Empresários participam de audiência pública sobre lotes do Distrito Industrial-3

Na última quinta-feira (25), a Associação Comercial e Industrial de Olímpia (ACIO) realizou em sua sede, uma audiência pública com empresários de Olímpia para explicar e apresentar as tratativas técnicas do Distrito Industrial III, abordando as leis, documentos e especificidades para adquirir os lotes.

audiencia-publica-

O Distrito Industrial III possui 64 lotes, sendo que 53 já foram comprados nas primeiras licitações e empresários procuram a Secretaria de Agricultura, Comércio e Indústria, e a ACIO para obter informações a respeito deste residual de 11 lotes.

Flávio Vedovato, Presidente da ACIO e Diretor de Indústria e Comércio de Olímpia, explica que “a audiência sana dúvidas a respeito da documentação necessária para participar das licitações, as formas de pagamento e aquisição, além de explicar os prazos para as construções”.

Outro fator apresentado são os incentivos que o município oferece ao adquirente, como o parcelamento em 60 vezes com início de pagamento após um ano, desconto de até 75% no IPTU e apenas o acréscimo do IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), desprovido de outras formas de oneração.

As empresas que adquirirem terrenos no DI-III serão fiscalizadas junto à municipalidade, respeitando a Lei de criação do Distrito (nº 3.623/2012), a Lei de comercialização dos lotes (nº 3.868/2014) e o Decreto que viabiliza a alienação dos terrenos.

“O Distrito Industrial III foi criado para o pequeno e médio empresário que queira, de verdade, colocar suas atividades e empregar, porque o que temos hoje é carência de mão-de-obra e estamos qualificando-a por meio dos cursos da ACIO, e precisamos de empresas que contratem esta mão-de-obra”, ressalta Flávio Vedovato.

Dos 11 terrenos ainda disponíveis, três estão na Quadra A, Lote 3: 516,03m2; Lote 5: 598,73m2 e Lote 8: 673,52m2. Quatro terrenos estão na Quadra B, Lote 5: 657,69m2; Lote 6: 666,80m2; Lote 8: 658,64m2 e Lote 12: 657,77m2. E outros quatro terrenos na Quadra D, Lote 1: 537,03m2; Lote 6: 900,64m2; Lote 9: 520,18m2 e Lote 10: 552,05m2.

Os interessados em participar da próxima licitação e que possuem dúvidas a respeito do Distrito e da documentação necessária, devem procurar a ACIO ou a Secretaria de Agricultura, Comércio e Indústria, para obter melhores informações.

 

Contratos assinados

Na última semana, mais três compradores compareceram no gabinete da Prefeitura da Estância Turística para assinar os contratos de compra de lotes no Distrito Industrial III. Os sócios Mário André Rodrigues e Marcelo Cristovam Rodrigues, da Macritec, empresa relacionada à mecânica industrial, manutenção em usinagem e solda, adquiriram um lote da Quadra A, de 673m2, pelo valor de R$ 67.500 a ser pago em 60 vezes. “O intuito de ir para o DI-III é deixar de pagar aluguel, expandir a empresa e o quadro de funcionários, com espaço físico maior, e a necessidade de trabalhar 24 horas”, explica André.

assinatura-contrato-1

Valmir Dias dos Santos, da VR Estruturas Metálicas, Caldeiraria Industrial e Serralheria, também esteve junto com o Prefeito Geninho Zuliani na quinta-feira, 25 de junho, para assinar o contrato do Lote 7, da Quadra A, no valor de R$ 68.400, a ser pago em 60 vezes.

assinatura-contrato-2

Atualmente a empresa, que desenvolve grades, portões e estruturas metálicas, está localizada na Incubadora de Empresas, próxima ao Distrito Industrial-III, projeto da Administração Municipal que visa proporcionar empresas iniciantes a se desenvolverem economicamente.

assinatura-contrato-3

As sócias da FEA Foods Comércio e Indústria de Produtos Alimentícios Ltda., adquiriram os lotes 1 e 2 da Quadra A, com 612m2 e 603m2, nos valores R$ 60.360 e R$ 61.260, respectivamente. As sócias Maria Andressa da Silva Lopes, Estefânia Beatriz Cicilini Denadai e Danielle Gabriel Fogaça vão pagar os lotes em 60 parcelas e compraram para deixar de pagar aluguel e adequar melhor a empresa, além de contratar mais funcionários, que atualmente são 16.

De 64 lotes do Distrito Industrial-3, só restam 11 para a última licitação

O Distrito Industrial-3 de Olímpia, lançado pelo prefeito Geninho Zuliani (DEM), já comercializou 53 lotes, sendo nove deles vendidos na última licitação realizada na dias atrás.

Dos 64 lotes colocados à venda, restam somente 11 para a última licitação. Foram vendidos os lotes 2, 3, 4 e 5 da Quadra “D”, e os lotes 2-A, 2-B, 2-C, 3-A e 3-B da Quadra “E”, de dez colocados em licitação.

De acordo com o presidente da ACIO e diretor de Indústria e Comércio, Flávio Vedovato Arantes, a comercialização destes terrenos pode gerar aos cofres públicos, até R$ 3,5 milhões, sendo que em recebimento de caução já são R$ 150 mil faturados junto aos compradores dos 53 lotes. Ele lembra que quem comprou lotes no DI só vai começar a pagar daqui a um ano.

Até o momento, seis compradores já assinaram o contrato de compra e venda no Gabinete. Paulatinamente, todos os empresários serão recebidos por Geninho, que “faz questão de acompanhar de perto o progresso de mais esta ação governamental de fundamental importância para o município e seu empresariado”, segundo ele mesmo afirma.

Na quarta-feira (3), estiveram no Gabinete os empresários Rubens Aparecido Lopes de Faria, da Transfaria Transporte de Cargas Olímpia Ltda., e Osvaldo Alves Moita, da Constrular Materiais de Construção.

Rubens-Aparecido-Lopes-de-Faria,-da-Transfaria-Transporte-de-Cargas-Olímpia-Ltda--(8)

O primeiro adquiriu o lote 7 e parte do lote 1, na Quadra “D”, e o segundo, o lote 8 e parte do lote 1, também na Quadra “D” e mudarão parte de suas empresas localizadas no Jardim São José e Jardim Santa Ifigênia, respectivamente, para o DI-III, “tão logo seja possível”, conforme disseram.

“Assim que liberar para construção, vamos fazer a documentação e já começar”, disse Rubens Faria. Ele disse também não ter calculado o valor do investimento a ser feito ali, mas que construirá um barracão de 200 metros quadrados, onde pretende acomodar seus cinco caminhões atuais, e outros cinco que planeja comprar, além do setor de manutenção, depósito, setor de peças, de pneus e escritório.

Disse que está “muito contente” com esta aquisição, que “veio bem na hora que precisava”, já que estava tentando um empréstimo via BNDES para comprar um lote. “Estou muito contente com esta possibilidade de crescimento”, afirmou. A empresa de Faria possui atualmente cinco funcionários, que devem chegar a 10 após a mudança.

Osvaldo Alves Moita, o “Branco”, da Constrular Materiais de Construção, vai instalar seu depósito de pedra, areia, pisos e outros materiais para construção, deixando no endereço atual apenas a loja. “O Distrito Industrial veio bem a calhar para mim”, comemora. Ele diz querer se mudar o mais breve possível. E pretende investir inicialmente, em torno de R$ 50 mil no barracão “bem feitinho” que pretende construir.

Osvaldo-Alves-Moita,-da-Constrular-Materiais-de-Construção--(1)

“Assim que liberar para construção já começo. Este ano já vou estar lá. Eu procurava uma área, fui atrás de um lote, mas estava difícil, tinha que financiar. Mas, apareceu o lote do Distrito e me ajudou muito”. “Branco” disse que pretende contratar mais dois ou três funcionários. “Estou muito contente, é uma boa medida do Governo Municipal”, finalizou.

