capa-usina.jpg

Apesar da seca, Guarani processa mais de 20 milhões de cana na safra que termina

A Guarani, empresa do Grupo Tereos e uma das líderes do setor sucroenergético brasileiro, encerra a safra 2014/15, em meados de dezembro e, apesar do longo período de estiagem registrado nesse ano, deverá moer 20,3 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Um crescimento de 3% em relação à safra anterior.

capa-usina

O evento para oficializar o encerramento do ciclo ocorreu hoje (10), no Parque do Peão em Barretos, e recebeu fornecedores de cana do Grupo, autoridades e entidades representativas do setor, como a UNICA (União da Indústria de Cana de Açúcar) e o CTC (Centro de Tecnologia Canavieira).

Estiveram presentes de Olímpia, além de alguns produtores rurais, como Otávio Lamana Sarti, Ronald Remondy Jr., Luiz Foresti, e Dirceu Bertoco, que é produtor canavieiro e secretário de Agricultura de Olímpia, representando o prefeito Geninho Zuliani. E o presidente eleito da Câmara, Luiz Salata; o vice-prefeito Gustavo Pimenta; o vice-presidente eleito da Câmara Marco Rodrigues; o presidente da Associação Comercial e Industrial de Olímpia (ACIO), Flávio Vedovato; Donizete da Coopercitrus; fotógrafo Hélio Garcia, o Diário de Olímpia (cobertura exclusiva, inclusive online), entre outros.

IMG_6929.JPG

Durante o encontro, a Companhia anunciou o balanço da safra 2014/15 e antecipou as perspectivas para o próximo ciclo. Segundo Alberto Pedrosa, diretor Presidente da Guarani, 2014 foi um ano, particularmente, difícil e de muitos desafios para o setor sucroenergético.

“Fomos surpreendidos por uma seca histórica, que trouxe impacto negativo para nossas atividades, já afetadas por uma série de fatores de mercado desfavoráveis. Tivemos uma redução significativa na produtividade agrícola e no volume total de produção. Precisamos manter o foco em nossa competitividade para garantir nosso sucesso, mesmo em tempos adversos”, acrescenta.

Na safra 2014/15 a empresa avançou na cogeração de bioeletricidade e, já no próximo ano, deve gerar 1200 GWh de energia limpa e renovável para comercialização.

No campo, a Guarani também chega ao fim da safra cumprindo integralmente o compromisso assumido com a assinatura do Protocolo Agroambiental. A empresa implementou a colheita mecanizada em 100% das áreas mecanizáveis. Isso representa 98% de sua cana própria.

“A colheita mecanizada elimina a queima da palha, trazendo benefícios ambientais para a nossa região”, conclui Pedrosa.

Para a próxima safra, a expectativa da companhia, é continuar crescendo o seu volume de moagem.

Sobre a Guarani

A Guarani, controlada da Tereos, é uma das empresas líderes do setor de cana-de-açúcar do Brasil e destaca-se como a terceira maior produtora de açúcar do País. Possui sete unidades industriais, na região noroeste do Estado de São Paulo. Em 2013, a Companhia processou 19,7 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e produziu 1,6 milhão de toneladas de açúcar, 600 milhões de litros de etanol e 750 GWh de energia para a comercialização.

GALERIA DE FOTOS

Clique na imagem abaixo para visualizar as fotos desta reportagem:

galeria-usina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *