Escolas particulares de Olímpia vão melhor no Enem e duas estaduais com notas baixas

* O MEC (Ministério da Educação) divulgou o desempenho por escola no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2009 nesta segunda-feira (19). De Olímpia, as melhores classificações são de escolas particulares com pontuação superior a 600.

Apenas duas públicas obtiveram menos de 500 pontos: Dalva Vieira Ittavo e Antonio Augusto Reis Neves, respectivamente, nas posições 17.303 e 19.227. Na tabela divulgada pelo MEC, o último lugar ocupa a posição 24.158.

OLÍMPIA

Confira na tabela a posição obtida pelas escolas públicas e particulares de Olímpia. Na primeira coluna, a posição obtida no ranking nacional. Em seguida, o nome da instituição, depois o número de matriculados; na coluna seguinte, os participantes; e, finalmente, a média total (objetiva e redação).

185 Centro Educ. Olímpia Unidade 1 47 27 679,75
1856 Colégio Eduvale 30 21 619,42
4719 Wilquem Manoel Neves,Dr. 93 16 568,82
7410 Capitão Narciso Bertolino 39 14 547,27
7676 Elói Lopes Ferraz 28 10 545,71
7677 Elói Lopes Ferraz (EMR e EJA) 40 10 545,71
8971 Dona Anita Costa 155 103 538,59
9891 Narciso (EMR e EJA) 143 20 533,84
13917 Maria Ubaldina (EMR e EJA) 188 30 515,37
14078 Maria Ubaldina de Barros Furquim 92 26 514,70
16531 Dalva Vieira Itavo (EMR e EJA) 110 27 503,34
17303 Dalva Vieira Itavo 71 25 499,46
19227 Antonio Augusto Reis Neves 76 20 488,59

ENTENDA A NOTA DO ENEM

Criado em 1998, o Enem avalia o desempenho do estudante ao fim da escolaridade básica. O exame não é obrigatório e podem participar alunos que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores. Em 2009, 2.426.432 candidatos participaram do exame, destes 37% declararam estar concluindo o ensino médio naquele ano e 56% informaram ter concluído em anos anteriores.

A nota individual é utilizada no processo seletivo de universidades federais, particulares e de bolsistas do ProUni (Programa Universidade para Todos).

Em 2009, foi aplicado pela primeira vez um novo modelo da prova, com redação e 180 questões divididas em quatro eixos de 45 perguntas cada – linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática. Foram dois dias de testes, realizados nos dias 5 e 6 de dezembro, com quatro horas e 30 minutos de duração cada um.

A nota calculada pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas) é medida em TRI (Teoria de Respostas ao Item). Dessa maneira, não existe uma média global, ou, uma escala fixa de 0 a 10, por exemplo. O instituto calcula uma média entre os alunos concluintes no ensino médio. Assim, a média de 2009 foi 500 – quanto mais longe dessa nota, para cima, melhor foi o desempenho da instituição; quanto mais longe, para baixo, pior a sua colocação no ranking.

NO PAÍS

Entre as 20 melhores do país,18 são particulares e duas pertencem à rede pública de ensino. O colégio com a melhor nota do Brasil é o Vértice, na capital paulista, que obteve 749,70 na média total (prova objetiva e redação). Em segundo lugar está o Instituto Dom Barreto, de Teresina, no Piauí, com 741,54 pontos.

Na terceira posição, com média total 741,32, está o São Bento, no Rio de Janeiro, que na edição 2008 do exame obteve o melhor desempenho do país.

Das 20 melhores colocadas, apenas duas instituições são públicas. O Coluni, colégio de aplicação da UFV (Universidade Federal de Viçosa), em Minas Gerais, marcou 730,2 pontos e ocupa a sétima colocação. E, o Cap-Uerj (colégio ligado à Universidade Estadual do Rio de Janeiro), na capital fluminense, está em 17º lugar, com nota 697,9.

O Estado do Rio de Janeiro é o que possui o maior número de escolas com os melhores desempenhos entre os 20 primeiros lugares no ranking: 25% das instituições classificadas. Em seguida estão São Paulo, com 20%, e Minas Gerais e Piauí, com 15% cada.

A Escola Estadual Indígena Dom Pedro I, em Santo Antônio do Içá, no Estado do Amazonas, obteve o pior desempenho do país no exame, com nota 249,25. A instituição da região norte do Brasil é voltada aos alunos da zona rural. Dos 58 estudantes do 3º ano do ensino médio matriculados, 40 fizeram a prova do Enem 2009.

NOTA DO MEC

Em nota, o MEC afirma que a divulgação das médias do Enem “tem se revelado como importante elemento de mobilização em favor da melhoria da qualidade do ensino”. De acordo com o ministério, a avaliação auxilia professores, diretores e demais dirigentes educacionais “na reflexão sobre deficiências e boas práticas”, pois é possível avaliar o desempenho dos alunos em cada área de conhecimento.

O ministério também destaca que as notas por escola refletem uma média de desempenho dos alunos “cujo conhecimento adquirido depende não só da qualidade da escola em que estuda, mas também de seu histórico escolar, familiar e da comunidade onde está inserido, entre outros aspectos”. (Com informações do R7)

QUER SABER O RANKING COMPLETO DO ENEM? CLIQUE AQUI.

***

* Pode comentar à vontade, mas antes, por favor, leia a nossa política de comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *