Cadê o Desejo?

Publicado em 01 de outubro de 2014 às 10h37
Atualizado em 01 de outubro de 2014 às 10h38

Por Karina Younan – Pesquisa realizada no ambulatório de sexologia do hospital estadual Pérola Byington, aponta que a falta ou diminuição do desejo sexual afeta 50% das mulheres que procuram auxílio médico e que a maioria dos distúrbios tem como causa aspectos psicológicos e socioculturais.

karina

Interessante notar neste estudo que a faixa etária das mulheres situava-se entre 40 a 55 anos de idade, longe do inicio da vida sexual e próxima da queda hormonal, mas esse fator orgânico era responsável por um número muito pequeno na amostra. São as divergências e o mal estar da relação os maiores estressores!

Nas mulheres com problemas de desejo os estudiosos encontraram níveis baixos de fantasia, enquanto nos homens com distúrbios o nível de fantasia sexual era bastante elevado, e ansiógeno.

desejo

Para a psicoterapia clinica são as dificuldades do relacionamento, fortemente reforçados pela educação sexual recebida na infância, aliada a padrões negativos de pensamento, crenças erradas ou pejorativas ligadas ao sexo e uma imagem corporal negativa as maiores causas dos distúrbios. Sabemos que a satisfação em estar com o outro é bastante sentida no ato espontâneo. O contato com a pele e a intimidade trazem conforto, dissipam dúvidas e reforçam laços. Sexo sempre diz mais do que palavras em um relacionamento.

Outro fator fortemente ligado à distancia pessoal entre quem somos e nossos desejos mais íntimos está relacionada ao nosso modo de viver. Retratado em 1970 brilhantemente por Jean Luc Godard, o filme “Duas ou Tres Coisas Que Eu Sei Dela” tem na prostituição a metáfora central para a nossa cultura capitalista. Capaz de transformar o corpo em uma alienação, uma mercadoria, e fazer do sexo objeto de troca, coisificando aquilo que temos de mais pessoal e vibrante, o ato sexual.

Se o sentimento de abandono, desdém, crítica à forma de sentir e agir estiverem fortemente presentes na relação, a depressão da libido não demora a chegar, vale para homens e mulheres. A intimidade emocional é o impulso legítimo para o desejo sexual… o que o outro pensa e precisa, como gosta de ser tratado e suas preferências para a relação. Compatibilidade intelectual e entrosamento, o melhor tratamento.

* Karina Younan é formada pela PUCCamp, psicodramatista federada pela Febrap e agora mestre em Ciências da Saúde pela FAMERP. Dá aulas na Pós-Graduação da Eduvale, de Olímpia, em Psicologia e Aprendizagem, e aulas para o curso de administração, em Recursos Humanos e Planejamento Estratégico. E colaboradora do Diário de Olímpia.Com

Assunto(s): ,

Leia também:

Faça um comentário