Só na SP-322 mais de 1,2 mil multas em 10 meses na região

Publicado em 13 de novembro de 2014 às 19h48
Atualizado em 13 de novembro de 2014 às 19h55

Alini Fuloni – Mesmo em obras, são visíveis as constantes imprudências registradas na Rodovia Armando de Salles Oliveira (SP-322). De acordo com a Polícia Rodoviária de Araraquara, de janeiro a 23 de outubro, 1.231 autuações foram registradas na rodovia, entre Bebedouro e Olímpia. Foto Alini Fuloni

IMG_4710.JPG

No cruzamento da Avenida Raul Furquim com a SP-322, no trecho urbano de Bebedouro, a PR registrou também 10 acidentes, com cinco vítimas leves e uma grave.

Entre as infrações cometidas pelos motoristas da Armando de Salles, 37 autuações foram por embriaguez ao volante, 54 flagrados sem habilitação, 360 que não usavam o cinto de segurança e, o que não chega a ser surpresa, 600 multas somente por ultrapassagem em local proibido.

Com a implantação de dois radares entre Bebedouro e Monte Azul, a velocidade máxima permitida é de 60 km/h (mesmo com uma placa descoberta a 500m antes informando 100 km/h). Apesar de ainda não estarem ativos, há motoristas que mantêm a baixa velocidade e podem ser envolvidos em acidentes, já que há os que não respeitam o limite e continuam acima de 100 km/h.

Entre os fatores que podem contribuir com acidentes estão a falta de atenção e por não respeitarem a distância entre os veículos.

“Quanto aos radares instalados não existe nenhum que esteja efetivamente funcionando. Foram somente instaladas as estruturas e carcaças onde serão colocados os equipamentos para aferição da velocidade. Ainda não estão energizados”, garante o comando da Polícia Rodoviária de Araraquara.

Multas caras

A partir de hoje, 13, quem cometer infração sente peso da multa no bolso. O reajuste nos valores está previsto em nova lei que altera nove artigos do Código de Trânsito.

Sendo a maior infração registrada na SP-322, a multa por ultrapassagem em faixa contínua, por exemplo, vai subir de R$ 191,54 para R$ 957,70 (aumento de 500%), e que se aplica para todas as outras infrações consideradas gravíssimas.

Já as ultrapassagens forçadas, que geram situação de risco, o valor é maior ainda: R$ 1915.40 com suspensão da carteira. O valor anterior também era de R$ 191,54. Ultrapassagem pelo acostamento, que antes custava R$ 127,69, vai valer R$ 957,70.

Em todos os casos, se houver reincidência dentro de 12 meses, o motorista perde o direito de dirigir e o valor da infração duplica.

Assunto(s):

Leia também:

Faça um comentário