“Esta é uma das séries de benefícios que o município está concedendo ao empresariado local, embasado em Lei aprovada na Câmara”, explica o presidente da ACIO. “Estes benefícios são necessários a fim de fazermos com que o empresário se fixe no município, haja vista a guerra fiscal na região (para atrair empresas). E o que queremos é que eles se fixem e gerem emprego na cidade”, segundo Flávio Vedovato.

Prefeitura vai licitar 64 lotes do Distrito Industrial. Já tem 50 empresas interessadas

A Prefeitura de Olímpia realizou na noite de quarta-feira (17), no salão da ACIO (Associação Comercial e Industrial de Olímpia), Audiência Pública para esclarecer aos empreendedores interessados em adquirir lotes no Distrito Industrial III.

dustrito-industrial-(4)

O prefeito Geninho Zuliani (DEM) liderou a reunião ao lado do diretor de Comércio e Indústria, e também presidente da ACIO, Flávio Vedovato, explicando sobre os lotes e o regime de licitação. Também estiveram presentes os secretários Sandra Lima (Gestão), Luis Biagi (Obras), Edilson De Nadai (Assuntos Jurídicos), Pitta Polisello (Governo) e o vice-prefeito Gustavo Pimenta (PSDB).

A convocação pública teve como objetivo esclarecer e alinhar os trâmites finais para o inicio das licitações dos 64 lotes do Distrito Industrial III até o dia 15 de janeiro. “Fizemos esta chamativa para o empresariado local, para que com a Lei nº 3.868 em mãos possamos determinar ações para o desenvolvimento da área em questão”, disse Flávio.

dustrito-industrial-(3)

Segundo ele, existem 64 terrenos para cerca de 50 empresas, e pode haver interesse por um mesmo lote, porém espera-se que em comum acordo todos sejam beneficiados através dos tramites legais, já que existem terrenos sobrando: “Toda e qualquer pessoa pode participar do processo licitatório desde que respeita as leis e a normativa do processo”.

De acordo com o Secretário de Obras, Luis Biagi, o Distrito está com a estrutura de galerias, esgoto, abastecimento de água e demarcação dos terrenos 100% finalizados, pavimentação asfáltica, guias e sarjetas 80% prontas, aguardando apenas a instalação da Rede Elétrica. “O Projeto entrou, no dia 13 de dezembro, em analise técnica na CPFL e esperamos que até o final de janeiro saia aprovação. A partir dai o Poder Público precisa investir cerca de R$ 500 mil reais, sendo que já temos disponível em caixa R$ 200 mil de convênios. A dificuldade maior da CPFL foi vencida, após três meses aguardando e buscando com muito empenho, conseguimos que a analise fosse iniciada”, disse Biagi.

dustrito-industrial-(5)

O valor utilizado para a comercialização obedece à planta genérica do município, com redução de incentivo para o empresariado. “Utilizamos o valor de R$ 100 o metro quadrado, onde o correto seria R$ 250, já para fomentar o crescimento industrial na cidade. O Empresário vai adquirir um lote com o valor abaixo da metade, com carência de um ano para o pagamento da 1ª parcela, ou a vista. Creio que é um excelente incentivo”, ressaltou o Prefeito Geninho. “Esperamos que possamos assinar os contratos até fevereiro ou março para que em seis meses possamos ver o Distrito Industrial III tomar forma”.

dustrito-industrial-(1)

“Esta é uma cobrança da ACIO desde 2007, e a Prefeitura fez o papel dela. Os empresários precisam entender todo o processo e fazer o investimento no Distrito”, finalizou Flávio Vedovato.

Comercialização de lotes por licitação no Distrito Industrial 3 é aprovada na Câmara

Foi aprovado na última sessão da Câmara Municipal (10), projeto de Lei do prefeito Geninho Zuliani (DEM), que dispõe sobre a comercialização de lotes no Distrito Industrial III. Na oportunidade, Flávio Vedovato, presidente da ACIO – Associação Comercial e Industrial e diretor de indústria e comércio, explicou sobre o projeto e tirou todas as dúvidas dos edis.

distrito-industrial-3-(21)-(1)

De acordo com Flávio, a área do Distrito Industrial foi adquirida em 2007 e é um processo que vem de longa data se arrastando. “A Secretaria de Agricultura iniciou em 2009. De 2011 para 2012 alterou o cronograma funcional, criou a Diretoria de Comercio e Indústria até para fomentar ainda mais a economia do município. As ações do projeto inicial do Distrito Industrial eram com 27 lotes, depois alterou, nós colocamos um projeto em pauta com o Prefeito Geninho e foi aprovado com toda equipe técnica de engenharia e urbanismo e foi para 66 lotes, até porque o perfil do empreendedor na área industrial do município são de lotes menores”, contou Flávio, que ainda explicou sobre as leis que regem o distrito: “O Distrito agrega a lei 106 de 2011 e 3745 de 2013 que é PDO e a Lei de Uso e Ocupação do Solo, que é Plano Diretor do município. Esse projeto específico trata da alienação e comercialização desse patrimônio público que vai de encontro com a Lei de Licitação e o Prefeito Geninho, junto com o Secretário Dirceu Bertoco e a Diretoria de Comércio e Indústria, alinhavou todo um processo para minimizar custos ao empreendedor, ou seja, flexibilizar o prazo no máximo em 60 vezes com todas as outorgas da Cetesp e infraestrutura. Ainda falta uns 15% de asfalto, as guias estão todas prontas, redes de água e esgoto também e a parte elétrica já está para se findar, então 90% de toda infraestrutura técnica do distrito já está apta, o processo licitatório já pode ser contemplado”.

distrito-industrial-3-(17)

Os terrenos serão comercializados através de licitação. “Todos os terrenos serão vendidos por licitação, então a avaliação não é pelo poder aquisitivo de cada empreendedor e sim pela Planta Genérica do município, que é em tono de R$ 100 o metro quadrado”, disse Flávio.

De acordo com o diretor, a indústria olimpiense está estagnada desde 2005. “O poder público tem que ouvir o empresariado, saber quais são as dificuldades do setor. Porém quando se trata de um patrimônio publico vamos esbarrando em certas dificuldades. Na sessão da Câmara nós explicamos, a pedido do vereador Beto Puttini, todas as dúvidas dos vereadores e pedimos agilidade em nome da Associação Comercial, de todos os empresários do setor, para que os vereadores tenham consciência das ações, pra que não impeçam o progresso e desenvolvimento do setor industrial de Olímpia que precisa dessa ação com urgência”, concluiu Flávio Vedovato.

Futuro Distrito Industrial 3 já tem 50 interessados, revela diretor da Prefeitura

O futuro Distrito Industrial 3, de Olímpia, está em fase adiantada de concretização. Dos 65 terrenos disponíveis para as futuras empresas, 50 estão cadastrados, revela o diretor de Comércio e Indústria da Prefeitura, Flávio Vedovato, também presidente da ACIO (Associação Comercial e Industrial. O novo distrito surgiu no primeiro semestre do ano passado, através da iniciativa do prefeito Geninho Zuliani (DEM), via PDEO (Programa de Desenvolvimento Econômico de Olímpia).

distrito-industrial-(2)

Uma reunião com diversas secretarias envolvidas mostrou ao prefeito o perfil dos empresários que tem interesse na área. “Sempre vindo de encontro com os anseios da municipalidade e beneficiando micros, pequenos e médios empresários”, disse Flávio Vedovato.

“Vamos pelas normas do PDEO, que é dar incentivo ao empresariado local, aprovando os projetos, taxa de licenciamento, taxa de localização, taxa do ISS e também o imposto predial que é isento, então é um conjunto de ações que vão beneficiar. Os terrenos que terão em média 800 metros quadrados serão construído em continuação ao 2, próximo a Praça do PAC”, acrescentou o diretor.

Segundo ele, “chegamos a um valor do metro quadrado, que será anunciado em breve, com desconto de 70% obedecendo a Lei Nº 3.745 no quesito pagamento, com 10% de entrada, um ano de carência para oferecer um folego para o empresário e 36 vezes de para quitação. As decisões são tomadas de forma conjunta para que o município ajude a classe empresarial de forma a fomentar o crescimento em Olímpia”.

A Comissão de Trabalho do Distrito Industrial 3 irá consultar o Tribunal de Contas quanto à validade e possibilidade de oferecer estes recursos para incentivo para os empresários, aprovando sua legalidade. Posteriormente será apresentado Projeto na Câmara Municipal e inserido na LDO. “Hoje fazemos todo o tramite corretamente para o empresário ter segurança no seu investimento futuramente”, disse Flávio.

Ele finalizou dizendo que toda a infraestrutura é realizada pela Prefeitura Municipal através da Secretaria de Obras, do Daemo Ambiental e demais Secretarias. “É uma necessidade a liberação da área. Para que as empresas saiam de áreas comerciais e possam ser instaladas em áreas regularizadas junto a Cetesb”.

Distrito Industrial 3 pronto e aprovado. Empresários já podem procurar pelas novas áreas

O Distrito Industrial 3 de Olímpia está pronto para receber os novos empreendedores e industriais que desejarem se instalar na cidade, ou expandirem os seus negócios. O prefeito Geninho Zuliani (DEM) recebeu a boa notícia através do secretário Dirceu Bertoco (Agricultura, Indústria e Comércio) e de seu diretor, Flávio Vedovato (também presidente da ACIO, Associação Comercial e Industrial de Olímpia), em reunião com demais secretários e presidente da Câmara, Beto Puttini.

distrito-industrial-3

O diretor Flávio Vedovato explicou como irá funcionar o novo distrito: “Existe todo um planejamento de acordo com as Secretarias de Agricultura, Indústria e Comércio, de Planejamento e de Administração. Então é um conjunto de ações, em parceria com o executivo, até para nós sabermos quais são os nortes dessas ações, junto com as secretarias dispostas e junto com o PDEO – Programa de Desenvolvimento Econômico do município. O PDEO já existe desde 2011 e nós vamos analisar de acordo com o Plano de Trabalho e Plano de Negócios de cada empresa. O Distrito já existe, já está pronto, já está com as liberações do cartório e da Cetesb, agora nós vamos nortear de acordo com as Leis vigentes no município, aqueles empresários que tenham o quinai de atividade industrial para esse novo distrito”.

Flávio disse, ainda, dos benefícios aos empresários: “A gente vai pelas premissas do PDEO, que é dar incentivo ao empresariado local, ou seja, aquele que vem fazer investimento também, que é aprovação dos projetos, taxa de licenciamento, taxa de localização, taxa do ISS e também o imposto predial que é isento, então é um conjunto de ações que vão beneficiar. O que a gente quer é melhorar isso ainda mais de acordo com o perfil do empresariado local. Então por isso estamos convocando os empresários que fizeram a solicitação junto a Prefeitura e as secretarias. O empresário pode ir até a Secretaria de Agricultura, existe uma equipe técnica treinada, uma consultoria específica para fazer essa abordagem, esse primeiro passo junto ao empresariado local”.

O diretor revelou, também, a metragem dos terrenos: “Já temos uma predefinição que é em torno de 600 metros a 1.500 metros quadrados cada lote. O Distrito Industrial 3 será construído em continuação ao 2, próximo a Praça do PAC. O espaço já está com toda infraestrutura disposta. Então o que a gente quer é colocar a disposição urgente de geração de receita e principalmente a empregabilidade, que é o que a gente precisa”.

Para o secretário Dirceu Bertoco, “o novo Distrito já é um sucesso, porque a demanda é grande, diariamente, de empresários querendo áreas como essas e, por outro lado, já estamos pensando até em expandir em um futuro distrito”.

Geninho faz agradecimento público a Aloysio: “Estamos resgatando com o senhor a força política que, um dia, Olímpia já teve”

Prefeito Geninho entrega para secretário Aloysio decreto de Visitante Ilustre

“Hoje, Olímpia escreve uma página de ouro em sua história”, desabafou o prefeito de Olímpia Geninho Zuliani (DEM) ao receber as duas boas notícias que o Chefe da Casa Civil Aloysio Nunes lhe trouxe na tarde deste sábado: os R$ 700 mil para que o futuro Distrito Industrial saia do papel e a vinda do governador Serra para inaugurar, em breve,a ETEC de Olímpia.

“A sua presença, representando o governador Serra, demonstra que este governo, em um ano de mandato, está no caminho certo, que a nossa equipe está afinada com o governo do Estado, fazendo e recebendo parcerias importantes, e a confirmação de que ele virá inaugurar a nossa ETEC demonstra que Olímpia está inserida na agenda do governador, e que não mais está esquecida graças à falta de ação do governo passado que permaneceu no poder por oito anos e fez com que Olímpia estivesse esquecida, estamos resgatando hoje a força política que, no passado, Olímpia já teve”, disse Geninho.

Leia, veja e ouça mais…

Dia feliz para Geninho: R$ 700 mil para tirar futuro Distrito do papel e a vinda de Serra para inaugurar ETEC, prestígio recuperado

Aloysio e Geninho: parceria reafirmada nesta tarde
Aloysio e Geninho: R$ 700 mil para futuro DI sair do papel

Olímpia não mais receberá os R$ 500 mil prometidos pelo chefe da Casa Civil do governo paulista, Aloysio Nunes Ferreira Filho (PSDB), para a construção de mais dois distritos industriais. Receberá, sim, R$ 700 mil – os R$ 200 mil adicionais foram anunciados para ‘fazer surpresa’ ao prefeito Geninho Zuliani (DEM) pelo próprio Aloysio e que, momentos antes, o deputado estadual João Caramez (PSDB) quase revelou em seu discurso.

Geninho recebeu outro ‘presente’ de Aloysio: a confirmação de que o governador José Serra (PSDB) estará em Olímpia para inaugurar a Escola Técnica Estadual (ETEC) ainda em obras onde funcionava a antiga Delegacia de Ensino. Nos últimos oito anos, nenhum governador esteve na cidade.

Uebe, o estranho no ninho tucano e democrataA recepção a Aloysio no começo da tarde deste sábado (16), na sede da Secretaria Municipal de Educação, no centro da cidade, teve ainda tons de ‘ecumenismo partidário’: na mesa principal esteve presente o deputado estadual Uebe Rezeck (PMDB, foto ao lado), principal aliado da gestão municipal passada de oito anos, adversária da atual.

Leia, veja e ouça mais…

Aloysio libera R$ 500 mil hoje para que Distritos 3 e 4 deixem de ser propaganda do passado e virem realidade para 27 empresas

deputados

Em menos de uma semana, o prefeito Geninho Zuliani (DEM) conseguiu trazer R$ 1 milhão em obras de infra-estrutura para Olímpia, divididos em R$ 500 mil do Ministério das Cidades, para pavimentar 40 quarteirões da cidade (veja neste Blog), na quinta-feira passada (19), e hoje, terça-feira (24), mais R$ 500 mil, agora da Casa Civil do governo estadual, para, finalmente, sair da teoria de muitos anos atrás, os distritos industriais III e IV, que até já foram ‘loteados’ com nomes de ruas na gestão passada, mas nenhuma indústria. Agora, segundo revelou o prefeito, por telefone, após a reunião na Casa Civil, 27 lotes passarão a ser realidades para futuros empreendedores.

Leia o restante…