Bem-vindos à minha ‘blogosfera’

Publicado em 15 de setembro de 2009 às 17h37
Atualizado em 19 de setembro de 2009 às 19h05

É bom pensar tendo o mundo tão perto...

Bem-vindos.

Não é tarefa fácil a decisão de um blog com o seu nome, colocando a ‘sua cara’ e, mais do que isso, o que se passa em seu interior, para o mundo. Eu sempre acreditei que ninguém mora na cidade, no estado, no País. As pessoas moram no mundo. Visto lá de fora, e muitos astronautas até mudaram de vida depois que constataram isso bem longe de nosso Planeta, nada somos. Tudo tão pequeno, redondo, azul, quase nem terra existe, e muita gente brigando, querendo ‘ser mais’, ostentando o que não é.

Enfim, ninguém veio aqui também para dar lição de moral. Muito pelo contrário. O meu blog será espaço democrático para expor informações, buscá-las aonde estiverem, divulgá-las, não comentar tanto, deixar as pessoas, vocês leitores, refletirem e, assim, amadureceremos todos no debate sadio.

E, como sempre digo e escrevo, vamos que vamos. Menos discurso, e mais informações.

Bem-vindos, novamente. O blog é meu, mas o espaço é nosso. Obrigado.

9 comentários

  1. Ana Pomeraniec disse:

    Leonardo(Leozinho), parabéns!!!
    Tu és figura rara; tens coragem, ousadia para se expor e uma grande sabedoría.
    Sucesso!

  2. Obrigado, Aninha. Vc é uma leitora muito especial para mim. Com seu olho clínico (literalmente falando) e bom senso, poderá espiar sempre aqui, já que irei colocar assuntos além das fronteiras de Olímpia, e assim estar sempre participando, comentando e, claro, fazendo companhia para este seu velho amigo. Abraços. Shalom.

  3. EDSON ROSA disse:

    É sempre bom ter notícias dos grandes amigos que nos acompanharam e continuam presentes em nossa corrida para sermos felizes. Você Leonardo, com certeza, é um dos grandes amigos que tenho nesta vida. Parabéns pelo seu blog e sucesso.

  4. Obrigado, Edson Rosa, grande amigo pessoal, meu ‘ex-chefe’ de Engeteg, Associação Brasileira de Gás e, muito além disso, amicíssimo mesmo, de sua mãe, filha e de todos que o cercam.
    Conheci Gilberto Kassab através de Edson Rosa, em 1992.
    Bom revê-lo mesmo que à distância. Logo vou estar em São Paulo para reatarmos esses laços.
    Bem-vindo, Abraços.

  5. Thiago Virgulino disse:

    Oi, Leo!
    Tudo jóia?
    Parabéns pelo blog!
    É sempre inspirador ver gente competente exercendo sua cidadania!
    Gostei muito do trecho: “Eu sempre acreditei que ninguém mora na cidade, no estado, no País. As pessoas moram no mundo.”.
    É interessante pensar por esse lado!
    No que se refere ao exercício de direitos, mais especificamente, eu costumo dizer justamente o contrário!!
    Sob esse prisma, as pessoas vivem é nas cidades mesmo, antes de tudo, e é a partir delas que os problemas globais precisam ser resolvidos.
    Bonito como a sua frase e a minha podem parecer contraditórias, quando são, na verdade, complementares!
    Abração, amigo!

  6. É isso mesmo, Virgulino… Ter vc como leitor é uma grande honra. Quero-o acompanhando sempre esse blog, que será atualizado assim que algo for relevante, e enviado por email o sinal de que foi atualizado.
    Claro…vc matou a charada, inteligentemente como sempre. Ao mesmo tempo que moramos no mundo, será a partir da cidade, do ponto onde estamos, que as coisas serão mudadas, revolucionadas, melhoradas e, até, pioradas. Depende do humor e da inteligência…rs. E do caráter, principalmente.
    E tenho outra frase semelhante na algibeira: o cara bate no peito que nasceu na cidade e que o forasteiro, segundo ele, veio aqui e não entende de nada…rs… mas quem nasceu no começo da rua Síria, na Santa Casa (se não for do tempo das parteiras..rs), não teve opção. Mas, quem veio ‘de fora’, fez a opção de, ao contrário de ter nascido no começo da rua síria, ir embora daqui no final dela (cemitério), então o cara mora por obrigação e pode não ter interesse. O que veio ‘de fora’, como eu, há vinte anos, talvez tenha mais.
    Boa leitura e bem-vindo sempre.
    Abração ao amigo em dobro.

  7. Luiz Augusto da Silva disse:

    Meu nobre amigo e jornalista,Leonardo Concon. Boa tarde!

    Dou-lhe o direito de não acreditar: mas, sómente agora, casualmente, pela primeiríssima vez vejo este artigo.

    Não me julgue como retardatário. Sim, como privilegiado! Isso mesmo privilegiado…nada acontece simplesmente por acaso. O tempo que passou proporciou-me, com muita honra conhecê-lo melhor e fazer deste comentário uma homenagem à você, fora de época mas no momento adequado. Leo, parabéns pelo seu magnífico Blog. Sou leitor assíduo dos seus artigos claros, concisos e precisos e ainda mais, bem ilustrados, que me estimulam e porque não dizer: que até inspiram-me a opinar sobre suas ecléticas matérias, como sempre assim declarei e declaro em todas as oportunidades meritórias.

    Além da nossa amizade, e baseado no amor perceptível que dedica à sua vocação, orgulhosamente, declino-me diante do nosso lema ” Caminhemos Juntos”.

    Reconhecimento é um sentimento que difícilmente conseguimos materializá-lo com palavras. Prefiro então expressá-lo, abstratamente, através da minha lealdade e sincera amizade.

    Desejo-lhe contínuo sucesso e muita garra para engrandecer a nossa sociedade com um jornalismo ético, transparente e bem distante, ou melhor, “vacinado” contra a rivalidade.

    Tudo que escrevi Leonardo, não é um jogo de palavras. É uma homenagem sincera e incondicional.

    Vamos que vamos, juntos.

    Abraços cavalarianos, do amigo e poeta,

    Luiz Augusto da Silva.

  8. juliana disse:

    (Editado por se tratar de assunto fora de hora, fora de fundamento e de total loucura)

Faça um comentário