevo Papangu

CTG Estância da Serra

Dia 14/08 – 14 horas

Mapinguari – PA

Boi de Palha – MA

Terras Potiguares – RN

MUSEU DE HISTÓRIA E FOLCLORE

Olhar o futuro com referências do passado! É com esse espírito e munido desse sentido identitário de nossas raízes culturais, que devemos adentrar e conhecer o Museu de História e Folclore “Maria Olímpia”. Criado oficialmente em agosto de 1973, graças ao trabalho do professor José Sant’Anna e a participação e entusiasmo de olimpienses abnegados, como o professor Victorio Sgorlon e sua esposa Lourice Arutin Sgorlon, que o museu é considerado um dos mais completos do Brasil.

O riquíssimo acervo possui cerca de 3.000 peças, dentre indumentárias diversas de folias de reis, congadas, reisados, moçambiques, caiapós, bacamartes, parafusos, e ainda peças de barro, bambu, madeira, couro, ágata, toalhas com abrolhos, trançados em palha, crochê, pinturas, objetos representativos dos mitos brasileiros, instrumentos musicais, peças de hábitos tradicionais e uma biblioteca especializada nas tradições da cultura popular.

A mais antiga e uma valiosa peça fica na parte exterior do museu e é um dos elementos mais significativos na história social e econômica do município. Trata-se de uma locomotiva inglesa de 1892 (Maria Fumaça), que ligou Olímpia a todo Brasil, promovendo o desenvolvimento econômico da região. O palacete Giosué Tonanni que abriga o museu, concluído em 1916, é hoje um dos cartões postais da cidade.

O Museu de História e Folclore “Maria Olímpia” estará com várias atrações no mês de agosto, com a programação especial em comemoração aos 51 anos do Festival do Folclore. A exposição riquíssima é inspirada nos Festivais do Folclore que se realizam em Olímpia e no folclore brasileiro.

Durante as manhãs da semana do FEFOL acontecem apresentações de grupos folclóricos.

O Horário de funcionamento é de terça à sexta-feira das 09h às 17h e de sábados, domingos e feriados das 10h às 14h.

Museu de História e Folclore Maria Olímpia

Rua David Oliveira, nº 420 – Centro

(17) 3281- 6436

Programação:

Segunda-feira 10/08/2015

10 horas: Grupo CALA

15 horas: Boi de Palha

Terça-feira 11/08/2015

10 horas: Papanguarte

15 horas:Terras Potiguares

Quarta-feira 12/08/2015

10 horas: Major Sales

15 horas:Bacamarteiros

Quinta-feira 13/08/2015

10 horas: CTG Estância da Serra

15 horas: NÃO

Sexta-feira 14/08/2015

10 horas: Terras Potiguares

15 horas: Vitória Régia

26.º SALÃO DE PINTURAS E ARTES

O 26º Salão de Pinturas e Artes estará disposto no Pavilhão Cultural realizado, no Recinto de Exposições e Praça das Atividades Folclóricas “Prof. José Sant’anna”, de 08 a 16 de agosto de 2015. Haverá exposição e comercialização de obras que fazem parte de um tradicional concurso de pintura, poesia, artesanato e escultura, realizado nos meses antecedentes ao festival, cujo tema versa sobre o folclore brasileiro relativo ao Estado homenageado, que em 2015 será o Estado de Pernambuco.

PAVILHÃO CULTURAL

O Pavilhão Cultural nos seus espaços abrigará o artesanato típico de várias localidades do Brasil. O artesanato caracteriza-se por sua pluralidade brasileira. A grande produção artesanal tradicional que se observa em todas as regiões do país, com marcas indenitárias, apresenta-se diversificada, em várias técnicas.

As produções que são representadas através de objetos, utensílios domésticos, ornamentação, pinturas, entre outros que compõem o dia-a-dia brasileiro. Destacam-se principalmente o artesanato dos Estados de São Paulo, Pernambuco, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Mato Grosso e Ceará.

Com a participação da Casa do Artesão de Olímpia, associação que mantém viva a tradição e o resgate artesanal, com destaque para o “trançado estrela’ autenticamente olimpiense.

I SIMPÓSIO DE ESTUDOS ETNOMUSICOLÓGICOS DE OLÍMPIA: O FOLCLORE NA MODERNIDADE

O I Simpósio de Estudos Etnomusicológicos de Olímpia é um evento realizado pela Coordenadoria dos Festivais do Folclore de Olímpia em parceria com o Instituto de Artes da Unicamp e da Universidade Estadual de Goiás. Com o apoio da Prefeitura Municipal de Olímpia através da Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer e da Secretaria de Educação, será realizado no Pavilhão Cultural do Recinto de Exposições e Praça de Atividades Folclóricas “Professor José Sant´anna” nos dias 11, 12 e 13 de agosto de 2015, sob a coordenação de Estêvão Amaro dos Reis, Gilson Scharnik e Emerson Adriano Sill.

Terça-feira feira – 11/08

8h30 – Recepção e credenciamento

Local: Coordenadoria dos Festivais do Folclore

9h30 – Intervalo (café na Casa do Caipira)

10h – Sessão de Abertura

10h30 – Conferência de Abertura

Dra. Suzel Ana Reily

UNICAMP/Queen’s University Belfast

16h às 18h30 – Mesa Temática 1

Folclorização: festivais de folclore e novos espaços de performance

Dr. Edilberto Fonseca (UFF), Dr. Wagner Chaves (UFRJ), Me. Estêvão Amaro dos Reis (UNICAMP)

Quarta-feira – 12/08

9h às 9h30 – Apresentação artística

9h30 às 12h – Mesa Temática 2 (TECCER – UEG) Abordagens sobre o Folclore: Educação, Música e Turismo

Componentes: Dra. Maria Idelma Vieira D´Abadia, Dr. João Guilherme Curado, Aline Santana Lobo, Ronypeterson Miranda, (UEG) 11h30 às 12h

Apresentação artística

16h às 18h30 – Mesas Temática 3

Territórios: educação, turismo cultural e desenvolvimento sustentável

Me. Alessandra Ribeiro (PUC-Campinas/Jongo Dito Ribeiro), Prof.ª Maria Aparecida de Araújo Manzolli, Prof. Edward Marques, Prof.ª Eliana Bertoncelo Monteiro (Olímpia

Quinta-feira 13/08

9h às 11h – Mesas Temática 4

Relato de experiência e roda de conversa

(Mestres dos Grupos Folclóricos)

11h às 12h – Oficina e apresentação artística

16h às 17h – Oficina

17h às 18h – Conferência de Encerramento

18h às 18h30 – Sessão de Encerramento e apresentação artística

CULINÁRIA TRADICIONAL

Resultante de um intenso e extenso processo interativo de trocas e permanências, é impossível hoje no Brasil, pensar-se à culinária brasileira, sem considerar a riqueza e peculiaridades regionais e tradicionais.

O churrasco gaúcho, o leitão à pururuca e tutu à mineira, o pato ao tucupi paraense ou o arroz de cuxá maranhense. Reconhecendo esta tão grande diversidade apresentamos no 51.° Festival do Folclore de Olímpia alguns exemplos de nossa mesa tradicional. Sendo o Estado homenageado Pernambuco a culinária deste estado estará presente.

Em 2015 será comercializado o prato Mula sem Cabeça, lançado no Festival Internacional de Folclore de Olímpia realizado em maio, além do lançamento de mais dois novos pratos inspirados em lendas folclóricas brasileiras.

VILA BRASIL

Iniciada em 2009, com a construção da Casa do Caipira, a Vila, tem sido bastante frequentada durante a realização dos Festivais, acrescida, em 2011, do Coreto, onde a arquitetura folclórica caipira do interior paulista está presente, por ocasião dos festivais e durante todo o ano, encontrando-se permanentemente disponíveis para visitas de turistas e para estudos e pesquisas de estudiosos do folclore.

A partir de 2011 cada Estado homenageado construiu sua casa típica, deixando registrada sua arquitetura folclórica.

Em 2011 o estado do Rio Grande do Norte construiu a casa de taipa; em 2012, o do Rio Grande do Sul construiu o Galpão Crioulo e em 2014 o Estado de São Paulo construiu um Curral típico paulista. Assim o projeto dará a cada Estado um espaço próprio no recinto.

Durante o 51.º Festival, além da culinária típica, uma programação de música tradicional e caipira será realizada no local, com rodas de violas, café caipira feito no fogão à lenha e muitos causos. Além do tradicional café, o Fundo Social de Solidariedade também comercializa churrasco, canjica, arroz doce, hambúrguer, chocolate quente, quentão, pão, e bebidas. Com bolos de milho, cenoura e mandioca. Caldos de feijão, canja e mandioca. Tortas de frango, linguiça e outros quitutes típicos.

Amantes da música caipira, do sertanejo de raiz e da viola caipira, confiram a programação abaixo:

Sábado – 08/08/15

Preto e Pretinha – Olímpia

Marcos Paulo e Cassiano – Olímpia

Dico e Guimarães – Olímpia

Goiano e Goianinho – Olímpia

Sr Geraldo e Paulinha – Olímpia

Tati e Marinho – Olímpia

Bazan Viola e Ferreira – Olímpia

Márcio e Marcílio – Olímpia

Domingo – 09/08/2015

Preto e Pretinha – Olímpia

Marcos Paulo e Cassiano – Olímpia

Dico e Guimarães – Olímpia

Sr Geraldo e Paulinha – Olímpia

Tati e Marinho – Olímpia

Bazan Viola e Ferreira – Olímpia

Márcio e Marcílio – Olímpia

Goiano e Goianinho – Olímpia

Segunda-Feira – 10/08/15

Preto e Pretinha – Olímpia

Marcos Paulo e Cassiano – Olímpia

Dico e Guimarães – Olímpia

Natal e Vladimir – Olímpia

Tati e Marinho – Olímpia

Bazan Viola e Ferreira – Olímpia

Goiano e Goianinho – Olímpia

Terça-Feira – 11/08/2015

Abecao – Viola Caipira – Olímpia

EMEB Eugênio Zaccarelli – Apresentação dos alunos e Professores: Ciranda de Pernambuco, com participação do Vadão e Danilo – Olímpia

Preto e Pretinha – Olímpia

Marcos Paulo e Cassiano – Olímpia

Dico e Guimarães – Olímpia

Marcío e Marcílio – Olímpia

Natal e Vladimir – Olímpia

Tati e Marinho – Olímpia

Bazan Viola e Ferreira – Olímpia

Fátima, Fernanda e Belo

Quarta-Feira – 12/08/2015

Clube da Viola de Bauru

Zanilo e Zanete – Bauru

Joni e Mil – Bauru

Barreto e Batatais – Bauru

Suca e Miranda – Bauru

Zé da Barca e Nair Castro – Bauru

Jota Carvalho – Barretos

Preto e Pretinha – Olímpia

Marcos Paulo e Cassiano – Olímpia

Quinta-Feira – 13/08/2015

Coraz Raízes – Guaira

19h00 – Missa Sertaneja na Capela Santos Reis

Grupo Cheiro do Mato – Monte Azul Palista

Preto e Pretinha – Olímpia

Marcos Paulo e Cassiano – Olímpia

Dico e Guimarães – Olímpia

Goiano e Goianinho – Olímpia

Márcio e Marcílio – Olímpia

Sexta-Feira – 14/08/2015

Preto e Pretinha – Olímpia

Marcos Paulo e Cassiano – Olímpia

Dico e Guimarães – Olímpia

Grupo Cheiro do Mato – Monte Azul Paulista

Márcio e Marcílio – Olímpia

Goiano e Goianinho – Olímpia

Sábado -15/08/2015

João Sem Carro e Zé Carona – Embaúba

Preto e Pretinha – Olímpia

Marcos Paulo Cassiano – Olímpia

Dico e Guimarães – Olímpia

Natal e Vladimir – Olímpia

Márcio e Marcílio – Olímpia

Tati e Marinho – Olímpia

Sr Geraldo e Paulinha – Olímpia

Goiano e Goianinho – Olímpia

Bazan Viola e Ferreira

Domingo – 16/08/2015

Encontro e Rodas de Violas com todos os participantes, a partir das 16:00 horas.

11.° RALLY DO FOLCLORE

Dia 16 de agosto acontecerá em Olímpia mais uma edição do RALLY DO FOLCLORE, pelo 11.º ano consecutivo.

Largada às 10h, no Recinto de Exposições e Praça de Atividades Folclóricas “Prof.º José Sant’anna”, chegada a partir das 13h. A premiação é feita com troféus até o 5.º colocado em todas as categorias.

51.° FESTIVAL DO FOLCLORE

Os grupos folclóricos e parafolclóricos farão suas apresentações no palco do Recinto de Exposições e Praça das Atividades Folclóricas “Professor José Sant’anna”.

 

PROGRAMA

Abertura Oficial do 51.º Festival do Folclore

19h: – Hasteamento das Bandeiras;

– Hino Nacional;

– Hino a Olímpia.

19h30min: Espetáculo de Abertura, realizado com a participação das escolas da rede municipal de ensino.

20h30min: Desfile dos Grupos Folclóricos e Parafolclóricos.

21h: Discursos Oficiais.

21h30min: Espetáculo Pirotécnico.

22h: Apresentação dos grupos presentes do 51.º FEFOL.

1. Grupo Papanguarte – Balé Popular de Bezerros – PE

2. Grupo Batalhão de Bacamarteiros – SE

3. Grupo Pastoril Dona Joaquina – RN

4. Grupo Vitória Régia – MT

5. Cia Encantar do Maranhão – MA

6. Associação Cultural Maria Bonita – CE

7. CTG Estância da Serra – Osório – RS

8. Grupo Reis de Congo de Major Sales – RN

9. Grupo Terras Potiguaras – RN

10. Grupo Caboclos de Mestre Bebé – RN

11. Grupo Cala – RS

12. Grupo Boi de Palha – MA

Dia 09/08/2015 – Domingo

10h: Missa de Ação de Graças pela realização do 51.º Festival do Folclore.

Local: Igreja Matriz de São João Batista.

Participação de grupos folclóricos e Parafolclóricos.

