Saúde executará orçamento 2015 de forma ‘minuciosa e criteriosa’, afirma Silvia Forti

Publicado em 05 de março de 2015 às 16h05
Atualizado em 05 de março de 2015 às 16h05

De tão complexo e abrangente que é o setor, foram necessárias três etapas para que se pudesse completar a apresentação dos Planos e Metas da Saúde para o ano de 2015. Os responsáveis pelos diferentes setores de atividades naquela área detalharam o que já vem sendo feito e o que se tratará de fazer ao logo deste ano, visando aprimorar ainda mais o atendimento ao público, facilitando e tornando cada vez mais informal o acesso dos cidadãos aos equipamentos disponíveis.

DSC_0243-(1)

Como resumo do que foi apresentado, basta dizer que a Secretaria Municipal de Saúde possui uma estrutura básica excelente, e um serviço de prevenção e atenção básica dos mais minuciosos, embora os recursos financeiros careçam de um incremento. “Hoje temos um orçamento que parece ser muito alto, mas os investimentos necessários são ainda maiores para o atendimento de todas as necessidades”, diz a secretária Silvia Forti Storti.

Hoje o município destina 22% do Orçamento anual para a Saúde que, embora considerado pequeno, com o direcionamento eficaz aos programas destinados ao atendimento público que é feito, acaba por gerar bons resultados, conforme se viu nas explanações. “Tem prefeitura que chega a gastar até 33% de seu Orçamento e não tem qualidade de saúde como a nossa”, atestou o prefeito Geninho Zuliani, que acompanhou as propostas feitas nas reuniões.

“Hoje temos uma estrutura básica muito boa. Lembrando que muitas prefeituras não conseguiram sequer inaugurar suas UPAs. E muitos prefeitos têm vindo até Olímpia buscar subsídios técnicos em Saúde para incrementar o serviço em suas cidades”, complementou o prefeito. “A questão é que só se dá valor à Saúde local quando o cidadão vai buscar atendimento em outras localidades”, completa Geninho.

A secretária Silvia Forti reconhece que este será um ano difícil em todos os aspectos, dentro e fora da Administração Municipal, o que fará com que se execute o Orçamento mês a mês, ou seja, de forma minuciosa e criteriosamente. Considerando que os repasses orçamentários e arrecadação também serão menores.

Silvia

Uma boa medida já adotada que vem trazendo considerável economia aos cofres da Saúde foi a implantação do Programa Saúde da Família, por ora em quatro unidades básicas, com outras duas a serem instaladas. Os gastos mensais foram reduzidos em cerca de R$ 40 mil, segundo informou Silvia Forti.

Outro detalhe citado pela secretária dá conta do atendimento feito a pacientes emergenciais fora da rede municipal, ou seja, de convênios ou que estejam de passagem pela cidade. Não há recursos repassados ao município por conta disso. Só despesas. “Os exames médicos e os remédios saem da UPA”, observa Silvia Forti. Sem que haja a contrapartida. “Por exemplo, por meio de convênios não há plantão de pediatra na cidade. Mas na UPA tem”, observa a secretária.

Outro indicador de que Olímpia tem melhorado ao longo dos anos seu sistema de atendimento em saúde pública é o fato de ter diminuído consideravelmente a dificuldade para se contratar profissionais médicos, que antes se negavam a vir para cá. “Hoje os médicos estão vindo, demonstram interesse em vir. O setor está se renovando. Além do que, estamos chamando também os filhos da cidade para desenvolverem aqui, no setor público, as suas especialidades médicas. E tem dado certo”, comemora o prefeito.

No âmbito da abrangência e complexidade, as ações na área da Saúde vão desde o gerenciamento de obras em Unidades Básicas, as UBS’s, com o fim de adequação ao Programa Saúda Família ou mesmo para proporcionar atendimento mais seguro e confortável aos pacientes.

Passa por ações visando manter em níveis baixos a mortalidade infantil, garantir a qualidade dos serviços às necessidades da Saúde Bucal, dos usuários do Programa Bolsa Família, na prevenção e tratamento do câncer do colo de útero, mama e próstata, bem como ampliação das ações de prevenção, detecção e tratamento das doenças preveníveis de internação.

Controle da Dengue por meio da manutenção em níveis abaixo de 1 do índice Breteau (que mede a incidência dos criadouros do mosquito da dengue), readequação do canil municipal e definição de responsabilidades, adequação do teor de flúor e cloro da água do município, cadastrar e monitorar os estabelecimentos de interesse à saúde pública, investigar acidentes de trabalho em parceria com o Cerest, cumprir metas de cobertura vacinal e garantir porcentagem de cura de tuberculose e hanseníase no município, entre diversas outras atividades-meio, fazem parte das ações em Saúde no município. Além do que, cada um destes itens se desdobra em várias outras ações.

Assunto(s): ,

Leia também:

Faça um comentário