kassab_thumb.jpg

Kassab lança candidatura a governador de SP em Rio Preto

Ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD) e o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles lançaram suas candidaturas ao governo de São Paulo e ao Senado Federal, respectivamente, em evento realizado em Rio Preto, ontem pela manhã. Kassab criticou indiretamente o PSDB, que governa o Estado desde 1995, ao afirmar que falta segurança para todos os paulistas – tópico apontado como ponto fraco dos governos tucanos.

kassab

“Segurança é a grande preocupação dos paulistas. Os servidores, em especial os policiais, precisão ser mais valorizados, receber melhores salários. O Estado precisa investir em equipamentos, a Polícia Civil precisa recuperar poder de investigação e a Polícia Militar sua autoestima”, afirmou. O PSD vai disputar a eleição para o governo paulista com chapa “puro sangue” com Alda Marco Antônio como vice-candidata. Foi o primeiro encontro regional do PSD este ano para reunir partidários pelo Estado. Ontem, pelo menos 90 municípios enviaram representantes da legenda.

Até o momento, vão disputar o pleito também para governador Geraldo Alckmin (PSDB), Alexandre Padilha (PT) e Paulo Skaf (PMDB). Apesar de disputar votos com Alckmin, Kassab afirmou que em um eventual segundo turno vai buscar aliados de qualquer lado. “O candidato no segundo turno tem que estar aberto para receber todos os apoios. Vamos aguardar e nos esforçar para ir ao segundo turno”, afirmou.

Senado

Meirelles disse que escolheu o PSD porque considera o partido com grande representação democrática. “Desde o início o partido mostra uma linha de ação com a democracia e vou colaborar com o partido”,disse. O atual vice-governador d Geraldo Alckmin é do PSD. Afif Domingos, que também é ministro das pequenas e médias empresas no governo Dilma, concordou com os problemas que o Estado de São Paulo enfrenta com a criminalidade. “Eu mesmo, como vice-governador, senti na pele. Assaltaram minha casa, o carro da minha filha foi alvo de tiros de bandidos. Então eu sou testemunha que a violência chegou num limite”, disse.

‘Confio em Garcia’, diz Kassab

Apesar de ter rompido politicamente com o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), o ex-prefeito da capital paulista Gilberto Kassab (PSD) diz acreditar na inocência de Garcia no caso do suposto cartel de trens na capital. Garcia tem base eleitoral na região de Rio Preto.

“Confio nele (Rodrigo Garcia). Espero que ele tenha todas as chances de provar a inocência dele”, limitou-se a dizer durante evento em que lançou sua candidatura ao governo de São Paulo. Garcia – ao lado dos deputados federais Arnaldo Jardim (PPS), Edson Aparecido (PSDB) e José Aníbal (PSDB) – são acusados de receberem propina. Todos negam as acusações feitas pelo ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer.

Kassab e Garcia romperam depois de o presidente do PSD acusar Garcia afirmar ter nome de eleitores mortos nas listas de assinaturas pedindo criação do PSD, em 2011. Foi o rompimento definitivo entre Kassab e o DEM, seu ex-partido. Desde a criação do PSD, o DEM vem perdendo força principalmente em São Paulo.

Máfia do ISS

Recentemente acusado de receber “fortuna” da empresa Controlar enquanto esteve à frente da Prefeitura de São Paulo (2006-2012), Kassab disse que as acusações não vão atrapalhar sua campanha para governador de São Paulo este ano. “Não (atrapalham a campanha a partir de junho). Estou tranquilo e sempre disponível para esclarecer qualquer coisa’, disse.

Valdomiro critica União em evento do PSD

O prefeito de Rio Preto, Valdomiro Lopes (PSB), afirmou ontem que o único problema na Saúde do município é com o governo federal, que não repassa adequadamente recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) para a Prefeitura cuidar de pacientes que moram fora e buscam tratamento em Rio Preto. Valdomiro afirmou que as estimativas da Secretaria de Saúde apontam que Rio Preto atende mais de 2 milhões de pessoas, somando casos de urgência e emergência. Mas o município recebe apenas para cuidar do atendimento de 450 mil pessoas.

“O erro é do governo federal, principalmente, e em muito menor escala do governo estadual, porque os atendimentos de pessoas de outras cidades não são compensados. O cartão SUS foi programado há 15 anos para entrar em vigor. Se tivesse o cartão SUS, quando passar o cartão aqui, seria descontado da cidade que o paciente veio”, disse Valdomiro ao deixar o evento do PSD ontem na Câmara de Rio Preto.

Amigo

O prefeito disse que foi ao encontro do partido de Gilberto Kassab como amigo e não político, porque já declarou apoio ao atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que tentará reeleição. Na tribuna, agradeceu o PSD por ter ajudado na campanha de 2012, quando ele foi reeleito ainda no primeiro turno.

CPI

Valdomiro não comentou o andamento da CPI da Saúde na Câmara, comandada, inclusive por vereador do PSD, Renato Pupo, mas admitiu que o prontuário eletrônico precisa de ajustes. “Tem que ter ajustes, é um sistema de controle que entra desde o número de cumprimentos que possa ter até número de consultas, prontuários dos pacientes. Não é brincadeira. Nunca se teve controle e nosso governo que começou essa sistemática. Mas precisa de ajustes como todos os pontos essenciais da Prefeitura precisam sempre”, afirmou o prefeito.

Fonte: Diário da Região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *