Isso é que é feriadão em Olímpia: 14 mil turistas movimentam o Thermas dos Laranjais

Publicado em 12 de outubro de 2009 às 15h43
Atualizado em 12 de outubro de 2009 às 15h56

Comerciantes, donos de hotéis, pousadas e restaurantes, sem contar barzinhos, lanchonetes… todos estão rindo à toa. E não é para menos: para desespero dos negativistas, provincianos, anti-progressistas, individualistas e todos os ‘istas’ que temos por aqui, e não são poucos, o turismo em Olímpia vai de vento em popa. Literalmente.

Antes de clicar no vídeo, abra a matéria toda…

Estatísticas reveladas para este blog nesse instante revelam que o Thermas dos Laranjais, o ícone do turismo olimpiense, arrebanhou nada menos do que cerca de 14 mil turistas neste feriado prolongado, contabilizando ainda mais ou menos 1.300 automóveis e 14o ônibus de fretamento. É mole?

E pensar que ainda tem gente tentando reverter essa realidade que só tem trazido benefícios para a cidade. Não tem mais retorno, não. O Thermas é cantado em verso e prosa nos quatro cantos do planeta, basta dar uma ‘googlada’ para cair a ficha.

A jornalista Andressa Giro, da Revista do Tatuapé, escreveu sobre o clube:

Paraíso das águas quentes

A grande variedade de atrações torna o Thermas dos Laranjais um local familiar, pois tem diversão garantida para todas as idadesPor Andressa GiroOlímpia, cidade hospitaleira localizada no interior de São Paulo, pouco mais de 45 mil habitantes. A culinária típica do local, mesclada à italiana, árabe, chinesa e tantas outras de nossa rica cultura, agradam aos mais exigentes paladares respeitando, sempre, o bolso do chefe da família.

A região ainda oferece aos 300 mil visitantes que recebe por ano, em torno de 20 hotéis e pousadas para todos os gostos, além de um dos parques mais bem conceituados do momento: o Thermas dos Laranjais. O espaço abriga mais de vinte piscinas de ondas de águas minerais por volta de 50ºC, originadas no aqüífero do Guarani, com incríveis mil metros de profundidade, rodeadas de areia branca e coqueiros, além do rio lento, com corredeira de 360m de extensão, toboáguas gigantes com pista de 80m, hidrobalanço, tirolesa, guerra com canhões d´água, playground infantil, poços, ofurôs e cascatas de águas quentes naturais, tudo cercado de muito verde.

Além das atrações aquáticas, o Thermas dos Laranjais apresenta diversas opções de lazer fora da água, como pista de caminhada, bosques, quadras poliesportivas, salão de jogos e loja de conveniência. Hoje, o parque é tido como uma referência no turismo de lazer não só para os paulistas, mas também para todo o país.

A grande variedade de atrações torna o Thermas um local familiar, pois tem diversão garantida para todas as idades. Diversas praças aquáticas oferecem entretenimento à criançada e tranqüilidade aos pais. Isso sem falar nos restaurantes, bares e lanchonetes proporcionando conforto para a família toda.

São em torno de 400 km de boas estradas que separam Olímpia e o Thermas dos Laranjais da grande São Paulo, porém totalmente recompensados para o aventureiro ou a família que se habilitar a esse belo programa.

Por um fim de semana, ou mesmo um pouco mais de tempo que disponha nas férias, vale a pena esse novo e belo roteiro de pura aventura e prazer pessoal. Vale a pena experimentar este lado da boa vida brasileira”.

7 comentários

  1. LUIZ AUGUSTO DA SILVA disse:

    AMIGO LEONARDO,PARABÉNS PELA CRIATIVIDADE SOMADA COM A TECNOLOGIA, AO EDITAR ESTE ARTIGO.

    QUANTO AO PROGRESSO TURÍSTICO EM OLÍMPIA, ISTO JÁ PREVIA QUANDO PUBLIQUEI NO LIVRO O ARCO-ÍRIS DAS POESIAS O POEMA:

    “PÓLO TURÍSTICO”

    /Olímpia, cidade ordeira / Povo bem hospitaleiro / Recebe com carinho
    /Turistas o ano inteiro // As nossas cidades vizinhas/ Fazem suas excursões/ Encontram ao chegar/ Grande leque de opções// O município responde/ A esta demanda atual/ Investe animado/ Na hotelaria local// Será um pólo turítico/ Fatos estão a indicar/ Ficando patenteado/ Que o progresso há de chegar/.

    (FONTE DE INSPIRAÇÃO: A beleza e a estrutura do CLUBE THERMAS DOS LARANJAIS).

  2. Cesar Garcia disse:

    É mas infelizmente encontrei 2 turistas que reclamou muito do thermas e da cidade, fez duras criticas com fundamento.

    Em primeiro lugar ele reclamou que não tinha como nem andar no thermas domingo, era fila pra entrar, fila pra comer e fila até pra fazer as necessidades. Esse senhor que é de Jundiaí disse que fila é normal, mas eram gigantes e demoradas.

    Em segundo lugar ele achou absurdo não ter outras opções na cidade a noite, comercio fechado e sem outros atrativos turisticos para visitação. Ele citou o exemplo de um shopping de artesanato, ja que o turista vem pra gastar, mas se não tem nada, ele não gasta.

    A única ponto que foi elogiado é o setor hoteleiro, segundo ele muito bom. Temos que melhorar muito ainda, comerciantes, empresários, poder público e o proprio thermas.

  3. De 14 mil turistas, dois reclamarem é um ponto super positivo para Olímpia. Claro que nada é perfeito, Cesar. O Thermas cresceu bem mais do que a cidade em termos turísticos e de infra-estrutura, mas acho que as coisas estão caminhando bem, com os investimentos que vem sendo feitos.

    Só é preciso que algumas pessoas, inclusive políticos e alguns associados, não critiquem tanto, mas arregacem as mangas para, juntos, encontrarmos soluções para a nossa cidade.

    Abraços.

  4. Pedro Souza disse:

    A casa que fica do lado da minha é direto alugada pra turistas, todos que vem ficam encantados com a riqueza do nosso clube, mas os turistas sempre reclamam muito da estrutura mesmo, esse final de semana eles foram obrigados a ficar em casa, pois não tinha opções na cidade, alem disso foram embora um dia antes, porque o clube estava parecendo um formigueiro.

  5. AMERICO MOREDA MENDES disse:

    JÁ SE PASSARAM 4 DIAS CONCON E NENHUMA NOTÍCIA A RESPEITO DE “SEGURANÇA”. HÁ VÁRIOS ANOS VENHO AVISANDO E COMENTANDO COM RESPONSÁVEIS, SÓCIOS E COLEGAS DE TÊNIS, A RESPEITO DA SEGURANÇA NO NOSSO CLUBE. NA SEGUNDA FEIRA, DIA 12, MUITA GENTE APARECEU NO HOSPITAL, PROCURANDO AUXÍLIO MÉDICO DE URGÊNCIA, POR CAUSA DO TOBO ÁGUA. ISSO NÃO PODE ACONTECER DE JEITO NENHUM. MANCHA O EXCELENTE NOME QUE O CLUBE TEM NO PAÍS E NOS TRÁS PREOCUPAÇÃO. VAMOS CORRIGIR ISSO! UM ABRAÇO

  6. Pedro e Dr.Américo,

    Todas as críticas e sugestões são bem-vindas. Tenho a certeza de que, como bons leitores deste blog, a diretoria do Thermas irá considerar essas falhas. Afinal, o Thermas (e consequentemente o nosso turismo) cresce rapidamente, e é preciso acompanhar as necessidades que vem surgindo no meio do caminho.

    Grande abraço e, por favor, assinem o nosso FEED no topo da página. Pelo menos uma vez ao dia, o Feedburner encaminhará para os seus emails as atualizações até então de nosso blog.

    Leonardo

  7. Sérgio Ney Padilha Garcia disse:

    Thermas: histórias anunciadas.
    Após acidente no toboágua do Thermas (Diário da Região, SJRP, 15/10/09) no último dia doze de outubro, cumpre deixar bem claro do que falamos quando alertamos, em inúmeras ocasiões, dos riscos aos quais a administração atual do Clube Dr. Antonio Augusto Reis Neves, o Thermas dos Laranjais, expõe nosso Clube.
    Em 22/04/2008, num de meus relatórios sugestivos, entregue em mãos, talvez nunca lido, ao diretor Benito Benatti, registrei: “Afinal, os investimentos já realizados pelo Parque, pelo setor hoteleiro e de outros serviços afins, não merecem o risco de um apagão mercadológico, seja por omissão, seja por falhas próprias, seja pela ação da concorrência, seja por outros quaisquer motivos aleatórios.” Numa visão técnica, estes e outros problemas maiores, alguns iminentes, outros em gestação, eram, e são (!), evidentes a olhos nus! Infelizmente.
    Detestaria estar certo, como a realidade vem mostrando, em previsões tão radicais. Entretanto, enterrar a cabeça na areia covardemente não faz meu gênero. Nem tampouco ufanar-me do “sucesso” de mais um recorde: 14.000 visitantes (!), 140 ônibus (!) e outros milhares (!) de veículos familiares. Oba! Oba! Oba!…
    Vamos clarear algumas das razões deste ceticismo. Primeiro aos fatos.
    É fato que sua majestade “o Cliente” é quem indiscutivelmente paga as contas.
    É fato que o maior custo mercadológico está exatamente na atração e no convencimento do Cliente.
    É fato que, ao receber o Cliente (turista) o destino turístico tudo deve a ele em termos de satisfação de suas necessidades (inclusive segurança), desejos e até sonhos.
    É fato que, quando encantado nesta satisfação, o Cliente fala, em média a 3 pessoas. Às vezes, volta.
    É fato que, quando insatisfeito, fala, em média, a 7 (sete!) pessoas. Nunca volta: é o apagão!
    É fato que a atual administração do Clube, se é que sabe de algum dos fatos acima, pouco se lhes dá atenção.
    Apostaria um ingresso grátis que grande percentual dos 14.000 visitantes saiu daqui insatisfeito. Façam suas contas.
    Num processo lógico de administração competente, é preciso entender que cabe ao Clube, e não ao deus-dará, a “administração da demanda” do grande público visitante. Começa com um mínimo de técnicas de segmentação – há vários “públicos” na grande massa. Na seqüência, planejando e executando sob batuta firme, cuida-se dos ajustes: do produto em si (o Parque), do preço adequado a cada segmento e ocasião, da comunicação com os segmentos-alvo determinados, das Pessoas envolvidas no processo. A tecnologia da informação, indispensável, está disponível há alguns anos.
    A questão é que, para o sucesso real e sustentável desta estratégia, além da competência mínima, a disposição para o diálogo aberto e franco com todos os interessados é fundamental. Do Cliente ao mecânico de manutenção do Parque, do empresário hoteleiro à camareira da pousada familiar, do poder público ao lixeiro, sem exceção, devem ser ouvidos; por canais próprios e transparentes. Será surpreendente o que todos terão a colaborar!
    A continuidade, e imutabilidade, do atual padrão de administração do Thermas levarão o próprio, os investidores e seus investimentos, a cidade e região de Olímpia a um passado de triste memória. O tempo, “senhor da razão”, dirá. Aos que pagarem para ver, claro.

    Sérgio Ney Padilha Garcia.
    Olímpia, SP, 16/out/2009.

Resposta para AMERICO MOREDA MENDES