Diretor de empresa reafirma ‘parceria’ com Paróquia. Professora aguarda posição de Frei

Publicado em 14 de outubro de 2014 às 9h55
Atualizado em 14 de outubro de 2014 às 10h00

O diretor-responsável pela Prime Treinamentos Profissionais, Dilson Borges, contradisse o que Frei Fernando Aparecido dos Santos, pároco da Igreja-Matriz Nossa Senhora Aparecida, de Olímpia, afirmou ao Diário na manhã desta terça-feira (14), de que não há uma parceria entre a empresa ministradora de oito cursos profissionalizantes no salão da Fenossa.

frei-fernando

LEIA MAIS

“Bom dia Leonardo, venho por meio deste informar que foi sim feito uma parceria entre a Prime Treinamento e a PARÓQUIA NOSSA SENHORA APARECIDA/COMUNIDADE SÃO FRANCISCO, como foi divulgado em seu site na data de 30 de Setembro a 03 de Outubro. Segue autorização assinada e carimbada pelas mesmas, dando total apoio a parceria. O motivo pelo qual não foi dado a aula de cabeleireiro na data de ontem, foi por um mal entendido entre ambas as partes, que já está sendo resolvido para a reposição da mesma, sendo assim, ficamos a disposição para qualquer esclarecimentos”, escreveu Dilson ao Diário, com exclusividade.

Em outro e-mail, Dilson afirma que as aulas de cabeleireiro retornarão à normalidade: “Leonardo, o problema já foi solucionado entre ambas as partes (Paróquia/Prime), caso queira acrescentar pode pedir a todos os alunos os demais para ligarem para a professora do curso de cabeleireiro, Maíza”.

Em contato com a professora, o Diário colheu a seguinte informação: “As aulas não ocorreram porque faltavam equipamentos, como espelho e lavatório, e que a empresa deixou expresso que as aulas práticas seriam em meu salão (Maíza Fashion Hair), o que eu não estava ciente, mas se tiver que ser, não me importo. O que interessa é que as alunas não tenham prejuízos. São cerca de 15 alunas matriculadas, e ontem, dia em que registramos o boletim de ocorrência, estavam presentes dez delas”.

A professora vai aguardar a manifestação de Frei Fernando sobre a continuidade do curso.

Assunto(s): ,

Leia também:

4 comentários

  1. josé disse:

    Perguntem para qualquer aluno se deram ou forneceram o telefone ou celularda tal prof. Maiza. Acompanhei a matricula de um sobrinho meu e jamais me deram tel. ou cel. da prof. Nem no salão paroquial me deram os telefones, disseram que não tinham. E ai?

  2. Josi disse:

    Fiquei surpresa com a situação pois no início do ano essa mesma empresa procurou a escola em que trabalho para que fosse cedido espaço para realização dos cursos e me pareceu uma empresa idônea, deixando claro que a única coisa que queriam era espaço físico e que a escola não teria vínculo algum com os cursos ministrados.

  3. rodrigo disse:

    Se foi feito uma parceria, conforme foi anunciado nas porpagandas aqui em Olimpia e foi firmado um contrato de 50% para cada parte. Claro que a responsabilidade é de 50% cada um.Mesmo que a má fé tenha sido somente por parte da Prime.

Faça um comentário