Não faltou água para socorrer o Stop Lanches. O que falta é profissionalismo ao noticiar…

Este blog foi o primeiro veículo de imprensa de Olímpia e da região a noticiar o lamentável incêndio que destruiu, sábado passado, o ‘trailler’ Stop Lanches, do casal Cabral-Marli.E, mesmo sendo uma informação apressada não faltaram os ingredientes básicos do bom jornalismo: ouvir a verdadeira fonte de informação, ouvir o outro lado, e checar sempre as informações que, num primeiro momento, são confusas.

Mas, infelizmente, profissionais ‘apressados’ e ‘useiros e vezeiros’ em ‘meterem o pau’, como gostam de alardear até com socos em mesas, divulgaram na manhã desta segunda-feira que.. pasmem os leitores!… teria faltado água nas mangueiras dos Bombeiros e, por isso, talvez, o incêndio foi de maiores proporções… Mais respeito com os bombeiros de Olímpia, pessoal…

Quem ler a primeira informação deste Blog verá que a informação verdadeira, mais completa, chegou minutos depois e foi acrescentada no mesmo post, sem que houvesse uma correção por completo, demonstrando a atualização que fazemos da mesma notícia o tempo todo.

Infelizmente, como já escrevi acima, existem profissionais ‘meia boca’, ou ‘bocudos’, que não checam as informações e gostam de dar prioridade para ‘o povo meter a boca no trombone’, técnica hoje aposentada das grandes emissoras de rádio e TV, exceto os de baixo nível, as emissoras sensacionalistas. Afinal, o povo pode, e deve, ligar e passar informações ou denúncias, mas nunca levar ao ar este tipo de informação sem checar ‘o outro lado’ – a norma básica dos que gostam de bater no peito que possuem um pedaço de papel emoldurado dando-lhes esse direito. E olha que ‘jornalistas de papel’ temos de montes aqui e em todos os lugares…

Divulgou-se, num primeiro momento, que teria faltado água nas mangueiras dos bombeiros. Ao invés do cidadão ligar para os bombeiros e confirmar, já foi logo falando, falando, dando ‘bom dia, cavalo!’… quem fala muito…

Não leram o meu Blog, embora esteja enviando centenas de links para emails de olimpienses para que acompanhem cada atualização. Fomos os primeiros – e os únicos – a dar cobertura completa ao lamentável fato, estamos recebendo comentários até de parentes de Cabral, comerciantes vizinhos do Stop, amigos, enfim, dando ao casal Cabral e Marli toda a solidariedade. Até campanha popular já propuseram.

Está bem claro no post de sábado: os bombeiros têm de deixar os botijões P13 exaurindo as chamas, controlando-as, não jogando sobre os botijões dois mil litros de água de uma vez, capacidade do primeiro caminhão que logo foi socorrer o Stop Lanches.

O sargento Valdir, inclusive educadamente, o que não seria o meu caso se eu estivesse no lugar dele, com toda a boa vontade, entrou ‘ao vivo’ na referida emissora que gosta de ‘polêmicas’, e esclareceu: Não faltou água. Trata-se de POP-Procedimento Operacional Padrão dos Bombeiros. Explicado, amigos?

Os bombeiros é uma das instituições que mais tem crédito perante a opinião pública. São treinados, disciplinados e atendem à população com uma prestação que chega a impressionar. Antes de criticar, de levar a cisma para os quatro cantos do mundo, abaixe o tom de voz e faça uma ligação. A verdade vira à tona.

Certo, colegas? Vamos nos concentrar na merecida solidariedade ao casal Cabral-Marli, e não encontrar no triste episódio uma forma de promover causas perdidas.

3 comentários em “Não faltou água para socorrer o Stop Lanches. O que falta é profissionalismo ao noticiar…”

  1. Boa tarde, Concon, primeiro quero te parabenizar pelo blog, está ótimo, informativo e profissional, como vc. Sobre a fatalidade com a família Cabral, realmente uma tristeza. mas tenho certeza que a Marli e o Cabral vão superar. Quanto aos comentários maldosos, pelo amor de Deus… O Corpo de Bombeiros é uma instituição que merece respeito,,,,vamos pensar antes de falar, pessoal.

  2. É isso mesmo, Andresa. Vc como jornalista, de fato e de direito, sabe melhor do que ninguém que não se deve sair por aí ‘metendo a boca’ sem ter noção do que se fala, né mesmo?Afinal, nem jornalista, nem radialista, são experts nos assuntos que escrevem e falam, e já disse e repito, ainda mais para pegar o microfone e falar alguma coisa o profissional deve ter profundo conhecimento e, mesmo assim, ‘pisar em ovos’ para não dar ‘BOM DIA, CAVALO!!!’

    Obrigado, querida. Espero que sempre acompanhe este blog. Espero sugestões, críticas e, claro, a leitura de nossos posts.

    Abraços.

  3. Gente bocuda, Concon. Liga não… Esse tipo de gente deve reclamar até da sombra e é por isso que nem escuto mais, por falar nisso a situação tá feita na cidade em matéria de rádio, vamos montar uma rádio web? Conta comigo sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *