O Brasil, e Olímpia, perdem o gênio da voz: Luiz Noriega

Publicado em 26 de dezembro de 2012 às 21h33
Atualizado em 26 de dezembro de 2012 às 21h50

Luiz Gonzaga Noriega, dono de uma das mais belas vozes do Brasil e competente jornalista esportivo e locutor publicitário, que, recentemente, recebeu o título de Cidadão Honorário de Olímpia através do vereador Luiz Salata (PP), faleceu nesta quarta-feira (26). A informação é do filho Maurício agora há pouco pelo Twitter.

noriega-capa

Ele nasceu em Nova Aliança, interior paulista, em 16 de agosto de 1930. Professor por formação, a paixão pela comunicação falou mais alto e o levou para a rádio Difusora de Olímpia nos anos 40, onde foi locutor e operador de áudio.

No dia 11 de setembro de 1949, transmitiu sua primeira partida de futebol, uma goleada de 4 a 1 do Palmeiras sobre o Olímpia em partida amistosa.

Atualmente estava residindo em São Paulo, era casado, pai de três filhos e avô de três netos. Um de seus filhos é o jornalista Maurício Noriega, comentarista e apresentador do canal de esportes SporTV, da Rede Globo, que esteve em Olímpia quando da homenagem ao pai na Câmara Municipal.

20120827150503

Luiz Noriega trabalhou como assessor de imprensa da Federação Paulista de Tênis, após exercer por duas gestões a função de vice-presidente da entidade.

A vida profissional de Noriega começou a ganhar corpo no início da década de 50, ao ser aprovado em um teste na rádio Tupi Difusora de São Paulo cuja equipe esportiva era dirigida na época por Aurélio Campos.

dsc_1304

Passou depois pela rádio Tamandaré, de Recife, antes de retornar à Tupi e integrar a grande equipe 1040. Em 1970 foi para a TV Cultura, onde além de narrador esportivo, foi apresentador de programas e editor-chefe de Esportes.

dsc_1413

Deixou a emissora em 1986. Fez parte em seguida da equipe de comentaristas do programa Campeões da Bola, da TV Gazeta, composta por Alfredo Borba, Milton Peruzzi, Peirão de Castro e Sargentelli.

Ao tomar conhecimento da morte de Luiz Noriega, o vereador Zé das Pedras lamentou: “Foi o ícone da comunicação radiofônica de Olímpia, depois de São Paulo e do Brasil. Perdemos um gênio da voz. Felizmente, a nossa Câmara reconheceu, mesmo que já na aposentadoria do profissional, o seu valor e o homenageou em vida. Que Deus ilumine a sua alma e conforte a sua família”.

Assunto(s): ,

Leia também:

Faça um comentário