Nas menores cidades da região, as ‘Câmaras mais caras’. Olímpia está em 18° lugar

Publicado em 18 de outubro de 2009 às 19h43
Atualizado em 18 de outubro de 2009 às 22h38

A Câmara de Onde Verde é a mais cara da região de Rio Preto e irá gastar R$ 755 mil em 2010, segundo levantamento feito pelo Diário da Região. Cada um dos 4.005 habitantes terá de desembolsar R$ 188,51 no decorrer do próximo ano para sustentar a estrutura, composta por nove vereadores. Olímpia está na 18ª posição, segundo reportagem do jornal rio-pretense.

O custo por contribuinte é R$ 161,59 superior comparado a Rio Preto, onde existem 419.632 habitantes e o gasto do Legislativo para o próximo ano é estimado em R$ 11,3 milhões. Ou seja, Rio Preto é 100 vezes maior que Onda Verde e cada munícipe paga R$ 26,92 para manter a estrutura dos 17 vereadores.

Para elaborar o ranking das câmaras mais caras da região, o Diário pesquisou as previsão orçamentárias de 30 casas legislativas.

As cinco primeiras colocações do ranking são ocupadas por cidades com população inferior a 10 mil habitantes, como é o caso de Jaci, que ocupa o segundo lugar. Cada um dos 5.556 moradores da cidade terá de bancar R$ 122,39 em 2010 para sustentar a câmara de vereadores, que vai consumir R$ 680 mil dos cofres públicos.

Ipiguá, onde cada um dos 4.253 moradores vai desembolsar R$ 94,05 para custear o orçamento de R$ 400 mil do legislativo, fica em a terceira colocação, seguido por Cedral, que tem 8.258 habitantes e uma câmara que consome R$ 650 mil dos cofres públicos – desembolso de R$ 78,71 per capita.

Ainda é pouco

Embora as cifras sejam elevadas, os presidentes dos legislativos ainda reclamam que é pouco. O vereador Pedro Francisco dos Santos (PRB), que preside a Câmara de Onda Verde, diz que queria um orçamento maior. “Pelo menos igual ao de 2009.
Até o final deste ano a câmara vai receber R$ 798 mil. Não sei se o orçamento previsto para o ano que vem será suficiente”, disse Santos, que recebe salário de R$ 2,4 mil.

Os demais vereadores da cidade ganham R$ 2,1 mil mensais. De acordo Santos, a redução dos repasses da Prefeitura de Onde Verde para a câmara prevista para 2010 é reflexo da aprovação da Emenda Constitucional 58. “A câmara recebia 8% da arrecadação tributária do município, mas esse índice vai cair”, disse.

Para justificar o elevado orçamento da câmara, Santos afirmou que faz “um bom trabalho” e o “restante é investido em benefício da câmara ou em tecnologia.”

Para o presidente da Câmara de Guapiaçu, Joel Pagliusi Gomes (PSB), os R$ 72,47 que cada um dos 17.938 moradores da cidade vai gastar em 2010 para a manutenção do legislativo já têm destino certo. “Acabamos de equipar os gabinetes dos nove vereadores. No próximo ano quero investir na modernização da câmara, na transmissão (das sessões) via internet e na implantação da TV Câmara”, afirmou.

A câmara de Guapiaçu não tem frota e “aluga um veículo sempre que necessário”, segundo o presidente, que recebe R$ 3,3 mil por mês. Os demais parlamentares recebem salário mensal de R$ 2,6 mil.


Faça um comentário