TV Tem volta um ano depois em Severínia, e o desgoverno continua

Publicado em 15 de abril de 2015 às 12h19
Atualizado em 15 de abril de 2015 às 12h19

Moradores do bairro Vila Santo Antônio, em Severínia (SP), reclamam da falta de uma passarela para poder atravessar com tranquilidade uma rodovia que divide o bairro com o resto da cidade. Há um ano a TV TEM mostrou o pedido dos moradores, mas até agora pouca coisa foi feita. A outra preocupação era com o acesso de crianças e adolescentes até a escola. Os estudantes precisavam caminhar entre os carros ou por uma estrada de terra.

severinia

O movimento na Rodovia Armando Sales de Oliveira começa bem de manhã e às 6h o tráfego de carros e caminhões já é intenso.  As travessias de pedestres, no trecho de Severínia, também começam cedo, com pessoas indo para o trabalho, levando filhos à escola. “Sempre atravesso a rodovia quando vou trabalhar e de manhã tem um movimento intenso, é muito perigoso ser atropelado se não ficar atento”, afirma a estudante Aline Regina da Silva.

A disputa perigosa por espaço na pista é rotina para mais de 500 moradores da Vila Santo Antônio, que fica do outro lado. Isso porque no bairro não tem posto de saúde, supermercado, escola, dentre outros serviços. Então o morador precisar ir até a cidade e, para isso, precisa atravessar a pista.

Saiba mais

A trabalhadora rural Eliana Aparecida Ramos conta que a filha já foi atropelada na rodovia. “Minha filha ia atravessar, não viu o carro e foi atropelada, teve fratura exposta”, diz a trabalhadora rural Eliana Aparecida Ramos.

Há um ano, quando a TV TEM esteve no local, as reclamações eram as mesmas. Na época, o DER, Departamento de Estradas e Rodagens, responsável pelo trecho, disse que estudava a implantação de uma passarela, mas, a principal mudança é uma mureta, no meio do caminho. Radares também foram instalados no trecho e uma rotatória, para obrigar os motoristas a reduzirem a velocidade. “Todo dia eu passo pelo local, quando chove é pior ainda porque tem uma enxurrada muito forte, mas tem de passar, porque não tem jeito de não passar pela rodovia”, afirma a segurança Pedro Marques.

Outro ponto em que os moradores se arriscam, por falta de opção, é na vicinal que liga Severínia com o distrito de Álvara. Centenas de crianças caminham pela pista para ir e voltar da escola e a maioria vai sozinha, sem um adulto por perto.

Um guarda municipal fica próximo à escola da prefeitura para desviar o trânsito.  Quem não se arrisca entre os carros, pisa na terra. É que além de não haver acostamento na vicinal, o jardim Santa Luzia, ao lado da escola, ainda não foi asfaltado.

Sobre o acesso até a escola, a prefeitura disse que começou a construir as calçadas, mas a arrecadação do município diminuiu e a obra ficou pela metade. Agora a prefeitura vai tentar outra forma para melhorar essa trajetória dos alunos.

O Departamento de Estradas de Rodagem informou que as obras na Rodovia Armando Sales de Oliveira devem ser concluídas até agosto. A construção da passarela deverá custar R$ 1,8 milhão, mas ainda não tem data nem para licitação ainda.

Fonte: G1

Assunto(s):

Leia também:

1 comentário

  1. paulo disse:

    Onde esta o deputado da vereadora Olga Paro que prometeuuuuuuuuuuu fazer a passarela para os moradores da vila ? Prometer todos prometem mas concretizar que é bom nada. Se o povo de Severinia esperar alguma coisa boa desse prefeitinho marca traque , esqueçam o homem é ruim demais ou pior: PÈSSIMO. Severinia á deriva . Onde estão também os vereadores que não cobram o prefeitinho nas suas promessas? Mais 04 anos de regresso para o municipio e quem paga o pato são os cidadãos severinienses. Gostaria de saber onde esta indo a bufunfa$$$$$$$$$$ que a prefeitura recebe. O gato esta comendo ou……

Faça um comentário