Prefeito de Severínia joga dinheiro do povo em obra inútil e ‘por vingança’

Um canteiro central, cortando a Avenida Eujasso Pereira Coutinho, está sendo construído para atrapalhar o movimento de caminhões e veículos no Posto de Combustíveis Severínia. Isto porque o prefeito Edwanil de Oliveira, o Nil (PSDC), está rompido com o seu vice, Guilherme Secchieri (PDT) e, agora, decidiu continuar a obra, iniciada – e interrompida – em 15 de fevereiro passado. Hoje, o asfalto foi danificado, em flagrante contraste de mau uso do dinheiro público, enquanto inúmeras ruas, em bairros populares, estão esburacadas, e outras prioridades foram, definitivamente abandonadas.

17229_10207471572206354_1370397418611946141_n

11902482_10207471572846370_7274244515816568431_n

O mais flagrante é que não existem canteiros nem de um lado, e nem de outro, dessa avenida, e justamente um está sendo construído diante da passagem de veículos e caminhões, podendo causar acidentes. Vejam as fotos abaixo:

2015-02-12-10.36

2015-02-12-10.37b

Ontem à noite, segunda (17), a população ocupou a Câmara com cartazes cobrando prefeito creches, CRAS, melhorias públicas, mais Saúde e Educação, e hoje o prefeito esbanja dinheiro em obra inútil e, escancaradamente, de picuinha política.

IMG_9300

“Não tem sentido construir um canteiro central em uma avenida que não nenhum canteiro em sua extensão e justamente defronte a entrada e saída de caminhões pesados, de transportadoras que circulam também pelas imediações, de nosso estabelecimento”, questiona o vice-prefeito.

IMG_9299

IMG_9294

IMG_9295

IMG_9296

IMG_9301

“Não tem sentido continuar apoiando uma administração que, ao invés de sanar dificuldades extremas financeiras, que atravessaram de um ano para o seguinte, em flagrante desrespeito à Lei de Responsabilidade, de procurar construir uma passarela reclamada por alunos da escola municipal Vitória Cazarini, que a TV Tem (afiliada da TV Globo) veio há 14 meses e cobrou da administração municipal; ao invés de tapar buracos, vem construir um canteiro que sequer decorativo será, porque atrapalhará o trânsito de caminhões que adentram à cidade, ao nosso posto, e que não resistirá por muito tempo porque veículos pesados não terá como contornar, podendo destruí-la”, completou Guilherme.

2015-02-12-11.02

11904728_10207471573006374_7866216639982006899_n