STF livra Rodrigo e Aníbal do suposto cartel dos trens de SP

Publicado em 10 de fevereiro de 2015 às 19h53
Atualizado em 10 de fevereiro de 2015 às 19h54

Por Fausto Macedo – O Supremo Tribunal Federal arquivou nesta terça-feira,10, a investigação sobre o suposto envolvimento de deputados federais por São Paulo com o cartel metroferroviário.

(null)

O ministro Luiz Fux, do STF, deu o voto decisivo pelo arquivamento. Ele considerou que não havia ‘justa causa’ para o prosseguimento das investigações.

A medida livra as suspeitas de ligação o deputado José Aníbal (PSDB-SP) e Rodrigo Garcia (DEM-SP), que no governo Geraldo Alckmin ocuparam, respectivamente, as secretarias de energia e desenvolvimento econômico, com o cartel.

A investigação foi aberta a partir da delação premiada feita pelo ex-diretor da divisão de transporte da multinacional alemã Siemens, Everton Rheinheimer.

Em depoimento à Polícia Federal, em outubro de 2013, Rheinheimer declarou que parlamentares recebiam propinas de multinacionais. As empresas teriam formado um cartel para assumir o controle de contratos do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Ele citou Aníbal e Garcia.

Nesta terça-feira, o STF retomou o julgamento que estava empatada em dois votos a dois.

Assunto(s):

Leia também:

Faça um comentário