E daí que a Guarani manda R$ 400 mil para o FIT de Rio Preto? Quem esqueceu o Fefol?

Publicado em 30 de janeiro de 2012 às 17h33
Atualizado em 30 de janeiro de 2012 às 17h44

Ontem, domingo (29), o Diário da Região, de Rio Preto, publicou, e o Diário de Olímpia (Blog do Concon) repercutiu, manchete de que a Guarani investirá R$ 400 mil no Festival Internacional de Teatro de Rio Preto. Não tinha como o leitor olimpiense não pensar, e até criticar apressadamente: “Mas, e o Festival de Folclore de Olímpia?”

guarani1

E alguns comentaristas até escreveram, sentenciando com todas as letras: “A Guarani não gosta de Olímpia”. Num primeiro momento, o sentimento é o mesmo do irmão pobre que viu o irmão rico ajudar um outro parente, este de classe média alta, e ainda fazer alarde no terceiro maior jornal do Estado de São Paulo, que tem até maior tiragem, e credibilidade, do que os semanários locais.

Eu já expus o meu pensamento na área de comentários daquela notícia e vou repetir, até com mais ênfase, nesta nova coluna do Diário de Olímpia: não tem razão esse sentimento de ‘traição’ que alguns estão sentindo, e expondo, até de forma agressiva, e vou enumerar os pontos desta defesa que, sinceramente, não recebo para isso e nem me pediram, apenas um testemunho de jornalista e ex-assessor de imprensa do Festival de Folclore de Olímpia por dois anos.

Em primeiro lugar, a Guarani é uma empresa que, efetivamente, para que a cidade receba uma das maiores arrecadações tributárias, situando-a em ranking sempre favorável na economia de emprego, de exportação, de divisas. Hoje, a empresa é multinacional, com forte participação da Petrobrás, e está em solo olimpiense.

E sendo uma empresa que não para de crescer, adquirindo mais unidades, expandindo negócios para o País e o mundo, não é mais gerenciada como se fosse uma simples fábrica, ou como era gerenciada em seus primórdios. A Guarani é planejada como uma cidade, todos os investimentos do ano são aprovados e fiscalizados pelo Conselho de Administração, não se vai mais à porta da empresa, exceto casos muito excepcionais, ‘pedir ajuda’ e logo sai com um cheque na carteira.

Então, tanto o FIT quanto o FEFOL, assim como centenas de outras ações espalhadas pelas principais cidades cobertas por sua intervenção sucroalcooleira, são estudadas e programadas com antecedência. No ano passado, por exemplo, a Guarani investiu R$ 200 mil no Fefol, diretamente, sem contar ações indiretas, e sem somar com outras atividades que a Guarani desenvolve durante o ano todo, beneficiando setores que precisam de nossa comunidade.

E o que dizer das 1,1 mil crianças e adolescentes que estão no projeto “Basquete para a Vida”, de Olímpia e cidades da região? A Guarani não poderia ajudar o Olímpia Futebol Clube, uma equipe profissional, mas ajuda a desenvolver não apenas o Basquete, mas muitas ações esportivas em Olímpia e região.

Temos noticiado, também, apoios importantes da empresa: O Rancho do Peãozinho, da festa de Barretos, beneficiando a criança e a família; o mutirão de limpeza com homens e máquinas tirando lama, mato e sujeira, de Olímpia, pós-enchentes de fortes chuvas; a mesma atividade emergencial ocorreu em Severínia no ano passado; Copa Escolar de Vôlei; doação de todos os brinquedos à Brinquedoteca da Ala Pediátrica da Santa Casa de Barretos e, depois, a contratação de filmagem institucional dessa atividade; e muitas obras, entre elas, a presença constante, repito, da Guarani no Festival de Folclore de Olímpia.

guarani2

Se o Thermas dos Laranjais, hoje, é ícone de desenvolvimento de Olímpia, a Guarani tem esse mérito há muito mais tempo, sendo a principal empregadora da cidade e comarca. Com todas as críticas que os mais afoitos fazem, é a que todos querem, um dia, trabalhar, ou sonham que poderiam estar ‘lá dentro’, com plano de carreira, plano médico, e toda uma política de RH, de Segurança, de dignidade humana.

Assim, da mesma forma que noticiei que a Guarani ajudará em R$ 400 mil o FIT de Rio Preto, tenho a coragem de escrever que, não apenas hoje, mas de há muito tempo, e por muito mais pela frente, a Guarani sempre será de Olímpia e não a abandonará. De minha parte, não me sinto traído. Até porque o Sol nasceu para todos, inclusive para Rio Preto.

Assunto(s):

Leia também:

3 comentários

  1. Vanderson melo disse:

    Parabéns pelos seus comentários ponderados a respeito de uma empresa séria e que a gente se orgulha em trabalhar. A Guarani patrocina tantos eventos que se algumas pessoas se magoarem por este ou aquele patrocinio com certeza ficarao chorando o dia inteiro. E tenho ditoooo!

  2. florencio dutra disse:

    quem criticou não tem conhecimento que a guarani está ofertando energia elétrica gratuitamente para a hospital do câncer de Barretos. Ato sublime desta empresa que tenho orgulho de ser a minha cidade a pioneira.
    Florêncio Dutra

  3. Nilton Frias disse:

    Pois é, eu fui a um hotel aqui em Recife e fui servido com açúcar Guarani. Tão longe né? O dinheiro de incentivo dá pra todos, e no final vai ajudar, mas não enriquecer ninguém. Discussão boba, e “causa” de quem não tem nada mais emocionante na vida do que criticar tudo e todos.

Faça um comentário