Ministério Público denuncia cinco pelo assassinato do diretor da TV Barretos

Publicado em 31 de janeiro de 2012 às 8h31
Atualizado em 31 de janeiro de 2012 às 8h33

O Ministério Público do Estado de São Paulo denunciou à Justiça cinco homens, quatro deles já presos, por envolvimento pela morte de Marcos Antonio Moreira Lagos, ex-diretor da TV Barretos, morto a tiros no dia 27 de junho do ano passado, em um hotel em Barretos.

foto-homicidio

De acordo com a denúncia do promotor Aluisio Antonio Maciel Neto, o crime foi praticado a mando do médico Milton Diniz Soares de Oliveira, Rafael Sasdelli Soares de Oliveira e Lucas Sasdelli de Oliveira, ambos ex-mantenedores da Fundação de Educação e Telecomunicação de Barretos, do Centro Educacional Soares de Olivera (Ceso), do Sistema Educacional Soares – Ouro Branco Ltda. e do Instituto Barretense de Educação e Pesquisa (Ibep), que foram vendidos à vítima em outubro de 2010.

O autor do crime, conforme o MP, foi Adriano Dias de Souza, que, por indicação de João Aparecido Domingues, foi contrato pelo pelo trio e receberia R$ 80 mil para praticar o crime. Todos eles foram denunciados.

Segundo o promotor, o crime foi motivado porque Lagos não teria quitado a dívida de R$ 5 milhões, que deveria ter sido paga em abril do ano passado, além dos outros R$ 500 mil acertados com os ex-proprietários.

“O contrato era de gaveta porque não se pode vender uma instituição. Como não tinham como cobrar judicialmente essa dívida, o trio resolveu matá-lo para voltar ao comando do negócios”, afirmou o promotor. Lucas, Rafael, João e Adriano foram presos pela DIG de Barretos. Já o médico está foragido. (Diarioweb)

Assunto(s):

Leia também:

Faça um comentário