APAE de Olímpia também se mobiliza contra fechamento da instituição proposta por senador

Publicado em 15 de agosto de 2013 às 15h30
Atualizado em 15 de agosto de 2013 às 15h30

Na manhã desta quarta-feira (14), foi realizada uma manifestação nacional contra o fim das escolas de educação especial proposta pelo senador José Pimentel. Vários municípios brasileiros fizeram as manifestações e uma caravana seguiu até Brasília. Olímpia não ficou de fora e realizou uma carreata com alunos, professores, diretores e pais pelas ruas principais da cidade.

IMG_6319

Um projeto que começou na Câmara dos Deputados e foi para o Senado pode acabar com as APAEs. O assunto tem provocado protestos em todo o noroeste paulista. A preocupação dos manifestantes é que as famílias percam a estrutura especializada para o ensino de estudantes especiais. O governo diz que o objetivo dessa mudança é incentivar a inclusão nas escolas regulares, mas para os profissionais da área, os exemplos de inclusão se mostraram ineficazes.

Alunos especiais precisam de atendimento especial e nas APAEs eles têm isso de graça. Aula individual com fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, atividades esportivas. No local, alguns até conseguem ajuda para entrar no mercado de trabalho.

Mas isso tudo está ameaçado. Pelo menos se depender de um projeto de lei que está no Senado. Criado em 2010,  o projeto previa ampliar o atendimento para os alunos especiais incentivando a transferência deles para o ensino público regular.

Mas o texto foi modificado pelo líder do governo no Senado, José Pimentel, que propôs cortar os repasses do governo federal para as APAEs depois de  2016.  Consequentemente as associações vão fechar as portas.

De acordo com o novo projeto é possível manter o público das APAEs em escolas comuns, ideia que tem revoltado muita gente.

IMG_6414

De acordo com Waldir Thereza, diretor da APAE de Olímpia, as famílias têm direito de escolher aonde o filho vai estudar. “Na nossa escola temos vários tipos de deficiência. Os alunos com deficiências intelectuais e/ou múltiplas graves necessitam de apoio permanente, mas também temos os com deficiências leves que podem ser inserido no ensino regular. Na APAE de Olímpia temos alunos no ensino regular, mas que visitam a APAE para atendimentos com técnicos como terapeuta ocupacional, fonoaudióloga e fisioterapeuta. A escolha da escola do filho depende única e exclusivamente da família. Na APAE temos 131 alunos regulares e mais os alunos que só passam por atendimentos multidisciplinares”, disse o diretor.

“O Governo Federal, em sua política educacional, quer determinar o fim das escolas de educação especial, tornando obrigatória a inserção do aluno na rede regular de ensino. O movimento apaeano de todo o Brasil contesta esta política, pois tira o direito da escolha. As APAEs não são contra a inclusão das pessoas com deficiência intelectual e/ou múltiplas na rede regular de ensino, entretanto há casos graves que não se beneficiarão do atendimento na rede regular”, explica Karla Janaine Borges, coordenadora técnica da Federação das APAEs do Estado de São Paulo.

Na sessão da Câmara Municipal realizada na segunda-feira (12), a vereadora Cristina Reale apresentou uma moção de repúdio para que os governantes rejeitem a redação da Meta 4 e estratégias do Plano Nacional de Educação, apresentada pelo senador José Pimentel.

Assunto(s):

Leia também:

3 comentários

  1. Ale disse:

    Não falta mais nada para esses políticos inventarem,com certeza não estão no seu juízo perfeito, Sou totalmente a favor da inclusão desde que as escolas estejam preparadas para recebe los,há muitos professores capacitados na rede, mas o espaço físico das escolas deixa à desejar, faltam rampas,local adequado para a higiene pessoal cadeiras de rodas e várias outras coisas. Deveriam primeiro pensar na infra estrutura escolar para depois acolher essas crianças, são seres humanos e merecem respeito e o mais importante de cuidados especiais .Os pais tem o direito de escolherem onde deixar seus filhos.

  2. Kleber disse:

    Na minha opinião politico bom é politico morto, bando de safado, cara eu fico muito nervoso desculpem meu palavriado, mas são um bando de ladrão mesmo viu.
    Por que eles não votam a favor de baixar o salarios absurdos deles,se eu estiver errado me corrijam, mas cara as APAE vivem mais de doações do que de verba do governo.
    Bando de safados sem vergonas, tinha que soltar uma bomba em brasilia e acabar com todos mesmo, começar do zero.
    Vem um governo bom (que é dificil), e cria depois vem um governo ruim pra caramba e destroi.

    Fica ai minha opinão pra quem quizer criticar ou apoiar.

    • Leonardo Concon disse:

      Para mim, bandido bom é bandido morto. O político, desde que honesto, e temos muitos, é necessário porque, caso contrário, isso aqui vira terra de ninguém. Tem anarquista até em Olímpia querendo mandar e desmandar sem os políticos, imagine no Brasil. O senador em questão, este sim, deve ser abolido do cenário eleitoral. Quer melhorar isso tudo? VOTE DIREITO E NÃO VENDA O SEU VOTO, PORQUE O CORRUPTO É O ELEITOR.

Resposta para Ale