Ser Criativo

Publicado em 12 de fevereiro de 2015 às 11h45
Atualizado em 12 de fevereiro de 2015 às 12h01

Por Ivanaldo Mendonça – Ser criativo é uma das principais características humanas. A criatividade projeta-nos à frente, ao futuro, provocando mudanças no presente. Para o psicólogo e educador Vygotsky, a atitude criativa é condição necessária à existência humana e, tudo que ultrapassa os limites da rotina deve sua origem ao processo de criação.

artigo

Ser criativo é um imperativo dos nossos tempos. O conceito de criatividade, ultrapassando a esfera individual contempla, igualmente, equipes, instituições e organizações e, muito embora o assunto seja constantemente abordado por especialistas, são inúmeros os desafios enfrentados, tanto em nível pessoal quanto organizacional.

Criatividade consiste num processo por meio do qual as ideias são geradas, desenvolvidas e transformadas em valor. Criatividade não é mágica, dom puramente sobrenatural, instantâneo. O ato criativo exige, sem dúvida, certa dose de inspiração, mas não dispensa transpiração e trabalho. Pessoas e organizações criativas investem muito nesse exercício, empenho que lhes torna diferenciados, especiais, naquilo que fazem.

As principais características do ato criativo são originalidade e relevância. Por originalidade entende-se que o resultado do ato criativo deve representar algo mais do que simplesmente o próximo passo a ser dado, aquilo que todo mundo faria. Por relevância entende-se que o resultado do ato criativo deve ser apropriado a uma determinada situação. Questionar pressupostos tidos como verdade absoluta; fazer novas conexões, combinando elementos tidos como inconciliáveis; e, provocar redefinições, gerando transformações, são habilidade de pensamento básicas no exercício do ato criativo.

Pessoas criativas envolvem-se intensamente no que realizam, têm coragem de correr risco, são otimistas, tolerantes, abertas a novas experiências, flexíveis, persistentes, possuem independência de pensamento, se interessam por assuntos e áreas diversas, têm autoestima e autoconceito positivos. Sendo o ambiente (espaço) um importante facilitador do processo criativo para as equipes, instituições e organizações, faz-se necessário zelar para que o ambiente físico seja adequado, as lideranças sejam abertas, as tarefas não sejam rotineiras e monótonas, a comunicação seja o mais livre possível de ruídos, a cultura organizacional aberta à inovação e a estrutura descentralizada.

Bernard Shaw, dramaturgo irlandês expressa, com leveza, a grandeza do ato criativo: “Algumas pessoas veem as coisas que são e perguntam porque. Eu sonho com as coisas que nunca existiram e pergunto porque não.”

Ivanaldo Mendonça é Padre, Pós-graduado em Psicologia, [email protected]

Assunto(s):

Leia também:

Faça um comentário