Palestra na ACIO traz orientações sobre nova obrigação fiscal, sexta-feira

Publicado em 24 de março de 2015 às 12h13
Atualizado em 25 de março de 2015 às 13h56

A impressora fiscal está com os dias contados no Estado de São Paulo. Uma nova regulamentação exige que os estabelecimentos comerciais substituam o tradicional ECF (Emissor de Cupom Fiscal) por uma nova máquina, equipada com o chamado SAT – Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos. O equipamento realiza automaticamente a autenticação do cupom fiscal no momento da venda, e envia os arquivos para a Secretaria da Fazenda (Sefaz).

cupom

 

Com o objetivo de orientar empresários, gerentes de lojas, profissionais de Departamento Fiscal e contadores, a Associação Comercial e Industrial de Olímpia (ACIO) organiza na próxima sexta-feira (27) uma palestra com Thiago Moura, dono de uma empresa de Olímpia, com matriz em Araraquara (SP), que foi a primeira naquela região a desenvolver o software de Automação Comercial compatível com o SAT, além de comercializar o equipamento.

A palestra sobre o SAT ocorre no auditório da ACIO, na rua São João, 880. O evento é gratuito e está marcado para as 19h30. As inscrições podem ser feitas pelo telefone (17) 3281-6222.

O palestrante dará explicações e esclarecerá dúvidas sobre o novo sistema, seu funcionamento, prazos para implantação e as mudanças e vantagens que ele proporciona.

 

“O novo equipamento pode se conectar a mais de um caixa e o software envia o arquivo XML gerado na venda para o SAT, que valida e retorna o arquivo assinado”, explica Thiago Moura. “Após adotar o SAT, o estabelecimento não precisará mais emitir diariamente a redução Z (relatório das transações realizadas) ou enviar os arquivos RFD da impressora fiscal”.

 

Postos de combustível são os primeiros que têm que se adaptar à nova regra: o prazo para instalação do SAT é 1º de julho. Para outros tipos de estabelecimentos os prazos são maiores, mas, também a partir de 1º de julho, não será mais possível lacrar novas impressoras fiscais. “Isso quer dizer que os estabelecimentos que forem abertos após a data, assim como aqueles cujas impressoras atuais tiverem sido lacradas há mais de cinco anos, não poderão adquirir um novo ECF”, diz Thiago. “Nesses casos, também será necessária a adoção do SAT”.

Assunto(s): ,

Leia também:

Faça um comentário