DEU NO BLOG DO VIANA: CUGINOTTI É CONDENADO A 7 ANOS POR SONEGAÇÃO

Ex-juiz Cuginotti
Ex-juiz Cuginotti

A Justiça Federal condenou o ex-juiz de Direito, Júlio Cuginotti, que foi titular da 4ª Vara Cível, em Rio Preto. Antes, foi juiz em Olímpia, também. Desta vez, Cuginotti pegou sete anos de prisão em regime semi-aberto.

As informações estão no Blog do Jair Viana, De Olho no Poder, de São José do Rio Preto, antecipando a notícia que sairá amanhã no “Diário da Região”, daquela cidade. Pela amizade que tenho com Viana, quando trabalhamos juntos numa emissora de rádio de Olímpia, reproduzo, com sua autorização, a entrevista EXCLUSIVA dele com Cuginotti acerca da pena.

CUGINOTTI ATRIBUI PENA
A PERSEGUIÇÃO DE AGENTE

Para Júlio Cuginotti, acusações teriam partido de homem da Receita, que teve apartamento implodido, pelo ex-juiz, no final de década de 90; seria perseguição.

O ex-juiz Júlio Cuginotti, depois da insistência deste blogueiro (Jair Viana), finalmente resolveu se manifestar sobre a condenação por sonegação fiscal, conforme decisão da Justiça Federal. Ele não entra em detalhes, alegando não ter tido acesso à decisão. No site da Justiça Federal não há acesso aos detalhes do caso, além de a sentença ainda não ter sido publicada.

DE OLHO – O senhor foi condenado pela Justiça Federal, acusado de sonegação de impostos. Como senhor reage a mais essa decisão contrária. Vê justiça, e, vai recorrer?

CUGINOTTI – Ainda não recorri porque não tenho conhecimento do texto da sentença. Observo que até esta data a sentença não foi publicada na imprensa oficial. Porém adianto que exercerei todas as prerrogativas legais em minha defesa.

DE OLHO – Na sua opinião, a decisão da Justiça Federal confirmaria algum complô contra o senhor?

CUGINOTTI – Em caso semelhante foi proferida sentença absolutória na mesma vara federal. Além disso me parece estranho que decisão da justiça estadual (sentença proferida por juiz que não atua em Rio Preto) tenha reconhecido que não me enriqueci ilícita ou indevidamente, que meu patrimônio era proporcional aos meus rendimentos e agora apareça uma decisão falando em sonegação. Sobre isso gostaria de fazer uma pequena observação por ser pertinente: quando ingressei na magistratura era proprietário de um apartamento e dois carros; quando sai tudo o que tinha foi bloqueado e assim permanece até hoje. Isso parece justo ?

DE OLHO – Pela condenação, o senhor teria deixado de declarar algo à Receita Federal, o que foi, e como fica sua situação?

CUGINOTTI – Não conheço o texto da sentença que originou esta pergunta. Porém a perseguição é evidente. Prova disso é que processos em julgados em primeira instância fora de Rio Preto sempre tiveram decisões favoráveis a mim. Sempre questionei a legitimidade de alguns impostos e deduções, p.ex.: a limitação de dedução com gastos com educação de dependentes, uma vez que a Constituição Federal diz que educação é dever do Estado. Como mencionado acima não tenho, por hora, muito o que falar, pois não tenho ciência do texto da sentença.

DE OLHO – Durante sua atuação com juiz de Direito, o senhor foi beneficiado de alguma forma perante a Receita?

CUGINOTTI – Nunca me vali do cargo para obter vantagens tributárias indevidas, tanto que esses “questionamentos” surgiram após eu deixar a carreira e tiveram como um dos protagonistas um funcionário da Receita Federal que tinha apartamento em condomínio que cuja demolição foi por mim determinada a pedido legítimo da Prefeitura Municipal.”

Um comentário em “DEU NO BLOG DO VIANA: CUGINOTTI É CONDENADO A 7 ANOS POR SONEGAÇÃO”

  1. Tendo em vista ser leigo, não entro no âmago da questão sobre a pena de sete anos aplicada por sonegação, ao ex-juíz de direito Júlio Cuginoti.

    Todavia, baseado em fatos semelhantes e devidamente comprovados; veiculados pela mídia nacional, transcrevo com total segurança, sem generalizar, um poema
    publicado no livro O Arco-Íris das Poesias, de minha autoria:

    PROBLEMAS SOCIAIS

    Fatos horripilantes
    Diariamente divulgados
    Deixam os seres humanos
    Impotentes. Desananimados.

    Fenômenos da natureza
    Não podemos impedir
    Mas, intempéries sociais
    Não nos impedem de agir.

    Infelizmente, enfrentamos
    Verdadeiros caos social
    Quem sabe; algum dia?
    Tudo retorne ao normal.

    Ter direitos e deveres
    Vida com liberdade,
    Quando os poderes públicos
    Agirem com dignidade.

    Ah! Que bom seria. Não acham?

    (TEMA POLÍTICO SOCIAL – PÁGINA 51)

    Desejo-lhes um Feliz Natal e um próspero Ano Novo.

    Abraços natalinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *