O Dia do Homem

Publicado em 16 de julho de 2015 às 12h53
Atualizado em 16 de julho de 2015 às 12h57

Por Ivanaldo Mendonça — O 15 de Julho é o Dia Nacional do Homem. Surpreso, como muitos, que pela primeira vez tomaram conhecimento da comemoração, perguntei-me o que significaria. No Brasil o Dia do Homem é comemorado desde 1992, por iniciativa da Ordem Nacional dos Escritores, enquanto, internacionalmente, é celebrado em 19 de Novembro, desde 1999.

dia-do-homem

Ao objetivo de promover a consciência da necessidade do cuidado e promoção da saúde física, mental, espiritual e social do homem somaram-se outros: promover modelos masculinos positivos; comemorar as contribuições masculinas positivas para a sociedade (comunidade, família, casamento, sociedade); destacar a discriminação profissional contra os homens em diversos setores; melhorar as relações e promover a igualdade de gênero. Entendido globalmente, celebrar o Dia do Homem é ocisão que sugere-nos refletir e, sobretudo, rever conceitos e modelos estabelecidos.

Difícil entender o Dia do Homem para além da visão positivista que o considera, simplesmente, resultado da evolução da espécie, hoje no grau ‘sapiens’, objeto de estudo, que pode e deve ser facetado, pesquisado e entendido como outro qualquer. O homem só pode ser compreendido na totalidade, do ser. Difícil entender o Dia do Homem para além dos aspecto biológico que define-o como macho, indivíduo de uma espécie que produz gametas, o espermatozoide. O homem não é apenas um ser reprodutor.

Difícil entender o Dia do Homem como não sendo expressão do desejo de submissão do gênero feminino ou aversão ao feminismo. Todo radicalismo é danoso; cada gênero possui características únicas, próprias, especiais, diferentes, necessárias. Homem e Mulher não são concorrentes, são necessariamente complementares, em todos os aspectos. Difícil entender o dia do homem como não sendo manifestação de culto à genitália masculina. Era tido como ritual sagrado o pai levar o filho à casa de prostituição para que provasse ser ‘homem de verdade’. Difícil não entender o Dia do Homem com não exaltação à masculinidade, à imagem estereotipada de inflexibilidade, força, ausência de intuição, agressividade, virilidade e coragem.

A comemoração do Dia do Homem motiva-nos a colaborar no resgate da essência do Ser Homem, tanto no sentido pleno, enquanto humanidade, quanto no sentido restrito, enquanto valor e papel que o gênero masculino possui em-si. Somos desafiados a alargar os horizontes, dispondo-nos a ser facilitadores nesse processo que passa, antes de tudo, pela experiência genuinamente amorosa que o Ser Humano necessita experimentar, desde o primeiro suspiro, ainda no ventre dos pais, ao último suspiro, quando seus órgãos vitais não mais comportarem a vida. Carinhosamente, aos leitores do gênero masculino, Feliz Dia do Homem!

Ivanaldo Mendonça, Padre, Pós-graduado em Psicologia, [email protected]

Assunto(s):

Leia também:

Faça um comentário