GREVE! Bancos privados abrem a partir do meio-dia. Os estatais, só nos caixas eletrônicos

Publicado em 01 de outubro de 2014 às 12h54
Atualizado em 01 de outubro de 2014 às 12h57

Os bancários de Olímpia aderiram um dia após à campanha nacional dos bancários iniciada ontem (30), e estão parcialmente em greve. Somente os bancos privados abrirão, pelo menos durante esta semana, do meio-dia às 15h. Os estatais, como Banco do Brasil e Caixa Federal, permanecem integralmente em greve, segundo esclareceu ao Diário, na manhã de hoje, o presidente da sub-sede do Sindicato dos Bancários de Rio Preto, em Olímpia, vereador Hilário Ruiz.

Os comerciantes se ressentem. Segundo Mário Mandarino, da Empório e Sabores, “nos 23 dias de greve do ano passado, no mesmo período, o meu movimento caiu 35%. Está tudo registrado. Infelizmente, a greve dos bancários nos traz muitos prejuízos, além de incômodos em diversos serviços”.

greve

Os bancários reivindicam 12,5% de reajuste, valorização do piso salarial, PLR maior, garantia de emprego, melhores condições de saúde e trabalho, com fim das metas abusivas e do assédio moral, mais segurança nas agências e igualdade de oportunidades.

greve3

Filas de clientes já se posicionavam dentro das agências à espera da abertura ao meio dia (no caso dos bancos privados, como Itaú, Santander, Bradesco), ou para utilização dos caixas eletrônicos.

greve4

“Sabemos que a greve é uma dor de cabeça para o usuário, pedimos a sua compreensão, mas é uma luta nacional, somente no Estado de São Paulo temos milhares de bancários afastados do trabalho por condições psicológicas adversas de trabalho, é muita pressão também, e a categoria é conhecida por sua união e pela insistência na obtenção do que considera justo para todos”, disse Hilário.

greve2

O QUE ELES QUEREM

AS PRINCIPAIS REIVINDICAÇÕES DOS BANCÁRIOS
Reajuste salarial de 12,5%.
Piso Salarial de R$ 2.979,25
PLR: três salários mais parcela adicional de R$ 6.247.
14º salário.
Vales alimentação, refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 724,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).
Gratificação de caixa: R$ 1.042,74.
Gratificação de função: 70% do salário do cargo efetivo.
Vale-cultura: R$ 112,50 para todos.
Fim das metas abusivas.
Combate ao assédio moral.
Isonomia de direitos para afastados por motivo de saúde.
Manutenção dos planos de saúde na aposentadoria.
Emprego: fim das demissões e da rotatividade, mais contratações, proibição às dispensas imotivadas como determina a Convenção 158 da OIT, aumento da inclusão bancária e combate às terceirizações.
Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários.
Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.
Prevenção contra assaltos e sequestros: cumprimento da Lei 7.102/83 que exige plano de segurança em agências e PABs, garantindo pelo menos dois vigilantes durante todo o horário de funcionamento dos bancos; instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento das agências; biombos em frente aos caixas e fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários.
Igualdade de oportunidades para todos, pondo fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).
A PROPOSTA DOS BANCOS REJEITADA PELOS BANCÁRIOS
Reajuste de 7,35% (0,94% de aumento real).
Piso portaria após 90 dias – 1.240,89 (8% ou 1,55% de aumento real).
Piso escritório após 90 dias – R$ 1.779,97 (1,55% acima da inflação).
Piso caixa/tesouraria após 90 dias – R$ 2.403,60 (salário mais gratificação mais outras verbas de caixa), significando 1,39% de aumento real).
PLR regra básica – 90% do salário mais R$ 1.818,51, limitado a R$ 9.755,42. Se o total ficar abaixo de 5% do lucro líquido, salta para 2,2 salários, com teto de R$ 21.461,91.
PLR parcela adicional – 2,2% do lucro líquido dividido linearmente para todos, limitado a R$ 3.637,02.

………………………………………………………….
Antecipação da PLR
Primeira parcela depositada até dez dias após assinatura da Convenção Coletiva e a segunda até 2 de março de 2015.
Regra básica – 54% do salário mais fixo de R$ 1.091,11, limitado a R$ 5.853,25 e ao teto de 12,8% do lucro líquido – o que ocorrer primeiro.
Parcela adicional – 2,2% do lucro líquido do primeiro semestre de 2014, limitado a R$ 1.818,51.
………………………………………………………….
Auxílio-refeição – R$ 24,88.
Auxílio-cesta alimentação e 13ª cesta – R$ 426,60.
Auxílio-creche/babá (filhos até 71 meses) – R$ 355,02.
Auxílio-creche/babá (filhos até 83 meses) – R$ 303,70.
Gratificação de compensador de cheques – R$ 137,97.
Requalificação profissional – R$ 1.214,00.
Auxílio-funeral – R$ 814,57.
Indenização por morte ou incapacidade decorrente de assalto – R$ 121.468,95.
Ajuda deslocamento noturno – R$ 85,03.
CALENDÁRIO
Setembro
30 – Início da greve nacional por tempo indeterminado
Outubro
2 – Manifestações em frente aos prédios do Banco Central, em defesa de um BC independente do mercado financeiro
Fonte: Contraf-CUT

Assunto(s): ,

Leia também:

Faça um comentário