PALCO – Dia 09/08/2015 – Domingo

1. Os Catireiros de Olímpia Nossa Senhora – Olímpia – SP

2. Cia de Santos Estrela Guia – Olímpia – SP

3. Cia de Santos Reis Viajantes de Belém – Olímpia – SP

4. Godap – Olímpia – SP

5. CTG Estância da Serra – Osório – RS

6. Associação Cultural Maria Bonita – CE

7. Grupo Parafolclórico Frutos da Terra – Olímpia – SP

8. Grupo Vitória Régia – MT

9. Grupo Papanguarte – Balé Popular de Bezerros – Bezerros – PE

10. Cia Encantar do Maranhão – MA

PALCO – Dia 10/08/2015 – Segunda-feira

1. Grupo Batalhão de Bacamarteiros – Carmópolis – SE

2. Cia de Santos Reis Caminho de Belém – Olímpia – SP

3. Cia de Santos Reis Mensageiros da Paz – Olímpia – SP

4. Grupo Boi de Palha – MA

5. Grupo Pastoril Dona Joaquina – RN

6. Grupo Caboclos de Mestre Bebé – RN

7. Grupo Cala – RS

PALCO – Dia 11/08/2015 – Terça-feira

1. Grupo Terras Potiguares – RN

2. Cia de Santos Reis Estrela da Guia – Olímpia – SP

3. Cia de Santos Reis Filhos de Maria – Olímpia – SP

4. Associação Cultural Anástasis – Olímpia – SP

5. Grupo Reis de Congo de Major Sales – RN

6. Godap – Olímpia – SP

7. Grupo Papanguarte – Balé Popular de Bezerros – Bezerros – PE

8. Grupo Cala – RS

9. Associação Cultural Maria Bonita – CE

PALCO – Dia 12/08/2015 – Quarta-feira

1. Batalhão de Bacamarteiros – SE

2. Cia de Santos Reis Incenso, Ouro e Mirra – Olímpia – SP

3. Grupo de Dança São Gonçalo – Olímpia – SP

4. Grupo Recomendação das Almas – Olímpia – SP

5. Grupo Andora – ES

6. Associação Cultural Anástasis – Olímpia – SP

7. Cia Encantar do Maranhão – MA

8. Grupo Reis de Congo de Major Sales – RN

PALCO – Dia 13/08/2015 – Quinta-feira

1. Grupo Caboclos de Mestre Bebé – RN

2. Cia. de Santos Reis Fernandes – Olímpia – SP

3. Associação de Capoeira Raízes de Olímpia – Olímpia – SP

4. Godap – Olímpia – SP

5. Grupo Fogança – Maringá – PR

6. Moçambique Zé Ferreira – Olímpia – SP

7. Grupo Boi de Palha – MA

8. Grupo Parafolclórico Vitória Régia – Cáceres – MT

9. Grupo Pastoril Dona Joaquina – RN

10. Grupo Andora – ES

11. Grupo Mapinguari – PA

PALCO – Dia 14/08/2015 – Sexta-feira

1. Samba Lenço de Mauá – SP

2. Cia de Santos Reis Lapinha de Belém – Olímpia – SP

3. Associação Cultural Anástasis – Olímpia – SP

4. Cia de Santos Reis Estrela da Paz – Olímpia – SP

5. Grupo Andora – ES

6. Grupo Parafolclórico Frutos da Terra – Olímpia – SP

7. CTG Estância da Serra – Osório – RS

8. Grupo Mapinguari – PA

9. Associação Cultural Maria Bonita – CE

10. Grupo Terras Potiguaras – RN

11. Grupo Papanguarte – Balé Popular de Bezerros – Bezerros – PE

12. Grupo Vitória Régia – MT

PALCO – Dia 15/08/2015 – Sábado

1. Batalhão de Bacamarteiros – Carmópolis – SE

2. Grupo Caiapó – SP

3. Grupo Caboclos de Mestre Bebé – RN

4. Samba Lenço de Mauá – SP

5. Congada Chapéu de Fitas – Olímpia – SP

6. Fandango de Tamanco de Cuitelo – SP

7. Grupo Reis de Congo de Major Sales – RN

8. Grupo Papanguarte – Balé Popular de Bezerros – Bezerros – PE

9. Grupo Fogança – PR

10. Grupo Andora – ES

11. Grêmio Arraiá de São Mateus – MG

12. Grupo Mapinguari – PA

13. Grupo Pastoril Dona Joaquina – RN

14. CTG Estância da Serra – RS

15. Grupo Terras Potiguaras – RN

16. Grupo Vitória Régia – MT

17. Associação Cultural Maria Bonita – CE

18. Grupo Boi de Palha – MA

DIA 16/08/2015 – Domingo

DESFILE – 09h: Ponto Máximo do Festival – Desfile Folclórico pelas ruas de Olímpia.

Trata-se de uma sensacional confraternização dos grupos que do evento participam, num variegado e deslumbrante tráfego de danças e ritmos pelas ruas olimpienses. Participam os grupos presentes no evento e de dezena de ouros.

Concentração: Câmara Municipal de Olímpia. Desfile pela Av. Aurora Forti Neves até a Rua Bernardino de Campos.

PALCO – 20h: Discursos de Encerramento; Arriamento das Bandeiras e Espetáculo Pirotécnico.

– Apresentação dos Grupos no Palco.

Entrada Franca

PROGRAMA SUJEITO A ALTERAÇÃO

Pernambuco será homenageado por cerca de 200 alunos da rede municipal, sábado

Cerca de 200 crianças da rede municipal de ensino participarão, mais uma vez, da abertura oficial do Festival de Folclore de Olímpia, sábado (8), sob a coordenação da Secretaria de Educação. O tema da coreografia remete à homenagem do 51º Fefol ao Estado de Pernambuco.

Abertura-50º-Festival-do-Folclore---Foto-Camila-Reale-

“Nós vamos participar da cerimônia de abertura sempre com esse espírito de manter vivo nas nossas crianças o amor pelos nossos festivais. Não é um espetáculo com tecnologia, desses tipos de espetáculos que são vistos em grandes eventos. É um espetáculo idealizado por um educador com a participação das crianças, e do nosso ponto de vista tem muito valor, porque tem um empenho muito grande de todos os segmentos e o apoio das famílias das crianças. Acreditamos que será um sucesso essa abertura”, conta a secretária Eliana Bertoncello Monteiro.

“Nós teremos este ano uma abertura com a participação de mais de 200 crianças das escolas municipais Maurício Cesar Alves Pereira, Dona Luiza Seno de Oliveira, Jardim Hélio Cazarini e Santo Seno, e temos da Rede Estadual, com a Capitão Narciso Bertolino, Wilquem Manoel Neves e Alzira Tonelli Zacarelli, que participarão conosco da Abertura. Nós teremos atividades com danças, encenação, começando com o som de um compositor pernambucano, Antônio Nóbrega. Vamos de ‘Pernambuco nos aproximando de Olímpia’, e fechamos a Abertura com uma música de um compositor olimpiense, que é o nosso conhecido professor Wadão”, assinala a secretária.

Como se sabe, o professor Edward Marques da Silva, o Wadão, compositor, poeta, instrumentista e cantor, sempre compõe uma música para os festivais, tendo como tema o Estado e seu grupo homenageados. Este ano, claro, ele fala do Pernambuco e suas tradições, com a música “Frevo Virado”.

“Nós temos um objetivo educacional, de incentivar as crianças a participar e dessa forma aprenderem a amar também o nosso Festival, a respeitarem as nossas tradições, e se familiarizarem com as nossas Folias de Reis, Congada, Moçambique, com os Caiapós e suas brincadeiras. Então, elas, desde pequenas, vão sendo atraídas (para a festa) por uma outra razão: vão aprendendo o que é Folclore, tanto pelo trabalho que é feito nas escolas, quanto pela sua participação no próprio Recinto durante toda a semana. E isso, para nós, é o importante”, explica Eliana Monteiro.

51º Festival de Folclore de Olímpia tem o patrocínio da Guarani

A Guarani, empresa do Grupo Tereos, será patrocinadora da 51ª edição do Festival do Folclore, que ocorre entre os dias 8 e 16 de agosto na Estância Turística de Olímpia, considerada a capital nacional do Folclore. O evento, realizado no Recinto de Exposições e Praça de Atividades Folclóricas, é o único do gênero no país.

fefol

A iniciativa faz parte da política de responsabilidade sociocultural da empresa; o patrocínio será por meio do ProAC ICMS – Programa de Ação Cultural. A parceria da Guarani com o evento já é tradicional e ocorreu em outros anos.

Para Jacyr Costa Filho, diretor da Região Brasil do Grupo Tereos, a valorização da cultura faz parte da atuação das empresas do Grupo Tereos, como a Guarani, que possui sete unidades no interior do estado de São Paulo.

"Consideramos a cultura como um meio de transformação e desenvolvimento da sociedade, por isso, temos o compromisso de investir em iniciativas como o Festival do Folclore de Olímpia", acrescenta.

A edição de 2015 do Festival vai homenagear o Estado de Pernambuco e o foco é a preservação e difusão da cultura popular brasileira por meio de danças e costumes.

A programação do evento ainda contempla, entre os dias 10 e 23, o 31º Mini Festival do Folclore com a participação das escolas municipais que apresentam danças de diversas regiões, consagrando o trabalho desenvolvido durante todo o ano com o ensino de folclore.

A programação completa do evento pode ser acessada pelo site www.folcloreolimpia.com.br

Sobre a Guarani

A Guarani é uma das empresas líderes do setor de cana-de-açúcar do Brasil e destaca-se como o 2° maior grupo produtor de açúcar na região Centro Sul do Brasil. Possui oito unidades industriais, sendo sete no Brasil, na região noroeste do Estado de São Paulo, e uma unidade em Moçambique.

Na safra 2014/15, a Companhia processou 20,2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e produziu 1,5 milhão de toneladas de açúcar, 790 milhões de litros de etanol e 1000 GWh de energia para comercialização.

A Guarani é parte do Grupo Tereos, terceiro maior produtor de açúcar do mundo. Em abril de 2010, a Tereos Internacional e a Petrobras Biocombustível estabeleceram uma parceria estratégica e de longo prazo para consolidar a Guarani como um dos principais atores do setor sucroenergético.

Sobre o Grupo Tereos

Terceiro maior grupo de açúcar do mundo, o Grupo Tereos é especializado na transformação de beterraba, cana-de-açúcar e cereais. O Grupo tem também posições de liderança nos mercados de álcool (primeiro na Europa) e amido (terceiro na Europa).

A Tereos tem 42 unidades industriais e emprega 24.000 pessoas em quatro continentes. Em 2013/14, o Grupo registrou 4,7 bilhões de euros em receitas.

Como grupo cooperativo, a Tereos reúne 12 mil produtores cooperados e atua com uma visão de longo prazo: a adição de valor às matérias primas agrícolas, contribuindo para o fornecimento de alimentos de qualidade.