Não vai ter mais: Villaggio D’Itália oferece os últimos apartamentos à venda

Publicado em 20 de junho de 2015 às 10h00
Atualizado em 20 de junho de 2015 às 10h16

O Residencial Villaggio D’Itália está praticamente completo, mas ainda restam poucas unidades para completar os 196 apartamentos das sete torres, informa o empresário e corretor Carlos Savian, que é um dos incorporadores, ao lado do também empresario olimpiense Ronald Remondy Júnior, e do construtor rio-pretense Marcos Buck, que constituíram a Remasa Empreendimentos, com projeto arquitetônico da obra, através de Germana Zanetti, da Arquitetos Associados. Como já foi noticiado anteriormente, a obra foi entregue praticamente um ano antes do prazo combinado com os investidores.

DSC08049

Agora, só mesmo poucas unidades, que podem ser contadas em uma das mãos, de dois dormitórios, em um residencial estrategicamente localizado no coração urbano de Olímpia. “Excelente oportunidade de investimento, que, nos últimos quatro anos, rendeu 78% de valorização”, revela também Savian ao Diário.

SAM_0055

SAM_0044

SAM_0028

villaggio-antes-e-depois

O CRONOGRAMA ‘A JATO’

A partir do lançamento, e 2010, as obras se intensificaram. No dia 19 de abril do ano seguinte, 2011, o Diário noticiava que “o mais recente lançamento imobiliário de Olímpia – o condomínio fechado Villaggio D’Itália – está com as três primeiras torres, das sete projetadas, em fase adiantada de construção e, principalmente, de vendas”. Ou seja, cerca de 55% dos 88 apartamentos já estava vendido. E já havia sido montado, em uma das torres, o apartamento decorado para o plantão de vendas. Sete meses depois, em novembro, Carlos Savian garantia que os primeiros proprietários já tomariam posse de seus apartamentos no início do próximo ano, 2012.

reuniao1De fato, em 17 de março de 2012, o Diário registrava que “os moradores do Villaggio D’Itália se reuniram na manhã deste sábado (17) para a primeira reunião de condomínio, coordenada pela Remasa Empreendimentos, no salão de festas do local”. Desde o dia 23 do mês anterior (janeiro de 2012), eles passaram a receber as chaves das três primeiras torres já concluídas, das sete programadas pelos empreendedores Marcos Buck (Buck Engenharia), empresário Ronald Remondy Júnior, e corretor Carlos Savian (Apoio Imobiliária). Dos 84 apartamentos, só restavam quatro para serem vendidos, segundo revelou Savian naquela assembleia.

Os moradores, então, elegeram o presidente da reunião entre eles, Manoel de Jesus Valverde e, a partir daí, cumpriram a pauta da assembleia, elegendo o primeiro síndico e seu vice – Carlos Savian e o comerciante Luiz Antonio Fonseca (Fon), os três conselheiros e seus suplentes, a administradora do condomínio e demais dúvidas dos condôminos.

Em 23 de agosto de 2013, o corretor Carlos Savian reuniu os seus corretores para anunciar o início das vendas dos últimos 56 apartamentos do complexo que reúne sete torres. A obra estava, na ocasião, em estágio avançado das torres 5 e 6, enquanto que, das torres 3e 4 até o dia 20 de setembro os moradores já receberiam as chaves.

SAM_0040

Em 13 de outubro do ano passado, Savian revelava ao Diário, e para os futuros proprietários, que “as últimas duas torres do Residencial Villaggio D’Itália, de números 5 e 6,  deverão ser entregues em fevereiro do próximo ano”. O que foi cumprido. Restam, agora, 15 unidades para serem vendidas.

GALERIA DE FOTOS

Clique na imagem abaixo e confira as fotos desta reportagem:

galeria-villaggio

Assunto(s): ,

Leia também:

1 comentário

  1. Fábio disse:

    Qual o cronograma para emissão das escrituras?

Faça um comentário