“Não Passe do Limite” conscientiza sobre os riscos do benzeno para frentistas

Publicado em 13 de março de 2015 às 12h44
Atualizado em 13 de março de 2015 às 12h45

A Secretaria Estadual de Saúde, por meio das equipes de Vigilância Sanitária, em parceria com o Centro Regional de Saúde do Trabalhador (CEREST) lançou a campanha “Não Passe do Limite”.

campanha_nao_encha_o_tanque01

A campanha alerta sobre os malefícios que o vapor de benzeno, presente nos combustíveis, pode causar à saúde dos frentistas ou de qualquer pessoa que inalá-lo. E também busca conscientizar os proprietários dos automóveis a solicitar o abastecimento do veiculo até o automático (desarme da mangueira de abastecimento).

No dia 18 de março, data escolhida como Dia Estadual contra os Riscos do Benzeno, as equipes de Vigilância Sanitária e de Saúde do Trabalhador, de todas as cidades do Estado, inclusive Olímpia, desenvolverão ações para conscientizar a população sobre os perigos produzidos pelo produto.

Ao abastecer o veículo além do limite automático, os frentistas e clientes expõem-se mais aos vapores da gasolina, que contém diversas substâncias químicas invisíveis ao olho humano, mas extremamente perigosas à saúde.

Em curto prazo, a gasolina e seus vapores podem causar dores de cabeça, tontura, náuseas, vômito, irritação à pele e aos olhos, sonolência e vertigem. Em longo prazo, a exposição provoca danos ao Sistema Nervoso Central, ao sistema sanguíneo e ao fígado. Além disso, pode causar defeitos genéticos, câncer e prejuízos à saúde da pessoa que inalar os vapores.

Os vapores também são tóxicos ao Meio Ambiente e podem causar sérios danos. Como medida preventiva para controlar as emissões, todos os veículos fabricados a partir de 1986 possuem o cânister, dispositivo conectado ao tanque de combustível que controla as emissões de vapores tóxicos. Ao abastecer além do limite, pode-se danificar o cânister e causar a liberação desses vapores no Meio Ambiente.

Assunto(s):

Leia também:

Faça um comentário