Lambança geral: foca mistura fatos com bugalhos, envolve famílias, empresa e faz Planeta News e Menina AM darem tiro no pé

Publicado em 15 de julho de 2011 às 22h32
Atualizado em 15 de julho de 2011 às 23h31

Duas famílias e uma empresa foram atingidas hoje por uma reportagem de capa e páginas internas inteiras do semanário ‘Planeta News’, em que participa como diretora a vereadora Priscila Foresti (PRB) e, segundo consta, o grupo do ex-prefeito Luiz Fernando Carneiro (PMDB). Tudo por causa de um erro de datilografia, justamente no cadastro estadual das empresas, na Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo).

100_0384

“Outra empresa com endereço falso já recebeu R$ 605 mil – Trata-se de mais um caso de registro na Jucesp em casa cujo morador não sabia”, estampou o pasquim e, ao mesmo tempo, a rádio Menina AM, também do mesmo grupo político, além das mídias sociais, como o Facebook. O jovem Cléber Luís, que fez 18 anos em março passado, recém egresso da Rádio Difusora, onde foi autorizado a trabalhar como radialista com permissão judicial, hoje dizendo ser ‘jornalista’, fez uma lambreca de informações sem obedecer o sagrado princípio: checar e cruzar informações para, depois, noticiar ou não.

100_0381

O erro estava no primeiro parágrafo da reportagem, mas o foca (aprendiz de repórter, no jargão profissional) e, oportunistamente, a direção do jornal, deixaram escapar: “O Planeta apurou esta semana que a prefeitura municipal efetuou 177 pagamentos por “serviços prestados” pela empresa Lucimar Regina Damion Louzada, que consta ter sede atual na Rua Washington Luiz, 916, mas cuja moradora do imóvel, Lucimar Lopes Santos Escarano, garantiu à reportagem que ali nunca existiu empresa nenhuma. A partir de 1º de abril de 2009, esta empresa já recebeu dos cofres públicos, R$ 605.706”.

O Blog do Concon, conhecendo pessoalmente as ‘duas Lucimar’, a Louzada e a Escarano, e também a referida empresa, assim como o serralheiro Aluísio Louzada, logo percebeu que o ‘Planeta News’, enfim, deu o tiro no próprio pé. E não há pecado nenhum a empresa participar de pregões, ter o melhor preço, e ganhar. Quem trabalha honestamente, e conhecido como é, ótima reputação, tem mesmo de receber o que lhe é devido.

A impressão que o pasquim quis dar é que a empresa seria ‘fantasma’, com endereço errado na Jucesp, por algum interesse escuso e, pior: faturando ‘alto’, e ainda por cima, usando a mesma Lucimar, mas com sobrenome errado, também, pelo entendimento do pasquim, de forma a levantar ‘altas suspeitas’.

A LAMBRECAGEM

cleberUm garoto ficou a semana toda ‘investigando’ com vizinhos a vida da professora de maternal, da Creche Rabicó, ACT (temporária) há sete anos (“estudo todos os anos e passo nos exames porque amo a minha profissão”), Lucimar Lopes Santos Escarano, filha de Antonio, o conhecido, respeitado e até amado, garçom da Câmara Municipal e de serviços para renomados bares, restaurantes e eventos da cidade.

Ele é Cléber Luís. Na rede social Facebook ele se identifica como “jornalista do Jornal Planeta News com Orlando Rodrigues da Costa e Priscila Foresti”. Nasceu em 12 de fevereiro de 1993. Entrou pela porta do Judiciário para trabalhar na Rádio Difusora AM, então com Fernando Martinelli, há quase três anos, pois era ‘de menor’. O pai, pessoa simples e trabalhadora, pediu muito para que o filho trabalhasse na emissora. Segundo o Facebook, ele estuda na União das Faculdades dos Grandes Lagos – Unilago, no primeiro ano de Jornalismo.

“É verdade que no número 916 funciona uma empresa? Uma serralheria?”, perguntava o foca para vizinhos da professora. O casal Antonio e Célia, pais de Lucimar Escarano, casada, mas também com aparência de menina, são bem conhecidos e queridos pelas redondezas, mas em cidade pequena, logo correu o boato de que, naquele endereço, de portão que encobre totalmente a casa, havia ‘algo errado, escuso, envolvendo até o prefeito’. E saiu espalhando a lambreca:

cleber-e-seu-face

A CONFUSÃO DO FOCA

Como aprendiz, e não ‘jornalista’, como ele apregoa ser, Cléber Luís esqueceu de checar a fundo, e de cruzar todas as informações, para descobrir, enfim, se elas continham ou não contradições. Estas, sim, seriam ‘grandes furos’ jornalísticos. Mas, ele próprio virou notícia: aprendiz, não fez a lição de casa, e envolveu o Planeta News na maior palhaçada jornalística de sua história, desvendando que, nem mesmo Orlando Costa e a diretora-vereadora, se preocuparam em também checar e cruzar os dados.

100_0380100_0377

Realmente, existe, e de fato e de direito, a empresa “Lucimar Regina Damion Louzada-ME” existe, mas o repórter, com preguiça mental, não andou quadras acima do número 916, pois a descobriria no número 516. Daí, qualquer ser inteligente deduziria: tem algo errado. Ainda mais quando nos dois endereços existem mulheres com o mesmo nome: Lucimar.

100_0382

Bastava, por exemplo, em seu ‘jornalismo investigativo’, especular com os sete funcionários da serralheria em qual endereço estão registrados, devidamente, em carteira profissional. Ou, mais honestamente, indagando para a verdadeira Lucimar, ou ao marido Aluísio, a razão de números diferentes na mesma rua.

100_0376

“Nem eu mesmo sei. Mandei o contador averiguar e corrigir. Agora, não tem sentido expor uma empresa, duas famílias, sete empregados, nessa falta de vergonha, de profissionalismo”, queixa-se Aluísio Louzada. “Minha mulher passa roupas na Santa Casa, sou profissional há 25 anos. Estou com a empresa há três. Participo de todos os pregões. Quem tiver preço melhor que eu, basta se candidatar, e oferecer preço melhor. Não apareci hoje em Olímpia, ao contrário do que esse menino quis dizer quando disse que a empresa existe desde 2.009. Não sou eu que apareci hoje por aqui”, desabafa, visivelmente abalado, irritado, e quase sem fôlego.

MAIS LAMBRECAGEM

O Planeta News escreveu: “Segundo a ficha cadastral na Junta Comercial do Estado de São Paulo-Jucesp, a empresa foi constituída em 19 de janeiro de 2009, com capital inicial de R$ 30 mil, e iniciou atividades em 5 de janeiro de 2009, primeiro dia útil após a posse do prefeito Geninho (DEM). Em entrevista ao jornal, na tarde de quarta-feira, 13, a moradora da casa se disse surpresa com a informação. “Meu marido não tem nenhum conhecimento disso. Vai ficar surpreso igual a mim”, disse ela”.

O que tem a ver o início de funcionamento de uma empresa, com a eleição do prefeito e com a surpresa do marido ‘da casa errada’?

O que o foca não sabe é que, em tempos de desenvolvimento, de crescimento, empresas se formam, e as que estavam, por exemplo, na informalidade, surgem no cenário econômico. Se é para comparar governos, enquanto no passado poucas empresas eram constituídas, de dois anos para cá, mais de 500 delas nasceram em Olímpia, talvez acreditando em novos tempos, mais consumo, mais necessidades e mais mercados abertos. E, evidentemente, o poder público contratando de forma inovadora – pregões presenciais – e dentro do que manda o figurino ordenado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Seria que, se a pretensão da vereadora vingar, de ser prefeita da cidade, todas as empresas que nascerem a partir de sua gestão serão mal vistas pelo seu jornal? É algo para se pensar, com cuidado e prudência.

A PROFESSORA E O GARÇOM

O Blog entrevistou, agora à tarde, a professora ACT Lucimar Lopes Santos Escarano, filha do garçom Antonio (já que ele foi envolvido, vamos colocá-lo de referência também).

Ela confirmou que deu entrevista para o semanário e à Menina AM: “Eles vieram à minha casa para ver se eu era empresária de uma serralheria que constava neste endereço, segundo eles”. E a resposta foi esclarecedora: “Eu disse que não havia nenhuma serralheria em meu endereço e que eu não era Lucimar Damion Louzada, e sim Lucimar Lopes Santos Escarano”.

Mas, o jornal e a emissora foram além, usando voz, imagem e comentários que alegaram que ela teria dito em ‘off’, indevidamente: “Não, não autorizei. Eu não estou dormindo há duas noites,  e minha mãe também, ela anda a noite toda, e estou assustada com toda esta situação”.

“Só quero aguardar e torcer para que os fatos verdadeiros sejam apurados, que seja feita Justiça, só isso”, disse Lucimar, que mora na rua Washington Luís, 916.

Por sua vez, o garçom Antonio Aparecido dos Santos, realmente está surpreso, como a reportagem do Planeta News escreveu, mas o sentido foi outro: “Primeiro, quem não deve, não teme. Depois, eu nunca tive problemas com ninguém, com nada, e, de repente, minha família está envolvida numa questão de firma fantasma. Eu não mereço isso. Sou um trabalhador, todo mundo me conhece, estou sempre trabalhando, infelizmente minha família está abalada, ninguém consegue dormir, é gente toda hora ligando em casa tirando ‘o sarro’, pedindo dinheiro emprestado, fotografando, acho que deveriam ter tido um pouco de respeito com a família da gente, no caso, a minha”.

100_0383

Humilde, nem pensa em ‘fazer justiça’, apenas “vou entregar nas mãos de Deus, Deus é maior, pago meus impostos, vou continuar rezando, o povo me conhece e só peço uma coisa: que continuem me chamando para trabalhar de garçom, eu vivo de garçom, sou profissional, vivo disso, não tenho nada para receber da prefeitura, ao contrário, nem lá perto eu passo, trabalho na Câmara Municipal, sou apenas um garçom, não me envolvo com política, não misturo assuntos de trabalho com a minha casa, todo mundo sabe onde me achar, de repente eu me vejo envolvido em coisas que não fiz. É muito chato, triste, uma pessoa como eu, idônea na cidade, todo mundo me conhece, agora vai virar brincadeira”.

Ele disse que a sua esposa, Célia, está doente, faz tratamento de depressão: “Com essa notícia, a nossa casa foi detonada. Sei que tenho de tocar a vida. A ficha (sobre a reportagem) caiu agora à tarde, fui andar um pouco, pensar na vida, quem trabalha de garçom é difícil”. E, acaba brincando: “No Brasil, o culpado sempre é o garçom, o mordomo, acho que o repórter ficou emocionado ao me ver, foi isso, foi emoção do rapaz, não pensei que ia dar todo esse ibope. Conheço o Louzada (serralheiro Aluísio) desde quando ele tinha cabelo, agora ele vejo ele nessa também. Não acreditei quando li tudo aquilo envolvendo a mim e a ele, minha filha”.

O garçom Antonio quer reparação, pelo menos de informação e moral: “Não quero ninguém ajoelhado, pedindo desculpas, mas que me abram espaço nas rádios, irei lá, estou sendo prejudicado, minha casa virou palco de gozação, é o dia todo procurando serralheria em casa, espero que haja retificação e se magoei alguém, que me desculpem, e que não prejudiquem a minha filha e ao meu trabalho”.

A EMPRESA E O ENDEREÇO CORRETO

“Na verdade, eu nem abri o jornal, a Lucimar Escarano foi quem me procurou, na prefeitura, para que esclarecêssemos o que está ocorrendo, não tinha ciência de nada, fui pego de surpresa hoje. A minha serralheria é legal, ela existe, está neste endereço há dois anos, na rua Washington Luís, 516, e ela está lá para todo mundo ver”, disse o serralheiro Aluísio Aparecido Louzada ao Blog hoje à tarde, em companhia de sua mulher, em nome da qual está constituída a sua empresa, Lucimar Regina Damion Louzada.

100_0378

Ele revela que possui sete funcionários devidamente registrados, e todos no endereço da rua Washington Luís, 516. Até hoje, quando a reportagem o alertou, porém de forma indevida, jogando-o na fogueira das suspeitas, Aluísio não sabia que a sua empresa está registrada no número 916 e não 516 da mesma rua: “É um erro que o meu contador está vendo, ele foi à Jucesp hoje averiguar, todas as minhas contas de luz e água, notas fiscais de fornecedores e as que a empresa emite, são do número 516 e não 916”.

