Carreta do Pio XII com palestras e exames de prevenção do câncer em agosto

Publicado em 11 de julho de 2013 às 17h09
Atualizado em 11 de julho de 2013 às 17h11

A Secretaria de Saúde, nos quatro primeiros dias deste mês, intensificou as ações de prevenção aos cânceres de mama e colo do útero, que são a maior causa de óbitos nas mulheres. Com a participação do especialista médico Marcelo de Almeida, coordenador do Programa de Prevenção do Câncer e a enfermeira Mariel, foram ministradas várias palestras, orientando a população sobre os riscos, causas e a importância da prevenção.

carreta

As palestras foram realizadas no CRAS I, na Santa Ifigênia, para membros dos projetos Pró-Jovem, Ação Jovem, Renda Cidadão e Bolsa Família; no distrito de Ribeiro dos Santos; na Secretaria da Saúde para os Agentes de Controle de Vetores; no CRAS II, na São Jose; na Igreja Evangélica de Deus – Ministério de Belém; na FAER- Uniesp; no CTA – Centro de Testagem e Aconselhamento e na Terceira Idade, no centro.

De acordo com Rosa Maria de Carvalho, diretora de Divisão dos Serviços de Atenção Básica as palestras obtiveram bons resultados: “Tivemos a participação ativa das pessoas, respondendo perguntas sobre dúvidas, orientação do uso e distribuição de preservativos masculino e feminino”.

Os exames que as mulheres têm o direito na prevenção do câncer são os de mamografia e o Papanicolau. Portanto, a campanha retornará entre os dias 26 de agosto a 11 de outubro com a Carreta da Fundação Pio XII (Hospital do Câncer de Barretos) cumprindo escala em todas as Unidades de Saúde, dando a oportunidade de todas as mulheres fazerem os seus exames, nas proximidades de suas casas.

As interessadas já podem procurar qualquer Unidade de Saúde e fazerem os seus cadastros, levando apenas o xerox do RG, CPF, Cartão do SUS e Comprovante de Residência.

“É importante salientar que esses cânceres, que são a maior causa de morte em mulheres, tem prevenção e altíssimo índice de cura, para as pessoas romperem as barreiras do medo, da vergonha, da ignorância e mudarem seus conceitos em relação à doença. Esses tumores duram em média 8 anos para aparecerem os sinais e sintomas, assim, não perdendo a oportunidade de fazerem os seus exames será muito mais fácil o tratamento e a cura”, lembra a enfermeira Rosa Maria de Carvalho.

Assunto(s):

Leia também:

Faça um comentário