Homem de 71 anos atraía crianças com doces e um ‘balanço’. E as seduzia.

Publicado em 06 de novembro de 2009 às 1h17
Atualizado em 25 de novembro de 2009 às 2h03

Exames de corpo delito requisitados pela polícia de Olímpia comprovaram que duas menores foram abusadas sexualmente por um homem de 71 anos que mora na cidade, no bairro Santa Efigênia. O aposentado, que não teve o nome divulgado, foi indiciado anteontem, quarta-feira (4), por estupro de vulnerável e pode pegar de oito a 15 anos de prisão, se condenado. Ele está preso preventivamente na cadeia de Severínia.

O Conselho Tutelar de Olímpia recebeu denúncia anônima na última quinta-feira de que um homem estaria abusando sexualmente de crianças no bairro. O caso foi levado à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), que identificou até agora oito possíveis vítimas do aposentado – sete meninas e um menino – com idades entre sete e 13 anos.

“As crianças disseram que iam até a casa do acusado para brincar em um balanço. Para ganhar a confiança das vítimas, o aposentado oferecia brinquedos e dava de R$ 2 a R$ 5 às crianças”, diz a delegada da DDM, Maria Tereza Ferreira Vendramel. “Depois de preso, o aposentado confessou que abusou de algumas crianças e que as atraía para sua casa por meio do balanço.”

Na casa do acusado, policiais não encontraram nenhum tipo de material pornográfico, apenas o balanço, construído com garrafas pet. De acordo com a delegada, o aposentado não tem passagens anteriores pela polícia. “Muitos pais trabalham no corte de cana-de-açúcar, e as crianças não têm com quem ficar durante o dia, o que as torna presas fáceis.

Alguns pais não puderam nem sequer acompanhar os filhos à delegacia. Eles foram conduzidos por conselheiros tutelares”, diz Maria Tereza. O acusado ficará na delegacia à disposição da Justiça. A delegada deve concluir o inquérito nos próximos dias. Ela acredita que novas vítimas possa surgir.

Outros casos

Em setembro deste ano, um homem, que não teve o nome e a idade divulgados, foi preso em flagrante na Cohab 3 em Guaraci acusado de abusar sexualmente de pelo menos 10 crianças entre 7 e 12 anos. Pais de quatro crianças abusadas também são investigados porque, segundo informações, teriam sido coniventes com a violência sexual cometida contra os filhos. Para não denunciar o homem, eles receberiam desde cestas básicas até dinheiro.

No mesmo mês, um casal foi preso em flagrante em Rio Preto acusado de abuso sexual de adolescente e produção de fotografias com pornografia infantil. Na casa do casal, foram apreendidas centenas de fotos de adolescentes gravadas em um notebook e CDs, e seis aparelhos celulares. As jovens tinham entre 13 e 17 anos e eram aliciadas pela Internet.

Em maio deste ano, a Justiça de Catanduva condenou o borracheiro José Barra Nova de Melo, 46 anos, a 11 anos, 10 meses e 15 dias de prisão pelo abuso sexual de pelo menos dez crianças. Seu sobrinho, William Melo de Souza, pegou 7 anos e seis meses de prisão por participação nos crimes.

Barra Nova e o sobrinho ainda são alvo de investigação conduzida pelo Grupo de de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O segundo inquérito apura ainda o envolvimento de outros quatro homens em situações de abuso infantil que pode ter feito mais de 40 vítimas. (Giseli Marchiote, DiárioWeb).

Assunto(s):

Leia também:

2 comentários

  1. LUIZ AUGUSTO DA SILVA disse:

    Cenas inescrupulosas como estas ocorrem, infelizmente,

    com muita frequência.

    Só posso acreditar que sejam frutos de distúrbios

    mentais.

    Caso contrário; principalmente no tocante a este

    artigo, obriga-me a aceitar a idéia de que “os canalhas

    também envelhecem”.

  2. Pois é. Daqui a pouco, mais detalhes sobre este escabroso caso. Numa hora desses, o velhim já virou mocinha na cadeia…merecidamente… Abraços.

Faça um comentário