E o que o foca não descobriu, mas sim este Blog, é que a serralheria, na Prefeitura de Olímpia, está em outro endereço: rua 9 de Julho, 337. Como? Endereço falso? Endereço de correspondência, de referência? Não, nada disso. É que o mesmo prédio, antigo, é de esquina e tem duas numerações, uma em cada rua, com portas para ambas, mas a principal, aberta ao público, está na rua Washington Luís, 516.

100_0379

“O prédio é de esquina e termina numa rua sem saída”, esclarece Aluísio.

O serralheiro disse que já está “tomando as medidas cabíveis, inclusive já lavrei um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil de Preservação de Direitos, anexando documentos da empresa no endereço correto, ver o que tenho direito, o que eu posso fazer, não vou deixar isso barato, estou como serralheiro em Olímpia há 25 anos, todo mundo me conhece, sabe que tenho serralheria e sou serralheiro, concorro na prefeitura na modalidade de pregão, participo e ganho pelo menor preço, basta checar, não faço nada ilegal, nada sem nota, tudo certinho”.

“Jogaram a família do Tonhão e o nome da professora Lucimar, homônima de minha mulher, na lama. Ela não tem nada a ver com isso. Foi usada. Como é que ela vai encarar professores, amigos, pais de crianças, já que é professora de maternal?”, questiona Aluísio.

Durante a entrevista, ele confessou: “Estou completamente abalado, meus nervos em frangalhos, a minha firma é fantasma?, eu sou fantasma?, meus funcionários são fantasmas?, moro há 47 anos em Olímpia, 25 mexendo com serralheria, e minha firma é fantasma? Que tipo de reportagem é essa? Que investigação é essa que não checa informações, e publica as coisas à mercê dos olhos, não procura checar direito, por que não me procuraram? Para saber a verdade?”

Aluísio vai mais longe: “O que procuraram com isso? Atingir a mim ou ao prefeito? Se o objetivo foi o de atingir o prefeito, atingiram, sim, a mim, minha família, e aos meus funcionários. Somos honestos. A minha esposa nem fica na firma, ela trabalha na Santa Casa, passa roupas, esse dinheiro que alegam que eu recebi, recebi sim, ao longo de três anos”.

E, sobre o dinheiro, que alegaram que ele recebeu, como se fosse uma informação também escusa e com fins duvidáveis, Aluísio esclarece: “Eu participo de pregões presenciais, ganho os que tiver menor preço, se acham que é muito o que recebi em três anos, fazendo manutenções em escolas, reformando ginásio de esportes, ruas, consertando e entrando dentro de bueiros, arrumando o Recinto do Folclore, com sete funcionários registrados, que eles participem de pregões, ganhem e saberão a realidade”.

Finalmente, a exemplo do garçom Antonio, o serralheiro Aluísio quer que o Planeta News e a Rádio Menina AM retifiquem “no mesmo espaço, tamanho, destaque e com as informações corretas, mesma capa, que mostre a minha empresa, o meu prédio, enfim, que mostre, agora, a verdade”.

E MESMO ASSIM, A ARROGÂNCIA

No Facebook, o radialista e jornalista do Planeta News, Orlando Rodrigues da Costa, disse que irá ‘retificar na semana que vem’, mas que ‘nem tudo é mentira’. E, com autoridade, fala em nome da direção do Planeta:

oc00oc0oc1

E a posição do foca:

e-o-reporter

E NO BLOG…

Correndo, às pressas, para tentar minar essa reportagem anunciada no Facebook, Orlando Costa escreveu, de seu elevado grau de conhecimento e de diretoria no Planeta:

“Para a editoria do jornal, não está caracterizada nenhuma denúncia vazia ou erro grotesco de jornalismo. Se falha houve, esta é de informação com base no que está registrado no órgão mais confiável e oficial quando o assunto é regularidade jurídica de uma empresa. No mais, diz a editoria do “Planeta”, as demais informações estão mantidas e ratificadas, uma vez que representam a mais pura verdade. O que está publicado são dados oficiais, e resta ao MP, se for o caso, e se assim entender, apenas investigar se os gastos são ou não exorbitantes – mais de R$ 605 mil, para confecção de esquadrias metálicas.

Segundo dados obtidos no Portal da prefeitura, por meio do aplicativo “Gestão Transparente”, o pagamento total feito à empresa a partir de 1º de abril de 2009 supera a casa dos R$ 605.706 (foram desprezados os centavos para arredondar a conta), divididos em 177 empenhos e emissão de cheques. Foram somados valor por valor constantes em doze páginas. A primeira soma resultou em R$ 19.661, a segunda em R$ 14.223, a terceira em R$ 23.311,50 e a quarta, em R$ 24.776. A partir da quinta página os valores começam a subir vertiginosamente – R$ 46.500, R$ 89.869, R$ 82.099, R$ 113.645, 92.756, R$ 64.204, respectivamente -, para cair depois para R$ 34.373, e R$ 289 em 15 de junho.

E dois anos e seis meses de atividade, a empresa faturou junto ao município mais de 20 vezes o valor do seu próprio patrimônio. Os 177 pagamentos feitos neste período, representam média de 5.9, e média em dinheiro de R$ 20.190 por mês”.

É que trabalhar, para o Planeta News, é pecado. Não se pode ganhar pregões (que na gestão de Carneiro não existiam), não se pode constituir empresa na atual gestão e, enfim, descobrir o caminho comercial do sucesso. Cuidado, gente: o Planeta News virou fiscal de seus patrimônios e ai daquele que melhorar de vida. O negócio é ficar capengando a vida toda, bebendo cerveja nos boteco, tendo problemas em casa e, nada de felicidade empresarial. É o jornal da vereadora Guegué, ou não é?

***

Leia com atenção antes de comentar esta notícia:

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Blog do Concon. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Leia antes a nossa Política de Comentários.

O Portal Blog do Concon poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critério impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Assunto(s):

Leia também:

16 comentários

  1. Janaina disse:

    Parabéns Concon! Nem tenho mais o que falar…..

  2. simeão soficier disse:

    Realmente… ninguem chuta cachorro morto e nem atira pedra em árvores sem frutos… Força governo municipal e parabens concon pela materia. Leio o blog pelo menos 2 vezes por dia, e é muito bom estar informado do que acontece na cidade à partir do blog, variedade nas matérias. Não é um jornal onde só oque lemos é ataque ao governo municipal.

  3. Kleython Bianchi disse:

    Agora sim … Fu*** pra todo mundo kkkkk

  4. FLAVIA disse:

    OLHA CON CON PARABENS POR COMEÇAR A DESMASCARAR ESSA QUADRILHA, PQ ISSO SIM É UMA QUADRILHA. É MUITO FACIL FACIL FAZER JORNALISMO SOMENTE ENCIMA DE COISAS QUE ELES JUGAM ILEGAIS, MAS QUANDO APURADAS, DEPOIS DELES APRONTAREM O TUMULTO NA VIDA DE PESSOAS HONESTAS, QUANDO ESCLARECIDOS OS FATOS,TUDO É DIFERENTE DO QUE ELES COLOCARAM. ATÉ QUANDO TEREMOS QUE CONVIVER COM ISSO!!!!! ELES NAO TEM CAPACIDADE DE COLOCAR COISAS REAIS, BENEITORIAS FEITAS NA CIDADE, ALGO QUE VÁ SOMAR E FAZER COM QUE ACREDITAMOS QUE ELES HONRAM O DIPLOMA QUE TEM, QUEM TEM É CLARO!!!!

  5. Beatriz disse:

    O que é revoltante é que a parte equivocada não tem nem a humildade de admitir a falha, tentam com palavras agressivas desacreditar o blog , sejamos coerentes errar é humano e reconhecer o erro e repara-la é sinal de carater.. Parabens Concon isso é jornalismo de verdade saber apurar os fatos é realmente primordial para essa profissão.

  6. Liz disse:

    Parabéns a reportagem…. sem mais cometários …

  7. Otávio Louzada disse:

    Concon Obrigado pro mostrar a verdade, você está de parabéns com sua matéria, mas eu gostaria de saber o que passa na cabeça de uma grupo de pessoas que tem a capacidade de editar uma matéria sabendo que a serralheria era do meu pai, como pode ter colocado o nome da minha mãe Lucimar Regina Damion Louzada, ter dado o meu endereço residencial e a quantia que meu pai recebeu em 3 anos de serviço, quantia essa que foi gasta entre materiais, funcionários, encargos sociais, encargos tributários será que isso não poderia atrair a atenção de pessoas que queiram tirar proveito disso? será que agora eu, meu pai e minha mãe estamos seguros?

    Acho que falta um pouco de reflexão da parte dos jornalistas do planeta news.

  8. Roberto Sabino disse:

    Concom fico contente por seu grande trabalho em mostrar a impunidade que tentão arrumar para desmoralizar nosso Grande Prefeito, que muito esta fazendo por nossa Cidade e gostaria muito de saber o que fez nosso tão Honrrado ex. Prefeito em 8 anos, nunca vi algo que tivesse feito por nossa cidade a não ser conseguir fazer 150 casas do multirão e também gostaria muito de saber para que serve certos Vereadores que ao invez de ficar publicando coisas para tentar derrubar o Prefeito atual não vai atráz de fazer algo para tentar ajudar a melhorar nossa linda Cidade de Olímpia, fico grato pelo seus serviços de informações Concon.

  9. MARIDALVA BASSI BITENCOURT disse:

    AMIGO CONCON! COMO VC TAMBÉM, CONHEÇO TODOS OS ENVOLVIDOS NESTA CALUNIA SE É QUE PODEMOS CHAMAR ASSIM, POIS PRA MIM É PURA POLITICAGEM OPOSICIONISTA. ESSAS PESSOAS ATINGIDAS POR TAL CALUNIA, OU MELHOR NÃO SE SINTAM ATINGIDOS POR PESSOAS DE MÁ FÉ, POIS VCS MERECEM TODO NOSSO RESPEITO, PESSOAS DE UMA HONESTIDADE INVEJAVEL A MUITOS. PARA AS LUCIMAR QUE TENHO GRANDE ADIMIRAÇÃO. AO ALUISIO PESSOA DIGNA E BATALHADOR, AO TONHO E CÉLIA PESSOAS QUE ADORO MUITO. TODOS SÃO MARAVILHOSOS E NÃO MERECEM TAL ….. AINDA ESTAMPADO NA CAPA. PERGUNTA? POR ACASO SÃO BANDIDOS??? A QUEM QUEREM ATINGIR???? ONDE ESTÁ O RESPEITO PELO SER HUMANO??? PODE SAIR POR AI PUBLICANDO O QUE VC NÃO TEM CERTEZA DA VERACIDADE???
    VAI PROCURR O QUE FAZER E OLHA QUE TEM MUITO É SO DA UMA VOLTA NA CIDADE E VERÁS QUANTO OLÍMPIA ESTA CADA DIA MAIS BONITA, JA VIRAM A ILUMINAÇÃO DA AV MÁRIO VIEIRA MARCONDES??? AS RUAS RECAPIADAS??? VÃO DIZER MAS TEM BURACOS POR AI, TEM CONCORDO, MAS QUAL ADMINISTRAÇÃO NÃO TINHA BURACO???? TODOS PERCEBERAM A MARAVILHA QUE VAI FICAR A PRAÇA RUI BARBOSA SE EU FOSSE CITAR TUDO QUE JA FOI FEITO E QUE ESTA SENDO FEITO, FICARIA AQUI ESCREVENDO POR MUITO TEMPO. AOS MEUS AMIGOS CITADOS AQUI DEUS ABENÇOE A TODOS, AOS INIMIGOS SEJA O QUE DEUS QUISER ELE SABE O QUE FAZ.
    A VC CONCON PARABÉNS PELO TRABALHO ISSO SIM É PROFISSIONALISMO. BJUS A LAU E A TODOS

  10. Cristiane Gracindo disse:

    Até que enfim conseguimos entender a matéria. Pois quando não se fundamenta a informação, se gera complicações e inocentes pagam. A cidade sempre perde quando este tipo de informação corre as ruas.

    Todos queremos uma Olímpia melhor, mas enquanto essas pessoas estamparem escandalos sem justificativas nosso crescimento deixa de existir e o fato é que é este o objetivo de quem só planta o mal. O rasciocíneo é simples: Eu não consigo fazer nada, portanto ninguém vai fazer. E danem-se as pessoas honestas que buscam seu lugar ao sol aqui nesta terra de ninguém. Parabéns Concon pela defesa de pessoas que são vitimas de uma mídia infame.
    Vou além: O Geninho no lugar de distribuir oportunidades de serviço, deveria dar um gato para cada pessoa, pois o gato tem sete vidas e assim cada cidadão iria se preocupar com as vidas do gatinho no lugar de infernizar a vida dos outros. Chega desta mediocridade que destroi nossa cidade, o que adianta você querer uma cidade melhor se as pessoas não se educam para isso?

