Alunos da ‘Maria Ubaldina’ se apresentam no Terminal Rodoviário

Os alunos da Escola Estadual Maria Ubaldina de Barros Furquim, coordenados pela professora de Artes, Rejane Puttini, realizaram uma apresentação de dança na Rodoviária Paschoal Lamana.

DSCN7723

A exibição tratou-se de uma intervenção pública e contemplou os espectadores e curiosos, que lá estavam, com uma Dança Coral (forma de arte independente, baseada nas leis de harmoniosas formas espaciais, criada de acordo com os ritmos específicos que o corpo em movimento descrevia no espaço) e ao final a coreografia encerrou em um formato de Sol.

DSCN7710

A apresentação foi elaborada para a comemoração do ‘Dia D’, porém com a alteração da data, a direção da escola resolveu mostrar para a cidade uma das atividades desenvolvidas pelos alunos. As demais atividades elaboradas para a comemoração serão apresentadas em nova data.

O projeto é desenvolvido pela professora Rejane, dentro da disciplina de artes e a ideia é que novas intervenções sejam realizadas durante o ano em outros locais da cidade, com novas apresentações.

Coreógrafo e bailarinos de Cláudia Leite se apresentam no Zumba Master Class no Tuti Resort

A Academia Physical Olímpia apresenta neste sábado, feriado da Proclamação da República (15), uma super aula de Zumba com o Grupo JL Company (Os Sete Anjos da Zumba), no ‘hall’ do Tuti Resort, a partir das 9h.

Trata-se do Zumba Master Class, com Julio Lima, coreógrafo e bailarino da Cláudia Leite e, também da cantora, o bailarino Robson Mano.

zumba

Além disso, estarão presentes ‘zin’ Néia Finotti e ‘zin’ Juliana Lopes.

Retire o abadá na própria Academia, à Avenida Aurora Forti Neves, 139, ou faça a reserva pelos telefones (17) 3279-7320 ou 99756-5577.

APAE de Olímpia vence festival estadual e ganha o direito de ir para o nacional no MA

A APAE de Olímpia participou entre de segunda à quarta-feira desta semana (8 a 10), do 13º Festival Estadual Nossa Arte, em Paulínia e conquistou o 1º lugar na modalidade ‘Dança Folclórica’, com uma dança gaúcha cujo tema foi “Raízes de um Povo”. A entidade olimpiense também encenou teatralmente “O Circo do Perereca” e ficou em 5º lugar.

apae-3

Agora, a dança folclórica de Olímpia, assim como todos os demais primeiros colocados, participará do Festival Nacional, que será realizado entre os dias 14 e 18 de novembro em São Luís, no Maranhão.

O Festival Estadual Nossa Arte é promovido pela Federação das APAES do Estado de São Paulo. O evento reuniu centenas de alunos de diversas unidades, que apresentaram danças, artes cênicas, músicas e danças folclóricas.

apae-5-(1)

A abertura do Festival, realizada no dia 8 de julho, contou com a presença de autoridades, diretores de instituições, profissionais que atuam nas APAES e comunidade em geral.

O cantor Agnaldo Rayol, padrinho do Festival, encantou os presentes com um show emocionado.  A dança folclórica da APAE de Olímpia mostrou que o Rio Grande do Sul traz em suas raízes os encantos do bailado e é no fandango gaúcho que a história deste povo se perpetua através de encontros, olhares e romances, marcados a ferro no tesouro da história. São passados de geração em geração, através da dança e da emoção, o orgulho riograndense e o valor de uma tradição.

Acompanharam os alunos o diretor da APAE Waldir Tereza (Badi), a coordenadora Andréia Bernardes, o professor responsável pelas apresentações Thiago Pessoa Lourenço, e as professoras Patrícia Thomazini, Patrícia Olmedo, Ellen Volfe e Tatiane dos Santos.

Professora e coreógrafa quer apoio para manter projeto de inclusão social e arte

Quem prestigiou o Desfile Winter Fashion, realizado no último sábado (14), no Thermas dos Laranjais, pode assistir à uma coreografia de jazz que chamou a atenção pela arte e beleza.

clip_image001-(1)

Era mais uma apresentação da Companhia de Dança Arte N’Alma, da professora e coreógrafa Joyce Santos, que está em Olímpia há dois anos e vem desenvolvendo um trabalho que mescla inclusão social com arte, cultura e dança.

Nascida em Santos, Joyce tem formação invejável: Formada em Bailarina de Ballet Clássico pela Academia de Ballet Valderez, em Santos, Bacharel e Licenciada em Dança pela Universidade Santa Cecília dos Bandeirantes, em Santos e Pós Graduada em Jogos Cooperativos pela Universidade Unimonte também de Santos.

clip_image001

Já atuou como acompanhante da Corte Carnavalesca de Santos, professora do grupo de passistas mirim do Mangueira do amanhã (RJ), consagrada melhor coreógrafa do Mercosul, componente da Cia. Carlinhos de Jesus, bailarina do grupo Raça Cia de Dança (SP), bailarina do grupo Roseli Rodrigues, bailarina do grupo Brasil Samba Show, representando o Brasil na Itália; bailarina do grupo Arte Jovem – Raça Cia de Dança (SP), e bailarina do grupo Ballet Valderez.

Leciona aulas na Prefeitura de Olímpia e atua como professora de Jazz/Ballet na academia Ella’s Fitness. Coreografou todo o espetáculo em dezembro/2011 –  “Ateliê de Ilusões” que a Prefeitura de Olímpia realizou juntamente com a coordenação da Assistência Social de Olímpia.

clip_image002

A professora Joyce não se cansa de trabalhar: atua também como coreógrafa de casamentos, formaturas, aniversários em geral, com coreografias de Jazz, balé, Dança de Salão, Tango e outros gêneros.

Além disso, ela possui um Projeto Social de Dança com crianças e adolescentes carentes, atuando no papel de professora, coreógrafa e presidente desta companhia. Porém, nem tudo são flores para Joyce, onde também existem grandes dificuldades em continuar com este projeto social. “Hoje nossa maior dificuldade em continuar com o projeto Social é conseguir patrocinadores que invistam na companhia, pois a Arte da Dança em Olímpia como o Jazz/Balé ainda precisa ser difundida, e apreciada por todos”, afirma Joyce.

Ela revela que levar uma Companhia de Dança para participar de uma competição “é  tarefa muito difícil, onde é necessário possuir condições financeiras para comprar figurino, alimentação, transporte, e outras despesas”.

clip_image002-(1)

Joyce tem esperança de não ter de interromper o que vem fazendo: “Não gostaria de deixar este projeto terminar, onde vejo futuras  bailarinas e bailarinos brilhantes, que possuem  alto potencial artístico,  além da motivação e alegria que levam  nos olhos,  e com isto mantêm  a grande esperança de realização de seus sonhos,  e através deste trabalho não ficam nas ruas se envolvendo com uma série de problemas sociais”.