Niquinha dispara acusações contra prefeito na Tribuna Livre e líder rebate: "Mal informado ou mentiroso. A ‘capivara’ dele não é referência de credibilidade"

Publicado em 08 de novembro de 2010 às 22h50
Atualizado em 09 de novembro de 2010 às 1h36

Niquinha1O presidente da AFPMO (Associação dos Servidores Públicos Municipais) Antonio Delomodarme, ex-vereador, ocupou a Tribuna Livre por dez minutos na sessão ordinária de hoje e, no mesmo estilo praticamente desenfreado e ainda acreditando que ainda tenha imunidade parlamentar de seus discursos outrora inflamados na tribuna legislativa, salatatribunadeitou falação contra o prefeito Geninho Zuliani (DEM) e até disse que ele teria chamado “1/3 dos servidores de vagabundos”, e que “usou o dinheiro do Instituto de Previdência para comprar um imóvel por R$ 350 mil” e, finalmente, que estaria “movimentando o dinheiro do Instituto em negociações bancárias”.

Em resposta, o líder do governo Luiz Salata (PP), além de rebater as acusações como ‘mentirosas’, disse que “a biografia do presidente da Associação não é referência para afrontar prefeito, vereadores ou quaisquer pessoas, e que possui uma capivara (ficha criminal) que vai daqui até o Córrego Olhos D’Água, por isso ele não é referência para ofender ninguém”.

Niquinha aproveitou a claque de servidores que conseguiu arrebanhar para vaiar os vereadores que votariam a favor do projeto de insalubridade (leia aqui), faltando com a ética, o decoro e o respeito à Casa Legislativa (aliás, o Código de Ética da Câmara Municipal foi redigido e aprovado tendo Niquinha como inspirador de sua necessidade), para reviver o estilo ‘pitbull carneirista’, criticando o prefeito e suas ações voltadas ao funcionalismo, sem qualquer fundamentação ou provas, irritando profundamente a bancada governista.

DSC03318

Já pressentindo o que viria a seguir, o presidente em exercício,o vice Toto Ferezim (PMDB), advertiu “o senhor Antonio para se ater exclusivamente ao assunto solicitado para a Tribuna Livre” e, por sua vez, o líder Salata requereu, verbalmente, que o discurso fosse, posteriormente, degravado e colocado em ata legislativa em sua íntegra.

“Eu tenho ética, mas também tenho sangue”, iniciou o seu discurso o presidente da AFPMO e ex-vereador Niquinha. Disse que o presidente do Sindicato dos Servidores, Jesus Buzzo, teria dito que ele, Niquinha, viria ocupar a tribuna da Câmara para “fazer palhaçada, mas quero dizer que palhaçada foi ele quem fez ao induzir o servidor a aceitar os 4% de reajuste do prefeito no começo do ano, agora o ‘homi’ (prefeito) além de dar só os 4% está tirando 5% também (da insalubridade), porque ele (Jesus) não vem aqui também?”

Acusou o prefeito de ter reduzido salários de R$ 400 a R$ 500, ter cortado horas extras (inclusive da Saúde, “de pessoas que até mexem com sangue”) e insalubridade, criticou a terceirização do serviço de coleta de lixo, e disparou: “Isso não é coisa de gente, não é coisa de ser humano, você entendeu?”

A COMPRA DO IMÓVEL

O presidente da AFPMO disse, ainda, “que o prefeito comprou uma casa, com o dinheiro que é descontado de vocês, nosso, do Instituto de Previdência, que descontam 11%, por R$ 350 mil, sem consultar um só quer (sic) funcionário. Esse é um dinheiro nosso, que vocês vai (sic) aposentar um dia, e o resto da vida de vocês vai receber (sic) por esse Instituto, então nós temos de cuidar daquilo ali e desde já peço a todos os vereadores que faz (sic) requerimentos, e vejam isso, porque sei de fonte limpa que o prefeito está fazendo movimentação em outro banco com esse dinheiro. É outra coisa que precisamos reagir, porque hoje estamos trabalhando, amanhã vamos aposentar”.

O presidente da AFPMO acusou, ainda, o prefeito de ter retirado o ‘abono que o funcionário fazia, a cada dois meses, abonava um dia de descanso, e hoje não existe mais, hoje em dia até mulher precisa dar à luz no serviço mas não paga R$ 40, onde se viu um negócio desses? (aplausos da claque da Associação), cadê os nossos direitos?” E, defendeu a claque que vaiava os vereadores da situação: “Eles não estão faltando com o respeito, não… Basta dar o respeito ao servidor que eles respeitam também”.

O presidente Toto Ferezim chamou à atenção de Niquinha: “Se continuar com esse comportamento, vou ter de retirar essas pessoas da galeria. Eles que se inscrevessem e colocassem aqui os seus pontos de vista, acho importante eles baterem palmas para o senhor, mas não vaiar os demais”.

‘VAGABUNDOS’

Sem qualquer nexo na defesa que faria da insalubridade do funcionalismo e do projeto, que acabou sendo retirado para que haja uma sessão técnica oportunamente para discutir com mais profundidade o assunto, Niquinha continuou disparando contra o prefeito Geninho: “Se vocês não sabem, ele tachou 1/3 do funcionalismo de vagabundo, o outro terço ‘mais ou menos e quase parando’, e o último terço ‘dá para tocar o bonde’.

DSC03393

Chamado à atenção, de novo, por Ferezim, Niquinha decidiu encerrar, agora sim, falando sobre o projeto em questão, mas com o mesmo estilo de oratória: “Não foi o prefeito que retirou esse projeto, fomos nós que viemos até aqui pressionar, foram vocês que desceram até aqui e lutaram, não foi prefeito e nem vereador e vamos nessa luta, nessa guerra, e da próxima vez que esse projeto entrar em pauta, voltarei ao rádio fazer a convocação e mesmo os que não tem insalubridade vamos encher essa casa e mostrar que está unido e que jamais deixará fazer o massacre, ficando à mercê”.

SALATA: “VIDA ACIDENTADA”

O líder do prefeito Luiz Salata, ao pedir a réplica do que Niquinha tinha dito na Tribuna Livre, disse que não podia permitir “que o presidente da Associação, que tem uma vida acidentada, e nada tenho contra a vida pessoal dele, mas não posso permitir que ele venha à essa tribuna e fale à população uma mentira, ou está mal informado ou é mentiroso”, referindo-se à pretensa compra de imóvel com dinheiro do Instituto.

“O Instituto é uma autarquia municipal, tem diretoria e administração próprias. E não permite a ingerência no sentido de que o prefeito tenha adquirido um imóvel, isso é o maior absurdo”, disse Salata.

Ao comentar a questão do abono para os servidores mais assíduos, instituídos pelo prefeito Geninho através de projeto de lei, o líder comentou: “Eu não me lembro que o senhor presidente da Associação tenha vindo ocupar a tribuna para reclamar, criticar ou sugerir alguma coisa, não me lembro, ele ficou inerte”.

Finalmente, Salata rebateu que o prefeito tenha xingado os servidores, ou parte dele, de “vagabundos”: “Isso é uma mentira. Eu nunca ouvi isso da boca do prefeito, sou líder de governo, é uma demagogia barata para enganar os desavisados de que o prefeito teria ofendido os servidores, o que não é verdadeiro”.

E, arrematou: “E por último queria dizer que a biografia até agora do presidente dessa entidade (AFPMO), não é referência para ninguém para afrontar prefeitos, vereadores ou qualquer pessoa. É uma pessoa que tem um posicionamento na vida, que já tem uma capivara que vai daqui até o outro lado do Córrego Olhos D’Água, não é referência para ninguém”.

RÁDIO BLOG

Ouça a íntegra do discurso de Niquinha:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

E a defesa do líder Salata:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

***

Se você leu este artigo em outro local, provavelmente se trata de plágio, crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

(Texto original do Blog do Concon®)

* Pode comentar à vontade, mas antes, por favor, leia a nossa política de comentários.

Assunto(s): , , ,

Leia também:

4 comentários

  1. jcassio disse:

    Concon essa de reviver o estilo (pitbull carneirista)
    foi demais gostei hahahahaah deve ter sido de muitas risadas essa sessao. ate mais.

  2. LUIS disse:

    Achei que estes tempos não voltariam mais…
    Lembro-me que parei de frequentar as sessões da câmara de Olímpia por causa do “circo” que ela havia se tornado na gestão anterior. Hoje vejo que o nível dos debates melhorou mas, não muito. Ontem tive a oportunidade de assistir pela Rede Vida de televisão (mesmo com um pouco de “chuviscos” na imagem, rsrs), a brilhante entrevista do Deputado Federal eleito por SP, Delegado Protógenes Queiroz onde o mesmo defendeu uma ampla reforma política e principalmente no processo eleitoral em nossa nação. Comungam desta idéia que seria a salvação de muitas casas legislativas por todo o país também, a Presidente eleita Dilma, o Dep. José Antonio Reguffe, vários outros parlamentares que compõem a chama bancada dos éticos e, fechando com chave de ouro seu mandato, o Presidente Lula ao se propor liderar a Reforma Política, já. Sérios e comprometidos, eles e todos nós se cansamos de ver os vários “tiriricas” da vida que atuam como políticos em toda a nação, inclusive em Olímpia.

  3. Marcos Santos (Marquinhos) disse:

    Caro concon,
    Tenho duas opiniões e gostaria de aproveitar aqui a oportunidade que você oferece aos leitores deste blog, e expressar minha opinião.

    O que vimos ali na câmara ao se tratar deste caso mencionado acima, é que ninguém tem dúvidas de que o Niquinha aproveitou ali seus 10 minutos na tribuna, e armou um grande circo e tentou colocar todos e principalmente os que o acompanhou até lá, para jogá-los contra o Prefeito, e Nós todos sabemos que tudo isso é mais uma armação, e nada mais que uma jogada política da oposição para tentar caluniar e prejudicar o Prefeito.
    Pois falem, e falem o que quizer, mas todo cidadão olimpiense sabe e vê que o Prefeito Geninho é o melhor Prefeito que Olímpia já teve, o que mais trabalhou, o que mais fez e mais faz pela cidade, o resto não importa.,

    Não significa que se eu não gostar do Prefeito ou por razões pessoais ou outros, vou ficar criticando -o , ou falando inverdades a seu respeito ou da administração por isso só a verdade tem que ser dita, e doe a quem doer naõ importa, por isso eu falo parabéns prefeito.

    E ainda falo mais…………..
    também acho que o nosso Prefeito deveria sim rever e repensar a sua posição, referente a este caso, Pois poderá prejudicar, e fazer diminuir o padrão de vida dessas pessoas, pessoas que antes mesmo de receber já contam e até mesmo se compromissaram com estes valores em seus respectivos pagamentos, onde muitos servidores e trabalhadores já até comprometeram parte desse dinheiro que ainda nem receberam ou seja desses adc, e por isso só mesmo o Prefeito pode ajuda-los,.

    Sem mais fica aqui um grande abraço de seu amigo Marcos Santos (Marquinhos)

Faça um comentário