  11. gustavo disse:

    bela reportagem… vc esclareceu praticamente uma denuncia de ilicito… independente com quem seja toda noticia deve ser apurada a fundo como vc o fez… “Credibilidade leva-se anos pra conseguir mas pra destruir basta alguns segundos “

  12. Fúlvia disse:

    Será que está tudo resolvido mesmo ?????

  13. Cinthya Coutinho disse:

    Estou indignada com a situação em que o Tonhão foi exposto, estive em uma festa sábado , em que lá estava ele , ganhando o seu pão de cada dia dignamente, através de seu trabalho. Como sempre animado , educado, brincou bastante com meu filho, enfim prestativo , fazendo seu trabalho com muito amor, como tem feito sempre e todos que o conhecem sabem disto. Acompanhei o programa do Julião, e ouvi ele se desculpando, pedindo para que as pessoas não deixem de chama-lo para trabalhar como garçon, então quero dizer que jamais, uma reportagem como esta, vai abalar a sua moral, a sua sagrada familia. A população de Olímpia é sábia, sabemos quem você é, o seu exemplo de vida.
    Quero ser solidaria também a família do Sr. Aloísio.
    Realmente algumas pessoas, não tem idéia o custo de se ter uma empresa e funcionários…galera façamos uma média , vamos calcular dividam 605 mil por 30 meses , o que restou vamos pagar os custos, e ver o que sobra por mes ?????

  14. Kanangha Yandangha disse:

    O grande mestre indiano e filósofo KANANGHA YANDANGHA wrote:

    Esse imbróglio tá esquisito…
    Não vejo motivo para tanto barulho.

    Ao jovem repórter Cléber, que se intitula jornalista, pois para ser jornalista infelizmente não precisa de diploma, mas deveria precisar: vá estudar, você é novo e tem todo tempo do mundo para aprender. Inclusive a ser mais cauteloso.

    À jovem Lucimar Escarano (e também aos demais familiares dela), nada constou na matéria do PN que os desabone, muito pelo contrário. Embora não os conheça pessoalmente, passou-se a imagem de pessoas normais, trabalhadores honestos, gente boa.

    À outra jovem Lucimar Louzada, e seu marido, vocês foram acusados e têm todo direito de se defender. Se não devem, não temam. Mostrem o que foi executado com os valores que a Prefeitura repassou e fim de papo. Se julgarem que foram injuriados e difamados, pessoal e/ou profissionalmente, provem a verdade e a recorram à justiça para fazer valer os seus direitos.

    À Prefeitura Municipal, esclareça o que foi pago, onde foram usados os serviços, e como funciona o sistema de pregão, quem ofereceu o melhor preço, quem perdeu, quanta diferença teve e etc. Não deve haver dificuldade para encontrar a papelada. Tirem cópias e joguem tudo no ventilador (papéis, é claro!). De novo: quem não deve não teme.

    As jovens Lucimar e seus respectivos familiares não deveriam ter aparecido juntos na mesma foto. Dá impressão de forçar a barra. Não há necessidade disso.

    Aos “macacos velhos” Leo e Orlando: menos, rapazes, menos! Cada um merece um “senta aí, Cláudia”. Vocês são de outro nível, cada um tem as suas opiniões pessoais e convicções político-partidárias. Para jornalistas conceituados que são, não convém explicitar tanto a própria opinião.

    E por último, e mais cruel e intrigante de todas as dúvidas: o que havia naquele buraco logo acima da plaquinha com o número do imóvel da serralheria?

    Desculpem a péssima redação, tenho dificuldades em versar do idioma hindi para o português brasileiro…

    Grande abraço a todos.

  15. L.C. disse:

    Parabens Concon, vc é o verdadeiro Reporter Investigativo.
    Comprovou o dolo do tal “reporterzinho”, bem como a tentativa da imprensa marrom desta cidade em caluniar pessoas de bem e que trabalham para o crescimento da Cidade.
    É lamentavel ainda existir esse tipo de imprensa que, com finalidades macabras, jogam ao vento mentiras e meias noticias.
    Um grande abraço.

    Luiz

Faça um comentário