Mesmo com terceirização, merendeiras continuarão nas escolas, garante prefeito. Decisão deverá sair na próxima semana

Publicado em 29 de novembro de 2010 às 22h23
Atualizado em 30 de novembro de 2010 às 0h28

MERENDA(1)Se houver a terceirização da merenda escolar, para corrigir falhas e ainda dar uma economia de R$ 2 milhões, conforme o prefeito Geninho Zuliani (DEM) revelou ao Portal de Notícias (Blog do Concon) na tarde de hoje (29), ela não será feita “da noite para o dia e nem as merendeiras ficarão sem trabalho, já que uma das cláusulas, se vier a acontecer, será a continuidade da merenda nas cozinhas das escolas e a manutenção da atual mão de obra, apenas mudarão de patrão, mas ainda não está nada certo”.

Ele tem recebido dezenas de emails diariamente questionando o assunto, muito mais direcionado ao emprego das merendeiras do que no conjunto do tema, além de pessoas trazerem, da central de boatos, incertezas e medos da repentina demissão. Em entrevista exclusiva ao Portal, Geninho esclarece o assunto.

“Em nosso governo, tudo é feito de forma democrática. Primeiro, está sendo feito um laudo criterioso nessa área e algumas falhas foram encontradas”, disse o prefeito. “A nossa merenda, inegavelmente, é de primeira qualidade porque o nosso departamento de compras está escolhendo o melhor e também às nossas merendeiras que se dedicam bastante ao trabalho”, afirmou.

Porém, segundo ele, o diagnóstico feito escola por escola e na central de compras apurou que, com a terceirização da merenda é possível haver uma economia de até R$ 2 milhões, mantendo o nível, ou até melhorando, o teor nutricional da merenda e corrigindo as falhas encontradas.

“E com R$ 2 milhões sobrando podemos construir mais duas ou três creches, ou UBS, e Olímpia precisa de capital de investimento para pavimentar mais, tapar buracos, fazer praças, enfim, para a cidade crescer mais rápido, e isso se chama gestão boa do dinheiro público”, defende. “Críticas virão, mas estou preparado, como sempre, para elas”, acrescenta.

“Há muito desperdício, por exemplo, e quando há terceirização a empresa busca fazer com qualidade e, ao mesmo tempo, economia”, revela. Ele disse que foi conhecer cidades onde a merenda é terceirizada, como foi o caso de Fernandópolis, “que é um grande exemplo de merenda terceirizada”, e até mesmo a secretária da Educação, Eliana Bertoncelo Monteiro, foi também conhecer essas cidades, trocando experiências com as secretárias.

Geninho disse que Olímpia ficou ‘traumatizada’ com a terceirização da merenda “porque a administração passada não soube fazer o processo, contratou uma empresa ruim, existem processos que estão até hoje nos tribunais com denúncias contra aquela terceirização”, mas garante que, “se fizermos a terceirização, ela não será mal feita, como da gestão passada”.

“Mas, ainda estão finalizando os estudos. Nos próximos dez dias, vamos bater o martelo: ou fica como está ou se vamos partir para isso”, assegura o prefeito ao Portal.

MERENDEIRAS: ‘OLHAR ESPECIAL’

merenda-escolarAo abordar sobre o futuro das merendeiras no possível processo de terceirização, o prefeito foi enfático: “As merendeiras terão sempre um olhar e um carinho especiais, até porque a empresa terceirizada, que eventualmente ganhar a licitação, vai continuar fazendo a merenda nas escolas, por isso haverá um aproveitamento de 100% desse pessoal, vai estar na cláusula, se decidirmos por esse caminho”.

“Elas só vão mudar de empregador, saindo da PRODEM (empresa pública Progresso e Desenvolvimento Municipal) para a empresa terceirizada”, frisa Geninho.

O prefeito destaca, todavia, que, a empresa terceirizada ‘poderá exigir mais, a empresa cobra mais, mas as boas merendeiras, as que se dedicam, são mesmo profissionais do ramo, não precisam se preocupar”.

SEM AVISO PRÉVIO DE NATAL

A central de boatos tem divulgado que as merendeiras serão dispensadas neste Natal, alegando que o prefeito daria a demissão como ‘presente de Natal’. Ele, obviamente, desmentiu: “O processo licitatório, se acontecer, vai levar de 60 a 90 dias. Mesmo se eu publicasse hoje o edital não daria tempo de começar as aulas em fevereiro já com a merenda terceirizada”.

E deixou um recado para as merendeiras: “Fiquem tranquilas, não é nada para as próximas semanas, ninguém vai receber aviso prévio até o final do ano, e também ninguém vai perder o emprego porque, repito, se acontecer a terceirização, no edital estará claro de que as merendas vão continuar sendo feitas nas cozinhas das escolas e, para isso, é preciso mão de obra especializada, e ninguém melhor de quem já conhece a realidade de cada cozinha, de cada escola”.

Por outro lado, o prefeito disse que a agricultura familiar vai continuar prioridade em seu governo, mesmo se a merenda for terceirizada: “Hoje, até por lei federal, você é obrigado a comprar até 30% dos produtos hortifrutigranjeiros das famílias agrícolas da cidade, e isso estamos cumprindo até acima da média, inclusive vendendo para as cidades vizinhas”.

Também este ponto poderá constar do edital, caso o prefeito decida mudar o sistema da merenda no município: “A empresa vencedora deverá, no mínimo, respeitar a lei federal”.

Arrematando o assunto, confessou “estar acima da maldade que a oposição tenta disseminar, e com a consciência tranquila da decisão que vou tomar na semana que vem, porque sempre vejo pela maioria, pela cidade, pela boa gestão pública e pela economicidade”.

* Pode comentar à vontade, mas antes, por favor, leia a nossa política de comentários.

Assunto(s): ,

Leia também:

4 comentários

  1. Lucimar Amaral disse:

    Bom dia. O comentario é que, nós, as merendeiras, seremos demitidas mesmo… Mas com essa entrevista do prefeito, fico mais tranquila, pelo menos por enquanto. Gosto muito do que faço na escola, gostaria até de aprender mais ainda. Espero poder ficar tranquila assim por muito e muito tempo.

  2. Custodio disse:

    Será que ele não quer terceirizar o governo dele? A prefeitura?

Faça um comentário